UME Rui Barbosa teve reforma concluída pela Carbocloro

Escola do Jardim Caraguatá era uma das mais problemáticas no início do ano letivo de 2017.

A comunidade do bairro Jardim Caraguatá vai conhecer os resultados da reforma da Unidade Municipal de Ensino Rui Barbosa, em evento neste sábado (24), às 10h, com a presença de autoridades locais e representantes da Unipar Carbocloro. A obra da escola durou pouco mais de dois meses e foi patrocinada pela tradicional indústria do Polo de Cubatão, produtora de cloro, soda e derivados.

O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) estará na solenidade de reinauguração, que também contará com alunos e responsáveis, professores, integrantes do Conselho Comunitário Consultivo (CCC) da Unipar Carbocloro e demais convidados. Esta é a segunda unidade de ensino a ser reformada por empresas locais, com trabalhos iniciados antes da validade do Programa Adote uma Escola, aprovado no final do ano passado pela Câmara de vereadores.

Reforma geral – As melhorias na estrutura física abrangeram pintura geral da unidade, renovação da quadra poliesportiva, adequação da cobertura com novas telhas, pintura e limpeza. Também foram substituídas todas as lâmpadas da escola por LEDs e algumas lousas das salas de aula. Outro item oferecido foi o controle de pragas, incluindo limpeza dos resíduos de pombos e instalação de telas de proteção.

“Ficamos muito felizes de poder contribuir com a renovação desta escola tão importante para a cidade em seus 27 anos de história. Os mais de 630 alunos do ensino fundamental merecem estudar com mais conforto e segurança. A Unipar Carbocloro tem convicção da importância de se investir em ações de responsabilidade socioambiental em prol da cidadania e do bem-estar da comunidade”, afirma Airton Andrade, diretor Industrial da Unipar Carbocloro.

No evento de sábado, também haverá uma homenagem à professora Suely Aparecida Costa Marcelino, que foi diretora da UME Rui Barbosa entre 1994 e 2012. A escola está localizada a Rua Vereador Luiz Pieruzzi Neto, 50, no Jardim Caraguatá, em Cubatão.

Jornalista Paulo Schiff assume editoria política do Povo

Compromisso com a verdade. (Foto: Boqnews)

O jornal “Povo de Cubatão” dá boas-vindas ao jornalista Paulo Schiff. Ele está assumindo a Diretoria de Redação do tradicional semanário cubatense, acumulando a editoria política. Ele tem 66 anos, é engenheiro civil e jornalista, tendo trabalhado em TV, rádio, jornal impresso e atua no ramo jornalístico há mais de 30 anos.

Entre os anos de 1983 a 1986, Paulo Schiff ocupou seu único cargo público de carreira, como diretor do escritório regional de planejamento da Baixada Santista e Vale do Ribeira, durante o governo Franco Montoro. E foi candidato a prefeito de Santos em 2016, pelo PDT. Presidiu o Conselho Deliberativo do Santos FC.

O jornalista Paulo Schiff escreveu muitos textos para as colunas de esportes e de política do “Povo de Cubatão”, desde a fundação do jornal em abril de 1999. Nessa nova fase de seu relacionamento com o veículo, que mantém a divulgação dos fatos mais importantes de interesse da cidade também nas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), além do próprio site – www.povodecubatao.com.br – Schiff contribuirá para a inauguração de nova fase do jornalismo local e regional.

Boca do Povo – Para marcar essa nova fase, a partir do dia 16 de fevereiro, Paulo Schiff assinará a coluna “Boca do Povo”, e os interessados poderão conferir os bastidores políticos, econômicos, culturais e sociais do Município, bem como as suas conexões e consequências no presente e futuro de Cubatão.

Texto: Raul Christiano | Foto: Boqnews.

Portos da Usiminas e VLI trazem otimismo para economia de Cubatão

Canal de Piaçaguera é via de acesso do Tiplam, terminal portuário recém ampliado pela VLI. Foto: Marcos Peron

Brevemente os portos da Usiminas (Cubatão) e da VLI (área continental de Santos, na divisa com Cubatão), que expande o seu Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Veiga de Mesquita – Tiplam, considerado a maior obra portuária privada em curso no Brasil, que compõem o sistema portuário de Santos, o maior da América Latina, vão proporcionar o início da recuperação econômica no município e na Baixada Santista. Essa possibilidade foi garantida graças ao trabalho de dragagem do Canal de Piaçaguera, localizado no Largo do Casqueiro, região próxima à Ilha das Cobras, em Cubatão, sem agressão ao meio ambiente, o que é um fato exemplar segundo o presidente da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – Cetesb, Carlos Roberto dos Santos, em visita recente à região.

Foi necessário realizar a dragagem para ampliar a profundidade do canal e permitir a navegação de navios maiores e com maior capacidade de transporte de cargas para exportação e importação, em uma área afastada da zona urbana das cidades e sem necessidade de acesso às já congestionadas margens direita e esquerda do Porto (Santos e Guarujá). E essa dragagem, inspecionada por autoridades ambientais da Baixada e técnicos especializados da Cetesb, firmou um novo padrão de respeito ao meio ambiente e à sustentabilidade.

O diferencial é a construção de uma cava, na área do Canal de Piaçaguera, pelas empresas Usiminas e VLI, para comportar o material dragado sem apresentar trocas (de detritos contaminados por metais pesados) com a biota (ecossistema). “Agora, com ela em operação, o local, inclusive, pode se recompor, porque o material mais poluente não fará trocas com o ambiente, a fauna, a flora”, ressalta o presidente da Cetesb.

O início – Desde que a obra foi iniciada, em 2016, em diversas oportunidades a segurança da operação foi questionada. Mas gradativamente, com os esclarecimentos técnicos bem fundamentados os órgãos ambientais responsáveis pelas autorizações não hesitaram em garantir que a sua continuidade é “medida de extrema segurança”, comentou o químico José Eduardo Bevilacqua, assistente-executivo da diretoria da Cetesb.

Tiplam – O Tiplam, operado pela VLI, passa por uma grande ampliação desde 2013 e irá sextuplicar a sua capacidade anual de movimentação. Antes da ampliação, o Tiplam importava produtos como fertilizantes, enxofre e amônia. A expansão capacitou a estrutura para o aumento do volume de importação desses produtos e também permitiu o início das exportações de grãos e açúcar.

Durante o pico das obras de expansão do Tiplam foram gerados pelas empresas prestadoras de serviço para VLI, cerca de 9 mil empregos diretos. Com a conclusão, que entra na fase final das obras, 500 novos empregos, entre empregados próprios e terceirizados, serão criados.

Cine Roxy continua sem definição

Ficar sem cinema em Cubatão é uma perda grande, em uma cidade sem opções de lazer e cultura. Foto: PMC

Como esperado, foi muito grande e negativa a repercussão de que a cidade de Cubatão pode perder as suas duas e únicas salas de cinema, do Roxy, no Parque Anilinas. A denúncia foi publicada na edição passada do jornal “Povo de Cubatão” e compartilhada nas redes sociais. Mas a Prefeitura não quis esclarecer aos munícipes por meio deste jornal, optando apenas pelo jornal “A Tribuna”, na última quarta-feira (24), que transcrevemos a seguir:

“Questionada, a Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura (Secom) assinalou que ‘o complexo de cinema instalado no Centro Multimídia do Parque Anilinas será mantido’. Mas confirmou que o contrato com os proprietários do Cine Roxy venceu em julho de 2017, ‘quando a questão era afeta à Secretaria Municipal de Cultura, na gestão do ex-titular Raul Christiano'”.

A Secom também informou erroneamente que a gestão do Parque Anilinas passou para a Secretaria de Turismo apenas após a demissão de Raul da Secult. Ouvido pela reportagem do “Povo”, Raul Christiano disse que o processo estava de posse da Secretaria de Turismo desde o início do governo de Ademário Oliveira.

Raul fez questão de frisar que o secretário de Turismo, que iniciou no cargo, Mauro Haddad, e depois o seu sucessor e atual ocupante da pasta, Antonio Ribeiro, alegavam que “era de competência deles, uma vez que o Parque Anilinas estava sob a responsabilidade daquela secretaria. Com isso, até o início de julho, não pude conhecer o conteúdo do contrato”.

“Os dois secretários de Turismo – esclarece o ex-secretário de Educação e de Cultura – sempre justificaram que vinham conversando e recebendo orientação do próprio prefeito, inclusive realizando reuniões com o proprietário do Cine Roxy, sem a presença da Secult”. O prefeito Ademário – continua Raul Christiano, “questionado por mim em reuniões do secretariado respondia que estava tratando com os secretários de Turismo, porque considerava injusto que o Roxy pagasse apenas 11,5% das suas receitas com a venda de ingressos e da loja de doces, refrigerantes e pipoca, mas não pagava o condomínio, água e luz da fração usada do Parque Anilinas”.

Antônio Campos – O jornal “Povo de Cubatão” apurou que o empresário Antônio Campos sempre se dispôs a pagar, desde 2012, mas a Prefeitura de Cubatão jamais realizou os cálculos de quanto importava essas taxas da sua ocupação do Parque municipal. Procurado pela reportagem, o empresário que é o dono do Grupo Roxy de Cinemas, com salas em diversas cidades da região, não respondeu às mensagens enviadas.

Sem contrato desde julho e com a recomendação da Procuradoria Geral do Município de iniciar uma nova licitação para que o Roxy ou outra empresa do ramo possam explorar as atividades no Centro Multimídia com cinema, surgem dois problemas com perdas para a comunidade: o Roxy não pode repassar a parte da arrecadação para a Prefeitura e, sem qualquer ato formal, é possível que com uma representação de qualquer pessoa no Ministério Público, o cinema de Cubatão deve ser fechado a qualquer momento.

Solução provisória – O ex-secretário Raul Christiano, com base em parecer da sua assessoria técnica na época em que estava no cargo, sugere a elaboração de uma portaria de uso precário e oneroso, que poderia garantir o funcionamento: “Apresentei esse caminho para uma solução provisória no próprio processo administrativo, mas faltou a decisão do prefeito Ademário, que é quem tem a última palavra na Prefeitura”, concluiu.

Termina nesta sexta-feira (26), prazo para MEIs se regularizarem

O advogado Raul Virgilio faz o alerta na edição deste fim de semana. Foto: Raimundo Rosa

Os Microempreendedores individuais que não pagaram nenhuma guia mensal (DAS) referente aos períodos de apuração de 2015, 2016, 2017 e não entregaram nenhuma declaração anual (DASN-SIMEI) referentes aos anos de 2015 e 2016, tem até hoje, sexta-feira (26), às 23h59, para regularizar sua situação junto à Receita Federal.

Segundo dados do Governo, mais de 60% dos empreendedores estão em atraso com as suas obrigações. A listagem com os CNPJs suspensos está disponível no Portal do Empreendedor, onde é possível fazer a busca pelo CNPJ ou pelo CPF, no site http://www.portaldoempreendedor.gov.br/.

Para evitar o cancelamento e se regularizar, o empreendedor pode solicitar o parcelamento dos seus débitos em até 60 meses. O empreendedor poderá emitir as guias de arrecadações para o pagamento. Sobre o valor das guias será acrescido juros de 1% ao mês, mais taxa Selic, além de multa de 0,33% ao dia, limitado a 20% do valor a ser pago.

Caso não seja regularizado, com a baixa definitiva do CNPJ, os débitos migrarão automaticamente para o CPF vinculado. O cancelamento da inscrição está previsto no Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno porte regulamentado por meio da resolução nº 36/2016 do CGSIM, criada para tratar do processo de registo e de legalização de empresários e de pessoas jurídicas.

(*) Raul Virgilio Pereira Sanchez é advogado, Pós Graduado em Direito Empresarial, sócio do Escritório de Advocacia Sanchez & Mancilha Advogados. E-mail: raulvps@gmail.com | Site: http://www.smradv.com.br/ | Blog: https://raulvirgilio.wordpress.com/

Cubatão pode ficar sem Cine Roxy

A Prefeitura cedeu as instalações no Parque Anilinas para o Grupo Roxy de Cinemas e recebe 11,5% da bilheteria para os cofres municipais. Foto: Aderbau Gama

Por causa de confusões administrativas do governo Ademário Oliveira (PSDB), contrato para manutenção do cine Roxy no Parque Anilinas não foi prorrogado em julho passado e cinema pode fechar. E se isso for confirmado será uma perda imensa para a cidade, que tem raras opções de lazer e cultura nos últimos anos. A reportagem procurou a Prefeitura para ter um posicionamento oficial, mas até o fechamento desta edição do jornal “Povo de Cubatão”, não houve qualquer manifestação.

O Cine Roxy é tradicional da região da Baixada Santista e tem salas de cinema no bairro do Gonzaga em Santos, na Avenida Ana Costa e no Shopping Pátio Iporanga, além do Shopping Brisamar de São Vicente. Quando a Prefeitura de Cubatão reformou completamente o Parque Anilinas, a contratação do cinema para funcionar no prédio do Centro Multimídia, em 2012, garantiu ao espaço uma movimentação diferenciada e uma atenção maior à segurança dos munícipes que frequentam o local.

Cubatão não tem muita sorte com os equipamentos culturais. O Bloco Cultural, que fica localizado entre os prédios da Prefeitura e da Câmara de Vereadores, no Paço Municipal Piaçaguera, no Centro, está com problemas estruturais no telhado e sistema de ar condicionado, deteriorando o espaço a olhos vistos, sem que o poder público atue para a sua reforma completa e requalificação. Hoje as bandas Sinfônica e Marcial estão acolhidas no Bloco e os seus instrumentos correm risco por conta das goteiras nos períodos de chuvas na cidade.

O teatro municipal, que ficou 30 anos esperando para ser concluído, na Avenida Henry Borden, esquina com a Avenida Nove de Abril, funcionou algumas vezes, nos governos de Nei Serra, Clermont Castor e desde o início de Marcia Rosa foi paralisado e abandonado. O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) conseguiu aprovar na Câmara Municipal a transferência do prédio para a área da Saúde e segundo a Fundação São Francisco Xavier – FSFX até o final deste ano novos serviços de medicina estarão disponíveis para a população em sua estrutura.

Cinema – Resta para a Cultura da cidade o Cine Roxy 3, inaugurado em 2012 com duas salas de cinema e capacidade de 200 lugares cada uma, dentro dos melhores padrões com revestimento térmico, acústico e todos os equipamentos da moderna tecnologia para o setor. São salas que obedecem o mesmo projeto das que o grupo possui em Santos e na região, com poltronas no estilo estádio e som estéreo.

O último cinema em Cubatão, antes do Roxy 3, Cine Millennium durou até o ano 2000. Os moradores do município, quando queriam ir ao cinema precisavam ir a Santos ou a Praia Grande, mas com o contrato feito com a empresa do Roxy, nos últimos 5 anos, a Prefeitura ainda conseguiu para os seus cofres, cerca de R$ 700 mil, sendo 10% para a conta geral e 1,5% para o Fundo de Cultura, que inexistente e desregulamentado, não registra nenhum aporte.

Contrato – A reportagem do jornal “Povo de Cubatão” teve acesso a informações de que o contrato da Prefeitura com a empresa Roxy deveria ter sido renovado até o final do mês de julho de 2017, mas não foi por duas divergências internas e administrativas do governo Ademário: a primeira em decorrência de quem seria o responsável para resolver essa pendência – Secretaria de Turismo (que é responsável pelo Parque Anilinas) ou Secretaria de Cultura? A segunda, por conta de pareceres judiciais da Procuradoria Municipal, que se posicionou contrariamente à prorrogação do contrato, mesmo em “caráter excepcional” por conta dos prejuízos ao lazer e à cultura cubatenses, defendendo a realização de uma nova licitação pública.

Diante do impasse, o Roxy 3 permaneceu na cidade, sem contrato e de maneira irregular. Com isso, os percentuais arrecadados com os ingressos e parte também da bombonière não podem ser repassados a Prefeitura, aguardando a licitação que o governo atual não divulgou até agora. Se essa situação continuar sem alteração, nos próximos dias Cubatão será obrigada a assistir fechadas as portas das suas duas salas de cinema.

UME Jayme Olcese volta a funcionar em fevereiro

Grupo Cesari investiu mais de R$ 700 mil e requalificou o prédio da UME Jayme João Olcese.

Após receber uma ampla reforma no último semestre, a UME Jayme João Olcese (Jardim Anchieta/Costa e Silva) foi apresentada aos representantes da Prefeitura, inclusive ao prefeito Ademário Oliveira (PSDB) e ao vice-prefeito Pedro de Sá (PTB), que é também o Secretário de Educação, além dos dirigentes do Grupo Cesari, que patrocinou a sua recuperação, na tarde da última sexta-feira (12). Pelo Cesari, esteve o seu diretor-executivo Heber Spina Borlenghi.

A escola estava interditada desde 17 de janeiro do ano passado, devido ao estado das instalações e à falta de salubridade, colocando em risco a saúde e a integridade dos seus alunos, funcionários, professores e a direção da unidade. Ademário ficou bastante bem impressionado com o que viu e disse que “em nome da Prefeitura, agradece a acolhida e a ousadia de empreender do grupo, fazendo um trabalho de excelência na melhoria da nossa rede de ensino”. Borlenghi respondeu de imediato: “Nós nos colocamos à disposição para colaborar na valorização de nossas crianças e dos jovens de Cubatão”.

O grupo empresarial investiu mais de R$ 700 mil em uma reformar que durou mais de 160 dias. Com as obras, que proporcionaram a revitalização da fachada externa, salas de aula, corredores e áreas comunitárias, como pátio, jardim e quadra poliesportiva, pode-se dizer que o prédio parece outro, tamanho o estado de destruição em que ela se encontrava antes. Também foram realizadas as instalações de portas, ventiladores e outros materiais, além de readequações de sinalização e segurança, alcançando o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), sendo a primeira UME a possuir esse certificado, que tem sido exigido pelo Ministério Público local.

Adote uma Escola – A Prefeitura de Cubatão conseguiu a aprovação de lei municipal na Câmara de Vereadores, criando o Programa Adote uma Escola, que permitirá que outras empresas da região e do município, a exemplo da Cesari (UME Jayme João Olcese) e Unipar Carbocloro (UME Rui Barbosa), possam apoiar o município nas reformas necessárias de sua rede de ensino. Houve uma certa polêmica nas redes sociais, por algumas pessoas que disparam críticas sem fundamento, sobre “o retorno que a iniciativa privada terá”. Esclareça-se que o retorno é a pontuação para as empresas que são bastante qualificadas por sua responsabilidade social, educacional e cultural, como em todo país desenvolvido nesse mundo afora.

Escola estava insalubre, no início do ano passado.

 

Pais vinham reclamando às autoridades municipais, sem êxito no governo Marcia Rosa (PT).

Governo do Estado realizará melhorias no Rubens Lara

Os apartamentos e sobrados construídos desde 2008, na região do Jardim Casqueiro, em Cubatão, são referência urbanística no país e no mundo. Foto: Internet.

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado – CDHU destinará R$ 5 milhões para serviços de manutenção e reforma nas unidades habitacionais do conjunto Rubens Lara. A medida atende a reivindicação antiga das famílias que residem no núcleo e foi assunto da reunião que o prefeito Ademário Oliveira manteve na terça-feira (16) com o secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia (DEM). Participaram também do encontro, realizado na Capital, o deputado estadual Caio França (PSB), a secretária municipal da Habitação Andrea Maria de Castro, o vereador Ivan Hildebrando (PSB) e técnicos da CDHU.

Os pedidos de reparos nos prédios do Conjunto Rubens Lara, que é administrado pela CDHU, vão desde recuperação em revestimentos de paredes e infiltrações nos tetos até manutenção de sistemas elétrico, hidráulico e de saneamento. As queixas dos moradores têm sido encaminhadas com frequência à Prefeitura, o que levou o prefeito Ademário Oliveira a interferir diretamente junto ao Governo do Estado em busca de soluções para os problemas.

O conjunto Rubens Lara foi inaugurado em 2010, com objetivo de abrigar a 1.840 famílias transferidas das encostas da Serra do Mar pelo Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, do governo paulista. Na semana passada a CDHU iniciou as obras de mais 216 apartamentos, em quatro torres de 14 andares cada uma, na área do CSU / Parque do Trabalhador, no Jardim Costa e Silva.

Casa Paulista – Na mesma reunião, a Prefeitura obteve a garantia do Governo do Estado de que a cidade participará do Programa Casa Paulista. Este programa consiste na liberação de recursos estaduais para que sejam complementados investimentos em projetos habitacionais.

Segundo a secretária Andrea Maria de Castro, a Prefeitura destinará as verbas para os projetos desenvolvidos na Vila Esperança por meio do programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. “Isso possibilitará uma redução significativa dos custos finais das unidades habitacionais, principalmente em uma área de solo inconsistente como é a Vila Esperança”, explicou.

Inaugurado CEU de Artes e Esportes Unificados no Bolsão 8

Autoridades locais, regionais e o representante do Ministério da Cultura prestigiaram o evento. Foto: Ricardo Vasconcellos.

Com as presenças do representante do Ministério da Cultura, Antônio Alfredo Bertini de Torres Bandeira, secretário nacional de infraestrutura cultural, de autoridades regionais e lideranças comunitárias cubatenses, o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) inaugurou neste domingo (14) o primeiro Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) da Baixada Santista. O novo equipamento público para atender à população nas áreas da Cultura, Esportes e Social, fica no Jardim Nova República (Bolsão 8).

A construção foi possível graças a um convênio entre a Prefeitura e o Ministério da Cultura, ainda no governo de Marcia Rosa (PT), contando com gestão de recursos da Caixa Econômica Federal.

Segundo o prefeito Ademário, “a inauguração desta importante obra, iniciada há cinco anos, só foi possível graças à seriedade e respeito com que nossa administração trata o dinheiro público. Este Centro de Artes e Esportes Unificados tem um significado especial porque cada criança, cada jovem que utilizar este espaço, seja para praticar esporte ou participar das oficinas culturais, estará se preparando para o futuro”.

Cebola – Em homenagem a um dos homens que mais trabalhou pelo esporte e pela juventude cubatense, por iniciativa do vereador Aguinaldo Araújo (PDT), o CEU do Jardim Nova República recebeu o nome de Milton Alexandre de Jesus, o Cebola. Ao comentar a justa homenagem, Ademário Oliveira lembrou que o também militante político Cebola era antes de tudo “um ativista social”, muito querido pela comunidade.

Participação – Com a presença de praticamente todos os vereadores e secretários municipais, o evento foi de responsabilidade do vice-prefeito e secretário de Planejamento, de Educação e de Cultura, Pedro de Sá, que enalteceu a iniciativa lembrando que o CEU de Artes e Esportes Unificados agrega, principalmente, cultura, esporte e lazer. Para ele, este será um instrumento importante para o compromisso do governo atual com qualidade de ensino.

O deputado estadual Paulo Correia reconheceu “o governo de resgate” que Ademário está liderando em Cubatão, enquanto o secretário de Cultura de Santos, Fabio Alexandres Nunes, o Professor Fabião, afirmou que “um país que quer virar nação tem que investir em educação e cultura. E é isso que estamos vendo aqui, na administração do prefeito Ademário da Silva Oliveira”.

Recursos – Ao ressaltar o compromisso e a parceria do governo federal com os municípios, o secretário do Ministério da Cultura, Antônio Alfredo Bertini de Torres Bandeira informou que serão investidos mais de R$ 2 bilhões com a conclusão de 333 CEUs, dos quais 183 já foram entregues: “Posso garantir que temos recursos financeiros”. Para o secretário, a maior preocupação é pela manutenção dos programas de atividades esportivas, culturais e sociais “para que o projeto avance cada vez, mais trazendo formação de qualidade aos nossos jovens”.

Proposta – Antes do encerramento da solenidade, o vereador Fábio Roxinho solicitou ao prefeito que a quadra poliesportiva do CEU fosse denominada “Ivonaldo Aloísio, em homenagem ao atleta cubatense falecido neste mês e que se dedicou, através do futebol, a apoiar e ajudar os jovens da comunidade.

Como ato final e em obediência a um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), do Ministério Público, Ademário e o secretário de Meio Ambiente, Mauro Haddad, plantaram quatro das 70 mudas de árvores na área do CEU.

Comunidade passa a contar com mais uma biblioteca satélite da Central de Cubatão. Foto: Ricardo Vasconcellos.

Programação – No próprio domingo, logo após a inauguração, o CEU iniciou suas atividades e abriu inscrições para 210 vagas gratuitas em diferentes segmentos. As inscrições são presenciais, podendo ser feitas a partir desta segunda-feira (15) das 9 às 12 e das 14 às 17 horas, para a oficina de moda e identidade (dias 16 a 24), às terças e quartas-feiras, das 9 às 12 horas, voltada a alunos de 11 a 17 anos.

Nos mesmos dias, das 14h às 17h, para crianças de 8 a 13 anos, ocorrerá a de confecção de maquete de uma cidade sustentável. Às quartas e quintas-feiras (dias 17 a 25), das 14h às 17 horas, também haverá uma oficina de confecção de brinquedos para crianças de 8 a 13 anos.

Nas quintas-feiras (dias 18 e 25), estão previstas ainda duas turmas de exercícios cênicos, como expressão corporal e teatro, sendo uma para crianças de 8 a 11 anos (das 9 às 10h30) e outra para adolescentes de 12 a 17 anos (das 10h30 às 12 horas). Nos mesmos horários e para as mesmas faixas etárias, no dia 19 (sexta-feira), acontecerão dois workshops de respiração consciente e meditação, e na sexta-feira seguinte (dia 26), outros dois voltados à confecção de mandalas.

Também está previsto um curso de informática no Telecentro, que será às segundas e quartas-feiras (dias 22 de janeiro a 7 de fevereiro), das 14 às 15 horas, para público acima de 10 anos. Ainda, o cine-auditório contará com duas oficinas de jogos dramáticos e iniciação teatral. Nas segundas-feiras (dias 22 e 29), das 14 às 17 horas, será realizada para alunos de 7 a 10 anos. E nas terças-feiras (dias 23 e 30), para adolescentes de 11 a 14 anos.

E ainda, de 8 de fevereiro a 8 de março, às quintas-feiras (das 14 às 17 horas), já está programada a oficina ‘Encontros com a memória – a cidade e o bairro como bem cultural’.

Espaço para cinema e teatro também atenderá a comunidade dos bolsões, principalmente. Foto: Ricardo Vasconcellos.

Todas as atividades são realizadas pelas equipes das secretarias municipais de Educação, de Cultura, de Esportes e Lazer e de Assistência Social, por meio do Departamento de Políticas para Juventude.

CDHU inicia obras de novo conjunto de moradias para 216 famílias

Novas moradias para atender ao Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, no Parque do Trabalhador. Foto: Assessoria de Imprensa da PMC

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Governo do Estado – CDHU já iniciou as obras do conjunto habitacional que será construído em área do Centro Social Urbano – CSU, também conhecido como Parque do Trabalhador, na Rua Salgado Filho, Parque Fernando Jorge, para abrigar moradores atendidos pelo programa Serra do Mar, do Governo do Estado. A ordem de serviço para a Semed, empreiteira encarregada das obras, foi emitida no dia 19 de dezembro de 2017 e a empresa tem 15 meses para concluí-las. O núcleo terá 216 moradias, distribuídas por quatro torres, de 14 andares cada.

Na manhã da última quarta-feira (10), o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) e o superintendente de obras do Programa Serra do Mar, engenheiro Humberto Schmidt, fizeram uma visita técnica à área. Também estiveram no local o gerente regional da CDHU na Baixada Santista, Rafael Redó Garcia, e os secretários municipais Andrea Maria de Castro (Habitação) e Benaldo Melo de Souza (Obras).

Emprego, alcance social e apoio ao comércio – Na ocasião, o prefeito Ademário destacou a importância do novo conjunto no sentido de propiciar moradias dignas para moradores de Cubatão e também para aquecer a economia daquela parte da cidade, que anteriormente recebeu conjuntos habitacionais da COHAB Santista nos anos 70 e 80. “As famílias que morarão aqui sem dúvida darão maior movimentação ao comércio local”, comentou.

Ademário destacou também que já nesta fase haverá benefícios sociais: “As obras gerarão 250 novos empregos, o que é relevante neste momento de crise na oferta de vagas de trabalho”, disse.

Andrea Maria de Castro, secretária de Habitação, afirmou que a construção do novo conjunto habitacional é um exemplo da sintonia que existe, hoje, entre a Prefeitura e a CDHU. “Isso se reflete, principalmente, nos entendimentos voltados para a regularização fundiária em vários núcleos da cidade”, completou.

Programa Serra do Mar – Iniciado em 2007 pelo governo do Estado de São Paulo com a proposta de realocar moradores dos bairros-Cota que viviam há décadas em áreas de risco geotécnico e no interior do Parque Estadual da Serra do Mar – PESM. Em 2010, com a parceria do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, o projeto ampliou sua área de atuação para os 332 mil hectares do parque e os mosaicos da Juréia-Itatins e de ilhas e as APAS Marinhas, tornando-se o Programa Recuperação Socioambiental da Serra do Mar e Mosaicos da Mata Atlântica, com orçamento de mais de um bilhão de reais.

O que parecia um desejo inatingível, no dizer de uma antiga moradora da área conhecida como Grotão, é hoje uma realidade com a transferência de mais de cinco mil famílias para novos bairros dotados de infraestrutura urbana. Considerado um programa inovador e o maior do banco em termos de recursos voltados ao meio ambiente, o modelo tem chamado a atenção de urbanistas de vários países e já conquistou prêmios pela sua proposta de sustentabilidade e volume de realocações, tornando-se referência em habitação sustentável e de interesse social na ONU, comemora o governador Geraldo Alckmin (PSDB).