Cubatão terá Restaurante do Bom Prato

O antigo prédio da Cozinha da Comunidade está abandonado pela Prefeitura e guarda entulho e materiais inservíveis.

O governador Geraldo Alckmin anunciou por meio do deputado federal João Paulo Papa (PSDB-SP), na noite da última quarta-feira (07), que Cubatão ganhará, até o final do primeiro semestre, um Restaurante Popular Bom Prato. Há um ano, Papa vem atuando, junto ao secretário de Desenvolvimento Social do Governo do Estado, Floriano Pesaro, na busca da implantação do equipamento na cidade, que agilizou os estudos para tornar essa reivindicação antiga em realidade.

O deputado Papa esteve mais de uma vez com o secretário Floriano, acompanhando o prefeito Ademário Oliveira e os vereadores cubatenses. A unidade cubatense ficará em um prédio no Parque Fernando Jorge, da Rua Cidade de Pinhal, n.º 61, onde funcionou o programa Cozinha da Comunidade.

O local tem cerca de 1.500 metros quadrados e, com a reforma, deverá abrigar uma cozinha industrial toda de aço inox, uma câmara fria e outra quente, além de um salão de refeições e banheiros. O projeto executivo de recuperação do imóvel e adequação foi desenvolvido em parceria com a Vale Fertilizantes. Hoje o prédio está abandonado pela Prefeitura e contém entulhos e materiais inservíveis, esperando pela assinatura do convênio da Prefeitura com o Governo do Estado, estimado em R$ 1 milhão, e o início efetivo das obras necessárias.

Refeições a R$ 1,00 – O almoço de 1.200 calorias tem custo de R$ 1,00 e é composto por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta). Para o café da manhã, os munícipes terão leite com café ou achocolatado, ou iogurte, pão com margarina ou requeijão ou frios e uma fruta da estação. Essa refeição, de 400 calorias, em média, custa R$ 0,50.

De acordo com os técnicos da Prefeitura e da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, serão servidas cerca de 1.200 refeições por dia, somando café da manhã e almoço.

“O governador estava em viagem aos Estados Unidos, mas conversamos sobre o assunto, ele foi muito sensível ao pedido e autorizou o empenho junto à Secretaria de Desenvolvimento Social. Essa é uma antiga e justa reivindicação de Cubatão, prioridade do governo do Ademário, que conseguimos cumprir. Agora, será providenciada a assinatura do convênio Estado e Município, o que deve acontecer nos próximos dias, para que as obras de adaptação do prédio comecem”, explicou o deputado federal João Paulo Papa.

Na Baixada Santista, há cinco unidades do Bom Prato em funcionamento. Cubatão será o quarto da região a ter o restaurante, depois de Santos (três unidades), Guarujá e São Vicente.

Secretário de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, recebe Papa e o prefeito Ademário Oliveira.

Associação dos Estudantes de Cubatão – AEC está representada no CES

Os cubatenses Renan Maciel e Matheus Siqueira, da AEC, foram eleitos para a nova direção do CES.

Durante o Congresso do Centro dos Estudantes de Santos (ConCES 2018), que elegeu a nova diretoria da entidade e será liderada pelo presidente Caio Yuji de Souza, de 20 anos, aluno de economia da ESAMC Santos, foram eleitos dois representantes de Cubatão, Renan Maciel, estudante de Engenharia Química na UNISANTA e Matheus Siqueira, estudante de Direito na ESAMC, onde é também o presidente a Atlética da faculdade santista.

O diretores eleitos de Cubatão são integrantes da Associação dos Estudantes de Cubatão – AEC. Renan Maciel comemora que é a “primeira vez que temos estudantes de Cubatão ocupando uma diretoria no Centro dos Estudantes de Santos – CES. Trabalharemos integrados com os diversos municípios da Baixada Santista, buscando sanar as necessidades que os universitários enfrentam no dia a dia.”

Reconstrução – Matheus Siqueira, o outro representante cubatense, fez questão de ressaltar que o CES – entidade regional e histórica, uma das mais antigas do país, fundada em 1932 – “estava abandonado há muito tempo. Quem conhece o prédio sabe o problema que é aquela infraestrutura precarizada devido a não manutenção do local. Temos a obrigação de recuperar o CES e fazer com que todos os estudantes saibam que ali é local deles”.

Caio Yuji de Souza encabeçou a chapa única “Ainda há tempo”, que recebeu 36 votos favoráveis e uma abstenção dos delegados presentes, representantes com direito a voz e voto, de um total de 71 delegados inscritos. O ConCES foi realizado no ultimo dia 25 de fevereiro.

“A gente quer que este espaço cresça e que os debates sejam cada vez mais plurais, ouvindo todas e todos os estudantes. Nosso objetivo é enfrentar muita luta para obter muitas conquistas nos próximos anos”, afirmou Caio Yuji, após ser empossado.

Destacando o mote “Reconstruir o CES para os estudantes”, o Congresso reuniu estudantes de nove instituições de ensino superior da Baixada Santista, mais de oito entidades de base, e um total de 60 estudantes e observadores para debater o futuro do movimento estudantil da região.

Participaram da mesa de abertura a presidenta da União Estadual dos Estudantes (UEE-SP), Nayara Souza, a representante da Comissão Eleitoral e de Organização, Aline Cabral, a assessora da vereadora Audrey Kleys (Câmara de Santos), Marinilza Monteiro e, representando a Apeoesp, Valdemar da Silva, além do diretor do Sindserv de São Vicente, Marcelo Arias, do advogado Rogério Mehanna (OAB) e do vice-presidente do Conselho Municipal da Juventude de Santos, Henrique Pabst.

Durante o Congresso os estudantes foram divididos em dois grupos de debates, sobre alguns dos principais problemas da Região, compartilhados nos temas “Educação e Movimento Estudantil” e “Segurança pública e Mobilidade urbana”.

Os participantes, delegados e observadores contribuíram com análises, opiniões, sugestões e críticas, consideradas pelos organizadores “bastante qualificadas e baseadas na legítima vontade de construir um movimento estudantil combativo, preocupado com o atual momento de perda de direitos, e reconstruir o CES para todos e todas as estudantes”.

O novo presidente defende que é momento de construir uma nova fase do CES, por meio de uma gestão ampla, plural e democrática, que renove as esperanças dos estudantes “por uma Educação melhor e uma Região de maiores oportunidades”. A ideia é de que o CES volte a ter força para influenciar os rumos do movimento estudantil e alcançar conquistas para os cerca de 55 mil universitários da região, se autodesafia Caio Yuji.

Sabesp reforça o abastecimento para mais de 40 mil moradores de Cubatão

Reunião dos vereadores com a Sabesp e o secretário de Obras, Benaldo Melo, define medidas urgentes.

Durante a semana do Carnaval a Sabesp foi alvo de inúmeras reclamações da população por causa da falta de água em bairros diferentes de Cubatão. Diante dessa situação, o presidente da Câmara de Vereadores, Rodrigo Alemão (PSDB) procurou a Companhia para registrar a sua reclamação e convidar o seu gerente local, William de Araújo Limoeiro, para explicar a razão dessas ocorrências e iniciar as providências necessárias.

Na sede do legislativo cubatense, Limoeiro se reuniu com Rodrigo Alemão e os vereadores Ivan Hildebrando (PSB), Ricardo Queixão (PDT) e Wilson Pio (PSDB), sexta-feira (16) passada. Durante o encontro, a constante falta de água em alguns bairros da cidade e a série de problemas ocorridos em função de obras da Sabesp foram discutidas também na presença do secretário municipal de Obras, Benaldo Melo de Souza.

Alemão cobrou que é preciso avisar a população com antecedência sobre a falta de água, “até para que as pessoas possam se preparar, principalmente em um período de altas temperaturas”. E criticou: “A má qualidade dos serviços prestados pela Sabesp vem gerando grande insatisfação nos moradores locais, demonstrada nos comentários feitos nas redes sociais”.

Resposta imediata – O gerente William Limoeiro se comprometeu em mudar essa situação e nesta quinta-feira (22) a Sabesp anunciou que novos 600 metros de redes de distribuição serão colocados em funcionamento durante a noite da próxima quarta-feira (28).

De acordo com a Sabesp, essa melhorias no abastecimento vão beneficiar cerca de 44 mil moradores de Cubatão, porque a companhia executará a interligação de novos 600 metros de redes de distribuição de água, atingindo diretamente os bairros Vila São José, Vila Nova, Jardim 31 de Março, Jardim São Francisco, Jardim Anchieta, Conjunto Afonso Schmidt, Vila Santa Tereza, Parque Fernando Jorge, Vila Couto, Vila Santa Rosa, Vila Paulista, Jardim Santa Fátima e Jardim Costa e Silva.

A conexão das novas tubulações ao sistema já existente será realizada entre as 20 horas e meia-noite, a fim de minimizar os transtornos à população. Neste período o fornecimento será interrompido momentaneamente, o que poderá causar reflexos às moradias sem as caixas d’água obrigatórias de acordo com as normas técnicas nas seguintes localidades: Beira Rio, Centro, Conjunto Afonso Schmidt, Jardim 31 de Marco, Jardim América, Jardim Anchieta, Jardim Costa E Silva, Jardim São Marcos, Jardim Santa Fátima, Jardim São Francisco, Jardim Três Marias, Jardim das Indústrias, Polo Industrial, Parque Fernando Jorge, Sítio Cafezal, Vila Canadá, Vila Couto, Vila Elizabete, Vila Nova, Vila Parisi, Vila Paulista, Vila Santa Rosa, Vila Santa Tereza e Vila São José.

A distribuição de água será restabelecida de forma gradativa após o encerramento das intervenções. Por este motivo a companhia recomenda a economia do volume armazenado nos reservatórios residenciais.

Comissão de Inquérito – Por iniciativa do vereador Ivan Hildebrando, na última sessão da Câmara Municipal foi apresentado requerimento criando uma Comissão Especial de Inquérito – CEI, para tratar dos assuntos relacionados à Sabesp no município.

O vereador ressaltou na sua justificativa que além dos problemas relativos ao fornecimento de água, ainda existem as obras realizadas pela Sabesp no Município, que resultaram em buracos e marcas de depressão em diversas vias públicas, causando vários transtornos à população, principalmente em períodos de chuva.

A CEI será composta de três vereadores e deve iniciar os trabalhos nos próximos dias. Ela também discutirá o contrato de serviço de fornecimento e tratamento de água da Sabesp com a Prefeitura, que se encontra em fase de renovação. “Os erros de outrora não podem ser cometidos novamente”, afirmou Hildebrando.

Sempre alerta – A Sabesp segue 24 horas à disposição da população para atendimento às emergências e esclarecimento de dúvidas, de forma gratuita, por telefone (195 ou 0800 055 0195), Agência Virtual (www.sabesp.com.br) ou aplicativo para celulares e tablets iOS ou Android.

Quem Resolve?

Leitores informam que é “filhote de cobra Jararaca”.

Filhote de cobra Jararaca (?) apareceu na Biblioteca Central de Cubatão nesta semana e preocupa funcionários e frequentadores do local, porque se há filhotes, cobras adultas podem estar no porão. Ouvidoria Geral da Prefeitura está instalada lá e conservação da Biblioteca é sofrível! Servidores são obrigados a limpar inclusive os banheiros.

UME Rui Barbosa teve reforma concluída pela Carbocloro

Escola do Jardim Caraguatá era uma das mais problemáticas no início do ano letivo de 2017.

A comunidade do bairro Jardim Caraguatá vai conhecer os resultados da reforma da Unidade Municipal de Ensino Rui Barbosa, em evento neste sábado (24), às 10h, com a presença de autoridades locais e representantes da Unipar Carbocloro. A obra da escola durou pouco mais de dois meses e foi patrocinada pela tradicional indústria do Polo de Cubatão, produtora de cloro, soda e derivados.

O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) estará na solenidade de reinauguração, que também contará com alunos e responsáveis, professores, integrantes do Conselho Comunitário Consultivo (CCC) da Unipar Carbocloro e demais convidados. Esta é a segunda unidade de ensino a ser reformada por empresas locais, com trabalhos iniciados antes da validade do Programa Adote uma Escola, aprovado no final do ano passado pela Câmara de vereadores.

Reforma geral – As melhorias na estrutura física abrangeram pintura geral da unidade, renovação da quadra poliesportiva, adequação da cobertura com novas telhas, pintura e limpeza. Também foram substituídas todas as lâmpadas da escola por LEDs e algumas lousas das salas de aula. Outro item oferecido foi o controle de pragas, incluindo limpeza dos resíduos de pombos e instalação de telas de proteção.

“Ficamos muito felizes de poder contribuir com a renovação desta escola tão importante para a cidade em seus 27 anos de história. Os mais de 630 alunos do ensino fundamental merecem estudar com mais conforto e segurança. A Unipar Carbocloro tem convicção da importância de se investir em ações de responsabilidade socioambiental em prol da cidadania e do bem-estar da comunidade”, afirma Airton Andrade, diretor Industrial da Unipar Carbocloro.

No evento de sábado, também haverá uma homenagem à professora Suely Aparecida Costa Marcelino, que foi diretora da UME Rui Barbosa entre 1994 e 2012. A escola está localizada a Rua Vereador Luiz Pieruzzi Neto, 50, no Jardim Caraguatá, em Cubatão.

Greve na Educação cubatense

Durante a cerimônia, foi realizada a entrega de uma placa de homenagem ao Grupo Cesari.

O ano letivo na rede municipal de ensino de Cubatão está previsto para começar na próxima quinta-feira (8), mesmo dia da assembleia geral dos professores, que vai decidir pelas respostas devidas pelo prefeito Ademário Oliveira e seu secretário Pedro Sá (Educação). Mas as aulas estavam programadas para começar nesta terça-feira (6) e só não aconteceu porque foram registrados muitos erros na atribuição das aulas (uma mesma sala foi atribuída duas vezes, por exemplo), fruto do “modelo Cidade Educadora”, instituído pelo secretário municipal de Educação, que tem dito que o ano passado foi “um ano perdido”, apesar de não ter registrado os mesmos erros atuais.

A greve está programada para depois do Carnaval e por tempo indeterminado, se o diálogo não for restabelecido. E duas informações de bastidores revelaram que as famílias das mais de 15 mil crianças e adolescentes da rede municipal de ensino podem ser mesmo prejudicadas, porque a greve parece inevitável: a administração municipal cogita, com o apoio da Câmara de Vereadores, criar um modelo de “contratação temporária”, com professores indicados politicamente, para substituir os grevistas; e o discurso do prefeito Ademário, na entrega e apresentação das reformas da UME Jayme João Olcese, ressaltando que “Cubatão não será a escória da Baixada Santista, porque tem história e tradição (…)” e que “as portas das ruas serão a serventia” dos que discordarem das ideias do seu governo para a Educação cubatense.

Local do discurso – O discurso de “bota fora aos discordantes”, do prefeito Ademário, nesta terça-feira (6), diante da diretoria e colaboradores do Grupo Cesari, autoridades do governo municipal, pais, alunos e funcionários da escola, foi aplaudido pela equipe da sua confiança, mas incomodou aos educadores presentes. Vídeos e comentários se espalharam pelas redes sociais, fomentando o impasse. O momento era de festa e de destacar o exemplo da primeira empresa – Cesari – a atender a Prefeitura, antes mesmo dela lançar o projeto “Adote uma Escola”. A UME Jayme Olcese reúne 230 estudantes e foi interditada pela Prefeitura Municipal de Cubatão, em janeiro de 2017, devido às más condições das salas de aula e das áreas comuns.

“Por acreditar que a educação é um fator de transformação social e por se preocupar com a formação dos jovens, a Cesari, ao ver a necessidade dos munícipes da cidade e a pedido do Governo Municipal, realizou a reforma integral da instituição de ensino por mais de 150 dias. Com isso, houve revitalização da fachada externa, salas de aula, pátio, jardim e quadra poliesportiva. Além disso, foram feitas readequações de sinalização e segurança, obtendo assim o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB)”, divulgou a empresa cubatense nas redes sociais.

Primeira assembleia do ano – Na última quinta-feira (1), reunidos no portão de entrada da UME Bernardo José Maria de Lorena, na Vila Nova, os professores da rede municipal aproveitaram as presenças do secretário de Educação, Pedro Sá (PTB), e do vereador Toninho Vieira (PSDB), para cobrar compromissos que o secretário e o prefeito haviam assumido em dezembro, da revogação de decretos de organização do funcionamento das suas jornadas.

Essa situação traz muita insegurança para os pais das crianças, que diante do impasse entre a Prefeitura e os professores, não conseguem planejar a vida de seus filhos no início de 2018 nas escolas locais. O final do semestre passado já havia sido conturbado por conta da elaboração de novos decretos sem que as suas bases fossem amplamente discutidas com os principais atingidos, neste caso os professores.

Os decretos reduzem atribuições de aulas, afetam a remuneração salarial mensal e não permitem a incorporação para efeito de aposentadorias. Esses mesmos decretos anulam iniciativas firmadas pelo governo da prefeita Marcia Rosa (PT), em 2010, que segundo a equipe do prefeito Ademário, na Procuradoria Geral e nas secretarias de Gestão e Educação, contrariam a legislação municipal e favorecem interpretações que privilegiou muitos servidores da Educação em suas respectivas aposentadorias.

Estado de greve – Desde quinta-feira a Educação cubatense está em estado de greve. A exigência, conforme apurado das falas dos professores e de representantes do Sindicato e de grupos de apoio da categoria, é pelo recuo do governo Ademário em suas medidas e pelo reconhecimento da ampliação como jornada de trabalho. Com isso, “o desconto para a Caixa de Previdência deve ser sobre a jornada do professor, garantindo que o cálculo das aposentadorias sejam feitos de acordo com a lei, considerando os últimos 180 meses, com o aproveitamento de 80% das melhores contribuições e descartando 20%”.

Os professores alegam que as mudanças na base previdenciária e da assistência médica que estão sendo impostas pelo governo Ademário Oliveira “são flagrantemente ilegais e ferem as leis 22 e 3039, que definiram anteriormente com maior clareza a jornada de trabalho e a base de cálculo para aposentadoria. Enquanto o governo do Estado, do mesmo partido do prefeito reconhece a ampliação de jornada, Ademário e Pedro Sá nos tira, sem base legal”.

Jornalista Paulo Schiff assume editoria política do Povo

Compromisso com a verdade. (Foto: Boqnews)

O jornal “Povo de Cubatão” dá boas-vindas ao jornalista Paulo Schiff. Ele está assumindo a Diretoria de Redação do tradicional semanário cubatense, acumulando a editoria política. Ele tem 66 anos, é engenheiro civil e jornalista, tendo trabalhado em TV, rádio, jornal impresso e atua no ramo jornalístico há mais de 30 anos.

Entre os anos de 1983 a 1986, Paulo Schiff ocupou seu único cargo público de carreira, como diretor do escritório regional de planejamento da Baixada Santista e Vale do Ribeira, durante o governo Franco Montoro. E foi candidato a prefeito de Santos em 2016, pelo PDT. Presidiu o Conselho Deliberativo do Santos FC.

O jornalista Paulo Schiff escreveu muitos textos para as colunas de esportes e de política do “Povo de Cubatão”, desde a fundação do jornal em abril de 1999. Nessa nova fase de seu relacionamento com o veículo, que mantém a divulgação dos fatos mais importantes de interesse da cidade também nas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), além do próprio site – www.povodecubatao.com.br – Schiff contribuirá para a inauguração de nova fase do jornalismo local e regional.

Boca do Povo – Para marcar essa nova fase, a partir do dia 16 de fevereiro, Paulo Schiff assinará a coluna “Boca do Povo”, e os interessados poderão conferir os bastidores políticos, econômicos, culturais e sociais do Município, bem como as suas conexões e consequências no presente e futuro de Cubatão.

Texto: Raul Christiano | Foto: Boqnews.

José Rubens Marino anuncia sua saída do Lar Fraterno

Rubens Marino disse: “Sempre quis fazer algo pela social em Cubatão. Graças a Deus, cumpri.”

Após sete anos (mais de dois mandatos) à frente da entidade, o presidente do Lar Fraterno de Cubatão, José Rubens Marino anuncia a sua saída da direção. Segundo o próprio Marino, essa decisão é de caráter pessoal e ele permanece no comando da entidade até o próximo mês de março, logo após prestar as contas relativas ao exercício de 2017 e publicar o balanço social do mesmo ano. Em seu lugar entra o atual vice-presidente da instituição, Edson de Freitas, o Édinho (ex-superintendente da Companhia Municipal de Trânsito – CMT).

O presidente diz que sempre foi contra todo e qualquer tipo de continuidade exagerada e que ciclos, um dia, chegam ao fim. “Decidi cuidar da família, que precisa muito de mim nesta altura da vida, além de também acreditar que já contribuí com o meu melhor para essa entidade, à qual tive o total apoio de todos os meus diretores, colaboradores, parceiros, comércio local empresas do Polo Industrial (em especial a Copebrás, onde importantes convênios foram firmados com o Lar Fraterno) e principalmente do nosso corpo técnico, que sempre se colocou com muito profissionalismo, amor e carinho junto ao próximo, no trabalho que é desenvolvido aqui”, diz o presidente.

O Lar Fraterno – Rubens assumiu em agosto de 2010, com o falecimento da saudosa e então presidente Cleusa Nunes Tibúrcio. Desde então, Rubão obteve importantes conquistas para a instituição como a reforma total e adaptação da Casa, a implantação de serviços técnicos inovadores na grade de atendimento aos idosos, principalmente nas áreas da saúde e terapia ocupacional. “Hoje graças ao empenho de todos que sempre olharam com bons olhos para o Lar Fraterno, podemos dizer que a entidade não fica a desejar em nada para qualquer casa de amparo ou acolhimento de idosos da Baixada Santista, devido aos serviços oferecidos aqui, independentemente de serem particulares ou de utilidade pública, como é o nosso caso”, explica.

Histórico e carreira em Cubatão – Experiente na vida pública, especialmente em Cubatão (quase 30 anos de atuação ininterrupta no município), por onde atuou em diversos cargos (vereador por um mandato – 1996/2000, secretário de finanças e chefe de gabinete no governo Nei Serra, e secretário de Esportes e Lazer na administração Clermont Castor), José Rubens Marino agradece o carinho de desses longos recebidos pelo povo de Cubatão e diz que seu mandato a frente do Lar Fraterno foi uma forma de agradecimento ao povo cubatense: “Deixo registrado o meu imenso carinho pela cidade e por todos os companheiros que de alguma forma contribuíram comigo e com o Lar Fraterno, como também desejo todo o sucesso ao Edinho, que sem dúvida fará um bom trabalho para essa instituição”, finaliza Marino. | Texto e foto do jornalista Luiz Fernando Valentim (colaborador)

 

Portos da Usiminas e VLI trazem otimismo para economia de Cubatão

Canal de Piaçaguera é via de acesso do Tiplam, terminal portuário recém ampliado pela VLI. Foto: Marcos Peron

Brevemente os portos da Usiminas (Cubatão) e da VLI (área continental de Santos, na divisa com Cubatão), que expande o seu Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Veiga de Mesquita – Tiplam, considerado a maior obra portuária privada em curso no Brasil, que compõem o sistema portuário de Santos, o maior da América Latina, vão proporcionar o início da recuperação econômica no município e na Baixada Santista. Essa possibilidade foi garantida graças ao trabalho de dragagem do Canal de Piaçaguera, localizado no Largo do Casqueiro, região próxima à Ilha das Cobras, em Cubatão, sem agressão ao meio ambiente, o que é um fato exemplar segundo o presidente da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – Cetesb, Carlos Roberto dos Santos, em visita recente à região.

Foi necessário realizar a dragagem para ampliar a profundidade do canal e permitir a navegação de navios maiores e com maior capacidade de transporte de cargas para exportação e importação, em uma área afastada da zona urbana das cidades e sem necessidade de acesso às já congestionadas margens direita e esquerda do Porto (Santos e Guarujá). E essa dragagem, inspecionada por autoridades ambientais da Baixada e técnicos especializados da Cetesb, firmou um novo padrão de respeito ao meio ambiente e à sustentabilidade.

O diferencial é a construção de uma cava, na área do Canal de Piaçaguera, pelas empresas Usiminas e VLI, para comportar o material dragado sem apresentar trocas (de detritos contaminados por metais pesados) com a biota (ecossistema). “Agora, com ela em operação, o local, inclusive, pode se recompor, porque o material mais poluente não fará trocas com o ambiente, a fauna, a flora”, ressalta o presidente da Cetesb.

O início – Desde que a obra foi iniciada, em 2016, em diversas oportunidades a segurança da operação foi questionada. Mas gradativamente, com os esclarecimentos técnicos bem fundamentados os órgãos ambientais responsáveis pelas autorizações não hesitaram em garantir que a sua continuidade é “medida de extrema segurança”, comentou o químico José Eduardo Bevilacqua, assistente-executivo da diretoria da Cetesb.

Tiplam – O Tiplam, operado pela VLI, passa por uma grande ampliação desde 2013 e irá sextuplicar a sua capacidade anual de movimentação. Antes da ampliação, o Tiplam importava produtos como fertilizantes, enxofre e amônia. A expansão capacitou a estrutura para o aumento do volume de importação desses produtos e também permitiu o início das exportações de grãos e açúcar.

Durante o pico das obras de expansão do Tiplam foram gerados pelas empresas prestadoras de serviço para VLI, cerca de 9 mil empregos diretos. Com a conclusão, que entra na fase final das obras, 500 novos empregos, entre empregados próprios e terceirizados, serão criados.

Cine Roxy continua sem definição

Ficar sem cinema em Cubatão é uma perda grande, em uma cidade sem opções de lazer e cultura. Foto: PMC

Como esperado, foi muito grande e negativa a repercussão de que a cidade de Cubatão pode perder as suas duas e únicas salas de cinema, do Roxy, no Parque Anilinas. A denúncia foi publicada na edição passada do jornal “Povo de Cubatão” e compartilhada nas redes sociais. Mas a Prefeitura não quis esclarecer aos munícipes por meio deste jornal, optando apenas pelo jornal “A Tribuna”, na última quarta-feira (24), que transcrevemos a seguir:

“Questionada, a Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura (Secom) assinalou que ‘o complexo de cinema instalado no Centro Multimídia do Parque Anilinas será mantido’. Mas confirmou que o contrato com os proprietários do Cine Roxy venceu em julho de 2017, ‘quando a questão era afeta à Secretaria Municipal de Cultura, na gestão do ex-titular Raul Christiano'”.

A Secom também informou erroneamente que a gestão do Parque Anilinas passou para a Secretaria de Turismo apenas após a demissão de Raul da Secult. Ouvido pela reportagem do “Povo”, Raul Christiano disse que o processo estava de posse da Secretaria de Turismo desde o início do governo de Ademário Oliveira.

Raul fez questão de frisar que o secretário de Turismo, que iniciou no cargo, Mauro Haddad, e depois o seu sucessor e atual ocupante da pasta, Antonio Ribeiro, alegavam que “era de competência deles, uma vez que o Parque Anilinas estava sob a responsabilidade daquela secretaria. Com isso, até o início de julho, não pude conhecer o conteúdo do contrato”.

“Os dois secretários de Turismo – esclarece o ex-secretário de Educação e de Cultura – sempre justificaram que vinham conversando e recebendo orientação do próprio prefeito, inclusive realizando reuniões com o proprietário do Cine Roxy, sem a presença da Secult”. O prefeito Ademário – continua Raul Christiano, “questionado por mim em reuniões do secretariado respondia que estava tratando com os secretários de Turismo, porque considerava injusto que o Roxy pagasse apenas 11,5% das suas receitas com a venda de ingressos e da loja de doces, refrigerantes e pipoca, mas não pagava o condomínio, água e luz da fração usada do Parque Anilinas”.

Antônio Campos – O jornal “Povo de Cubatão” apurou que o empresário Antônio Campos sempre se dispôs a pagar, desde 2012, mas a Prefeitura de Cubatão jamais realizou os cálculos de quanto importava essas taxas da sua ocupação do Parque municipal. Procurado pela reportagem, o empresário que é o dono do Grupo Roxy de Cinemas, com salas em diversas cidades da região, não respondeu às mensagens enviadas.

Sem contrato desde julho e com a recomendação da Procuradoria Geral do Município de iniciar uma nova licitação para que o Roxy ou outra empresa do ramo possam explorar as atividades no Centro Multimídia com cinema, surgem dois problemas com perdas para a comunidade: o Roxy não pode repassar a parte da arrecadação para a Prefeitura e, sem qualquer ato formal, é possível que com uma representação de qualquer pessoa no Ministério Público, o cinema de Cubatão deve ser fechado a qualquer momento.

Solução provisória – O ex-secretário Raul Christiano, com base em parecer da sua assessoria técnica na época em que estava no cargo, sugere a elaboração de uma portaria de uso precário e oneroso, que poderia garantir o funcionamento: “Apresentei esse caminho para uma solução provisória no próprio processo administrativo, mas faltou a decisão do prefeito Ademário, que é quem tem a última palavra na Prefeitura”, concluiu.