Cubatão terá Restaurante do Bom Prato

O antigo prédio da Cozinha da Comunidade está abandonado pela Prefeitura e guarda entulho e materiais inservíveis.

O governador Geraldo Alckmin anunciou por meio do deputado federal João Paulo Papa (PSDB-SP), na noite da última quarta-feira (07), que Cubatão ganhará, até o final do primeiro semestre, um Restaurante Popular Bom Prato. Há um ano, Papa vem atuando, junto ao secretário de Desenvolvimento Social do Governo do Estado, Floriano Pesaro, na busca da implantação do equipamento na cidade, que agilizou os estudos para tornar essa reivindicação antiga em realidade.

O deputado Papa esteve mais de uma vez com o secretário Floriano, acompanhando o prefeito Ademário Oliveira e os vereadores cubatenses. A unidade cubatense ficará em um prédio no Parque Fernando Jorge, da Rua Cidade de Pinhal, n.º 61, onde funcionou o programa Cozinha da Comunidade.

O local tem cerca de 1.500 metros quadrados e, com a reforma, deverá abrigar uma cozinha industrial toda de aço inox, uma câmara fria e outra quente, além de um salão de refeições e banheiros. O projeto executivo de recuperação do imóvel e adequação foi desenvolvido em parceria com a Vale Fertilizantes. Hoje o prédio está abandonado pela Prefeitura e contém entulhos e materiais inservíveis, esperando pela assinatura do convênio da Prefeitura com o Governo do Estado, estimado em R$ 1 milhão, e o início efetivo das obras necessárias.

Refeições a R$ 1,00 – O almoço de 1.200 calorias tem custo de R$ 1,00 e é composto por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta). Para o café da manhã, os munícipes terão leite com café ou achocolatado, ou iogurte, pão com margarina ou requeijão ou frios e uma fruta da estação. Essa refeição, de 400 calorias, em média, custa R$ 0,50.

De acordo com os técnicos da Prefeitura e da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, serão servidas cerca de 1.200 refeições por dia, somando café da manhã e almoço.

“O governador estava em viagem aos Estados Unidos, mas conversamos sobre o assunto, ele foi muito sensível ao pedido e autorizou o empenho junto à Secretaria de Desenvolvimento Social. Essa é uma antiga e justa reivindicação de Cubatão, prioridade do governo do Ademário, que conseguimos cumprir. Agora, será providenciada a assinatura do convênio Estado e Município, o que deve acontecer nos próximos dias, para que as obras de adaptação do prédio comecem”, explicou o deputado federal João Paulo Papa.

Na Baixada Santista, há cinco unidades do Bom Prato em funcionamento. Cubatão será o quarto da região a ter o restaurante, depois de Santos (três unidades), Guarujá e São Vicente.

Secretário de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, recebe Papa e o prefeito Ademário Oliveira.

UME Rui Barbosa teve reforma concluída pela Carbocloro

Escola do Jardim Caraguatá era uma das mais problemáticas no início do ano letivo de 2017.

A comunidade do bairro Jardim Caraguatá vai conhecer os resultados da reforma da Unidade Municipal de Ensino Rui Barbosa, em evento neste sábado (24), às 10h, com a presença de autoridades locais e representantes da Unipar Carbocloro. A obra da escola durou pouco mais de dois meses e foi patrocinada pela tradicional indústria do Polo de Cubatão, produtora de cloro, soda e derivados.

O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) estará na solenidade de reinauguração, que também contará com alunos e responsáveis, professores, integrantes do Conselho Comunitário Consultivo (CCC) da Unipar Carbocloro e demais convidados. Esta é a segunda unidade de ensino a ser reformada por empresas locais, com trabalhos iniciados antes da validade do Programa Adote uma Escola, aprovado no final do ano passado pela Câmara de vereadores.

Reforma geral – As melhorias na estrutura física abrangeram pintura geral da unidade, renovação da quadra poliesportiva, adequação da cobertura com novas telhas, pintura e limpeza. Também foram substituídas todas as lâmpadas da escola por LEDs e algumas lousas das salas de aula. Outro item oferecido foi o controle de pragas, incluindo limpeza dos resíduos de pombos e instalação de telas de proteção.

“Ficamos muito felizes de poder contribuir com a renovação desta escola tão importante para a cidade em seus 27 anos de história. Os mais de 630 alunos do ensino fundamental merecem estudar com mais conforto e segurança. A Unipar Carbocloro tem convicção da importância de se investir em ações de responsabilidade socioambiental em prol da cidadania e do bem-estar da comunidade”, afirma Airton Andrade, diretor Industrial da Unipar Carbocloro.

No evento de sábado, também haverá uma homenagem à professora Suely Aparecida Costa Marcelino, que foi diretora da UME Rui Barbosa entre 1994 e 2012. A escola está localizada a Rua Vereador Luiz Pieruzzi Neto, 50, no Jardim Caraguatá, em Cubatão.

Greve na Educação cubatense

Durante a cerimônia, foi realizada a entrega de uma placa de homenagem ao Grupo Cesari.

O ano letivo na rede municipal de ensino de Cubatão está previsto para começar na próxima quinta-feira (8), mesmo dia da assembleia geral dos professores, que vai decidir pelas respostas devidas pelo prefeito Ademário Oliveira e seu secretário Pedro Sá (Educação). Mas as aulas estavam programadas para começar nesta terça-feira (6) e só não aconteceu porque foram registrados muitos erros na atribuição das aulas (uma mesma sala foi atribuída duas vezes, por exemplo), fruto do “modelo Cidade Educadora”, instituído pelo secretário municipal de Educação, que tem dito que o ano passado foi “um ano perdido”, apesar de não ter registrado os mesmos erros atuais.

A greve está programada para depois do Carnaval e por tempo indeterminado, se o diálogo não for restabelecido. E duas informações de bastidores revelaram que as famílias das mais de 15 mil crianças e adolescentes da rede municipal de ensino podem ser mesmo prejudicadas, porque a greve parece inevitável: a administração municipal cogita, com o apoio da Câmara de Vereadores, criar um modelo de “contratação temporária”, com professores indicados politicamente, para substituir os grevistas; e o discurso do prefeito Ademário, na entrega e apresentação das reformas da UME Jayme João Olcese, ressaltando que “Cubatão não será a escória da Baixada Santista, porque tem história e tradição (…)” e que “as portas das ruas serão a serventia” dos que discordarem das ideias do seu governo para a Educação cubatense.

Local do discurso – O discurso de “bota fora aos discordantes”, do prefeito Ademário, nesta terça-feira (6), diante da diretoria e colaboradores do Grupo Cesari, autoridades do governo municipal, pais, alunos e funcionários da escola, foi aplaudido pela equipe da sua confiança, mas incomodou aos educadores presentes. Vídeos e comentários se espalharam pelas redes sociais, fomentando o impasse. O momento era de festa e de destacar o exemplo da primeira empresa – Cesari – a atender a Prefeitura, antes mesmo dela lançar o projeto “Adote uma Escola”. A UME Jayme Olcese reúne 230 estudantes e foi interditada pela Prefeitura Municipal de Cubatão, em janeiro de 2017, devido às más condições das salas de aula e das áreas comuns.

“Por acreditar que a educação é um fator de transformação social e por se preocupar com a formação dos jovens, a Cesari, ao ver a necessidade dos munícipes da cidade e a pedido do Governo Municipal, realizou a reforma integral da instituição de ensino por mais de 150 dias. Com isso, houve revitalização da fachada externa, salas de aula, pátio, jardim e quadra poliesportiva. Além disso, foram feitas readequações de sinalização e segurança, obtendo assim o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB)”, divulgou a empresa cubatense nas redes sociais.

Primeira assembleia do ano – Na última quinta-feira (1), reunidos no portão de entrada da UME Bernardo José Maria de Lorena, na Vila Nova, os professores da rede municipal aproveitaram as presenças do secretário de Educação, Pedro Sá (PTB), e do vereador Toninho Vieira (PSDB), para cobrar compromissos que o secretário e o prefeito haviam assumido em dezembro, da revogação de decretos de organização do funcionamento das suas jornadas.

Essa situação traz muita insegurança para os pais das crianças, que diante do impasse entre a Prefeitura e os professores, não conseguem planejar a vida de seus filhos no início de 2018 nas escolas locais. O final do semestre passado já havia sido conturbado por conta da elaboração de novos decretos sem que as suas bases fossem amplamente discutidas com os principais atingidos, neste caso os professores.

Os decretos reduzem atribuições de aulas, afetam a remuneração salarial mensal e não permitem a incorporação para efeito de aposentadorias. Esses mesmos decretos anulam iniciativas firmadas pelo governo da prefeita Marcia Rosa (PT), em 2010, que segundo a equipe do prefeito Ademário, na Procuradoria Geral e nas secretarias de Gestão e Educação, contrariam a legislação municipal e favorecem interpretações que privilegiou muitos servidores da Educação em suas respectivas aposentadorias.

Estado de greve – Desde quinta-feira a Educação cubatense está em estado de greve. A exigência, conforme apurado das falas dos professores e de representantes do Sindicato e de grupos de apoio da categoria, é pelo recuo do governo Ademário em suas medidas e pelo reconhecimento da ampliação como jornada de trabalho. Com isso, “o desconto para a Caixa de Previdência deve ser sobre a jornada do professor, garantindo que o cálculo das aposentadorias sejam feitos de acordo com a lei, considerando os últimos 180 meses, com o aproveitamento de 80% das melhores contribuições e descartando 20%”.

Os professores alegam que as mudanças na base previdenciária e da assistência médica que estão sendo impostas pelo governo Ademário Oliveira “são flagrantemente ilegais e ferem as leis 22 e 3039, que definiram anteriormente com maior clareza a jornada de trabalho e a base de cálculo para aposentadoria. Enquanto o governo do Estado, do mesmo partido do prefeito reconhece a ampliação de jornada, Ademário e Pedro Sá nos tira, sem base legal”.

Cine Roxy continua sem definição

Ficar sem cinema em Cubatão é uma perda grande, em uma cidade sem opções de lazer e cultura. Foto: PMC

Como esperado, foi muito grande e negativa a repercussão de que a cidade de Cubatão pode perder as suas duas e únicas salas de cinema, do Roxy, no Parque Anilinas. A denúncia foi publicada na edição passada do jornal “Povo de Cubatão” e compartilhada nas redes sociais. Mas a Prefeitura não quis esclarecer aos munícipes por meio deste jornal, optando apenas pelo jornal “A Tribuna”, na última quarta-feira (24), que transcrevemos a seguir:

“Questionada, a Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura (Secom) assinalou que ‘o complexo de cinema instalado no Centro Multimídia do Parque Anilinas será mantido’. Mas confirmou que o contrato com os proprietários do Cine Roxy venceu em julho de 2017, ‘quando a questão era afeta à Secretaria Municipal de Cultura, na gestão do ex-titular Raul Christiano'”.

A Secom também informou erroneamente que a gestão do Parque Anilinas passou para a Secretaria de Turismo apenas após a demissão de Raul da Secult. Ouvido pela reportagem do “Povo”, Raul Christiano disse que o processo estava de posse da Secretaria de Turismo desde o início do governo de Ademário Oliveira.

Raul fez questão de frisar que o secretário de Turismo, que iniciou no cargo, Mauro Haddad, e depois o seu sucessor e atual ocupante da pasta, Antonio Ribeiro, alegavam que “era de competência deles, uma vez que o Parque Anilinas estava sob a responsabilidade daquela secretaria. Com isso, até o início de julho, não pude conhecer o conteúdo do contrato”.

“Os dois secretários de Turismo – esclarece o ex-secretário de Educação e de Cultura – sempre justificaram que vinham conversando e recebendo orientação do próprio prefeito, inclusive realizando reuniões com o proprietário do Cine Roxy, sem a presença da Secult”. O prefeito Ademário – continua Raul Christiano, “questionado por mim em reuniões do secretariado respondia que estava tratando com os secretários de Turismo, porque considerava injusto que o Roxy pagasse apenas 11,5% das suas receitas com a venda de ingressos e da loja de doces, refrigerantes e pipoca, mas não pagava o condomínio, água e luz da fração usada do Parque Anilinas”.

Antônio Campos – O jornal “Povo de Cubatão” apurou que o empresário Antônio Campos sempre se dispôs a pagar, desde 2012, mas a Prefeitura de Cubatão jamais realizou os cálculos de quanto importava essas taxas da sua ocupação do Parque municipal. Procurado pela reportagem, o empresário que é o dono do Grupo Roxy de Cinemas, com salas em diversas cidades da região, não respondeu às mensagens enviadas.

Sem contrato desde julho e com a recomendação da Procuradoria Geral do Município de iniciar uma nova licitação para que o Roxy ou outra empresa do ramo possam explorar as atividades no Centro Multimídia com cinema, surgem dois problemas com perdas para a comunidade: o Roxy não pode repassar a parte da arrecadação para a Prefeitura e, sem qualquer ato formal, é possível que com uma representação de qualquer pessoa no Ministério Público, o cinema de Cubatão deve ser fechado a qualquer momento.

Solução provisória – O ex-secretário Raul Christiano, com base em parecer da sua assessoria técnica na época em que estava no cargo, sugere a elaboração de uma portaria de uso precário e oneroso, que poderia garantir o funcionamento: “Apresentei esse caminho para uma solução provisória no próprio processo administrativo, mas faltou a decisão do prefeito Ademário, que é quem tem a última palavra na Prefeitura”, concluiu.

Cubatão pode ficar sem Cine Roxy

A Prefeitura cedeu as instalações no Parque Anilinas para o Grupo Roxy de Cinemas e recebe 11,5% da bilheteria para os cofres municipais. Foto: Aderbau Gama

Por causa de confusões administrativas do governo Ademário Oliveira (PSDB), contrato para manutenção do cine Roxy no Parque Anilinas não foi prorrogado em julho passado e cinema pode fechar. E se isso for confirmado será uma perda imensa para a cidade, que tem raras opções de lazer e cultura nos últimos anos. A reportagem procurou a Prefeitura para ter um posicionamento oficial, mas até o fechamento desta edição do jornal “Povo de Cubatão”, não houve qualquer manifestação.

O Cine Roxy é tradicional da região da Baixada Santista e tem salas de cinema no bairro do Gonzaga em Santos, na Avenida Ana Costa e no Shopping Pátio Iporanga, além do Shopping Brisamar de São Vicente. Quando a Prefeitura de Cubatão reformou completamente o Parque Anilinas, a contratação do cinema para funcionar no prédio do Centro Multimídia, em 2012, garantiu ao espaço uma movimentação diferenciada e uma atenção maior à segurança dos munícipes que frequentam o local.

Cubatão não tem muita sorte com os equipamentos culturais. O Bloco Cultural, que fica localizado entre os prédios da Prefeitura e da Câmara de Vereadores, no Paço Municipal Piaçaguera, no Centro, está com problemas estruturais no telhado e sistema de ar condicionado, deteriorando o espaço a olhos vistos, sem que o poder público atue para a sua reforma completa e requalificação. Hoje as bandas Sinfônica e Marcial estão acolhidas no Bloco e os seus instrumentos correm risco por conta das goteiras nos períodos de chuvas na cidade.

O teatro municipal, que ficou 30 anos esperando para ser concluído, na Avenida Henry Borden, esquina com a Avenida Nove de Abril, funcionou algumas vezes, nos governos de Nei Serra, Clermont Castor e desde o início de Marcia Rosa foi paralisado e abandonado. O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) conseguiu aprovar na Câmara Municipal a transferência do prédio para a área da Saúde e segundo a Fundação São Francisco Xavier – FSFX até o final deste ano novos serviços de medicina estarão disponíveis para a população em sua estrutura.

Cinema – Resta para a Cultura da cidade o Cine Roxy 3, inaugurado em 2012 com duas salas de cinema e capacidade de 200 lugares cada uma, dentro dos melhores padrões com revestimento térmico, acústico e todos os equipamentos da moderna tecnologia para o setor. São salas que obedecem o mesmo projeto das que o grupo possui em Santos e na região, com poltronas no estilo estádio e som estéreo.

O último cinema em Cubatão, antes do Roxy 3, Cine Millennium durou até o ano 2000. Os moradores do município, quando queriam ir ao cinema precisavam ir a Santos ou a Praia Grande, mas com o contrato feito com a empresa do Roxy, nos últimos 5 anos, a Prefeitura ainda conseguiu para os seus cofres, cerca de R$ 700 mil, sendo 10% para a conta geral e 1,5% para o Fundo de Cultura, que inexistente e desregulamentado, não registra nenhum aporte.

Contrato – A reportagem do jornal “Povo de Cubatão” teve acesso a informações de que o contrato da Prefeitura com a empresa Roxy deveria ter sido renovado até o final do mês de julho de 2017, mas não foi por duas divergências internas e administrativas do governo Ademário: a primeira em decorrência de quem seria o responsável para resolver essa pendência – Secretaria de Turismo (que é responsável pelo Parque Anilinas) ou Secretaria de Cultura? A segunda, por conta de pareceres judiciais da Procuradoria Municipal, que se posicionou contrariamente à prorrogação do contrato, mesmo em “caráter excepcional” por conta dos prejuízos ao lazer e à cultura cubatenses, defendendo a realização de uma nova licitação pública.

Diante do impasse, o Roxy 3 permaneceu na cidade, sem contrato e de maneira irregular. Com isso, os percentuais arrecadados com os ingressos e parte também da bombonière não podem ser repassados a Prefeitura, aguardando a licitação que o governo atual não divulgou até agora. Se essa situação continuar sem alteração, nos próximos dias Cubatão será obrigada a assistir fechadas as portas das suas duas salas de cinema.

Boca do Povo

Boa notícia

Quem não consegue esconder a alegria, desde a última terça-feira (16), é o ator, diretor e responsável pelo Teatro do Kaos de Cubatão, Lourimar Vieira – na ilustração – com a boa notícia que lhe deu a empresa de logística VLI – Multimodal: o Projeto Evolução de oficinas teatrais a adolescentes e jovens da rede pública de ensino da cidade vai continuar.

Lourimar Vieira tem nome cogitado para ser Secretário de Cultura de Cubatão.

Mais Cultura

Dada a qualidade do projeto, que acontece em Cubatão há 7 anos consecutivos, o Ministério da Cultura aprovou mais uma vez o seu acesso à Lei Rouanet, de incentivo a projetos culturais em todo o país, e, com isso, a VLI pode destinar R$ 199.360,00, possibilitando que a escola do Kaos atenda a 100 cubatenses, a partir dos 12 anos de idade, em atividades de artes cênicas e a realização de 30 apresentações gratuitas previstas para o fim deste ano, como trabalho de encerramento de cursos.

Ligados

Segundo Maria Clara Fernandes Oliveira, gerente de Responsabilidade Social da VLI, “a empresa está atenta às demandas da comunidade e essa parceria é sinônimo disso. O Teatro do Kaos tem história e relevância na promoção da cultura e da cidadania. Não poderíamos deixar essa iniciativa acabar”.

Crise

“Tivemos o apoio da Petrobras durante cinco anos e, no ano passado, contamos com o patrocínio da Copebras. Mas agora, por conta da crise, as empresas afirmam que não lucraram e que, por conta disso, não têm imposto a pagar”, dizia antes dessa notícia positiva, Lourimar Vieira.

SECULT

E por falar em Cultura, o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) vem cobrando das suas equipes de gestão a elaboração do projeto de reforma administrativa, que pode definir um novo organograma na Prefeitura. Ouve-se que, se não fundir a secretaria de Cultura com a Educação, a secretaria pode ter outro titular.

Secretariáveis

Para a SECULT, além do vereador do PT, Rafael Tucla, estão cotados Ivan Hildebrando (PSB), vereador também, Edson Carlos Bril (Bombril), Lourimar Vieira, Zélia Trombino, Vanessa Toledo e o ouvidor Dojival Vieira.

Banco do Povo

Não é boa a notícia para os interessados em buscar parcerias com o Banco do Povo, que existe em Cubatão desde novembro de 2001: a Prefeitura cochilou e não renovou o contrato com o Governo do Estado. Desde o dia 1.º de janeiro, o Banco do Povo está impedido de realizar as suas operações na cidade.

Operações?

O Banco do Povo de Cubatão vinha sendo considerado um exemplo de sucesso no volume das operações de empréstimos concedidos a pequenas empresas, pessoas físicas que trabalham por conta própria, profissionais liberais, cooperativas e associações produtivas.

Onde funciona

Com a mudança da Praça Portugal, onde estava em companhia do SEBRAE e do PAT, o Banco do Povo foi procurado pela reportagem do jornal “Povo de Cubatão” e esta coluna foi informada que ele está inoperante, desde 1.º de janeiro, no Poupatempo do Empreendedor, na sede da ACIC. Quem resolve? Será mais uma missão para o super-vice Pedro de Sá?

Vagas federais

Há 240 vagas gratuitas para os cursos de Engenharia de Controle e Automação, Bacharelado em Turismo, Licenciatura em Matemática, Licenciatura em Letras, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Automação Industrial, cada qual com 40 vagas, para estudar no Campus Cubatão do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo – IFSP.

Como faz?

Para concorrer a uma das vagas, o candidato deve ter participado do Enem 2017 e ter obtido nota na redação diferente de zero. As inscrições dever ser feitas exclusivamente pela internet, no site: http://sisu.mec.gov.br | não há cobrança de taxa de inscrição, de matrícula ou de mensalidade.

UNISANTA

A Universidade Santa Cecília – UNISANTA escolheu uma parceira em Cubatão. Trata-se da Escola Politécnica Cubatão – CIEN, que começa a receber inscrições para os cursos de ensino à distância, com um polo para as aulas e avaliações presenciais muito bem instalado. Fica ali na Avenida Joaquim Miguel Couto, 353.

Informe EAD

As informações sobre os cursos à distância, em faculdades com o padrão UNISANTA, para graduação e pós-graduação, podem ser obtidas pessoalmente ou por telefones: (13) 3361 6065 ou 3372 7272.

Toninho fica

O vereador Toninho Vieira (PSDB) tem agora um programa de rádio onde interage com os seus eleitores e cubatenses em geral. Na última quarta-feira (17), ele recebeu nos estúdios da Rádio Cubatão, o diretor do jornal “Povo de Cubatão”, Raul Christiano. E aproveitou para esclarecer notas recentes publicadas nesta coluna: “não vou sair do PSDB, isto não faz parte dos meus planos”.

UME Jayme Olcese volta a funcionar em fevereiro

Grupo Cesari investiu mais de R$ 700 mil e requalificou o prédio da UME Jayme João Olcese.

Após receber uma ampla reforma no último semestre, a UME Jayme João Olcese (Jardim Anchieta/Costa e Silva) foi apresentada aos representantes da Prefeitura, inclusive ao prefeito Ademário Oliveira (PSDB) e ao vice-prefeito Pedro de Sá (PTB), que é também o Secretário de Educação, além dos dirigentes do Grupo Cesari, que patrocinou a sua recuperação, na tarde da última sexta-feira (12). Pelo Cesari, esteve o seu diretor-executivo Heber Spina Borlenghi.

A escola estava interditada desde 17 de janeiro do ano passado, devido ao estado das instalações e à falta de salubridade, colocando em risco a saúde e a integridade dos seus alunos, funcionários, professores e a direção da unidade. Ademário ficou bastante bem impressionado com o que viu e disse que “em nome da Prefeitura, agradece a acolhida e a ousadia de empreender do grupo, fazendo um trabalho de excelência na melhoria da nossa rede de ensino”. Borlenghi respondeu de imediato: “Nós nos colocamos à disposição para colaborar na valorização de nossas crianças e dos jovens de Cubatão”.

O grupo empresarial investiu mais de R$ 700 mil em uma reformar que durou mais de 160 dias. Com as obras, que proporcionaram a revitalização da fachada externa, salas de aula, corredores e áreas comunitárias, como pátio, jardim e quadra poliesportiva, pode-se dizer que o prédio parece outro, tamanho o estado de destruição em que ela se encontrava antes. Também foram realizadas as instalações de portas, ventiladores e outros materiais, além de readequações de sinalização e segurança, alcançando o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), sendo a primeira UME a possuir esse certificado, que tem sido exigido pelo Ministério Público local.

Adote uma Escola – A Prefeitura de Cubatão conseguiu a aprovação de lei municipal na Câmara de Vereadores, criando o Programa Adote uma Escola, que permitirá que outras empresas da região e do município, a exemplo da Cesari (UME Jayme João Olcese) e Unipar Carbocloro (UME Rui Barbosa), possam apoiar o município nas reformas necessárias de sua rede de ensino. Houve uma certa polêmica nas redes sociais, por algumas pessoas que disparam críticas sem fundamento, sobre “o retorno que a iniciativa privada terá”. Esclareça-se que o retorno é a pontuação para as empresas que são bastante qualificadas por sua responsabilidade social, educacional e cultural, como em todo país desenvolvido nesse mundo afora.

Escola estava insalubre, no início do ano passado.

 

Pais vinham reclamando às autoridades municipais, sem êxito no governo Marcia Rosa (PT).