José Rubens Marino anuncia sua saída do Lar Fraterno

Rubens Marino disse: “Sempre quis fazer algo pela social em Cubatão. Graças a Deus, cumpri.”

Após sete anos (mais de dois mandatos) à frente da entidade, o presidente do Lar Fraterno de Cubatão, José Rubens Marino anuncia a sua saída da direção. Segundo o próprio Marino, essa decisão é de caráter pessoal e ele permanece no comando da entidade até o próximo mês de março, logo após prestar as contas relativas ao exercício de 2017 e publicar o balanço social do mesmo ano. Em seu lugar entra o atual vice-presidente da instituição, Edson de Freitas, o Édinho (ex-superintendente da Companhia Municipal de Trânsito – CMT).

O presidente diz que sempre foi contra todo e qualquer tipo de continuidade exagerada e que ciclos, um dia, chegam ao fim. “Decidi cuidar da família, que precisa muito de mim nesta altura da vida, além de também acreditar que já contribuí com o meu melhor para essa entidade, à qual tive o total apoio de todos os meus diretores, colaboradores, parceiros, comércio local empresas do Polo Industrial (em especial a Copebrás, onde importantes convênios foram firmados com o Lar Fraterno) e principalmente do nosso corpo técnico, que sempre se colocou com muito profissionalismo, amor e carinho junto ao próximo, no trabalho que é desenvolvido aqui”, diz o presidente.

O Lar Fraterno – Rubens assumiu em agosto de 2010, com o falecimento da saudosa e então presidente Cleusa Nunes Tibúrcio. Desde então, Rubão obteve importantes conquistas para a instituição como a reforma total e adaptação da Casa, a implantação de serviços técnicos inovadores na grade de atendimento aos idosos, principalmente nas áreas da saúde e terapia ocupacional. “Hoje graças ao empenho de todos que sempre olharam com bons olhos para o Lar Fraterno, podemos dizer que a entidade não fica a desejar em nada para qualquer casa de amparo ou acolhimento de idosos da Baixada Santista, devido aos serviços oferecidos aqui, independentemente de serem particulares ou de utilidade pública, como é o nosso caso”, explica.

Histórico e carreira em Cubatão – Experiente na vida pública, especialmente em Cubatão (quase 30 anos de atuação ininterrupta no município), por onde atuou em diversos cargos (vereador por um mandato – 1996/2000, secretário de finanças e chefe de gabinete no governo Nei Serra, e secretário de Esportes e Lazer na administração Clermont Castor), José Rubens Marino agradece o carinho de desses longos recebidos pelo povo de Cubatão e diz que seu mandato a frente do Lar Fraterno foi uma forma de agradecimento ao povo cubatense: “Deixo registrado o meu imenso carinho pela cidade e por todos os companheiros que de alguma forma contribuíram comigo e com o Lar Fraterno, como também desejo todo o sucesso ao Edinho, que sem dúvida fará um bom trabalho para essa instituição”, finaliza Marino. | Texto e foto do jornalista Luiz Fernando Valentim (colaborador)

 

Cubatão pode ficar sem Cine Roxy

A Prefeitura cedeu as instalações no Parque Anilinas para o Grupo Roxy de Cinemas e recebe 11,5% da bilheteria para os cofres municipais. Foto: Aderbau Gama

Por causa de confusões administrativas do governo Ademário Oliveira (PSDB), contrato para manutenção do cine Roxy no Parque Anilinas não foi prorrogado em julho passado e cinema pode fechar. E se isso for confirmado será uma perda imensa para a cidade, que tem raras opções de lazer e cultura nos últimos anos. A reportagem procurou a Prefeitura para ter um posicionamento oficial, mas até o fechamento desta edição do jornal “Povo de Cubatão”, não houve qualquer manifestação.

O Cine Roxy é tradicional da região da Baixada Santista e tem salas de cinema no bairro do Gonzaga em Santos, na Avenida Ana Costa e no Shopping Pátio Iporanga, além do Shopping Brisamar de São Vicente. Quando a Prefeitura de Cubatão reformou completamente o Parque Anilinas, a contratação do cinema para funcionar no prédio do Centro Multimídia, em 2012, garantiu ao espaço uma movimentação diferenciada e uma atenção maior à segurança dos munícipes que frequentam o local.

Cubatão não tem muita sorte com os equipamentos culturais. O Bloco Cultural, que fica localizado entre os prédios da Prefeitura e da Câmara de Vereadores, no Paço Municipal Piaçaguera, no Centro, está com problemas estruturais no telhado e sistema de ar condicionado, deteriorando o espaço a olhos vistos, sem que o poder público atue para a sua reforma completa e requalificação. Hoje as bandas Sinfônica e Marcial estão acolhidas no Bloco e os seus instrumentos correm risco por conta das goteiras nos períodos de chuvas na cidade.

O teatro municipal, que ficou 30 anos esperando para ser concluído, na Avenida Henry Borden, esquina com a Avenida Nove de Abril, funcionou algumas vezes, nos governos de Nei Serra, Clermont Castor e desde o início de Marcia Rosa foi paralisado e abandonado. O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) conseguiu aprovar na Câmara Municipal a transferência do prédio para a área da Saúde e segundo a Fundação São Francisco Xavier – FSFX até o final deste ano novos serviços de medicina estarão disponíveis para a população em sua estrutura.

Cinema – Resta para a Cultura da cidade o Cine Roxy 3, inaugurado em 2012 com duas salas de cinema e capacidade de 200 lugares cada uma, dentro dos melhores padrões com revestimento térmico, acústico e todos os equipamentos da moderna tecnologia para o setor. São salas que obedecem o mesmo projeto das que o grupo possui em Santos e na região, com poltronas no estilo estádio e som estéreo.

O último cinema em Cubatão, antes do Roxy 3, Cine Millennium durou até o ano 2000. Os moradores do município, quando queriam ir ao cinema precisavam ir a Santos ou a Praia Grande, mas com o contrato feito com a empresa do Roxy, nos últimos 5 anos, a Prefeitura ainda conseguiu para os seus cofres, cerca de R$ 700 mil, sendo 10% para a conta geral e 1,5% para o Fundo de Cultura, que inexistente e desregulamentado, não registra nenhum aporte.

Contrato – A reportagem do jornal “Povo de Cubatão” teve acesso a informações de que o contrato da Prefeitura com a empresa Roxy deveria ter sido renovado até o final do mês de julho de 2017, mas não foi por duas divergências internas e administrativas do governo Ademário: a primeira em decorrência de quem seria o responsável para resolver essa pendência – Secretaria de Turismo (que é responsável pelo Parque Anilinas) ou Secretaria de Cultura? A segunda, por conta de pareceres judiciais da Procuradoria Municipal, que se posicionou contrariamente à prorrogação do contrato, mesmo em “caráter excepcional” por conta dos prejuízos ao lazer e à cultura cubatenses, defendendo a realização de uma nova licitação pública.

Diante do impasse, o Roxy 3 permaneceu na cidade, sem contrato e de maneira irregular. Com isso, os percentuais arrecadados com os ingressos e parte também da bombonière não podem ser repassados a Prefeitura, aguardando a licitação que o governo atual não divulgou até agora. Se essa situação continuar sem alteração, nos próximos dias Cubatão será obrigada a assistir fechadas as portas das suas duas salas de cinema.

Prefeitura pode urbanizar a Vila dos Pescadores

Comunidade espera faz tempo que o projeto saia do papel. Foto: Raimundo Rosa

Depois de muitos anos de espera, o projeto de urbanização e construção de novas unidades habitacionais na Vila dos Pescadores venceu, na última semana, mais uma etapa com a aprovação da Licença Ambiental de Instalação (LI) pelo Grupo de Análise e Aprovação de Projetos Habitacionais (Graprohab), órgão do governo do Estado de São Paulo.

Agora depende da transferência da titularidade da área de 2.817.000 m² da União para o município de Cubatão. De acordo com a secretária Municipal de Habitação, Andrea Maria de Castro, o Serviço de Patrimônio da União (SPU) deverá concluir a regularização fundiária em, no máximo, cinco meses.

“O Cartório de Registro de Imóveis de Cubatão solicitou a delimitação da Área de Proteção Ambiental (APA) e da área do projeto habitacional”, explicou Andrea Maria, garantindo que “as duas exigências estão sendo providenciadas e em fevereiro ou março de 2018 a área da Vila dos Pescadores já estará em nome do município de Cubatão”.

Recursos – O último obstáculo para o início das obras de urbanização da Vila dos Pescadores e da construção de novas unidades habitacionais, será a captação de recursos junto ao Ministério das Cidades. “Isso porque, explica a secretária de Habitação, em 2015 a administração anterior não cumpriu as exigências e perdeu prazos e recursos”.

Vila Esperança – Por outro lado, a secretária Andrea Maria de Castro informou que a Prefeitura está promovendo chamamento público para a definição da empresa que vai executar as obras de infraestrutura e construção de novas unidades habitacionais na Vila Esperança que já tem a Licença Ambiental de Instalação (LI).

De acordo com a secretária, quatro empresas estão selecionadas para atender o chamamento público. A empresa vencedora será contratada diretamente pela Caixa Econômica Federal, que financia o empreendimento.

Diferentemente da Vila dos Pescadores, os recursos da ordem de R$ 577 milhões para as obras da Vila Esperança foram mantidos e a primeira das quatro etapas do projeto deverá ser iniciada no segundo semestre de 2018.

Histórico da Vila dos Pescadores – O projeto habitacional de urbanização da Vila dos Pescadores, que não sai do papel desde 2006, quando houve o cadastramento das famílias residentes no local, prevê o atendimento de 3 mil delas.

Nesse período, antes do atual prefeito Ademário Oliveira (PSDB), Clermont Castor (PL) e Marcia Rosa (PT) enfrentaram problemas no projeto, devido à demora da autorização ambiental, repasse da área pela União e da preservação das verbas que um dia foram previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) dos governos petistas de Lula e Dilma Rousseff.

Como aconteceria – Da mesma forma que a Prefeitura planejou para a urbanização da Vila Esperança, o projeto habitacional na Vila dos Pescadores seria realizado por etapas. Primeiro, um grupo de famílias será reassentado em um conjunto habitacional, e suas antigas moradias demolidas, abrindo uma clareira para permitir o início das obras de urbanização e construção habitacional.

Então, outro grupo de famílias é transferido para essas moradias, abrindo uma segunda clareira para a continuidade das obras. Os moradores residentes em locais em que seja possível a permanência serão mantidos em suas casas.

A urbanização também prevê melhorias, como arruamentos, novos equipamentos públicos de saúde e educação, iluminação pública e saneamento básico.

Conforme o projeto original, que a essa altura do campeonato e das dificuldades financeiras do país, seriam cinco etapas: a primeira fase, erguerá 758 unidades habitacionais. A segunda, prevê a construção de 945 moradias; 633 unidades serão construídas na terceira fase; 365 na quarta e, por fim, 66 na quinta fase.

Ademário recebe ameaças por WhatsApp

Vereador cubatense vem se destacando na oposição e agora enfrenta baixo nível nas redes sociais

Vereador cubatense vem se destacando na oposição e agora enfrenta baixo nível nas redes sociais

Disputa eleitoral em Cubatão baixa o nível antes de começarem oficialmente as campanhas. Os ataques pelas redes sociais têm sido comuns, mas agora a honra do prefeiturável do PSDB é atacada para tentar impedi-lo de disputar as eleições municipais deste ano.

A reportagem do jornal ‘Povo de Cubatão’ teve acesso a mensagem recebida pelo vereador Ademário da Silva Oliveira, presidente do diretório municipal do PSDB, em que menciona outro pré-candidato a prefeito da cidade, ofende e ameaça o tucano.

Essa ocorrência partiu do número de telefone celular – (013) _ _ _ _ _ – 9739 – , por meio do aplicativo WhatsApp, e aparentemente pode ser interpretada como uma tentativa de intimidação do pré-candidato a prefeito pelo PSDB, ameaçando-o de promover ataques contra a sua pessoa, se ele submeter o seu nome à convenção do partido e disputar a Prefeitura de Cubatão nas eleições de 02 de outubro.

Com o seu aparelho de telefone em mãos, Ademário Oliveira, que é também advogado em Cubatão e atualmente exerce o seu primeiro mandato como vereador, sendo o mais votado na história da cidade, se dirigiu à Delegacia Regional de Polícia Civil em Santos, onde foi recebido e atendido pelo delegado assistente da Seccional de Polícia, Luís Eduardo Maia, na última segunda-feira (18).

O delegado Maia recomendou imediatamente que se elaborasse um boletim de ocorrência policial e, tendo em vista a menção de outro nome de prefeiturável cubatense na mensagem, a reportagem apurou que foi iniciada uma investigação sigilosa, principalmente em decorrência de Cubatão já registrar em sua história, antecedentes de violência contra políticos.

Casos não resolvidos – O atentado contra a vida do ex-prefeito Clermont Silveira Castor, em 2001, e as mortes dos vereadores João Santana de Moura Villar, o Tucla, em 2010, e Aniz Rahal Maluf, também em 2010, até hoje sem esclarecimentos públicos, impõem o zelo policial nesse início da campanha de 2016.

Registrar o Boletim de Ocorrência – BO por parte de Ademário Oliveira foi uma medida para salvaguardar a sua honra e garantir que as campanhas não sejam manchadas e a democracia posta em risco, comentou o vereador e um advogado especializado em direito eleitoral consultado por ele.

Cangaço eletrônico – Para o vereador Ademário, o trabalho da polícia será essencial nesse processo para garantir que a “Democracia não seja abalada e também para impedir o crescimento do cangaço eletrônico numa Cidade que tem um povo trabalhador, pacífico e deseja mudanças para melhor em todos os setores da Prefeitura de Cubatão e do território municipal”.

Nivaldo Veiga faleceu dia 7 de fevereiro

Figura atuante nas entidades de servir e esportivas da região.

Figura atuante nas entidades de servir e esportivas da região.

Comerciante em Cubatão durante muitos anos, Nivaldo Veiga faleceu no último dia 7 de fevereiro. Ele continuava em atividade profissional no mercado imobiliário, como um dos corretores da Almeida Imóveis. Durante o governo do prefeito Clermont Silveira Castor (2001-2008) ele ocupou diversas funções de destaque, dentre as quais a presidência da Cursan, a superintendência da CMT e a administração regional da Vila Nova. Presidiu em Santos o Vasquinho, tradicional clube de praia, e era vice-presidente da diretoria do Lar Fraterno de Cubatão. Na política sempre foi uma figura atuante, mais recentemente nos partidos PTN e PSDC. Seu corpo foi sepultado no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos. A missa de sétimo dia está programada para o dia 12 de fevereiro, na Igreja Sagrado Coração de Jesus, a partir das 19 horas.