Deputado Federal Bruno Covas vem a Cubatão nesta sexta-feira

Ademário me ajudou bastante nas principais ações que desenvolvi como secretário, destaca Covas.

Ademário me ajudou bastante nas principais ações que desenvolvi como secretário, destaca Covas.

O deputado federal Bruno Covas (PSDB) estará em Cubatão nesta sexta-feira (1 de julho), a partir das 19 horas, para participar do lançamento de um gibi e site que contam a história do vereador cubatense Ademário da Silva Oliveira. Nesses dois meios de comunicação, a história do pré-candidato a prefeito da cidade para as próximas eleições é contada desde a sua infância em Riachão do Jacuípe, até a consagração como o parlamentar mais votado da história local.

Ademário trabalhou com o deputado Bruno Covas, quando este era deputado estadual e também secretário de Estado do Meio Ambiente. A relação política entre ambos é muito forte e representou importantes conquistas para o município junto do governador Geraldo Alckmin, nas áreas habitacional, ambiental e de saneamento básico.

Bruno Covas teve 5.180 votos em Cubatão, nas eleições de 2014, quando foi o deputado federal mais votado do PSDB no Estado de São Paulo, com um total de 352.708 votos. Hoje ele é vice-líder do partido, titular da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, e suplente na Comissão de Defesa do Consumidor e Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Santista de nascimento, neto do governador Mário Covas, atualmente é o secretário geral do PSDB de São Paulo e já foi presidente da Juventude Nacional do PSDB.

O deputado visita Cubatão com muita frequência e é um dos principais incentivadores da pré-candidatura de Ademário para a Prefeitura de Cubatão. Crítico do PT e dos governos de Marcia Rosa e Dilma Roussef, Bruno foi membro atuante na comissão que encaminhou a votação do impeachment da presidente da República, argumentando que (Dilma) “usou o governo não pra um projeto para o país, mas para um projeto político partidário. Eu sou daqueles que acredita que governo sério procura a Justiça. Governo malandro é procurado pela Justiça. De 2011 a 2015 foram mais de R$ 70 bilhões em pedaladas fiscais. Só em 2015, mais de R$ 17 bilhões. O que diz a defesa: outros governos não cumpriram a meta. Pouco importa o que os outros fazem, isso não tira a responsabilidade da presidente”, enfatiza.

Porque Ademário – Bruno Covas ressalta que o vereador cubatense teve um papel importante e decisivo no período em que atuou em sua equipe na Secretaria Estadual do Meio Ambiente: “Ademário me ajudou bastante nas principais ações que desenvolvi como secretário, como a revisão da legislação ambiental, a criação de unidades de conservação, o aumento do número de áreas verdes, a implantação dos novos padrões de qualidade do ar e a redução do tempo médio de análise para licenciamento ambiental, além das ações destinadas ao bem estar animal e campanhas de conscientização contra o abandono de animais domésticos”.

A realidade de Cubatão, “alertada sempre pelo agora vereador Ademário foi extremamente importante para alcançarmos resultados positivos no Governo do Estado e medidas para melhorar Cubatão com o apoio do governador Geraldo Alckmin”, assinalou Bruno Covas.

Câmara aceita denúncia contra Marcia Rosa (PT)

Vereadores formam Comissão Processante por sorteio

Vereadores formam Comissão Processante por sorteio

Por 8 votos favoráveis e 3 contrários, a Câmara Municipal de Cubatão aceitou a denúncia do munícipe Ualton de Simone, contra a prefeita Marcia Rosa (PT) e o vice-prefeito Donizete Tavares (PSD), durante a sessão realizada na tarde desta terça-feira (31 de maio). Com essa decisão, para encaminhar providências para a cassação da prefeita e do vice-prefeito, foi formada uma Comissão Processante, por sorteio, com a participação de três vereadores: Severino Tarcício, Doda (PSB) na presidência, Ademário da Silva Oliveira (PSDB) como relator e Fábio Moura (PMDB), membro, que terá 90 dias para cuidar de todos os trâmites regimentais até a decisão final do conjunto dos vereadores cubatenses.

Entre as alegações para o pedido de impeachment da prefeita, estão denúncias de improbidade administrativa, crime de responsabilidade e a falta de repasse à confederação nacional de municípios. Além disso, o autor do pedido de impedimento aponta que a chefe do Executivo não vem pagando integralmente os valores referentes ao fundo de previdência dos servidores municipais.

O munícipe ainda denuncia que o vice-prefeito nos dias em que substituiu a chefe do Executivo também deixou de repassar os valores à Caixa de Previdência.

O documento-denúncia foi lido na semana passada pelo vereador Ademário, no entanto a sessão foi encerrada pelo presidente da Câmara, vereador Aguinaldo Araújo (PDT), devido à falta de quórum para a deliberação ocorrida hoje, por causa da obstrução das bancadas do PMDB, PSDB, PSB e SD.

Os vereadores Aguinaldo Araújo e Ricardo Queixão (PDT) e Jair do Bar (PT) votaram contra a admissibilidade da denúncia, que só foi aprovada porque contou com o voto de 2/3 dos vereadores. A denúncia de Ualton havia recebido parecer favorável da Comissão Permanente de Justiça e Redação.

O prazo para o procedimento da Comissão Processante será de, no máximo, 90 (noventa) dias, contados da formação da Comissão Processante, até o final do julgamento, em sessão prevista no Regimento Interno do Poder Legislativo. Prefeita e vice-prefeito devem ser notificados em cinco dias para apresentação de defesa prévia, cujo direito amplo lhes é assegurado, em dez dias e arrolar testemunhas, e demais procedimentos até a decisão final dos vereadores, por maioria absoluta de votos, qual seja o voto mínimo de metade mais um do total de vereadores da Câmara.

Confira os votos dos vereadores:
Dinho Heliodoro – aceitou a denúncia
Ademário da Silva – aceitou a denúncia
Aguinaldo Araújo – contrário a denúncia
César da Silva – aceitou a denúncia
Fábio Roxinho – aceitou a denúncia
Wagner Moura – aceitou a denúncia
Ivan da Silva – aceitou a denúncia
Jair do Bar – contrário à denúncia
Ricardo Queixão – contrário à denúncia
Dóda – aceitou a denúncia
Fábio Moura – aceitou a denúncia