Boca do Povo

Não há caras novas nessa foto. Restam 10 secretários desde a posse em 1.º de janeiro de 2017.

Reforma à vista

Nos últimos dias o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) vem se reunindo com os vereadores para decidir em conjunto a reforma do secretariado municipal – ilustração do anúncio da equipe feita no final de 2016, antes de assumirem os cargos em 1.º de janeiro de 2017. O vereador Ricardo Queixão (PDT) soltou o verbo no “Jornal da Cidade” da Rádio Visão FM: “Terão novos comandantes as secretarias de Manutenção, Cultura, Educação, Emprego e Esportes”, sentenciou o pedetista em resposta ao ouvinte Ivo da Banca.

Sem prazo

Combinações à parte, especulou-se que o Secretário de Governo, Cesar Nascimento, deixaria de acumular a secretaria de Comunicação, porque o PPS já abocanhou essa área estratégica da administração e está indicando o publicitário Fabiano Caldeira, com larga atuação na TV Tribuna e no Ministério da Cultura em Brasilia.

Escutou

O PPS local juntou o deputado federal Roberto Freire e o ex-vereador de Santos, Marcelo Del Bosco, para apadrinhar e garantir que a nomeação de Caldeira saia logo dos bastidores para a ação. Se confirmar será uma Benção, porque parece que essa indicação caiu do céu. O governo municipal precisa profissionalizar o comando dessa área.

Camisa de força

Ninguém arrisca citar nomes de possíveis novos secretários. Isso porque os vereadores estão com a faca e o queijo nas mãos, desde o início do atual governo municipal. Ninguém entra e ninguém sai sem o aval da Câmara, razão da maioria absoluta do prefeito Ademário, do PSDB ao PT, tá tudo junto e misturado… #SimplesAssim

1 salário

Comenta-se nos bastidores que a economia feita pela Prefeitura com o acúmulo de cargos por alguns secretários está custando caro no imaginário popular: muita gente pensa que quando um secretário acumula mais de uma secretaria ele ganha mais de um salário. Isso não é verdade!

MP de olho…

O fato do governo municipal não se preocupar em definir titulares para as secretarias com interinos, casos de Emprego, Esportes, Educação, Cultura, Auditoria e Comunicação, há mais de um ano, pode despertar uma ação do Ministério Público. Afinal, qual a necessidade dessas secretarias? Não é melhor fazer a fusão delas e reduzir o organograma da Prefeitura?

Bons nomes

Não é por falta de sugestões de nomes de gente capaz e comprometida com a recuperação de Cubatão, que o prefeito Ademário não fará mudanças pra valer nas estruturas da cidade.

Bigode em ação

O ex-vereador Francisco Leite “Bigode” estava no Pronto Socorro Municipal na noite desta quinta-feira (3), enquanto fechávamos esta edição do jornal, mostrando a sua solidariedade com o grande número de pessoas maltratadas pelo pessoal contratado pela OSS Alpha, segundo ele, em vídeo enviado à coluna. E deixou uma acusação a mais no ar: “recebem dinheiro público para prestar um serviço de qualidade e isso não vem acontecendo”.

Alô, Prefeito!

Bigode explica que rotineiramente passa pela porta do PS e quase sempre faz uma visita de fiscalização. Nessa noite ele resolveu chamar o prefeito Ademário, para que viesse testemunhar o descaso com o atendimento e o jornal apurou que ele atendeu ao chamado de seu colaborador. Não houve tempo de registrar essa visita.

Quem é?

Para quem não sabe a motivação de Bigode nesse trabalho de fiscalização, além do seu conhecido espírito público, ele é funcionário de carreira da Câmara Municipal e atualmente está à disposição do gabinete do prefeito. Precisa mais?

Paulo Corrêa

O deputado estadual Paulo Corrêa Júnior esteve em Cubatão na véspera do Dia do Trabalho. Primeiro foi conversar ao vivo com Luiz Roberto “Raposa”, no seu “Jornal da Cidade” pela Rádio Visão FM. Depois manteve reunião com o presidente da Associação Casa da Esperança, o comerciante Hermes Balula, e o médico Maurici Aragão, que é pré-candidato a deputado federal nas próximas eleições.

Sítio Areais

Destaque da semana passada na mídia local, o estado de abandono do Sítio dos Areais, que abriga o desativado Aterro Sanitário Controlado de Cubatão, mereceu o silêncio total da classe política cubatense. Parece que o assunto não lhes diz respeito, justamente quando a área é citada no novo Plano de Destinação de Resíduos Sólidos da Baixada Santista, elaborado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT ligado à Universidade de São Paulo – USP.

Lixo

Cubatão já foi o único dos 9 municípios da região a ter um local preparado para receber e tratar do lixo produzido na cidade e no Polo Industrial. Depois da implantação do aterro regional, no Sítio das Neves, na área continental de Santos, que tem vida útil até o próximo ano de 2019, Cubatão vem pagando como a maioria dos demais para depositar seu lixo lá.

Perguntar não ofende

Se Cubatão pode cuidar dos seus resíduos aqui, economizar e ainda ter uma central de reciclagem regional, gerando recursos para ações locais, porque a Prefeitura não prioriza esse assunto?

Sabesp reforça o abastecimento para mais de 40 mil moradores de Cubatão

Reunião dos vereadores com a Sabesp e o secretário de Obras, Benaldo Melo, define medidas urgentes.

Durante a semana do Carnaval a Sabesp foi alvo de inúmeras reclamações da população por causa da falta de água em bairros diferentes de Cubatão. Diante dessa situação, o presidente da Câmara de Vereadores, Rodrigo Alemão (PSDB) procurou a Companhia para registrar a sua reclamação e convidar o seu gerente local, William de Araújo Limoeiro, para explicar a razão dessas ocorrências e iniciar as providências necessárias.

Na sede do legislativo cubatense, Limoeiro se reuniu com Rodrigo Alemão e os vereadores Ivan Hildebrando (PSB), Ricardo Queixão (PDT) e Wilson Pio (PSDB), sexta-feira (16) passada. Durante o encontro, a constante falta de água em alguns bairros da cidade e a série de problemas ocorridos em função de obras da Sabesp foram discutidas também na presença do secretário municipal de Obras, Benaldo Melo de Souza.

Alemão cobrou que é preciso avisar a população com antecedência sobre a falta de água, “até para que as pessoas possam se preparar, principalmente em um período de altas temperaturas”. E criticou: “A má qualidade dos serviços prestados pela Sabesp vem gerando grande insatisfação nos moradores locais, demonstrada nos comentários feitos nas redes sociais”.

Resposta imediata – O gerente William Limoeiro se comprometeu em mudar essa situação e nesta quinta-feira (22) a Sabesp anunciou que novos 600 metros de redes de distribuição serão colocados em funcionamento durante a noite da próxima quarta-feira (28).

De acordo com a Sabesp, essa melhorias no abastecimento vão beneficiar cerca de 44 mil moradores de Cubatão, porque a companhia executará a interligação de novos 600 metros de redes de distribuição de água, atingindo diretamente os bairros Vila São José, Vila Nova, Jardim 31 de Março, Jardim São Francisco, Jardim Anchieta, Conjunto Afonso Schmidt, Vila Santa Tereza, Parque Fernando Jorge, Vila Couto, Vila Santa Rosa, Vila Paulista, Jardim Santa Fátima e Jardim Costa e Silva.

A conexão das novas tubulações ao sistema já existente será realizada entre as 20 horas e meia-noite, a fim de minimizar os transtornos à população. Neste período o fornecimento será interrompido momentaneamente, o que poderá causar reflexos às moradias sem as caixas d’água obrigatórias de acordo com as normas técnicas nas seguintes localidades: Beira Rio, Centro, Conjunto Afonso Schmidt, Jardim 31 de Marco, Jardim América, Jardim Anchieta, Jardim Costa E Silva, Jardim São Marcos, Jardim Santa Fátima, Jardim São Francisco, Jardim Três Marias, Jardim das Indústrias, Polo Industrial, Parque Fernando Jorge, Sítio Cafezal, Vila Canadá, Vila Couto, Vila Elizabete, Vila Nova, Vila Parisi, Vila Paulista, Vila Santa Rosa, Vila Santa Tereza e Vila São José.

A distribuição de água será restabelecida de forma gradativa após o encerramento das intervenções. Por este motivo a companhia recomenda a economia do volume armazenado nos reservatórios residenciais.

Comissão de Inquérito – Por iniciativa do vereador Ivan Hildebrando, na última sessão da Câmara Municipal foi apresentado requerimento criando uma Comissão Especial de Inquérito – CEI, para tratar dos assuntos relacionados à Sabesp no município.

O vereador ressaltou na sua justificativa que além dos problemas relativos ao fornecimento de água, ainda existem as obras realizadas pela Sabesp no Município, que resultaram em buracos e marcas de depressão em diversas vias públicas, causando vários transtornos à população, principalmente em períodos de chuva.

A CEI será composta de três vereadores e deve iniciar os trabalhos nos próximos dias. Ela também discutirá o contrato de serviço de fornecimento e tratamento de água da Sabesp com a Prefeitura, que se encontra em fase de renovação. “Os erros de outrora não podem ser cometidos novamente”, afirmou Hildebrando.

Sempre alerta – A Sabesp segue 24 horas à disposição da população para atendimento às emergências e esclarecimento de dúvidas, de forma gratuita, por telefone (195 ou 0800 055 0195), Agência Virtual (www.sabesp.com.br) ou aplicativo para celulares e tablets iOS ou Android.

Fim da greve no Hospital Municipal de Cubatão

Paulo Pimentel, presidente do SintraSaúde, considerou uma conquista importante da categoria: "Alertamos sobre o compromisso dos governos prioritariamente com a Saúde"

Paulo Pimentel, presidente do SintraSaúde, considerou uma conquista importante da categoria: “Alertamos sobre o compromisso dos governos prioritariamente com a Saúde”

Chegou ao fim a greve dos trabalhadores do Hospital Municipal de Cubatão, na noite desta quinta-feira (14). A decisão foi anunciada pelo presidente do SintraSaúde, Paulo Pimentel, que aguardava a confirmação dos recebimentos relativos ao dissídio da categoria, retroativos a outubro de 2015.

A administração municipal recebeu uma verba de R$ 5 milhões do Governo Federal e a quantia foi repassada à Associação Hospitalar Beneficente do Brasil – AHBB, Organização Social – (OS) responsável por administrar o hospital. A entidade começou a efetivar os pagamentos dos salários atrasados, depositando integralmente, inclusive os valores correspondentes ao dissídio.

Para o dirigente sindical, Paulo Pimentel, o resultado desse “movimento pacífico dos trabalhadores da Saúde de Cubatão foi vitorioso. E estamos muito agradecidos por esse comportamento da nossa categoria, que não podia mais suportar esse descaso. Cabe aos governos manter a Saúde e o nosso movimento serviu de alerta para as autoridades responsáveis por isso”, enfatizou.

Escala de trabalho – o SintraSaúde já havia acompanhado a organização das escalas previstas para a noite desta quinta-feira, a partir das 19h00, com a retomada dos serviços. Mas em função da demora na confirmação dos valores nas contas, a categoria decidiu voltar às atividades a partir das 7h00 da manhã desta sexta-feira, começando a normalizar o atendimento à população.

Paulo Pimentel declarou que o SintraSaúde acompanhará de perto o retorno ao trabalho, depois de 30 dias de greve, “para garantir que não haja nenhum tipo de assédio moral ou perseguição dos trabalhadores, que exercitaram um direito nada mais do que justo, diante da situação no município de Cubatão”.

Tirar hospital da UTI – Oito dos 11 vereadores da Câmara Municipal de Cubatão estiveram na tarde da última quarta-feira (13), em uma audiência na Casa Civil do Estado, onde foram recepcionados pelo secretário-Chefe, Samuel Moreira da Silva. Aguinaldo Araújo e Ricardo Queixão (PDT), Doda (PSB), Dinho (SDD), Fábio Inácio e Jair do Bar (ambos do PT) e César e Ademário (PSDB) pediram ajuda ao Governo do Estado para a manutenção do Hospital Modelo, que vem passando por grave crise financeira.

Os vereadores levaram consigo a proposta, de que o estado administre 80 (50%) dos leitos do complexo de saúde, deixando assim a outra metade, por parte da Administração Municipal. O presidente da Câmara, o vereador Aguinaldo Araújo (PDT) diz ter ficado esperançoso com o resultado dessa reunião. “As expectativas são boas. O legislativo está fazendo a parte dele para que tudo possa ser resolvido da melhor forma possível”.

Já o vereador César Nascimento (PSDB) disse que a resolução do problema do Hospital é uma questão de diálogo. “Vamos apresentar a nossa proposta e as necessidades do povo de Cubatão. Acreditamos que o Governo do Estado esteja aberto à negociação, já que estamos falando não só dos funcionários, que estão com seus proventos atrasados, mas também de vidas, já que este é um hospital de porte regional”, explica.

Prefeita – A prefeita de Cubatão, Márcia Rosa (PT), também foi até a Casa Civil do Estado, para participar da reunião. Porém, a petista não foi junto com o grupo de vereadores, mas sim com outra comitiva, dentre os quais estava presente o secretário municipal de Saúde, Benjamin Lopes.

Durante o encontro, os representantes do governo estadual garantiram agilizar a liberação de uma verba de R$3 milhões, além do repasse de mais R$6 milhões relacionados ao Fundo Metropolitano, por meio da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem).

O Hospital Municipal de Cubatão custa mensalmente R$ 4,4 milhões e atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O município é responsável por 83% do custeio do sistema de saúde local, enquanto o Governo Federal contribui com cerca 17% e o Governo do Estado com 0,13%.

Ainda em São Paulo, na quarta-feira, Marcia Rosa (PT) não escondia a expectativa do fim da greve da categoria, iniciada em 21 de junho. Em audiência com o secretário estadual da Casa Civil, Samuel Moreira, a prefeita pediu recursos do Estado ao deputado estadual Paulo Correia Jr. (PEN), para ajudar a manter o hospital.

Trabalhadores desempregados defendem mão de obra de Cubatão

Macaé diz que não há motivo para trazer trabalhadores de fora.

Macaé diz que não há motivo para trazer trabalhadores de fora.

A semana marcada por duas mobilizações nacionais, uma nesta sexta-feira (13) a pretexto de defender a Petrobras e outra no domingo (15) contra o governo Dilma Rousseff, também teve o seu momento reivindicatório particular em Cubatão. Com carteiras de trabalho na mão, cerca de 50 pessoas fizeram uma manifestação no início da tarde de quarta-feira (11) em frente a Prefeitura, na Praça dos Emancipadores, Centro. O movimento, apoiado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos), cobrou investimentos no setor e a contratação de mão de obra local por parte das indústrias.

Os sindicalistas pediram o apoio da Prefeitura para melhorar a situação do emprego na cidade, pressionando as indústrias. “Conseguimos conversar com o pessoal da área de empregos da cidade, no Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), e ficou acertado que nossa reivindicação será apresentada durante uma reunião entre representantes da prefeitura e das empresas do polo”, diz o vice-presidente do órgão que defende a categoria, Luiz Carlos de Andrade.

O presidente do Sintracomos, Macaé Marcos Braz de Oliveira, entende que as empresas do Polo Industrial de Cubatão deveriam orientar as empreiteiras a privilegiar os trabalhadores locais. “Nossa mão de obra é escolarizada profissionalmente, treinada e com experiência no ramo de montagem e manutenção. Não há motivo para trazer operários de fora”, acrescentou o líder sindical.

Tanto Andrade, quanto Macaé, relembraram que a proposta de melhorias no atendimento teve início nas eleições municipais, em 2012, quando o assunto foi apresentado aos candidatos à prefeitura, inclusive a então candidata à reeleição pelo PT, Marcia Rosa, mas até o momento, não houve mudanças. “Nós já fizemos uma proposta no período das eleições, para que essa questão dos empregos seja planejada. Acontece que as empresas contratam mão de obra, mas buscam somente serviço, não querem saber de onde essas pessoas estão vindo, e o pessoal daqui fica desempregado”, conclui Andrade.

Prefeita pega carona

A prefeita Marcia Rosa (PT) não perdeu a oportunidade de aparecer na foto e registrar a sua participação nesse movimento do Sintracomos, que após os manifestantes serem recebidos pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Aguinaldo Araújo (PDT) e uma comissão de vereadores, na manhã de quinta-feira (12), fez questão de acompanhá-los na caminhada em direção à sede do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), em meio às palavras de ordem e gritos de “Queremos empregos”.

Nessa reunião, os vereadores presentes se comprometeram em aprovar projetos que destinem postos de trabalho preferencialmente aos moradores da Cidade e, logo após no CIESP, a prefeita Marcia Rosa se comprometeu elaborar um projeto nesse sentido.

Na sede do CIESP de Cubatão, a prefeita  Marcia Rosa, o secretário de Emprego Benincasa; e os vereadores Ademário da Silva (PSDB), Dinho Heliodoro (SDD), Fábio Roxinho (PMDB), Ivan Hildebrando (PDT), Jair Ferreira (PT), o Jair do Bar, Ricardo Queixão (PMDB), e Severino Tarcício (PSB), o Doda, se reuniram com uma comissão de manifestantes, os sindicalistas e os representes das empreiteiras.

Aguinaldo Araújo disse que a migração de mão de obra de outros Estados para Cubatão é histórica. O presidente da Câmara afirma que esses trabalhadores acabam se fixando na cidade, o que acaba gerando sobrecarga nos serviços públicos, como escolas e prontos-socorros.

Ademário criticou a situação do Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) da cidade, que, segundo o vereador, não apresenta as mínimas condições para atender aos desempregados. “A Prefeitura deve fazer a lição de casa e modernizar a gestão do PAT, utilizando sistemas mais inteligentes”.

Segundo Macaé Marcos Braz de Oliveira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Santos (Sintracomos), as empreiteiras contratadas pelas fábricas de Cubatão preferem os trabalhadores de fora para evitar eventuais processos na Justiça do Trabalho por desrespeito a direitos coletivos e individuais.

A prefeita municipal disse que a administração irá realizar uma força tarefa para fiscalizar a situação dos alojamentos na cidade. Ela criticou o fato de os empregadores alugarem imóveis como residências, sendo que na verdade a finalidade é abrigar trabalhadores de fora.

Marcia Rosa também cobrou o cumprimento do Pacto pelo Emprego, um acordo de contratação selado pelos empresários para a contratação de trabalhadores de Cubatão. Já Valdir Caobianco, diretor regional do CIESP disse que é preciso ter mais transparência por parte das empresas no processo de seleção.

Ao final da reunião, representantes de algumas indústrias e empreiteiras da cidade disponibilizaram 105 vagas para a contratação imediata de profissionais locais. Outra demanda levantada é a geração de postos de trabalho para as mulheres e a necessidade de infraestrutura para recebê-las nas empresas.

Na próxima quarta-feira (18), será realizada uma reunião para avaliar as negociações que sindicalistas e autoridades municipais farão com as empresas nos próximos dias. E, na quinta-feira (19), às 10h00, o CIESP também promoverá um encontro na sede da entidade, para o acompanhamento de todo o processo de seleção e oferta de novas vagas.