Cartilha orienta adolescentes sobre gravidez precoce

Capa de “O Diário de Uma Menina Adolescente e Grávida”.

O presidente da República Jair Bolsonaro sancionou a Lei nº 13.978, nos primeiros dias de janeiro, que acrescenta ao Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/1990) artigo instituindo a data de 1.º de fevereiro para início da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência.

Com isso, nesse período, atividades de cunho preventivo e educativo deverão ser desenvolvidas conjuntamente pelo poder público e por organizações da sociedade civil. A oficialização da data, que será celebrada anualmente, foi proposta em 2010 pela então senadora Marisa Serrano (PSDB-MS).

Para auxiliar no trabalho de prevenção à gravidez na adolescência, a consultoria Educapress em parceria com a Ativa Online acaba de lançar a cartilha “Diário de Uma Menina Adolescente e Grávida”, indicada para distribuição na rede pública e privada de ensino fundamental – o Estatuto da Criança e do Adolescente define como criança quem tem até 12 anos incompletos e como adolescente, quem tem idade entre 12 e 18 anos.

Esta publicação é um primeiro passo para a definição, pelas escolas municipais e estaduais, públicas ou privadas, de políticas públicas que gerem uma sensação de segurança para que os adolescentes mudem suas atitudes em relação à prevenção. E tem uma abordagem focada na realidade dos jovens sem ferir suscetibilidades ideológicas, morais ou religiosas. Uma ferramenta útil a ser utilizada pelos educadores para iniciar a abordagem do tema nas escolas, e que pode também ser compartilhada com as famílias, envolvendo-as no esforço de conscientização e prevenção.

Seu conteúdo foi apresentado nesta quinta-feira (17), para educadores representantes de 45 secretarias municipais de Educação, durante encontro realizado pela Undime-SP (União dos Dirigentes Municipais de Educação), na Capital, tendo sido muito elogiado.

O Diário de Uma Menina Adolescente e Grávida”, escrito pela professora e arquiteta Telma Valença Sant’Anna e ilustrado por Mariana Antonucci, reproduz cenas cotidianas com linguagem acessível e ilustrações associadas ao universo do público-alvo, em sintonia não só com a realidade individual das alunas, como também com a realidade das comunidades nas quais estão inseridas.

O texto e as ilustrações da cartilha respeitam a realidade social, cultural e econômica dos jovens estudantes brasileiros em grupos de risco, também propiciando a participação e integração das famílias no processo sociopedagógico escolar.

“Nosso produto foi elaborado com base em hipertextos que provocam o interesse e a curiosidade sobre uma história real entre adolescentes em idade escolar, oferecendo um conjunto de situações e diálogos que podem ser discutidos e compartilhados entre os colegas de escola, amigos e também pela família. Para os professores, é um material de apoio às demais iniciativas, pois oferece um argumento para iniciar a abordagem do assunto com as adolescentes”, explica Raul Christiano, da Educapress,

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados em fevereiro do ano passado revelam que, na América Latina e no Caribe, a taxa de gravidez entre adolescentes é a segunda mais alta do mundo, superada apenas pela média da África Subsaariana. Na América Latina e no Caribe, ocorrem anualmente, em média, 66,5 nascimentos para cada 1 mil meninas com idade entre 15 e 19 anos, enquanto o índice mundial é de 46 nascimentos entre cada 1 mil meninas.

Levantamento do Ministério da Saúde fechado em 2017 informa que, somente em 2015, foram 546.529 os nascidos vivos de mães com idade entre 10 e 19 anos. A taxa apresentou, em 11 anos, queda de 17% no Brasil, conforme a base do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (Sinasc), já que, em 2004, foram registrados 661.290 nascimentos.

Naquele ano, o número de crianças nascidas de mães adolescentes nessa faixa etária representou 18% dos 3 milhões de nascidos vivos no país. O balanço do ministério mostra que a região com maior prevalência de gravidez precoce, em 2015, foi o Nordeste (180.072 – 32%), seguida pelo Sudeste (179.213 – 32%).

A cartilha “Diário de Uma Menina Adolescente e Grávida” está sendo oferecida para todas as secretarias estaduais e municipais de educação, como ferramenta de apoio didático.

(*) Com informações da assessoria de comunicação da Educapress e da Agência Brasil.

UME Rui Barbosa teve reforma concluída pela Carbocloro

Escola do Jardim Caraguatá era uma das mais problemáticas no início do ano letivo de 2017.

A comunidade do bairro Jardim Caraguatá vai conhecer os resultados da reforma da Unidade Municipal de Ensino Rui Barbosa, em evento neste sábado (24), às 10h, com a presença de autoridades locais e representantes da Unipar Carbocloro. A obra da escola durou pouco mais de dois meses e foi patrocinada pela tradicional indústria do Polo de Cubatão, produtora de cloro, soda e derivados.

O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) estará na solenidade de reinauguração, que também contará com alunos e responsáveis, professores, integrantes do Conselho Comunitário Consultivo (CCC) da Unipar Carbocloro e demais convidados. Esta é a segunda unidade de ensino a ser reformada por empresas locais, com trabalhos iniciados antes da validade do Programa Adote uma Escola, aprovado no final do ano passado pela Câmara de vereadores.

Reforma geral – As melhorias na estrutura física abrangeram pintura geral da unidade, renovação da quadra poliesportiva, adequação da cobertura com novas telhas, pintura e limpeza. Também foram substituídas todas as lâmpadas da escola por LEDs e algumas lousas das salas de aula. Outro item oferecido foi o controle de pragas, incluindo limpeza dos resíduos de pombos e instalação de telas de proteção.

“Ficamos muito felizes de poder contribuir com a renovação desta escola tão importante para a cidade em seus 27 anos de história. Os mais de 630 alunos do ensino fundamental merecem estudar com mais conforto e segurança. A Unipar Carbocloro tem convicção da importância de se investir em ações de responsabilidade socioambiental em prol da cidadania e do bem-estar da comunidade”, afirma Airton Andrade, diretor Industrial da Unipar Carbocloro.

No evento de sábado, também haverá uma homenagem à professora Suely Aparecida Costa Marcelino, que foi diretora da UME Rui Barbosa entre 1994 e 2012. A escola está localizada a Rua Vereador Luiz Pieruzzi Neto, 50, no Jardim Caraguatá, em Cubatão.

Pauta da Arte

Cante cantigas, canto contigo! | Coluna Pauta da Arte

Propriedades do som: altura, duração, intensidade e timbre. A música se faz em ondas sonoras… ao menor ruído, barulho… tudo pode se tornar música aos ouvidos! A música está no ar!

A qualidade do som tem sintonia com ambiente e estado de espírito. A música consegue transportar as pessoas, com seus estilos e gostos variados. Em Cubatão, por exemplo, destaca-se desde a sua emancipação, a bela trajetória de educação musical, nas escolas e sociedade.

No Brasil a influência da música vem desde a década de 50, nos grupos escolares que incluíam a música nas atividades educacionais. O país era governado pelo presidente Getúlio Vargas, que delegou essa tarefa importantíssima ao grande compositor Heitor Villa-Lobos, com canto coral, hinos e o resgate das cantigas do folclore brasileiro. Vem dessa época a inclusão das grandes obras do imenso repertório e valorização da cultura popular, que perenizaram na memória de nossos antepassados.

Perceba o som:

Altura: grave, médio ou agudo | duração: longo ou curto | intensidade: forte ou fraco | e timbre: tipo específico de som. Assim já criamos! Com a voz, considerada um belo instrumento, tendo cada uma sua tessitura, já podemos também trabalhar musicalmente, bastando desenvolvê-la com estudos de canto coral e buscar o seu naipe, entre soprano, contralto, tenor ou barítono.

Vale inclusive o toque e batidas no corpo, como faz a banda paulistana Barbatuques, que usa o corpo como instrumento musical e de onde extrai as suas ricas composições. Desde 1995, quando foi criada, essa banda desenvolve uma abordagem única da música corporal, executando as suas composições, técnicas, exploração de timbres e mergulhos criativos.

Vale destacar que uma cantiga de roda traz em si tanta informação para se trabalhar num contexto musical e educativo, sendo bem explorada. Compartilho a minha experiência de musicalização no ensino, quando inicio os estudos musicais na primeira infância, indicam repertórios que atravessam décadas, séculos, acolhidos por sua beleza e simplicidade.

Degustamos do som brincando. Experimente criar efeitos dentro das cantigas com as propriedades do som, e já obterá o prazer e as sensações provindas da música como linguagem universal!

Os exemplos estão muito próximos de todos nós, aqui em Cubatão, onde a música e os seus músicos, espalhados por toda extensão em projetos que precisam ser mais valorizados e respeitados nesse berço.

Por fim, ofereço o desafio sobre o conhecimento dos prezados leitores da letra que segue. Mas antes fica a dica para cantar e, quiçá, tocar. Quanto ao instrumento musical, esse deixo à sua escolha! Estude Música, cante cantigas, que cantarei contigo!

(*) Pauta da Arte | por Daniela Da Guarda | e-mail: daniela.daguarda@gmail.com

 

FUI A ESPANHA

Fui à Espanha

Buscar o meu chapéu,

Azul e branco

Da cor daquele céu.

 

Ora, palma, palma, palma !

Ora, pé, pé, pé !

Ora, roda, roda, roda !

Caranguejo peixe é !

 

Caranguejo não é peixe,

Caranguejo peixe é

Caranguejo só é peixe

Lá no fundo da maré.

 

Samba, crioula,

Que veio da Bahia.

Pega na criança

E joga na bacia.

 

A bacia é de ouro,

Areada com sabão;

Depois de areada,

Enxuga com o roupão.

 

O roupão é de seda,

Camisinha de filó,

Touquinha de veludo

Pra quem ficar vovó.

 

Em coro, falando :

A benção, vovó !

A benção, vovó !

UME Jayme Olcese volta a funcionar em fevereiro

Grupo Cesari investiu mais de R$ 700 mil e requalificou o prédio da UME Jayme João Olcese.

Após receber uma ampla reforma no último semestre, a UME Jayme João Olcese (Jardim Anchieta/Costa e Silva) foi apresentada aos representantes da Prefeitura, inclusive ao prefeito Ademário Oliveira (PSDB) e ao vice-prefeito Pedro de Sá (PTB), que é também o Secretário de Educação, além dos dirigentes do Grupo Cesari, que patrocinou a sua recuperação, na tarde da última sexta-feira (12). Pelo Cesari, esteve o seu diretor-executivo Heber Spina Borlenghi.

A escola estava interditada desde 17 de janeiro do ano passado, devido ao estado das instalações e à falta de salubridade, colocando em risco a saúde e a integridade dos seus alunos, funcionários, professores e a direção da unidade. Ademário ficou bastante bem impressionado com o que viu e disse que “em nome da Prefeitura, agradece a acolhida e a ousadia de empreender do grupo, fazendo um trabalho de excelência na melhoria da nossa rede de ensino”. Borlenghi respondeu de imediato: “Nós nos colocamos à disposição para colaborar na valorização de nossas crianças e dos jovens de Cubatão”.

O grupo empresarial investiu mais de R$ 700 mil em uma reformar que durou mais de 160 dias. Com as obras, que proporcionaram a revitalização da fachada externa, salas de aula, corredores e áreas comunitárias, como pátio, jardim e quadra poliesportiva, pode-se dizer que o prédio parece outro, tamanho o estado de destruição em que ela se encontrava antes. Também foram realizadas as instalações de portas, ventiladores e outros materiais, além de readequações de sinalização e segurança, alcançando o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), sendo a primeira UME a possuir esse certificado, que tem sido exigido pelo Ministério Público local.

Adote uma Escola – A Prefeitura de Cubatão conseguiu a aprovação de lei municipal na Câmara de Vereadores, criando o Programa Adote uma Escola, que permitirá que outras empresas da região e do município, a exemplo da Cesari (UME Jayme João Olcese) e Unipar Carbocloro (UME Rui Barbosa), possam apoiar o município nas reformas necessárias de sua rede de ensino. Houve uma certa polêmica nas redes sociais, por algumas pessoas que disparam críticas sem fundamento, sobre “o retorno que a iniciativa privada terá”. Esclareça-se que o retorno é a pontuação para as empresas que são bastante qualificadas por sua responsabilidade social, educacional e cultural, como em todo país desenvolvido nesse mundo afora.

Escola estava insalubre, no início do ano passado.

 

Pais vinham reclamando às autoridades municipais, sem êxito no governo Marcia Rosa (PT).