Cubatão têm mais de 3 mil vagas para receber Bolsa Família

R$ 480 mil por mês deixam de circular na cidade, porque as famílias ainda não recebem a Bolsa Família.

A Caravana do Cadastro Único para receber o Cartão do Bolsa Família começa nesta segunda-feira (2), na UME Estado do Maranhão (Rua Júlio Amaro Ribeiro, 45, na Vila Natal), e acontece até sexta-feira (6), das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30.

Essa ideia partiu de uma reunião do prefeito Ademário Oliveira (PSDB) com os secretários municipais Raul Christiano (Educação e Cultura) e Sebastião Zumbi (Assistência Social), para identificar e cadastrar as famílias de baixa renda que podem receber Bolsa Família e ainda não recebem.

6.050 famílias carentes de Cubatão, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, tem o direito de receber o benefício de R$ 147,23 mensais com o Cartão do Bolsa Família, mas nem a metade recebe. Hoje apenas 2.771 famílias são contempladas, sobrando vagas de cadastros de mais 3.279 famílias.

Para se ter uma ideia de quanto as pessoas e o comércio cubatenses perdem nessa época de crise econômica e falta de dinheiro em casa, desde o governo passado, multiplicando o número de famílias sem o Cadastro Único, são R$ 480 mil por mês.

Onde passará Nessa Caravana, que começa pela Vila Natal, mas que ainda vai acontecer nas UMEs – Unidades Municipais de Ensino – Dom Pedro I (Vila Natal), Elza Silva dos Santos (Morro do Índio), Estado da Bahia (Jardim Nova República), Estado de Santa Catarina (Vila Esperança), Estado do Acre (Cota 200), Estado de Alagoas (Pinheiro do Miranda), Estado do Mato Grosso (Vila São José), Estado do Pará (Vila dos Pescadores), Maria do Rosário (Parque São Luiz), Rui Barbosa (Jardim Caraguatá) e CEU Marta Josete Ramos Impaléa (Jardim São Francisco).

Cadastro único – Cubatenses que recebem ou podem receber benefícios sociais como o Bolsa Família, Benefício de Prestação Continuada (BPC), Viva Leite, Tarifa Social de energia elétrica, carteirinha interestadual do idoso, Minha Casa Minha Vida e isenção da taxa de concursos devem se recadastrar na Prefeitura para o acesso à participação desses programas federais.

Assim, a Caravana tem como objetivo fortalecer o próprio Cadastro Único, já realizado pelo Governo Federal via Ministério do Desenvolvimento Social. Com tal cadastramento, o governo fica sabendo quem são e como vivem as famílias brasileiras mais pobres. Assim, o governo consegue entender quais são as principais dificuldades que a sua família enfrenta e como pode ajudar a melhorar as suas condições de vida.

A proposta é de que as escolas públicas situadas com áreas de maior vulnerabilidade social centralizem o atendimento da equipe da Assistência Social, em um esforço em conjunto com a Secretaria de Educação. Com apoio das secretarias de Comunicação Social e Gestão, ao mesmo tempo, pais dos alunos das unidades municipais mais próximas serão avisados desse calendário pela comunidade escolar.

Essa experiência teve muito sucesso em 2001, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, quando Raul Christiano foi um dos responsáveis pela implantação do Cartão do Bolsa Escola em todo o Brasil. Na época, Raul era assessor direto do ministro da Educação (Paulo Renato Souza) e fez esse trabalho juntamente com Floriano Pesaro, que hoje é deputado federal e secretário de Estado do Desenvolvimento Social de São Paulo.

Quem pode se cadastrar – Somente podem participar as famílias de baixa renda: que ganham até meio salário mínimo por pessoa ou até três salários mínimos no total. Durante a caravana, os interessados devem levar os seguintes documentos originais: certidão de nascimento ou de casamento, carteira de trabalho, RG, título de eleitor, CPF ou CIC, telefone para contato, comprovante de renda, comprovante de endereço, cartão de vacinação (se houver crianças de até 6 anos), declaração de matrícula escolar (se houver crianças de 6 a 8 anos), e número do NIS ou do Cartão do Bolsa Família.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *