Cubatão salta de 2.400 para 6 mil Bolsas Famílias

População carente de Cubatão foi às escolas para fazer o cadastro.

Com a realização de mutirões de cadastramento de famílias carentes, organizados pela Prefeitura de Cubatão, unindo forças das secretarias municipais de Assistência Social e de Educação, a partir de julho de 2017, foi superada a meta estabelecida pelo Governo Federal para o Programa Bolsa Família, que agora beneficia 6.058. Quando o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) assumiu a administração, o número de famílias cadastradas não chegava a 2.500. Com o aumento do número de assistidos, a injeção mensal, na economia da cidade, passa a ser de R$ 1.002.595,00.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, a quem está afeta a gestão do Bolsa Família, a cobertura do programa em Cubatão é, hoje, de 100,13% em relação à estimativa de famílias pobres no município. Essa estimativa é calculada com base nos dados mais atuais do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As 6.058 famílias hoje assistidas pelo Bolsa Família equivalem a 12,18% da população cubatense. Neste total estão incluídas 2.467 famílias que, sem o programa, estariam em condição de extrema pobreza. No início da atual administração, o número de famílias cadastradas não chegava a 2.500. Quando o novo processo de cadastramento foi iniciado, há 1 ano, os recursos destinados pelo Governo Federal eram em torno de R$ 400 mil mensais.

Em dezembro passado, já havia 4.634 famílias cadastradas e a dotação mensal subia para R$ 769.423,00. Em 2018, o número de famílias cadastradas que, em janeiro, era de 5.045, subiu para 6.058 em junho. A dotação foi de R$ 829 mil para os R$ 1.002.595,00 atuais.

Novo impulso – Segundo o prefeito Ademário Oliveira, ao apoiar a ampliação do programa, após ter sido alertado antes de sua posse pelo então secretário estadual de Desenvolvimento Social, o deputado federal Floriano Pesaro (PSDB), a Prefeitura deu nova dimensão ao Bolsa Família, fazendo dele, além de um programa de assistência às pessoas carentes, um indutor do crescimento econômico da cidade. Lembrou que a injeção de R$ 1 milhão por mês na economia de um município do porte de Cubatão é um forte incentivo ao comércio e à geração de empregos.

Ademário baseou-se em dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), dando conta que a cada R$ 1,00 transferido às famílias do programa, o PIB local tem um acréscimo de R$ 1,78.

Educação – O aumento da assistência do Bolsa Família, em Cubatão, está possibilitando também, a melhoria do acompanhamento da freqüência escolar na cidade, considerado “muito bom” no relatório do Ministério de Desenvolvimento Social.

Segundo o órgão federal, 5.080 crianças e jovens de 6 a 17 anos precisavam ter, em Cubatão, a frequência escolar acompanhada no último bimestre. Dessas, foram acompanhadas 4.885, ou seja, 96,16%. A média nacional, segundo o Ministério, é 91,07%.

Cadastro Único – Cubatão obteve destaque, também, na ampliação do Cadastro Único, sistema que registra as informações sobre cada família de baixa renda, identificando seus membros e suas condições econômicas e sociais. O Goveno Federal utiliza os dados deste cadastro para conceder não só os benefícios do Bolsa Família, mas de programas como Tarifa Social de Energía Elétrica e Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros.

Cubatão hoje possui 10.202 famílias inseridas no Cadastro Único, sendo que os cadastros de 8.587 delas foram atualizados nos últimos dois anos. Isso faz com que a taxa de atualização cadastral do município seja de 85,31%, bem acima da média nacional, que é de 73,16%. “Isso significa que o cadastro do município está bem focalizado e atualizado, ou seja, a maioria das famílias cadastradas pertence ao público alvo”, diz o relatório do Ministério de Desenvolvimento Social.

Para atingir tais metas, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social desenvolveu estratégias especiais, contando no início com a experiência estratégica do então secretário de Educação, Raul Christiano, que havia trazido o Programa Bolsa Escola Federal para Cubatão em 2001. As secretarias de Assistência Social e Educação se uniram para envolver a comunidade pelas portas abertas das escolas municipais.

Segundo o secretário Sebastião Ribeiro do Nascimento (Zumbi), elas consistiram, principalmente, na realização semanal de mutirões de cadastramento, com visitas de equipes aos núcleos residenciais e atendimento nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e escolas da rede de ensino local situadas na área central, na Vila Natal e no Bolsão Oito.

Secretário Sebastião Zumbi contou com o apoio do então secretário de Educação, Raul Christiano, na definição da estratégia dos mutirões de cadastramento das famílias cubatenses.

O programa – O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda que atende famílias em situação de extrema pobreza e miséria, identificadas no Cadastro Único Para Programas Sociais do Governo Federal. A família deve ter renda mensal por pessoa de até R$ 85,00 ou renda mensal por pessoa de R$ 85,01 a R$ 170,00, desde que possua crianças ou adolescentes até os 17 anos de idade em sua composição.

Vale Cubatão agora pertence à Yara Brasil

O diretor industrial Leonardo Silva e o presidente da Yara Brasil, Lair Hanzen.

A empresa norueguesa Yara Internacional concluiu, nesta terça-feira (15), a aquisição dos ativos da Vale Cubatão Fertilizantes. Essa aquisição faz parte do plano de crescimento de longo prazo da empresa no país, que passa a somar 25% do mercado nacional e ofertará um portfólio mais completo e adequado às demandas dos agricultores brasileiros e clientes industriais. A transação foi de 255 milhões de dólares e estima investir 80 milhões de dólares nos próximos anos no Polo Industrial de Cubatão. A empresa chegou ao Brasil no ano de 1977; em Cubatão com a aquisição da Adubos Trevo, em 2000. Em 2013 adquiriu a Bunge Fertilizantes, e agora a unidade da Vale.

O vice-presidente de Produção da Yara Brasil, Leonardo Silva, que assumirá o comando em Cubatão, disse em conferência de imprensa que a unidade cubatense somará cerca de 1 mil trabalhadores diretos e outros 1 mil terceirizados, podendo surgir novas oportunidades de emprego, ainda sem uma data definida, mas que haverá o aproveitamento de mão de obra local, em sintonia com o pacto existente entre as indústrias, o poder público e os representantes sindicais. Leonardo anunciou também que conta com o apoio de Valdir José Caobianco, diretor da Vale, que permanecerá na equipe durante o processo de integração das operações adquiridas.

Esse movimento econômico é importante e mexe com o Polo de Cubatão, que observa a estreia da Yara na produção de nitrogenados no País, ou seja, de matérias-primas à base de nitrogênio utilizadas para a indústria de fertilizantes e em soluções para segmentos industriais, como mineração, indústria química básica, tratamento de água e construção civil. A Vale, por sua vez, não esconde que a venda da unidade de fertilizantes em Cubatão faz parte do plano da empresa sair de negócios considerados não estratégicos e que esse é mais um passo na direção da redução da alavancagem da Vale, pois os recursos recebidos irão reduzir o endividamento da companhia.

Segundo Lair Hanzen, vice-presidente da Yara International e presidente da Yara Brasil, a aquisição vai ao encontro dos planos da empresa para o País, que vêm em um crescimento constante. “A Yara possui uma estratégia de longo prazo e seguirá apostando no mercado brasileiro. Estamos comprometidos com o desenvolvimento sustentável do agronegócio e em ampliar o nosso leque de soluções para os setores industriais”, afirma Hanzen.

A Yara e a joint venture Galvani produzem atualmente cerca de 2 milhões de toneladas de fertilizantes e, após assumirem os ativos da Vale, as empresas produzirão 3 milhões de toneladas anualmente, oferecendo produtos de maior qualidade e fomentando a economia nacional. Além disso, na divisão de soluções industriais, que contempla produtos para segmentos como alimentos, papel e celulose, mineração, soluções ambientais, entre outras, a Yara duplicará a capacidade de produção e comercialização com a incorporação das unidades adquiridas, passando de 500 mil para 1 milhão de toneladas.

Soluções industriais e ambientais – Na Vale Cubatão Fertilizantes a nova proprietária Yara utilizará todos as políticas e processos aplicados em suas unidades no mundo. “Nesse período inicial, iremos considerar as boas práticas nas operações adquiridas para integrá-las aos nossos processos de Segurança e Meio Ambiente, para obter ainda mais segurança e eficiência operacional no Complexo Industrial em Cubatão. Ética e Conformidade é outra premissa básica para atuarmos e as operações em Cubatão seguirão os mesmos padrões globais para oferecer mais confiabilidade e sustentabilidade aos produtores, clientes e colaboradores”, destaca Hanzen.

União quer Vila Parisi de volta?

A Vila Parisi era um bairro residencial operário encravado no meio do pólo industrial, na época de maior descontrole da poluição. O local era conhecido como o Vale da Morte (foto: acervo de imprensa da Prefeitura de Cubatão).

Sessenta e um anos depois que a Prefeitura de Cubatão aprovou o loteamento residencial “Vila Parisi”, com 823 lotes numa área de 474.270 m², 31 anos depois do início da mudança dos cerca de 20 mil moradores para bairros urbanizados do município (Vila Natal e Jardim Nova República) e 19 anos depois que a Câmara de Vereadores autorizou a concessão dessa área ocupada hoje pelo Ecopátio, uma decisão judicial no Tribunal Regional Federal da 3.ª Região sentencia que todo esse território pertence à Secretaria do Patrimônio da União – SPU e terá de ser devolvido ao órgão do governo federal.

O estranho dessa história é que a SPU nunca se manifestou sobre os títulos de propriedade apresentados pelos antigos proprietários da Vila Parisi, desde 1952, quando o espanhol Silvestre Peres Estevez recebeu a área como herança e a vendeu quatro anos mais tarde aos irmãos Helládio e Celso Parisi, que iniciaram o loteamento, de olho no projeto de que uma siderúrgica seria construída nas suas proximidades e imaginavam criar uma nova Volta Redonda, em Piaçaguera.

Assim nasceu a Companhia Siderúrgica Paulista – Cosipa e um bairro totalmente desordenado. A promessa dos irmãos era construir um bairro completo, mas realizaram apenas a abertura das ruas, sem qualquer infra-estrutura. Sem água, esgoto, energia elétrica e urbanização, com a chegada dos primeiros moradores, os problemas começaram a aparecer e a Prefeitura começou a investir no bairro em 1969. Esses registros constam do Portal Novo Milênio, que é uma das principais fontes da história de Cubatão e da região metropolitana da Baixada Santista.

Em março – A sentença da Justiça Federal surpreendeu a todos em Cubatão, porque foi proferida em março deste ano em um processo de apelação que estava arquivado e sem manifestações do próprio Ministério Público Federal – MPF, a quem o advogado André Guerato questionou em 1999 e depois “desistiu da denúncia por razão de foro íntimo”. Constam na atuação desse advogado na região outras denúncias e desistências de seu interesse na continuidade de processos contra o Poder Público, principalmente em Cubatão.

Mas na verificação dos autos, que considera que a área de Vila Parisi foi desapropriada e ocupada ilegalmente pela Prefeitura de Cubatão, com ações claras de interesse público reconhecidas por outros representantes do Judiciário em suas manifestações, o MPF deu andamento à questão ao concluir que esse terreno é de marinha, pertencente à União e não podia ser desapropriada e muito menos repassada a terceiros.

Prejuízos – O prefeito Ademário Oliveira (PSDB) entende que os efeitos dessa decisão vão prejudicar o atendimento ao movimento de caminhões que estacionam no Ecopátio e a empreendimentos privados no entorno da área. Com esse fato determinou que o procurador-geral do município, Rogério Molina, elabore recurso ao Superior Tribunal de Justiça – STJ, considerando dois aspectos: a área ocupada pelo Ecopátio decorre de uma concessão municipal autorizada pela Câmara, como sucessora da primeira concessionária, a Brastubo; e a Prefeitura investiu, por anos, recursos públicos na desapropriação dos antigos lotes da vila.

Como a SPU nunca se manifestou sobre os títulos de propriedade apresentados por esses ocupantes, os valores pagos foram considerados corretos. E caso a sentença seja confirmada em última instância, a tendência é de que a Prefeitura pare de pagar o restante das parcelas aos desapropriados. Também serão estudadas alternativas legais para recuperar as prestações já pagas desde 1985, quando houve as primeiras desapropriações.

Hoje funciona na antiga Vila Parisi, o Ecopátio, uma concessão à iniciativa privada aprovada pela Câmara de Vereadores.05

Estudante de Cubatão é selecionado para o MIT

Guilherme David, em foto de Fernanda Luz, reproduzida do jornal “A Tribuna de Santos”

Guilherme David Santos Silva, morador da Vila Nova, estudante do 4.º ano do curso de Informática integrado ao Ensino Médio, no Instituto Federal de Cubatão, foi admitido no programa de verão “LaunchX” do Instituto de Tecnologia de Massachusetts – MIT, nos Estados Unidos, que em alguns rankings aparece como a melhor universidade do mundo. Essa importantíssima conquista em sua vida acontece a dois meses de completar 19 anos de idade (8 de julho).

Ele passará quase um mês em atividades ligadas a empreendedorismo, juntamente com outros 60 jovens de vários países. Guilherme tem uma ideia do que pretende desenvolver no MIT: “A ideia é fundar um negócio, colocando em prática os conhecimentos que vamos adquirir. O bom é que isso pode gerar frutos, porque o objetivo é ter um impacto real, colocar conhecimento em prática para solucionar problemas reais”, explica o cubatense.

Mente e Mãos – Uma das principais características do MIT é a sua capacidade de reunir mentes brilhantes e concentrados estudos de ponta em tecnologia e empreendedorismo. O lema do Instituto é “Mens et Manus”, que do latim para o português se lê “Mente e Mãos”. E o preparo de Guilherme David não veio de uma hora para outra: “Eu sempre fui muito curioso e enchia minha mãe de ‘por quês?’. E, com o passar do tempo, a internet me ajudou muito nisso (em encontrar as respostas para suas perguntas)”.

Guilherme David vai passar o seu aniversário e todo o mês de julho deste ano nos Estados Unidos, realizando essa conquista. Em seu perfil no Facebook, cujo link foi enviado para a reportagem do “Povo de Cubatão” pelo seu orgulhoso amigo Vitinho, o estudante relata que de início, contou apenas para poucas pessoas, pois não havia certeza se receberia ajuda financeira. Mas no último dia 21 de abril, foi notificado que o programa arcaria com 98% das despesas.

Gratidão – “Meus pais vieram de famílias pobres e conseguiram nos dar uma vida digna. Agora, vou conhecer pessoas envolvidas em projetos interessantes e isso vai me ajudar mais ainda”, comenta, completando: “Eu não consigo colocar em palavras o quanto essa conquista representa a mim. Isso jamais seria possível sem as pessoas que estiveram ao meu lado. Não tenho capacidade de citar todas aqui sem deixar alguém de fora. No entanto, eu gostaria de fazer três agradecimentos muito especiais. Em primeiro, aos meus pais, por serem as minhas maiores referências de trabalho duro e perseverança. Em segundo, à minha companheira, Laryssa Dantas, por me apoiar e me dar forças em todos os momentos possíveis”.

Guilherme não esconde a sua gratidão também à toda a comunidade do Instituto Federal de São Paulo, Campus Cubatão, onde, segundo as suas próprias palavras, conheceu “as mentes mais brilhantes e os servidores mais comprometidos com o avanço de nossa educação. O apoio e confiança que cada um teve com os meus projetos e participações foi muito decisivo para que isso acontecesse”.

Escolhido – O programa de verão “LaunchX” reúne jovens de quase toda parte do mundo que se destacaram no ensino médio para estudarem empreendedorismo por cerca de um mês. É um dos “summers programs” (programas de verão) mais seletivos de todos: menos que 17% dos aplicantes são selecionados. “Tive a honra de ser um dos dois brasileiros a ser aceito no MIT”, comemora o estudante de Cubatão.

Representando o Instituto Federal de Cubatão, na última fase da Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas, com Mayumi Liz, Andreyna Melo, Vitor Alves e Nicholas Gushiken.

Cubatão tem solução para o seu lixo e da região

O primeiro aterro sanitário controlado da região fica em Cubatão, no Sítio dos Areais. (foto: Aderbau Gama)

Os municípios da Baixada Santista puderam conhecer o alerta contido no Plano de Gestão de Resíduos Sólidos (lixo), elaborado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT, de que a região está próxima de um colapso por conta do término da vida útil dos aterros sanitários do Sítio das Neves, na Área Continental de Santos, e de Peruíbe. O IPT é um órgão de pesquisa renomado no Brasil e no mundo, por isso, ao apontar que 668 mil toneladas de resíduos sólidos domiciliares oriundos da região ficarão sem um local definido para destino já em 2019, torna-se urgente que os prefeitos priorizem essa questão nas suas agendas de trabalho.

No entanto, parece que a sorte está do lado do município de Cubatão, que no início dos anos 1990, quando as outras cidades da Baixada Santista batiam cabeças para tentar solucionar o problema da destinação do lixo, era o único a possuir um aterro sanitário controlado. Localizado no Sítio Areais, área dentro do perímetro do Polo Industrial, o aterro cubatense volta a ser considerado nesse novo estudo pelo IPT.

A reportagem do jornal “Povo de Cubatão” se deslocou para essa área, onde no passado havia uma grande movimentação de máquinas e caminhões da Prefeitura e da própria Terracom, empresa contratada pela administração para realizar os serviços de coleta e transporte do lixo de todo o município. O cenário desse terreno público, que foi ampliado com o recebimento de uma área maior como parte do pagamento de IPTUs, é de abandono.

Problema regional – Na década de 90, todo o lixo da região era jogado em lixões, provocando um grande problema de saúde pública, contaminando o lençol freático, os rios, o canal do Estuário, chegando às praias. E o único município da Baixada com a situação resolvida era justamente Cubatão. Conforme a CETESB, agência de controle ambiental do Governo do Estado, o “aterro sanitário controlado de Cubatão” atendia a todas as normas de segurança na época.

Com a área que foi anexada ao lado, ampliando a sua capacidade, o aterro sanitário que era operado pela Prefeitura desde 982, recebendo somente resíduos de Cubatão, apresentava um bom sistema de drenagem de chorume e gases, constituído por drenos de brita em espinha de peixe, que asseguram um nível de chorume relativamente baixo. Tais informações constam de Relatório de Impacto Ambiental – RIMA, contratado pelo Governo do Estado em 1997 e concluído em setembro de 1999.

Nas considerações técnicas desse antigo Plano de Destinação de Resíduos Sólidos, os novos estudos recentemente apresentados pela Agência Metropolitana da Baixada Santista – AGEM, responsável pela contratação dos serviços especializados do IPT, dentre outros indicativos, resgata um levantamento da Empresa Metropolitana de Águas e Energia – EMAE, feito em 2010, sobre as áreas propícias para a instalação de uma usina de incineração de resíduos na região, entre as quais o Sítio Areais, em Cubatão, Guarujá (a 7 quilômetros do Centro) e São Vicente (com dois pontos na Área Continental).

Muitos planos – A questão do destino do lixo regional tem priorizado como meta a coleta seletiva de materiais recicláveis para que passe a representar 17,5% do total de resíduos produzidos na região. Em 2016, esse número era de apenas 1,6%.

Governo do Estado e CETESB sempre concentraram os seus esforços na busca de solução para tão grave problema regional. E foram inúmeros os estudos, planos, projetos, EIA/RIMA, contratados, sempre concluindo, no caso de Cubatão, que a ampliação do seu aterro sanitário em localização privilegiada, poderia ser considerada uma solução para toda a região.

Lixões da Alemoa e Sambaiatuba – Os dois lixões de Santos (Alemoa) e São Vicente (Sambaituba), que poluíam o rio Casqueiro e se encaminhavam para as praias da região, foram extintos graças às ações populares promovidas pela Prefeitura de Cubatão em 1992. Se não havia empenho para uma solução integrada, naquela época, a Prefeitura contribuiu com uma atitude que já obrigou à busca de uma solução para o problema de saúde pública regional.

Anualmente são coletadas 32 mil toneladas de lixo de Cubatão, e o município paga por isso cerca de R$ 270,00 por tonelada, incluindo os serviços de transporte e destinação no Sítio das Neves, que de acordo com o estudo do IPT está prestes a esgotar a sua capacidade.

O tema é polêmico, mas a reportagem do “Povo de Cubatão” ouviu de especialistas que o Município de Cubatão poderia conseguir uma elevada receita para os seus cofres públicos, com o eventual recebimento do material de todos os municípios da região.

São Bento ainda não instalou controle eletrônico de estudantes

Estudantes cubatenses foram pegos de surpresa com a informação dos cortes.

Sob pressão dos estudantes usuários, foi suspenso o plano da Secretaria Municipal de Educação de Cubatão – SEDUC de cortar os nomes de 362 inscritos, que são passageiros dos ônibus da empresa Viação São Bento, contratada para levá-los gratuitamente às faculdades de Santos, São Vicente, Guarujá e Praia Grande. No final da semana passada essa medida foi anunciada para começar a valer nesta terça-feira (10), porque segundo os coordenadores do Serviço de Bolsas e Passes foram constatadas faltas contínuas dos estudantes. O controle é falho e só chegaram a essa decisão com base em denúncias e inspeções surpresa de fiscais da SEDUC. Isso porque a Viação São Bento não instalou até hoje o sistema de controle eletrônico de passageiros, com cartão magnético apropriado, previsto no contrato renovado em agosto do ano passado.

Mas essa decisão de suspender o transporte dos “faltosos” foi adiada para 30 de abril, cabendo aos estudantes que se sentiram prejudicados entrar com recursos contra a decisão da SEDUC, justificando e comprovando que não deixaram de utilizar o sistema em três ou mais dias da semana durante o mês de março, até a próxima sexta-feira (13), diretamente, das 9 às 16 horas, no Serviço de Bolsas e Passes da SEDUC (Praça dos Emancipadores, s/n.º, Centro) ou pelo endereço de correio eletrônico: educacaco@cubatao.sp.gov.br. O formulário do requerimento está disponível em http://bit.ly/RecursoTranspUniv .

Pressão – Os representantes dos estudantes usuários e da diretoria da Associação dos Estudantes de Cubatão – AEC que foram recebidos na parte da manhã desta terça-feira (10), pelo prefeito Ademário Oliveira, em companhia do secretário de Educação, Pedro de Sá Filho, e dos vereadores Érika Verçosa e Márcinho Silva Nascimento, membros da Comissão de Educação da Câmara, e conseguiram barrar a decisão, são favoráveis a um controle mais eficiente da frequência e da transparência em relação à lista de espera. E propuseram a indicação de monitores voluntários.

Pedro de Sá disse que a fiscalização de frequência ao transporte será permanente e sem prévio aviso. Concordou com a proposta dos estudantes, no sentido de que sejam indicados, entre os usuários, monitores voluntários e que a fiscalização seja feita tanto na ida, como no retorno.

Por sua vez, o prefeito Ademário de Oliveira afirmou que a administração municipal está desenvolvendo gestões no sentido de que a São Bento implante o controle eletrônico dos usuários, o que reduzirá bastante as falhas na fiscalização de frequência. O prefeito lembrou aos universitários que sempre manterá aberto o diálogo. “Queremos resolver os problemas para evitar injustiças. Vamos buscar sempre o aprimoramento do sistema”, enfatizou.

Cubatão é, hoje, a única cidade da Baixada onde o transporte universitário é totalmente custeado com recursos da Prefeitura. São 21 ônibus, que transportam 900 universitários às unidades de ensino superior da região.

Atualmente, 360 estudantes estão na lista de espera de credenciamento. Segundo a SEDUC, a constatação de que muitos veículos estavam circulando com baixa frequência levou à criação de uma força-tarefa para fiscalização, constatando em março, faltas frequentes dos 362 estudantes que perderiam o direito ao transporte, e poderiam abri vagas para um universitário da fila de espera.

No dia 18 de abril, às 15 horas, serão divulgados os resultados das análises dos recursos , bem como as demais pendências e propostas relacionadas ao assunto.

Há motivos para comemorar os 69 anos de Cubatão

Prefeito revela que mantém otimismo diante das adversidades.

Este é o segundo aniversário da cidade de Cubatão, na gestão do prefeito Ademário Oliveira (PSDB). A crise econômica no país, que afetou a produção do Polo Industrial e reduziu a arrecadação municipal, causando sérios problemas à manutenção dos serviços públicos locais, apresenta sinais de recuperação no cenário com as reformas do governo Michel Temer (PMDB). Esses sinais geram as melhores expectativas da administração e das empresas, como a Usiminas, que espera boas novidades para 2018.

Entrevistado pelo jornal “Povo de Cubatão”, para esta edição especial em homenagem aos 69 anos de Emancipação Político-Administrativa da cidade, Ademário Oliveira destacou as principais ações de seu governo e não escondeu o seu otimismo, enfatizando que acredita que “há motivos para comemorar nesse aniversário, porque não perdemos a nossa capacidade de ser uma fábrica de oportunidades”:

Povo de Cubatão: O Senhor encontrou Cubatão numa situação pior do que as informações que dispunha durante a sua campanha eleitoral em 2016. Por onde acha que o município, que sempre foi considerado rico mas com os piores índices sociais da região, vai dar a volta por cima?

Ademário Oliveira: “Recentemente participei de um evento em São Paulo, patrocinado pela Associação Brasileira das Indústrias Quínicas (ABIQUIM), frente a frente com pessoas que representam um dos maiores setores da economia brasileira. Foi uma possibilidade de apresentar nossa cidade (evento: Cubatão, Fábrica de Oportunidades), como nunca antes foi feito. Posso assegurar que foi uma oportunidade única para atrair empresas, gerar empregos e recuperar nossa cidade.

Povo de Cubatão: E o que o Senhor conseguiu de concreto?

Ademário Oliveira: “Temos ido a luta por Cubatão, sempre. Saímos da apresentação com ao menos duas grandes empresas interessadas em se instalarem aqui. Pessoalmente, vivenciei um momento histórico. O menino de família simples, que saiu do interior da Bahia, de Riachão do Jacuípe, estar palestrando para pessoas que detém e influenciam nas decisões de mais de 10% da nossa economia. É um orgulho. Foi a primeira vez que o prefeito de Cubatão foi ouvido com atenção no maior Estado da Nação. Estar em São Paulo, que se fosse um país seria o terceiro mais importante do mundo, não é qualquer coisa.

Povo de Cubatão: Mas há muita desconfiança dos investidores, porque o governo federal parece ter virado as costas para o tipo de atividade industrial no Polo de Cubatão. Está revertendo isso?

Ademário Oliveira: “Já começamos a reverter a estagnação. Iniciamos e já colocamos fim à desconfiança do investidor e ao desânimo do empresariado com a cidade. As provas, de que Cubatão mudou de paradigma estão em várias frentes. No final do ano passado, estivemos na Itália, atendendo a um convite de empresários e do senado italiano, para falar a investidores. Já recebemos mais de R$ 11 milhões em investimentos diretos do capital privado. É dessa forma que vamos resgatar o DNA da prosperidade, que sempre foi uma marca insolúvel de Cubatão.

Povo de Cubatão: Para os novos empregos que podem surgir dessa articulação, quais são as medidas do seu governo?

Ademário Oliveira: “Em meio aos efeitos da crise que ainda nos assola, a solução para competir no mercado de trabalho é a qualificação dos trabalhadores. Por isso a Prefeitura de Cubatão, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, trouxe o ‘Via Rápida Empregos’. Tem capacitação para diversas atividades de serviços na cidade, com geração de renda praticamente instantânea, como manicure, maquiadora, assistente de cabeleireiro, garçom, camareira, bar tender e costureira. Por 30 dias, mais de 200 pessoas serão contempladas com mais conhecimento e qualificação profissional.

Povo de Cubatão: E para as necessidades das indústrias?

Ademário Oliveira: “Cubatão já possui um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, uma unidade da ETEC do Estado, além da Univesp – Universidade Virtual do Estado formando aqui engenheiros, por exemplo. Mas dependendo dos perfis que as novas plantas industriais ou atualização das atuais requisitarem, buscaremos parcerias com outras esferas de governo, sem perder de vista que o PAT Cubatão dispõe de um cadastro de trabalhadores locais aptos para muitas dessas funções, com os requisitos técnicos de formação já contemplados. Olhamos o futuro com as perspectivas de uma rede de ações. Estamos muito ligados disso e em sintonia com o CIESP, que tem privilegiado o Pacto para uso de mão de obra local.

Povo de Cubatão: O Senhor comentou que a Usiminas terá novidades em breve.

Ademário Oliveira: “Posso adiantar que Prefeitura e Usiminas estão atuando lado a lado. Depois da parceria de sucesso na reabertura do Hospital Modelo, a boa relação com a Usiminas, que é uma tradicional empresa do nosso Polo Industrial, reserva boas novidades já para 2018.

Povo de Cubatão: Quando o Senhor assumiu a Prefeitura havia muitas dívidas e uma desconfiança total entre os fornecedores. Sem falar que os próprios servidores estavam sem receber benefícios, salários, 13.º, férias. Depois ainda houve o fechamento da CURSAN, como está essa situação hoje?

Ademário Oliveira: “Aos poucos estamos com a situação controlada. Precisamos disso, priorizamos isso, porque do contrário não será possível realizar investimentos com recursos próprios. Toda arrecadação, do ISS, IPTU, parte do ICMS, Royalties do Petróleo, tem nos proporcionado liquidar as pendências deixadas pelos governos passados. Também temos nos debruçado em negociações para reverter nossa inadimplência com os cofres do Estado e da União, para que estejamos liberados a obter recursos de emendas parlamentares e participar regularmente de programas governamentais.

Povo de Cubatão: A CURSAN?

Ademário Oliveira: “Tivemos a grande felicidade de realizar o pagamento da rescisão de 260 trabalhadores da CURSAN. Claro que não é uma felicidade completa, porque tivemos que tomar a difícil decisão de fechar a empresa. Contudo, desde o princípio, nosso empenho e compromisso foi trabalhar e buscar os meios legais de pagar os direitos daqueles que durante anos dedicaram seu suor na conservação da cidade. Essa foi então uma ótima notícia. Com a transferência de R$ 2 milhões, a empresa fez o depósito na conta dos ex-funcionários. É assim, avançando com responsabilidade que estamos colocando a casa em ordem. Vamos seguir em frente, para reconstruir Cubatão. Como sempre digo, fé em Deus, fé na Vida, Coragem pra mudar.

Povo de Cubatão: A Educação cuja rede foi encontrada em situação de calamidade não pode ainda ser assistida com os recursos próprios, exceto os investimentos com pessoal. Temos visto que antes de criar o “Programa Adote uma Escola”, o Senhor buscou parcerias com as empresas para recuperar escolas. Os resultados apareceram?

Ademário Oliveira: “Com muita satisfação tivemos respostas positivas. O empresariado tem se manifestado muito sensível com os nossos projetos para a recuperação de Cubatão. Desse modo já entregamos a tradicional UME Jaime João Olcese (Jardim Costa e Silva), graças ao patrocínio da Cesari, e a não menos tradicional UME Rui Barbosa (Jardim Caraguatá), com a adoção da Unipar Carbocloro. Foi duro, muito duro, tomar a decisão de fechar a Jaime Olcese por total falta de condições para funcionar. A educação é, sem dúvida uma das maiores prioridades do nosso governo. Ao retornar as aulas nesta escola, não só demonstramos compromisso com a população mas também credibilidade. Credibilidade porque a escola foi reformada totalmente com recursos da iniciativa privada e reaberta com AVCB. É assim, subindo um degrau de cada vez que vamos reconstruindo nossa cidade.

Povo de Cubatão: A cidade tem recebido a “Operação Tapa Buraco” com muita alegria, porque as avenidas e ruas da cidade estavam esburacadas. Mas observamos as suas movimentações para grandes obras de infraestrutura. O Senhor tem conseguido abrir esses caminhos no Governo Federal, por exemplo?

Ademário Oliveira: “Cubatão terá prioridade em obras do Ministério dos Transportes. Recentemente voltamos de Brasília com excelentes notícias. Apresentamos com sucesso, três projetos para construção de viadutos nas passagens de nível das linhas férreas na Vila dos Pescadores, na Avenida Henry Bordem e na Joaquim Miguel Couto. Faço questão de ressaltar o apoio dos deputados Marcio Alvino e André Prado, que foi determinante para que o Ministro Maurício Quintela priorizasse os pleitos de Cubatão. Os processos estão bastante adiantados na Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT), responsável pela concessão das ferrovias administradas pela ALL e MRS Logística. As empresas já têm os projetos executivos das obras que são antigas reivindicações da população.

Povo de Cubatão: Mas o Senhor firmou um compromisso com a área artística no sentido de concluir as obras e instalações do Teatro Anilinas, porque o Teatro Municipal foi entregue para a Saúde. Conseguiu algo nessas movimentações por Brasília?

Ademário Oliveira: “Também estivemos no Ministério da Cultura, onde estamos pleiteando recursos para a conclusão das obras do Centro Multimídia e do Teatro do Parque Anilinas. Durante o encontro com o Secretário Executivo do ministério, Alfredo Bertini, discutimos várias possibilidade, inclusive através da captação de recursos através da Lei Rouanet.

Povo de Cubatão: O Senhor gostaria de destacar mais alguma ação que justifique a sua afirmativa de que há motivos para comemorar os 69 anos de Emancipação Político-Administrativa de Cubatão?

Ademário Oliveira: “Sim. O CEU das Artes é realidade. A obra estava parada há cinco anos e contava com verbas do Governo Federal. Finalizamos em nosso governo. Em tempos de crise, nossa habilidade institucional continua promovendo mudanças significativas na vida das pessoas. O Jardim Nova República ganhou um espaço cultural, educacional e esportivo de primeiro mundo. Também gostaria de destacar que tiramos do papel as obras de construção de 216 unidades habitacionais em uma parte do terreno do CSU Parque do Trabalhador. Graças a uma parceria entre a Prefeitura, a CDHU e a iniciativa privada. Essa parceria vai proporcionais moradia digna para mais de 1.200 pessoas. Nesse cenário, há que se destacar que a boa notícia se complementa com a geração de mais de 250 novos empregos para trabalhadores da área da construção civil.

Povo de Cubatão: Qual a sua mensagem para o povo cubatense?

Ademário Oliveira: “Trabalho e coragem para mudar. Foram essas as principais premissas de 2017, nosso primeiro ano de governo. Em 2018, o trabalho, a boa gestão, o respeito pelas pessoas, a seriedade com os recursos públicos e a coragem de continuar mudando para melhor, vão continuar. Sabemos que nem tudo está em ordem. As coisas ainda não estão do jeito que queremos. Não estão do jeito que planejamos. Os serviços públicos e a nossa cidade ainda não estão do jeito que o povo merece. Mas, nós vamos avançar muito. Este ano de 2018 será muito melhor para todos. Nós, com toda humidade temos certeza de que será muito melhor. E será melhor, porque a “Casa” está mais arrumada. Nossas finanças estão melhores. Os salários, décimo terceiro e benefícios dos servidores estão pagos. Fornecedores estão recebendo. Os serviços públicos não estão sob ameaça de paralisação. Assim, reafirmando o nosso compromisso de continuar governando para todos. Com probidade, profundo respeito aos cidadão e aos princípios republicanos, vamos subir um degrau de cada vez. Parabéns, Cubatão!

Morre ex-secretário cubatense, Alberto Pessoa

Atuante na medicina e na comunidade cubatense.

O ex-secretário municipal de Assistência Social da Prefeitura de Cubatão, médico Alberto Pessoa de Souza, faleceu em Santos no final da tarde deste domingo (1/4). Seu corpo será velado na Sociedade Portuguesa de Beneficência e o sepultamento acontece às 15h30, de segunda-feira (2/4) no cemitério santista da Areia Branca. Doutor Pessoa era pernambucano, natural de Recife em 1936, filho de uma família composta por onze irmãos consangüíneos e outros três de criação, todos formados e ocupando cargos de relevância na sociedade.

Seus pais eram Cícero de Souza e Maria Carmelita Pessoa de Souza. Em sua cidade natal vivia numa casa muito significativa, na saída de um bairro muito carente, denominado Ilha do Leite. Moradores da época diziam que não havia um necessitado que batesse à porta da sua família que saísse sem ser atendido, passagem relembrada na Câmara Municipal de Santos, pelo vereador Manoel Constantino dos Santos (PSDB), quando lhe foi outorgada a Medalha Brás Cubas, em 10 de setembro de 2004, pelos seus relevantes serviços prestados à saúde local.

Constantino trouxe também detalhes curiosos sobre a história do ex-secretário cubatense e um dos fundadores do Hospital Osvaldo Cruz de Cubatão, como o seu amor e respeito pelos animais, desde a infância, levou-o a sua formação inicialmente como Veterinário, pela Universidade Rural de Pernambuco, para depois se tornar o profissional completo e com brilhante carreira, após formar-se Médico, pela Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco, em Recife.

Oncologia – O oncologista Alberto Pessoa de Souza atuou durante mais de 45 anos na Sociedade Beneficência Portuguesa de Santos, e nos últimos anos era o responsável pelo setor de Quimioterapia do hospital. No alto de sua vivência e experiências com os ambientes contaminantes como a poluição industrial em Cubatão, agravada nos anos 1970, o médico teve a oportunidade de conhecer a fundo os danos causados à saúde da população, dada a sua convivência com estudos, pesquisas e pesquisadores renomados sobre o “Caso Cubatão”. Pessoa interagia com a comunidade para dar explicações e instruir os cuidados necessários.

Prevenção – Durante a sua atividade médica, bastante reconhecida e homenageada na região da Baixada Santista, Alberto Pessoa enfatizou a importância da prevenção para a redução dos casos de câncer, reforçando que parar de fumar é essencial para quem quer preservar a saúde. “O tabagismo é responsável pela grande incidência não apenas de câncer de pulmão, faringe, lábio, traquéia, mas também de bexiga. Se associarmos ao fim do tabagismo a mudança de hábitos alimentares, reduzindo drasticamente a ida ao fast-food, modelo negativo de alimentação, redução do consumo de sal, bebidas alcoólicas, carnes gordurosas ou processadas e alimentos ricos em açúcares, além de evitar conservas de maneira geral, teremos uma significativa contribuição para uma vida mais saudável.” – enfatizava.

Além do trabalho concentrado na Beneficência e no extinto Hospital Osvaldo Cruz, ele mantinha o atendimento e o conforto com a saúde às pessoas carentes de Vila Esperança, em Cubatão, e Humaitá, em São Vicente.

Cubatão terá Restaurante do Bom Prato

O antigo prédio da Cozinha da Comunidade está abandonado pela Prefeitura e guarda entulho e materiais inservíveis.

O governador Geraldo Alckmin anunciou por meio do deputado federal João Paulo Papa (PSDB-SP), na noite da última quarta-feira (07), que Cubatão ganhará, até o final do primeiro semestre, um Restaurante Popular Bom Prato. Há um ano, Papa vem atuando, junto ao secretário de Desenvolvimento Social do Governo do Estado, Floriano Pesaro, na busca da implantação do equipamento na cidade, que agilizou os estudos para tornar essa reivindicação antiga em realidade.

O deputado Papa esteve mais de uma vez com o secretário Floriano, acompanhando o prefeito Ademário Oliveira e os vereadores cubatenses. A unidade cubatense ficará em um prédio no Parque Fernando Jorge, da Rua Cidade de Pinhal, n.º 61, onde funcionou o programa Cozinha da Comunidade.

O local tem cerca de 1.500 metros quadrados e, com a reforma, deverá abrigar uma cozinha industrial toda de aço inox, uma câmara fria e outra quente, além de um salão de refeições e banheiros. O projeto executivo de recuperação do imóvel e adequação foi desenvolvido em parceria com a Vale Fertilizantes. Hoje o prédio está abandonado pela Prefeitura e contém entulhos e materiais inservíveis, esperando pela assinatura do convênio da Prefeitura com o Governo do Estado, estimado em R$ 1 milhão, e o início efetivo das obras necessárias.

Refeições a R$ 1,00 – O almoço de 1.200 calorias tem custo de R$ 1,00 e é composto por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta). Para o café da manhã, os munícipes terão leite com café ou achocolatado, ou iogurte, pão com margarina ou requeijão ou frios e uma fruta da estação. Essa refeição, de 400 calorias, em média, custa R$ 0,50.

De acordo com os técnicos da Prefeitura e da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, serão servidas cerca de 1.200 refeições por dia, somando café da manhã e almoço.

“O governador estava em viagem aos Estados Unidos, mas conversamos sobre o assunto, ele foi muito sensível ao pedido e autorizou o empenho junto à Secretaria de Desenvolvimento Social. Essa é uma antiga e justa reivindicação de Cubatão, prioridade do governo do Ademário, que conseguimos cumprir. Agora, será providenciada a assinatura do convênio Estado e Município, o que deve acontecer nos próximos dias, para que as obras de adaptação do prédio comecem”, explicou o deputado federal João Paulo Papa.

Na Baixada Santista, há cinco unidades do Bom Prato em funcionamento. Cubatão será o quarto da região a ter o restaurante, depois de Santos (três unidades), Guarujá e São Vicente.

Secretário de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, recebe Papa e o prefeito Ademário Oliveira.

Sabesp reforça o abastecimento para mais de 40 mil moradores de Cubatão

Reunião dos vereadores com a Sabesp e o secretário de Obras, Benaldo Melo, define medidas urgentes.

Durante a semana do Carnaval a Sabesp foi alvo de inúmeras reclamações da população por causa da falta de água em bairros diferentes de Cubatão. Diante dessa situação, o presidente da Câmara de Vereadores, Rodrigo Alemão (PSDB) procurou a Companhia para registrar a sua reclamação e convidar o seu gerente local, William de Araújo Limoeiro, para explicar a razão dessas ocorrências e iniciar as providências necessárias.

Na sede do legislativo cubatense, Limoeiro se reuniu com Rodrigo Alemão e os vereadores Ivan Hildebrando (PSB), Ricardo Queixão (PDT) e Wilson Pio (PSDB), sexta-feira (16) passada. Durante o encontro, a constante falta de água em alguns bairros da cidade e a série de problemas ocorridos em função de obras da Sabesp foram discutidas também na presença do secretário municipal de Obras, Benaldo Melo de Souza.

Alemão cobrou que é preciso avisar a população com antecedência sobre a falta de água, “até para que as pessoas possam se preparar, principalmente em um período de altas temperaturas”. E criticou: “A má qualidade dos serviços prestados pela Sabesp vem gerando grande insatisfação nos moradores locais, demonstrada nos comentários feitos nas redes sociais”.

Resposta imediata – O gerente William Limoeiro se comprometeu em mudar essa situação e nesta quinta-feira (22) a Sabesp anunciou que novos 600 metros de redes de distribuição serão colocados em funcionamento durante a noite da próxima quarta-feira (28).

De acordo com a Sabesp, essa melhorias no abastecimento vão beneficiar cerca de 44 mil moradores de Cubatão, porque a companhia executará a interligação de novos 600 metros de redes de distribuição de água, atingindo diretamente os bairros Vila São José, Vila Nova, Jardim 31 de Março, Jardim São Francisco, Jardim Anchieta, Conjunto Afonso Schmidt, Vila Santa Tereza, Parque Fernando Jorge, Vila Couto, Vila Santa Rosa, Vila Paulista, Jardim Santa Fátima e Jardim Costa e Silva.

A conexão das novas tubulações ao sistema já existente será realizada entre as 20 horas e meia-noite, a fim de minimizar os transtornos à população. Neste período o fornecimento será interrompido momentaneamente, o que poderá causar reflexos às moradias sem as caixas d’água obrigatórias de acordo com as normas técnicas nas seguintes localidades: Beira Rio, Centro, Conjunto Afonso Schmidt, Jardim 31 de Marco, Jardim América, Jardim Anchieta, Jardim Costa E Silva, Jardim São Marcos, Jardim Santa Fátima, Jardim São Francisco, Jardim Três Marias, Jardim das Indústrias, Polo Industrial, Parque Fernando Jorge, Sítio Cafezal, Vila Canadá, Vila Couto, Vila Elizabete, Vila Nova, Vila Parisi, Vila Paulista, Vila Santa Rosa, Vila Santa Tereza e Vila São José.

A distribuição de água será restabelecida de forma gradativa após o encerramento das intervenções. Por este motivo a companhia recomenda a economia do volume armazenado nos reservatórios residenciais.

Comissão de Inquérito – Por iniciativa do vereador Ivan Hildebrando, na última sessão da Câmara Municipal foi apresentado requerimento criando uma Comissão Especial de Inquérito – CEI, para tratar dos assuntos relacionados à Sabesp no município.

O vereador ressaltou na sua justificativa que além dos problemas relativos ao fornecimento de água, ainda existem as obras realizadas pela Sabesp no Município, que resultaram em buracos e marcas de depressão em diversas vias públicas, causando vários transtornos à população, principalmente em períodos de chuva.

A CEI será composta de três vereadores e deve iniciar os trabalhos nos próximos dias. Ela também discutirá o contrato de serviço de fornecimento e tratamento de água da Sabesp com a Prefeitura, que se encontra em fase de renovação. “Os erros de outrora não podem ser cometidos novamente”, afirmou Hildebrando.

Sempre alerta – A Sabesp segue 24 horas à disposição da população para atendimento às emergências e esclarecimento de dúvidas, de forma gratuita, por telefone (195 ou 0800 055 0195), Agência Virtual (www.sabesp.com.br) ou aplicativo para celulares e tablets iOS ou Android.