Cubatão recebe Espetáculo Teatral gratuito para suas crianças

Grupo Komedi encena “Gabriel e Balu em Superação”. Foto: Divulgação.

Crianças cubatenses poderão assistir a partir desta segunda-feira (2 de julho), a peça “Gabriel e Balu em Superação” que vai abordar, de maneira lúdica, assuntos relacionados a amizade e a realização de sonhos, dando um destaque especial para a superação do medo e a confiança. O evento conta com o patrocínio da Vix Logística, uma empresa do Grupo Águia Branca, com atuação em todo o Brasil nas áreas de logística para os segmentos automotivo, mineração, siderurgia, óleo e gás, papel e celulose, com sede no Estado do Espírito Santo, e que proporcionou o atendimento aos estudantes do ensino fundamental de Cubatão, graças à Lei Estadual de Incentivo à Cultura – Proac, da Secretaria de Estado da Cultura.

As apresentações são gratuitas e acontecem no Bloco Cultural José Edgard da Silva, do Paço Municipal, também nos dias 3, 4 e 6 de julho sempre às 9h30 e 14h00. A peça teatral conta a história de Gabriel, uma gaivota que ao invés de fazer como todas as gaivotas e viajar, gostava de ficar próximo à praia pois tinha medo de voar. Certo dia ele faz amizade com a baleia Balu que, por meio do seu conhecimento, ensina ao Gabriel as artimanhas e os cuidados que se deve ter durante suas viagens. Todo dia, enquanto Gabriel ia pelo céu, Balu acompanhava seu amiguinho pela água, bem embaixo dele, pois caso ele sentisse medo poderia pousar em Balu. Aos poucos Gabriel consegue vencer o medo e descobre que o que mais gosta é voar.

O supervisor de Marketing do Grupo Komedi, Welson Ribeiro, que apoia o evento, destaca que “por meio de cantigas e com interação com as crianças, a peça cria ligações emocionais com a criança tornando o espetáculo profundamente saboroso e criando uma metáfora dos medos infantis e desafios que são enfrentados a todo instante pelas crianças”.

Gosto pela arte – O projeto visa fomentar o gosto pela arte que o teatro proporciona, com texto adequado aos pequenos, fazendo com que eles se identifiquem com os personagens. A ideia é oferecer uma experiência que colabore para o desenvolvimento do interesse dos espectadores pelas manifestações artístico-culturais nacionais. “A amizade, luta pela realização de seus objetivos, o conhecimento dos próprios desejos, mas, sobretudo, a superação do medo são o foco a peça dando subsídios para o enriquecimento da formação cultural das crianças, sem abrir mão de sua proposta principal que é levar às crianças o gosto pelas artes cênicas”, finaliza.

Elenco – O texto de “Gabriel e Balu em Superação” é de autoria de Sérgio Vale. A direção está a cargo de Adriano Veríssimo e o elenco é formado por Charlene Chagas, Clara Nascimento, Lú Quintans e Márcio Delucca.

Pauta da Arte

Teatro no desenvolvimento de habilidades…

Quando começamos a pensar em teatro, lembramos da capacidade de falar em público. Tal habilidade de se expor, com a fala e a expressão corporal, tem feito do curso de teatro uma ferramenta para profissionais, até mesmo de Coach (que utiliza de uma metodologia para alcançar metas) já que trabalha a desenvoltura através de jogos dramáticos e a interação emocional com grupos.

A técnica também utiliza de psicodramas com jogo dramático, e que tem como objetivo permitir uma aproximação terapêutica do conflito. A cena dramática é aquela que expressa algum conflito; sem conflito não há dramaticidade e a cena é vazia, segundo o teatro. Propicia ao indivíduo expressar livremente as criações do seu mundo interno, realizando-as na forma de representação de um papel, pela produção mental de uma fantasia ou poruma determinada atividade corporal.

Utilizando do conhecimento dessa arte da atuação, a busca de expressividade por meio dela são infinitas. A técnica pode ajudar na dicção, na desinibição do falar em público e na auto-confiança.

O “Teatro Espontâneo ou Terapêutico” é a representação de histórias do cotidiano dos participantes, de forma terapêutica, onde aprende-se compartilhando essas histórias, elaborando os conflitos etc. Os participantes iniciam um aquecimento e começam a fornecer temas, que podem ser momentos vividos ou observados. O grupo elege o primeiro tema para ser dramatizado. O script da cena é criado pelos participantes, que também atuam na peça conforme forem surgindo os papéis.

O jogo é uma poderosa ferramenta para motivar e envolver grupos, resolver conflitos, facilitar a comunicação, favorecer o estabelecimento de combinados e organizar a ação. Vem ocupando, cada vez mais, um lugar de relevo nos programas de educação, terapia e treinamento.
O jogo dramático é uma maneira de levar os participantes a pensar, comprovar, relaxar, trabalhar, lembrar, ousar, experimentar, criar e absorver. É na absorção que se dá o aprendizado e, quanto mais importante for o aprendido, maior a mudança.

No jogo dramático a espontaneidade funciona como um catalisador da ação criativa. Os ingredientes são: o lúdico, o prazer e a alegria. Não necessariamente se transforma em atuação para uma peça teatral, e sim é utilizado como ferramenta, um meio de se alcançar tal competência, ou pelo simples prazer de superar suas limitações e liberar entraves com o público.

Mais exemplo de jogo dramático, divertido e muito visto em encenações de StandUp, que usa da improvisação e muita criatividade, a Blablação: que se dá com a formação de duplas ou trios, e um instrutor. Os jogadores escolhem ou aceitam um assunto para conversar. Quando a conversa se tornar fluente em português, dê a instrução blablação e os jogadores devem mudar para a blablação – que significa, simplesmente, a substituição de palavras articuladas por sons espontâneos e aleatórios que vier a cabeça – até que sejam instruídos a retornar a conversa em português. A conversa deve fluir normalmente e avançar no que se refere ao sentido. Blablação! Português! Blablação! Português! (e assim por diante). Verificar de a conversa flui e tem continuidade e se a comunicação é sempre mantida esse é o foco do jogo!

Bla Blá… interaja!

(*) Coluna Pauta da Arte | por Daniela Da Guarda | e-mail: daniela.daguarda@gmail.com

Pauta da Arte

Cante cantigas, canto contigo! | Coluna Pauta da Arte

Propriedades do som: altura, duração, intensidade e timbre. A música se faz em ondas sonoras… ao menor ruído, barulho… tudo pode se tornar música aos ouvidos! A música está no ar!

A qualidade do som tem sintonia com ambiente e estado de espírito. A música consegue transportar as pessoas, com seus estilos e gostos variados. Em Cubatão, por exemplo, destaca-se desde a sua emancipação, a bela trajetória de educação musical, nas escolas e sociedade.

No Brasil a influência da música vem desde a década de 50, nos grupos escolares que incluíam a música nas atividades educacionais. O país era governado pelo presidente Getúlio Vargas, que delegou essa tarefa importantíssima ao grande compositor Heitor Villa-Lobos, com canto coral, hinos e o resgate das cantigas do folclore brasileiro. Vem dessa época a inclusão das grandes obras do imenso repertório e valorização da cultura popular, que perenizaram na memória de nossos antepassados.

Perceba o som:

Altura: grave, médio ou agudo | duração: longo ou curto | intensidade: forte ou fraco | e timbre: tipo específico de som. Assim já criamos! Com a voz, considerada um belo instrumento, tendo cada uma sua tessitura, já podemos também trabalhar musicalmente, bastando desenvolvê-la com estudos de canto coral e buscar o seu naipe, entre soprano, contralto, tenor ou barítono.

Vale inclusive o toque e batidas no corpo, como faz a banda paulistana Barbatuques, que usa o corpo como instrumento musical e de onde extrai as suas ricas composições. Desde 1995, quando foi criada, essa banda desenvolve uma abordagem única da música corporal, executando as suas composições, técnicas, exploração de timbres e mergulhos criativos.

Vale destacar que uma cantiga de roda traz em si tanta informação para se trabalhar num contexto musical e educativo, sendo bem explorada. Compartilho a minha experiência de musicalização no ensino, quando inicio os estudos musicais na primeira infância, indicam repertórios que atravessam décadas, séculos, acolhidos por sua beleza e simplicidade.

Degustamos do som brincando. Experimente criar efeitos dentro das cantigas com as propriedades do som, e já obterá o prazer e as sensações provindas da música como linguagem universal!

Os exemplos estão muito próximos de todos nós, aqui em Cubatão, onde a música e os seus músicos, espalhados por toda extensão em projetos que precisam ser mais valorizados e respeitados nesse berço.

Por fim, ofereço o desafio sobre o conhecimento dos prezados leitores da letra que segue. Mas antes fica a dica para cantar e, quiçá, tocar. Quanto ao instrumento musical, esse deixo à sua escolha! Estude Música, cante cantigas, que cantarei contigo!

(*) Pauta da Arte | por Daniela Da Guarda | e-mail: daniela.daguarda@gmail.com

 

FUI A ESPANHA

Fui à Espanha

Buscar o meu chapéu,

Azul e branco

Da cor daquele céu.

 

Ora, palma, palma, palma !

Ora, pé, pé, pé !

Ora, roda, roda, roda !

Caranguejo peixe é !

 

Caranguejo não é peixe,

Caranguejo peixe é

Caranguejo só é peixe

Lá no fundo da maré.

 

Samba, crioula,

Que veio da Bahia.

Pega na criança

E joga na bacia.

 

A bacia é de ouro,

Areada com sabão;

Depois de areada,

Enxuga com o roupão.

 

O roupão é de seda,

Camisinha de filó,

Touquinha de veludo

Pra quem ficar vovó.

 

Em coro, falando :

A benção, vovó !

A benção, vovó !

Boca do Povo

Boa notícia

Quem não consegue esconder a alegria, desde a última terça-feira (16), é o ator, diretor e responsável pelo Teatro do Kaos de Cubatão, Lourimar Vieira – na ilustração – com a boa notícia que lhe deu a empresa de logística VLI – Multimodal: o Projeto Evolução de oficinas teatrais a adolescentes e jovens da rede pública de ensino da cidade vai continuar.

Lourimar Vieira tem nome cogitado para ser Secretário de Cultura de Cubatão.

Mais Cultura

Dada a qualidade do projeto, que acontece em Cubatão há 7 anos consecutivos, o Ministério da Cultura aprovou mais uma vez o seu acesso à Lei Rouanet, de incentivo a projetos culturais em todo o país, e, com isso, a VLI pode destinar R$ 199.360,00, possibilitando que a escola do Kaos atenda a 100 cubatenses, a partir dos 12 anos de idade, em atividades de artes cênicas e a realização de 30 apresentações gratuitas previstas para o fim deste ano, como trabalho de encerramento de cursos.

Ligados

Segundo Maria Clara Fernandes Oliveira, gerente de Responsabilidade Social da VLI, “a empresa está atenta às demandas da comunidade e essa parceria é sinônimo disso. O Teatro do Kaos tem história e relevância na promoção da cultura e da cidadania. Não poderíamos deixar essa iniciativa acabar”.

Crise

“Tivemos o apoio da Petrobras durante cinco anos e, no ano passado, contamos com o patrocínio da Copebras. Mas agora, por conta da crise, as empresas afirmam que não lucraram e que, por conta disso, não têm imposto a pagar”, dizia antes dessa notícia positiva, Lourimar Vieira.

SECULT

E por falar em Cultura, o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) vem cobrando das suas equipes de gestão a elaboração do projeto de reforma administrativa, que pode definir um novo organograma na Prefeitura. Ouve-se que, se não fundir a secretaria de Cultura com a Educação, a secretaria pode ter outro titular.

Secretariáveis

Para a SECULT, além do vereador do PT, Rafael Tucla, estão cotados Ivan Hildebrando (PSB), vereador também, Edson Carlos Bril (Bombril), Lourimar Vieira, Zélia Trombino, Vanessa Toledo e o ouvidor Dojival Vieira.

Banco do Povo

Não é boa a notícia para os interessados em buscar parcerias com o Banco do Povo, que existe em Cubatão desde novembro de 2001: a Prefeitura cochilou e não renovou o contrato com o Governo do Estado. Desde o dia 1.º de janeiro, o Banco do Povo está impedido de realizar as suas operações na cidade.

Operações?

O Banco do Povo de Cubatão vinha sendo considerado um exemplo de sucesso no volume das operações de empréstimos concedidos a pequenas empresas, pessoas físicas que trabalham por conta própria, profissionais liberais, cooperativas e associações produtivas.

Onde funciona

Com a mudança da Praça Portugal, onde estava em companhia do SEBRAE e do PAT, o Banco do Povo foi procurado pela reportagem do jornal “Povo de Cubatão” e esta coluna foi informada que ele está inoperante, desde 1.º de janeiro, no Poupatempo do Empreendedor, na sede da ACIC. Quem resolve? Será mais uma missão para o super-vice Pedro de Sá?

Vagas federais

Há 240 vagas gratuitas para os cursos de Engenharia de Controle e Automação, Bacharelado em Turismo, Licenciatura em Matemática, Licenciatura em Letras, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Automação Industrial, cada qual com 40 vagas, para estudar no Campus Cubatão do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo – IFSP.

Como faz?

Para concorrer a uma das vagas, o candidato deve ter participado do Enem 2017 e ter obtido nota na redação diferente de zero. As inscrições dever ser feitas exclusivamente pela internet, no site: http://sisu.mec.gov.br | não há cobrança de taxa de inscrição, de matrícula ou de mensalidade.

UNISANTA

A Universidade Santa Cecília – UNISANTA escolheu uma parceira em Cubatão. Trata-se da Escola Politécnica Cubatão – CIEN, que começa a receber inscrições para os cursos de ensino à distância, com um polo para as aulas e avaliações presenciais muito bem instalado. Fica ali na Avenida Joaquim Miguel Couto, 353.

Informe EAD

As informações sobre os cursos à distância, em faculdades com o padrão UNISANTA, para graduação e pós-graduação, podem ser obtidas pessoalmente ou por telefones: (13) 3361 6065 ou 3372 7272.

Toninho fica

O vereador Toninho Vieira (PSDB) tem agora um programa de rádio onde interage com os seus eleitores e cubatenses em geral. Na última quarta-feira (17), ele recebeu nos estúdios da Rádio Cubatão, o diretor do jornal “Povo de Cubatão”, Raul Christiano. E aproveitou para esclarecer notas recentes publicadas nesta coluna: “não vou sair do PSDB, isto não faz parte dos meus planos”.

CMOC (Copebras) apóia projetos socioambientais em Cubatão

Copebras (CMOC Internacional Brasil) aposta no futuro das cidades.

Crianças do município de Cubatão serão atendidas por quatro entidades escolhidas pela Copebras, que é uma empresa tradicional da CMOC Internacional Brasil no Polo Industrial cubatense, com ações que privilegiam a educação, cultura e a geração de renda para contribuírem com o desenvolvimento sustentável local. Estes foram os pilares que direcionaram a CMOC a selecionar os parceiros que receberão o aporte de R$ 1.165.854,01 em projetos socioambientais, além de Cubatão, Catalão e Ouvidor, no Estado de Goiás, por meio de leis de incentivo fiscal e investimento próprio.

No ano passado, a empresa manteve o apoio a iniciativas comunitárias que beneficiaram diretamente mais de 6 mil pessoas nos municípios de Goiás e na Baixada Santista, em São Paulo. Com o investimento de 2018, a expectativa é que o mesmo número de pessoas seja beneficiado e que as ações continuem a promover o crescimento dessas regiões.

Para sistematizar o apoio e direcionar os recursos, a empresa ouviu membros da comunidade e mensurou indicadores de cunho social e econômico.  “Ao longo de 2017, realizamos um diagnóstico socioeconômico local com a participação de instituições sociais, representantes do poder público e demais atores sociais para retratar a realidade dos municípios que recebem as nossas operações.  Com isso, desenhamos uma nova estratégia de investimentos sociais da CMOC, sendo ainda mais assertivos em atender às necessidades das comunidades”, afirma a Gerente de Comunicação e Gestão Social da CMOC, Ana Cláudia Gallo.

Trabalho e renda – Práticas voltadas para trabalho e renda foram um dos pontos levantados pelas comunidades no diagnóstico da empresa. Com esse foco, a CMOC irá patrocinar o projeto “Educando para um Desenvolvimento Sustentável”, conduzido pela Agência Adventista de Desenvolvimento e Recurso (ADRA), em Cubatão. A iniciativa contempla a coleta do óleo de cozinha para reutilização na fabricação de sabão artesanal, que será posteriormente vendido, gerando renda para a comunidade.

Além disso, a CMOC está patrocinando via Fundo Estadual da Criança e do Adolescente de São Paulo o projeto “Jovens para o Futuro”, também desenvolvido pela ADRA no município do litoral paulista, que tem o objetivo de fomentar a qualificação profissional e educação para o trabalho de adolescentes e jovens para inserção no mercado de trabalho. “A CMOC é nossa parceira e comunga do mesmo objetivo de criar novas oportunidades e novos horizontes para os jovens cubatenses”, disse Marlene da Cruz de Almeida, coordenadora da ADRA.

Educação – Aliada à proposta da geração de renda, a CMOC também selecionou projetos educativos, com foco em cultura, esporte e lazer, como complementos da educação formal. Catalão recebe na área cultural o projeto “Orquestra de Cordas Dedilhadas e Coral Nova Vida”, desenvolvido pela Fundação Espírita Nova Vida (Fenova); “Mãos que Tocam”, da Instituição Obras Sociais Jorge Filho, e a Cia de Ballet do Sudeste Goiano, conduzido pela Associação Desportiva e Cultural de Dança.

Em Ouvidor, o destaque de 2018 continua sendo o programa “Esporte, Cultura e Lazer”, executado pela Secretaria Municipal de Promoção e Ação Social do município goiano. O projeto promove práticas esportivas e culturais de lazer para crianças e adolescentes, entre seis e 17 anos. Assim como nos projetos conduzidos pela Fenova, para ingressar no programa em Ouvidor os jovens devem cursar o ensino escolar regulamentar.

Já em Cubatão, a CMOC continua a apoiar os projetos “Cubatão Sinfonia”, executado pela Associação de Amigos da Banda Sinfônica de Cubatão; “Querô na Escola” e “Oficinas Querô”, conduzidos pelo Instituto Querô; e “Integrar Voleibol”, em parceria com a Associação Nacional de Desenvolvimento Esporte e Educação.

Sobre a CMOC – A CMOC International Brasil é uma subsidiária da CMOC International, companhia global com um diversificado portfólio de ativos, incluindo operações na República Democrática do Congo e Austrália. Atua no País com mineração e beneficiamento de nióbio e fosfatos, nas cidades de Catalão e Ouvidor (GO) e Cubatão (SP), por meio de suas empresas Niobras e Copebras. Gera mais de 5 mil empregos diretos em suas três plantas industriais e duas minas.

Escola gratuita de atores em Cubatão não consegue patrocínios para 2018

Teatro do Kaos faz das tripas coração para se manter vivo e em movimento.

Uma notícia muito negativa para a Cultura vem circulando nas redes sociais desde o fim do mês de novembro passado: o Teatro do Kaos, que mantém uma escola gratuita de teatro em Cubatão, graças aos projetos que o seu idealizador Lourimar Vieira e equipe sempre aprovaram no Ministério da Cultura, via Lei Rouanet, não conseguiu um centavo de apoio das empresas da região, que poderiam abater 100% no imposto de renda se patrocinassem os cursos destinados à formação de atores e atrizes da cidade.

Lourimar disse que mais uma vez o projeto foi aprovado, “como nos últimos 7 anos, mas desta vez não arrumamos o patrocínio de uma única empresa, mesmo parcial”. Do poder público – Secretaria Municipal da Cultura da Prefeitura de Cubatão – com a crise financeira da Cidade, também nenhum sinal positivo foi manifestado.

Nessa mesma época, no ano passado, graças ao patrocínio da Copebrás, o Teatro do Kaos estava com inscrições abertas para 140 vagas, divididas entre os níveis iniciante (100), para adolescentes entre 12 e 17 anos, intermediário (20), para idosos a partir dos 60, e avançado (20), para jovens entre 16 e 29 anos. As aulas aconteceram de uma a quatro vezes por semana, de acordo com o módulo cursado.

Oportunidade – “O objetivo do nosso projeto é que ele continue a trazer benefícios para a sociedade por meio da arte. Queremos oferecer aos jovens a oportunidade do contato com atividades lúdicas e culturais, além de despertar o gosto pela arte cênica”, ressalta o gestor do projeto, ator e diretor Lourimar Vieira.

As aulas sempre foram ministradas no Teatro do Kaos, localizado na Praça Coronel Joaquim Montenegro, 34, no Largo do Sapo, em Cubatão. Informações sobre a possibilidade de apoiar essa iniciativa e manter viva a escola teatral cubatense, podem ser obtidas pelos telefones (13) 99124 7470 e 3372 7211.

Resultados alcançados – Nos últimos sete anos de trabalho, 1.823 pessoas foram atendidas, destas qualificando profissionalmente 150 atores e possibilitando que 1.673 alunos participassem da Oficina de Teatro em contra turno escolar no município.

84 peças foram encenadas pelos alunos dos projetos, muitas das quais circularam por 30 cidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Piauí, Espírito Santo, Ceará e Rio Grande do Sul.

A escola Teatro do Kaos comemora também os fatos de que a peça “A Falecida”, encenada por alunos do projeto, foi eleita o “Melhor Espetáculo do Litoral e Interior do Estado de São Paulo”, pela Cooperativa Paulista de Teatro; e o ingresso de 3 anos formados pelos projetos cubatenses na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo – EAD/USP.

O município de Cubatão ainda não conseguiu concluir uma obra de teatro para atender à sua comunidade (o Municipal, depois de 30 anos inacabado, vai virar unidade de saúde da Prefeitura; e o Anilinas, patina na burocracia da Prefeitura, com as obras e instalações paralisadas desde 2014). O espaço ocupado pelo Teatro do Kaos revela por si só a resistência dos artistas locais, que o mantém em atividade a duras penas, contando às vezes com o apoio do poder público municipal, e mais vezes dos governos do Estado (PROACs) e Federal (Lei Rouanet), além das indústrias e do comércio local.

Despontam, desde o início do ano passado, as atividades do Galpão de Experimentos de Artes, por iniciativa de um dos 13 coletivos independentes – integrantes do Coletivo 302 – no interior do Parque Anilinas, em espaço anteriormente ocupado por materiais inservíveis e ferramentas da Prefeitura. Sander Newton, não esconde as origens: “Somos frutos do Teatro do Kaos e após a formação no curso passamos a nos reunir em espaços alternativos para ensaiarmos. Conforme fomos amadurecendo a ideia do grupo, percebemos que precisávamos um espaço para os ensaios e apresentações, e passamos a olhar a nossa cidade com outros olhos. Não imaginávamos, no entanto, que o espaço ideal estaria tão perto de nós, aqui no Anilinas”.

Nesse caso, a Secretaria da Cultura autorizou que os próprios artistas revitalizassem o barracão, com o apoio de seus familiares e do comércio cubatense, para que pudessem executar as suas contrapartidas com a Lei de Incentivo Estadual do PROAC, conquistado no final de 2016 e viabilizado em 2017. Espaços em escolas municipais também são cedidos para ensaios e preparação de peças por outros coletivos do Município.

Curso de capacitação para elaboração de projetos culturais, sociais e esportivos

Estão abertas até a próxima quarta-feira (dia 18) as vagas para a 1ª Capacitação em Elaboração de Projetos. Trata-se de uma iniciativa inédita realizada pelo Conselho Comunitário Consultivo (CCC) do Polo Industrial de Cubatão, com apoio do Centro de Integração e Desenvolvimento Empresarial (Cide) e Prefeitura via Secretaria da Cultura.

A proposta tem o objetivo de contribuir para a qualificação de comunidades e entidades de Cubatão para elaboração de projetos voltados às áreas de cultura, esportes e assistência social. Além disso, também abordará captação de recursos e relacionamento com a iniciativa privada e Poder Público.

Da criação de uma entidade até a gestão de plano de negócios, a atividade formativa é dividida em 10 módulos e tem início no próximo dia 24. “A proposta do curso é capacitar pessoas que possam transformar ideias em projetos bem executados e monitorados, tendo como foco o benefício comum. Esta ação confirma o potencial de Cubatão em promover as mudanças de forma coesa e articulada”, detalha a coordenadora do CCC, Helga Vieira.

Por sua vez, o gerente do Cide, Valmir Ramos Ruiz, destaca: “A Capacitação em Elaboração de Projetos é mais um compromisso da Indústria com a Agenda 21 de Cubatão. É um grande passo para o desenvolvimento da Educação e Qualificação nas comunidades e notoriedade de seus projetos”.

As vagas para o curso são destinadas a lideranças comunitárias, representantes de entidades e associações, além de demais munícipes em geral que tenham propostas de ações com potencial de desenvolvimento. As inscrições devem ser feitas diretamente no Cide (Praça Getúlio Vargas, 20/Cubatão). Outras informações: (13) 3361-1388.

Nos 20 anos do Dia Mundial da Água, conheça 15 mitos sobre ela

Na quinta-feira, o Dia Mundial da Água completou 20 anos. A data, 22 de março, foi escolhida pela ONU (Organização das Nações Unidas) durante a conferência Eco-92, no Rio de Janeiro, para alertar para a escassez de água potável. Isso porque 97% da água do planeta é salgada e está no mar, imprópria para ser bebida; 1,75% é gelo; 1,24% está em rios subterrâneos. Para as mais de 7 bilhões de pessoas vivas no mundo está disponível apenas 0,01% do total de água da Terra.
No entanto, a água e o esgoto, gerado pelo uso dela, ainda são cercados de dúvidas. O Projeto Povo Cidadão e a Sabesp listaram os 15 mitos mais comuns – e também o que é verdade sobre esse bem essencial para nós. Posso beber água da torneira? Água tem gosto? A água da chuva pode contaminar a praia?
Veja as respostas:
Nunca vai faltar água,
o Brasil tem a maior quantidade de água do mundo.
O Brasil possui a maior reserva de água doce do mundo, porém mais da metade está na Amazônia e na bacia do rio Tocantins. A maior parte dos brasileiros mora em regiões com pouca água. A cidade de São Paulo tem menos água disponível do que Pernambuco, por exemplo. Imagine o custo para transportá-la da Amazônia até a capital paulista… Por isso parte da água consumida em São Paulo é captada no sul de Minas Gerais. Não desperdice.
Não posso beber
água direto da torneira.
Pode, sim. A água fornecida pelas concessionárias de água segue as normas do Ministério da Saúde e é potável, com qualidade garantida. Mas é necessário que as instalações internas, como a caixa-d’água e os canos, também estejam adequados. E essa é uma responsabilidade de cada morador/condomínio.
A água tem gosto?
A água totalmente pura não tem cor, cheiro ou gosto, mas essa água só é possível de se obter em laboratório. A água distribuída pelas operadoras é captada de um manancial e posteriormente recebe uma série de compostos no tratamento, como o cloro. Todo o caminho da água acaba conferindo um odor característico a ela. Como a nossa legislação obriga, corretamente, a manter uma concentração de cloro residual em todos os pontos da rede, o odor predominante acaba sendo o de cloro.
Uma pessoa treinada, como alguns técnicos da Sabesp, consegue até saber de qual manancial a água foi captada somente sentindo o cheiro e o gosto dela.
Por que o cloro na água que tomamos não faz mal à saúde?
As concentrações de cloro que são aplicadas à água tratada são muito baixas, somente o suficiente para manter a segurança dela até o ponto de entrega, no cavalete dos clientes (hidrômetro).
A água da chuva é limpa.
A água da chuva carrega os poluentes que estão no ar. Por isso, após chover, o céu fica mais limpo – no caso de São Paulo, a camada cinza de poluição diminui. A água da chuva também arrasta o lixo e os poluentes do chão.
A água do mar
pode ser bebida.
A água salgada não deve ser ingerida. É a água doce que serve para o consumo humano. No entanto, a água do mar pode ser transformada em potável. Esse processo se chama dessalinização e é muito caro. Geralmente é usado em países com pouca água disponível, como Arábia Saudita e Israel, ou em ilhas, como Fernando de Noronha.
Posso beber água direto
das bicas ou dos rios.
Cuidado. Essas águas podem estar contaminadas. A água potável precisa seguir as normas do Ministério da Saúde, o que é feito pelas concessionárias de água. Bicas e rios podem ter água com “cara boa” e estarem contaminadas.
A água vem do
céu e é de graça.
A chuva é fundamental para renovar o estoque de água doce, mas está errado achar que basta pegar essa água e distribuir. Ela precisa ser tratada. E isso exige uma série de processos. Além disso, quanto mais contaminadas estiverem as reservas de água, mais caro será o tratamento. Ocupações irregulares às margens de represas também agravam a situação.
Água de reúso é potável.
A água de reúso não é potável. Ela pode ser usada pela indústria, para lavar ruas, monumentos, desobstruir galerias e tubulações. Mas não deve ser consumida. Sua função é substituir a água potável em usos menos nobres. Com isso, sobra mais água tratada para beber e cozinhar, por exemplo.
Jogar cabelo no ralo do banheiro não tem problema.
O cabelo pode ficar preso na rede coletora da casa ou da rua, fazendo com que o esgoto volte e entre de novo nas casas. Além disso, nas estações de tratamento de esgoto, esses fios podem se juntar a outros compostos e fibras, como pedaços de pano e até plásticos lançados irregularmente pelo vaso sanitário, formando uma massa e até paralisando as máquinas.
Recolhendo todo o esgoto da cidade, praias e rios ficarão limpos.
Encaminhar o esgoto para tratamento é fundamental para despoluir rios, represas e praias. Mas o esgoto não é o único poluente. Lixo e a poluição que fica nas ruas (e é arrastada depois pela chuva) contribuem para contaminar a água. É a chamada poluição difusa – há estudos indicando que ela pode passar de 30% da contaminação. Além disso, há o esgoto de ligações clandestinas ou irregulares que também poluem os cursos d’água. É necessário resolver também esses fatores.
O óleo de cozinha
pode ser jogado na pia.
O óleo de cozinha entope as tubulações. Ao endurecer, acaba grudando dentro dos canos, prendendo inclusive outros restos. É como um infarto: vai fechando a artéria (no caso, o cano) até impedir a passagem do sangue (no caso, do esgoto). O resultado é a volta do esgoto para dentro de casa ou nas ruas. O óleo de cozinha precisa ser guardado e entregue em postos de coleta. Ele pode ser transformado em sabão ou massa de vidraceiro, por exemplo.
O esgoto não
serve para nada.
Com o esgoto é possível gerar energia, produzir adubo e água de reúso. O gás gerado durante o processo de tratamento do esgoto pode virar biometano e ser usado como combustível para veículos. O esgoto também pode ser tratado para uso na irrigação ou como adubo. Como ele é rico em nutrientes importantes para a agricultura, como o nitrogênio, substitui em parte o uso de agrotóxicos.
Posso jogar lixo no vaso sanitário ou no ralo da pia.
Restos de comida, remédios, fio dental, absorventes, camisinhas e similares não devem ser descartados pelo vaso sanitário muito menos pelo ralo da pia, pois podem entupir a rede. Antes de lavar a louça, limpe os restos de comida e jogue-os no lixo. Pelo ralo, só água.
::::::::: USO RACIONAL DA ÁGUA :::::::::
Banho
O banho deve ser rápido. Cinco minutos são suficientes para higienizar o corpo. A economia é ainda maior se ao se ensaboar fecha-se o registro. A água que cai do chuveiro também pode ser reaproveitada para lavar a roupa ou qualquer outra atividade da casa. Para isso, deve-se colocar um balde ou bacia embaixo para armazenar aquela água. Banho de ducha por 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 135 litros. Se fechamos o registro, ao se ensaboar, e reduzimos o tempo para 5 minutos, o consumo cai para 45 litros. No caso de banho com chuveiro elétrico, também em 15 minutos com o registro meio aberto, são gastos 45 litros na residência. Com os mesmos cuidados que com a ducha, o consumo cai para 15 litros.
Escovar os dentes e lavar o rosto
Se uma pessoa escova os dentes em cinco minutos com a torneira não muito aberta, gasta 12 litros de água. No entanto, se molhar a escova e fechar a torneira enquanto escova os dentes e, ainda, enxaguar a boca com um copo de água, consegue economizar mais de 11,5 litros. Ao lavar o rosto em um minuto, com a torneira meio aberta, uma pessoa gasta 2,5 litros. A dica é não demorar. O mesmo vale para o barbear. Em 5 minutos gastam-se 12 litros. Com economia o consumo cai para 2 a 3 litros.
Descarga e vaso sanitário
Não use a privada como lixeira ou cinzeiro e nunca acione a descarga à toa, pois ela gasta muita água. Uma bacia sanitária com a válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta de 10 a 14 litros. Bacias sanitárias de 6 litros por acionamento (fabricadas a partir de 2001) necessitam um tempo de acionamento 50% menor para efetuas a limpeza, neste caso pode-se chegar a volumes de 6 litros por descarga.  Quando a válvula está defeituosa, pode chegar a gastar até 30 litros. Mantenha a válvula da descarga sempre regulada e conserte os vazamentos assim que eles forem notados. Lugar de lixo é no lixo. Jogando no vaso sanitário você pode entupir o encanamento. E o pior é que o lixo pode voltar pra sua casa.
Cozinha
Ao lavar a louça, primeiro limpe os restos de comida dos pratos e panelas com esponja e sabão e, só aí, abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo que tem que ser lavado e, então, abra a torneira novamente para novo enxágüe. Só ligue a máquina de lavar louça quando ela estiver cheia. Numa casa, lavando louça com a torneira meio aberta em 15 minutos, são utilizados 117 litros de água. Com economia o consumo pode chegar a 20 litros.
Na higienização de frutas e verduras utilize cloro ou água sanitária de uso geral (uma colher de sopa para um litro de água, por 15 minutos). Depois, coloque duas colheres de sopa de vinagre em um litro de água e deixe por mais 10 minutos, economizando o máximo de água possível. Você sabia que ao se utilizar um copo de água, são necessários pelo menos outros 2 copos de água potável  para lavá-lo. Por isso, combata o desperdício em qualquer circunstância.
Lavar roupa
Junte bastante roupa suja antes de ligar a máquina ou usar o tanque. Não lave uma peça por vez. Caso use lavadora de roupa, procure utilizá-la cheia e ligá-la no máximo três vezes por semana. Se na sua casa as roupas são lavadas no tanque, deixe as roupas de molho e use a mesma água para esfregar e ensaboar. Use água nova apenas no enxágüe. E aproveite esta última água para lavar o quintal ou a área de serviço. Ao lavar a roupa, aproveite a água do tanque ou máquina de lavar e lave o quintal ou a calçada, pois a água já tem sabão. No tanque, com a torneira aberta por 15 minutos, o gasto de água pode chegar a 279 litros. O melhor é deixar acumular roupa, colocar a água no tanque para ensaboar e manter a torneira fechada. E que tal aproveitar a água do enxágüe para lavar o quintal? A lavadora de roupas com capacidade de 5 quilos gasta 135 litros. O ideal é usá-la somente com a capacidade total.
Calçada e carro
Adote o hábito de usar a vassoura, e não a mangueira, para limpar a calçada e o pátio da sua casa. Lavar calçada com a mangueira é um hábito comum e que traz grandes prejuízos. Em 15 minutos são perdidos 279 litros de água. Se houver uma sujeira localizada, use a técnica do pano umedecido com água de enxágüe da roupa ou da louça. Use um balde e um pano para lavar o carro ao invés de uma mangueira. Se possível, não o lave durante a estiagem (época do ano em que chove menos). Muita gente gasta até 30 minutos ao lavar o carro. Com uma mangueira não muito aberta, gastam-se 216 litros de água. Com meia volta de abertura, o desperdício alcança 560 litros. Para reduzir, basta lavar o carro somente uma vez por mês com balde. Nesse caso, o consumo é de apenas 40 litros.

Sabesp amplia saneamento em Cubatão

Sabesp faz reposição de asfalto e melhora ruas e avenidas.

Qualidade de vida e melhoria ambiental começam com coleta e tratamento de esgoto de forma adequada. Em Cubatão, há cinco anos estão sendo investidos cerca R$ 74 milhões pela Sabesp, por meio do Programa Onda Limpa, para permitir a correta destinação do esgoto produzido na Cidade. O Programa está na reta final e não há mais redes para implantação, apenas a conclusão da reposição de alguns trechos de pavimentos.

A obra, que envolveu centenas de trabalhadores em dezenas de frentes em atividade ao mesmo tempo, é considerada de grandes proporções e de difícil execução, principalmente, pelo tipo de solo argila marinha encontrada na região. Este solo exige um cuidado maior no controle tecnológico para a reposição e, na maior parte dos trechos, foi feita a troca completa do solo para aterro e a correta reposição.

Desde 2007, foram implantados mais de 40 quilômetros de rede de esgoto, atendendo bairros como Bolsão IX e VII, Jardim Nova República, Jardim Casqueiro e Ilha Caraguatá. Para o funcionamento de toda esta rede e a realização das ligações domiciliares, em 2010 foi inaugurada uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), com capacidade para tratar cerca de 120 litros de esgoto por segundo.

Agora, o momento é de realizar as ligações dos imóveis à rede de esgoto beneficiando todos com o acesso à coleta e tratamento. “É um tipo de obra muito difícil, porque a cidade continua com o seu ritmo de atividades. Houve transtornos aos moradores, como fechamentos de ruas, mas agora é possível usufruir dos benefícios da rede de esgoto”, destaca o superintendente do Programa Onda Limpa, José Luiz Salvadore Lorenzi.

De acordo com estudos realizados pela Fundação Getúlio Vargas, a pedidos do Instituto Trata Brasil, o acesso à rede de esgoto gera uma valorização de até 18% no valor dos imóveis. Além disso, há um aproveitamento de desempenho em cerca de 30% melhor na educação entre crianças que tem acesso à rede de esgoto.

Todas as cidades da Baixada Santista estão abaixo do nível do mar, o que pode gerar, em alguns casos, alagamentos. “De forma geral, estamos abaixo do nível do mar, e alguns trechos apenas com a mudança da maré vão receber a interferência das águas do rio. Em dias de chuvas, essa condição pode se agravar, gerando até pontos de alagamento. Durante a execução das obras, a Sabesp não interferiu no sistema de drenagem de águas pluviais, isso porque são sistemas independentes”, afirma Lorenzi.

Ele ressalta, ainda, que mesmo com o controle tecnológico e até substituição por um solo de melhor qualidade, o terreno pode se acomodar depois de algum tempo, gerando abatimento do pavimento. “Portanto, pode ocorrer recalque em determinados trechos algum tempo depois, por isso quem perceber alguma inadequação deve ligar para a Sabesp, pelo 0800 055 0195, para que providenciemos os reparos necessários”, explica.

Lixo na rede

A rede de esgoto é projetada para receber o esgoto dos imóveis, ou seja, o resíduo proveniente do uso da água, como do chuveiro, vaso sanitário e de torneira das pias. A rede de esgoto não é dimensionada para receber as águas pluviais, por isso, é importante separar dentro dos imóveis os ralos de águas do quintal – que deve ser direcionado para a galeria de águas pluviais – da rede de esgoto.

O gerente da Sabesp em Cubatão, Luiz Celso Ferreira Arruda, destaca que a maior parte dos casos de obstruções e que geram o retorno do esgoto para os imóveis está relacionado ao uso inadequado da rede. “Em limpezas devido a obstruções encontramos uma grande diversidade de lixo, que não deveriam estar na rede de esgoto, como preservativos, absorventes, latinhas, garrafas pet, pedaços de pano e até objetos como colchão”, diz. Além de prejudicar o funcionamento da rede, algumas bombas das estações elevatórios podem ser danificados por esses objetos.

Conviver e Castelão oferecem aulas gratuitas de dança de salão

Bolero, samba, tchá, tchá, tchá e forró. Esses são alguns dos ritmos que o interessado em dança de salão poderá aprender inicialmente nas aulas gratuitas a cargo da Prefeitura. Ocorrem às segundas-feiras, no Centro Esportivo Castelão, e às quartas e sextas-feiras, no Centro de Referência do Idoso Antonia Bonfim de Aquino, o Conviver, sempre das 18 às 21 horas. As inscrições podem ser feitas em ambos os locais, antes do horário das aulas.

A informação é da instrutora do curso, Vera Lúcia Rodrigues, que se ocupa dos cavalheiros que querem aprender a dançar. Há um instrutor encarregado de ensinar os passos às damas. Basta o aluno preencher a ficha de inscrição e, em 30 dias, entregar atestado médico de que está apto para essa atividade física. Deve apresentar também documento de identidade e duas fotos 3 x 4.

Os cadastrados no Conviver, sempre com mais de 60 anos, podem comparecer e já começar a aprender a dançar. Vera Lúcia explicou que o ingresso e a saída são livres. O interessado pode dentro desse intervalo de tempo, das 18 às 21 horas, fazer o horário que quiser, começando atrasado ou saindo antes do término da aula.

O Conviver fica na Rua Fernando Costa, 181, Jardim Santa Rosa. E o Castelão, na Rua Embaixador Pedro de Toledo, 365, Centro. (Secom – PMC)