Pauta da Arte

Cante cantigas, canto contigo! | Coluna Pauta da Arte

Propriedades do som: altura, duração, intensidade e timbre. A música se faz em ondas sonoras… ao menor ruído, barulho… tudo pode se tornar música aos ouvidos! A música está no ar!

A qualidade do som tem sintonia com ambiente e estado de espírito. A música consegue transportar as pessoas, com seus estilos e gostos variados. Em Cubatão, por exemplo, destaca-se desde a sua emancipação, a bela trajetória de educação musical, nas escolas e sociedade.

No Brasil a influência da música vem desde a década de 50, nos grupos escolares que incluíam a música nas atividades educacionais. O país era governado pelo presidente Getúlio Vargas, que delegou essa tarefa importantíssima ao grande compositor Heitor Villa-Lobos, com canto coral, hinos e o resgate das cantigas do folclore brasileiro. Vem dessa época a inclusão das grandes obras do imenso repertório e valorização da cultura popular, que perenizaram na memória de nossos antepassados.

Perceba o som:

Altura: grave, médio ou agudo | duração: longo ou curto | intensidade: forte ou fraco | e timbre: tipo específico de som. Assim já criamos! Com a voz, considerada um belo instrumento, tendo cada uma sua tessitura, já podemos também trabalhar musicalmente, bastando desenvolvê-la com estudos de canto coral e buscar o seu naipe, entre soprano, contralto, tenor ou barítono.

Vale inclusive o toque e batidas no corpo, como faz a banda paulistana Barbatuques, que usa o corpo como instrumento musical e de onde extrai as suas ricas composições. Desde 1995, quando foi criada, essa banda desenvolve uma abordagem única da música corporal, executando as suas composições, técnicas, exploração de timbres e mergulhos criativos.

Vale destacar que uma cantiga de roda traz em si tanta informação para se trabalhar num contexto musical e educativo, sendo bem explorada. Compartilho a minha experiência de musicalização no ensino, quando inicio os estudos musicais na primeira infância, indicam repertórios que atravessam décadas, séculos, acolhidos por sua beleza e simplicidade.

Degustamos do som brincando. Experimente criar efeitos dentro das cantigas com as propriedades do som, e já obterá o prazer e as sensações provindas da música como linguagem universal!

Os exemplos estão muito próximos de todos nós, aqui em Cubatão, onde a música e os seus músicos, espalhados por toda extensão em projetos que precisam ser mais valorizados e respeitados nesse berço.

Por fim, ofereço o desafio sobre o conhecimento dos prezados leitores da letra que segue. Mas antes fica a dica para cantar e, quiçá, tocar. Quanto ao instrumento musical, esse deixo à sua escolha! Estude Música, cante cantigas, que cantarei contigo!

(*) Pauta da Arte | por Daniela Da Guarda | e-mail: daniela.daguarda@gmail.com

 

FUI A ESPANHA

Fui à Espanha

Buscar o meu chapéu,

Azul e branco

Da cor daquele céu.

 

Ora, palma, palma, palma !

Ora, pé, pé, pé !

Ora, roda, roda, roda !

Caranguejo peixe é !

 

Caranguejo não é peixe,

Caranguejo peixe é

Caranguejo só é peixe

Lá no fundo da maré.

 

Samba, crioula,

Que veio da Bahia.

Pega na criança

E joga na bacia.

 

A bacia é de ouro,

Areada com sabão;

Depois de areada,

Enxuga com o roupão.

 

O roupão é de seda,

Camisinha de filó,

Touquinha de veludo

Pra quem ficar vovó.

 

Em coro, falando :

A benção, vovó !

A benção, vovó !


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *