Independência do Casqueiro é campeã pela décima vez consecutiva

Mestre Dão e a bateria com estilizados cocares indígenas

Mestre Dão e a bateria com estilizados cocares indígenas

O prêmio de R$ 90 mil da Prefeitura de Cubatão ficou para a escola de samba Independência do Casqueiro, que obteve 167,75 pontos e conquistou o seu deca-campeonato (dez vezes campeã consecutivamente), com o enredo ‘E o Povo Começa a Cantar!’, apresentando a emoção que o canto provoca nas pessoas, desde a alvorada anunciada pelo galo na madrugada, aos corais das igrejas e ao som ritmado dos indígenas. Assim que foi anunciado o resultado do desfile das escolas de samba de Cubatão, realizado na noite de sábado (14) na Avenida Beira Mar, no Jardim Casqueiro, sambistas e simpatizantes ecoaram o grito “Não tem pra ninguém”. A apuração aconteceu no Centro Esportivo Romerão, segunda-feira (16).

O segundo lugar ficou com a Escola de Samba Unidos do Morro, que obteve 163,25 pontos, e a terceira colocada foi a Nações Unidas, com 160,75 pontos. O vice-campeonato escapou da Nações Unidas por causa de quatro pontos que a agremiação perdeu por não ter cumprido exigências com relação às dimensões de dois carros alegóricos. A Unidos do Morro perdeu um ponto devido a atrasos na chegada de um carro alegórico.

Não coube qualquer contestação à conquista da Independência, porque além de não ter obtido nenhuma punição, conquistou a nota máxima (10) em seis dos nove quesitos: fantasia, alegoria, comissão de frente, samba-enredo, enredo e mestre-sala e porta-bandeira. Em evolução teve média 9,12; em harmonia, 9,87 e, em bateria, 9,75.

“Desfilar na Capital”

Presidente da agremiação há 9 anos,  e um dos fundadores da escola, Severino Batista, o Tatai, estava emocionado. “Este ano foi uma conquista diferente, pois o décimo título consecutivo representa um estandarte de ouro”, disse.

O enredo da escola ajudou bastante no planejamento e desenvolvimento das alas. E um dos destaques do desfile da Independência ficou por conta de uma ala homenageando o disco de vinil, com os figurantes de cabelo black power; fantasias com notas musicais, anjos cantores, pássaros, canto de independência dos negros e as tradicionais rodas de samba, além da bateria do Mestre Dão, que se apresentou com seus componentes usando estilizados cocares indígenas.

O vice-presidente da escola, Evilásio Santana, declarou que “o Carnaval de Cubatão já ficou pequeno demais para a gente. Nós temos completas condições de disputar o grupo de acesso da Capital, por exemplo”.

Estandarte

A premiação do tipo ‘Estandarte de Ouro’ não existe oficialmente em Cubatão, mas a possibilidade de sua criação, no futuro, não foi afastada pelo secretário municipal de Cultura, Welington Borges, que presidiu os trabalhos de apuração. Ele se mostrou satisfeito com o desfile oficial deste ano – que, conforme explicou, apresentou menos dificuldades do que no ano passado devido a algumas novidades, como a inversão no sentido do desfile, realizado na Avenida Beira-Mar, no Jardim Casqueiro: “Isso eliminou problemas para a chegada das escolas e na área de dispersão”.

Welington elogiou o trabalho harmônico das vários setores da Prefeitura, o que – a seu ver – contribuiu muito para o sucesso do carnaval deste ano.

A apuração foi acompanhada também pelo secretário municipal de turismo, Tico Barbosa, e por representantes da União das Escolas de Samba do Estado de São Paulo (UEESP). A Unidos dos Morros receberá o prêmio de R$ 60 mil, pelo segundo lugar, enquanto a Nações Unidas ficará com R$ 30 mil pela terceira colocação.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *