CDHU inicia obras de novo conjunto de moradias para 216 famílias

Novas moradias para atender ao Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, no Parque do Trabalhador. Foto: Assessoria de Imprensa da PMC

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Governo do Estado – CDHU já iniciou as obras do conjunto habitacional que será construído em área do Centro Social Urbano – CSU, também conhecido como Parque do Trabalhador, na Rua Salgado Filho, Parque Fernando Jorge, para abrigar moradores atendidos pelo programa Serra do Mar, do Governo do Estado. A ordem de serviço para a Semed, empreiteira encarregada das obras, foi emitida no dia 19 de dezembro de 2017 e a empresa tem 15 meses para concluí-las. O núcleo terá 216 moradias, distribuídas por quatro torres, de 14 andares cada.

Na manhã da última quarta-feira (10), o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) e o superintendente de obras do Programa Serra do Mar, engenheiro Humberto Schmidt, fizeram uma visita técnica à área. Também estiveram no local o gerente regional da CDHU na Baixada Santista, Rafael Redó Garcia, e os secretários municipais Andrea Maria de Castro (Habitação) e Benaldo Melo de Souza (Obras).

Emprego, alcance social e apoio ao comércio – Na ocasião, o prefeito Ademário destacou a importância do novo conjunto no sentido de propiciar moradias dignas para moradores de Cubatão e também para aquecer a economia daquela parte da cidade, que anteriormente recebeu conjuntos habitacionais da COHAB Santista nos anos 70 e 80. “As famílias que morarão aqui sem dúvida darão maior movimentação ao comércio local”, comentou.

Ademário destacou também que já nesta fase haverá benefícios sociais: “As obras gerarão 250 novos empregos, o que é relevante neste momento de crise na oferta de vagas de trabalho”, disse.

Andrea Maria de Castro, secretária de Habitação, afirmou que a construção do novo conjunto habitacional é um exemplo da sintonia que existe, hoje, entre a Prefeitura e a CDHU. “Isso se reflete, principalmente, nos entendimentos voltados para a regularização fundiária em vários núcleos da cidade”, completou.

Programa Serra do Mar – Iniciado em 2007 pelo governo do Estado de São Paulo com a proposta de realocar moradores dos bairros-Cota que viviam há décadas em áreas de risco geotécnico e no interior do Parque Estadual da Serra do Mar – PESM. Em 2010, com a parceria do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, o projeto ampliou sua área de atuação para os 332 mil hectares do parque e os mosaicos da Juréia-Itatins e de ilhas e as APAS Marinhas, tornando-se o Programa Recuperação Socioambiental da Serra do Mar e Mosaicos da Mata Atlântica, com orçamento de mais de um bilhão de reais.

O que parecia um desejo inatingível, no dizer de uma antiga moradora da área conhecida como Grotão, é hoje uma realidade com a transferência de mais de cinco mil famílias para novos bairros dotados de infraestrutura urbana. Considerado um programa inovador e o maior do banco em termos de recursos voltados ao meio ambiente, o modelo tem chamado a atenção de urbanistas de vários países e já conquistou prêmios pela sua proposta de sustentabilidade e volume de realocações, tornando-se referência em habitação sustentável e de interesse social na ONU, comemora o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

POVOEDIÇÃO467