POVOEDIÇÃO456

capa-456

Governo Marcia Rosa gerou mais favelas

Flagrante da construção de barracos à luz do dia 21 de outubro (Foto: Carlos Nogueira)

Flagrante da construção de barracos à luz do dia 21 de outubro (Foto: Carlos Nogueira)

Matéria publicada pelo jornal “A Tribuna” de Santos, deste sábado (22), expõe o surgimento de uma nova favela em área de mangue em Cubatão, já com 100 famílias morando, na divisa com São Vicente. A Prefeitura de Cubatão, na gestão da prefeita Marcia Rosa (PT) não atendeu aos alertas do Ministério Público, que desde 2009 cobra vigilância e ações de pronta demolição de novos barracos, transformando o déficit habitacional no município em um problema quase insolúvel.

Foi abandonado pela gestão petista, todo o trabalho que vinha sendo desenvolvido pelo prefeito Clermont Castor, através da secretaria do Meio Ambiente e a cooperação da comunidade liderada por Sebastião Ribeiro, o Zumbi (Associação Cubatão de Bem com o Mangue) e José Severino da Silva, o Miúdo (Rádio Comunitária Nova Esperança), com o apoio do Governo do Estado.

De acordo com a matéria de “A Tribuna”, levantamento preliminar confirmado pela própria Prefeitura indica que já haveria cerca de 100 famílias morando em barracos construídos na sequência da região da Vila Esperança, que ganhou a denominação de Vale Novo: “Sete anos de invasões sem controle em mangues de Cubatão fizeram crescer o número de barracos nas favelas ao sul da Cidade, expandindo a Vila Esperança na direção dos limites com São Vicente. Parte da área mais próxima à via férrea é uma propriedade privada. O restante é mangue de preservação permanente, protegida pela legislação ambiental”, ressalta a reportagem.

Indústria de favela – O jornal flagrou o andamento de novas construções na última sexta-feira (21), que segundo apurou são destinadas à venda para moradores de fora, atraídos pela ideia de facilidades de emprego na cidade onde fica o polo industrial.

O prefeito eleito, Ademário da Silva Oliveira (PSDB), havia alertado durante o período eleitoral, que estavam sendo construídos pelo menos 50 novos barracos por dia na cidade, prejudicando toda a população. E já colocou como prioritário em seu governo o plano “Invasão Zero, para evitar o crescimento das favelas e permitir a implantação de um projeto de urbanização de áreas degradadas, com apoio a ser solicitado ao Ministério Público, bem como dos governos do Estado e Federal”.

Prefeitura sempre soube – Consultada pela reportagem de “A Tribuna”, a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Cubatão confirmou o crescimento do número de invasões de áreas de proteção ambiental. E confirma, também, os alertas do Ministério Público Estadual contra a destruição de mangues do Rio Casqueiro (na região da Vila dos Pescadores) e nos mangues do Rio Paranhos (prolongamento das favelas Caic, Vila Esperança, Sítio Novo, Morro do Índio e, agora, do Vale Novo). O crescimento pode ser observado pelos motoristas que descem de São Paulo pela Rodovia dos Imigrantes em direção a Cubatão e Praia Grande.

Há cerca de três meses. atendendo disposições de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2009 com o Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema) do Ministério Público Estadual, a Comissão de Combate às Invasões em Cubatão intensificou os programas de controle.

Formada por membros de diversas pastas da Prefeitura, a Comissão decidiu pedir judicialmente a reintegração de posse de áreas invadidas no entorno da Vila Esperança.

Esforço por terra – Ainda conforme a Prefeitura, o objetivo do TAC de 2009 “foi de estancar o processo de favelização e devastação ambiental em áreas próximas ao Parque Estadual da Serra do Mar e de proteção, como os manguezais”.

A ação do MPE se deve a denúncias de que uma cerca instalada por moradores do Sítio Novo, com apoio da Petrobras e do Ministério Público de Meio Ambiente da Comarca – para proteger o mangue – foi derrubado para facilitar a construção de novos barracos.

Prefeita de Cubatão divulga regras para transição do PT para o PSDB

Reuniões acontecerão no Paço Municipal Piaçaguera.

Reuniões acontecerão no Paço Municipal Piaçaguera.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi divulgado o decreto n.º 10.535, de 10 de outubro de 2016, assinado pela prefeita Marcia Rosa (PT), detalhando as regras de como devem se comportar os órgãos e entidades da administração pública municipal de Cubatão durante o processo de transição governamental sob as ordens do PT, desde 2009, para o PSDB, que assume o comando da Cidade em 1.º de janeiro de 2017, tendo a frente Ademário da Silva Oliveira.

A petista segue o que dispõe o artigo 75 da Lei Orgânica do Município, que é a constituição cubatense, dispondo que a prefeita deverá, no período de transição compreendido entre a proclamação oficial do resultado eleitoral e a posse do novo prefeito, “permitir total acesso a dados e informações da administração à nova equipe de governo, bem como fornecer relatórios que contenham informações atualizadas sobre dívidas do Município, medidas necessárias à regularização das contas municipais perante o Tribunal de Contas, situação dos contratos de concessionárias de serviço público, projetos de lei de iniciativa do Executivo em tramitação na Câmara e a situação dos servidores do Município”.

Conforme o decreto há uma burocratização dos procedimentos para a equipe de transição designada pelo prefeito eleito Ademário Oliveira conseguir as informações do atual governo: “os pedidos de acesso às informações, qualquer que seja a sua natureza, deverão ser formulados por escrito e encaminhados ao coordenador da Equipe de transição a quem competirá requisitar dos órgãos e entidades públicas os dados solicitados”. Ainda de acordo com o decreto de Marcia Rosa, “é vedado a qualquer servidor público municipal prestar as informações, por outros meios que não os regulados” por ela.

Informações a disponibilizar – Todos os registros e documentos produzidos ou mantidos por órgãos ou entidades da Administração Pública Municipal, relacionados às atividades exercidas pelos órgãos e entidades, inclusive relacionadas a sua política, organização e serviços; às contas públicas do Governo Municipal; à estrutura organizacional da administração pública; à implementação, acompanhamento e resultados dos programas, projetos e ações dos órgãos e entidades públicas, bem como metas e indicadores propostos; e a outros atos administrativos, previstos no artigo 75 da Lei Orgânica do Município.

Coordenação – a prefeita Marcia Rosa já definiu que o advogado Paulo Toledo, ex-secretário municipal de Assuntos Jurídicos, será o coordenador da sua equipe de transição. Em contato informal com a imprensa, Toledo comentou que pretende “fazer esse trabalho da forma mais suave possível”, seguindo fielmente as regras do decreto municipal.

Ademário define equipe de transição – a comissão de transição definida pelo prefeito eleito Ademário Oliveira conta com 9 membros e é composta por Ricardo Ezequiel Torres, André Martins Ferreira, Jefferson Dias Gomes Neves Cansou, Judson Ribeiro Assunção, Pedro de Sá Filho, Arlindo Fagundes, Raimundo Pinheiro, Fábia Margarido e Raul Christiano.

Primeiro encontro – na tarde desta quinta-feira (13), às 16h00, na sede da Secretaria de Assuntos Jurídicos da Prefeitura de Cubatão, acontecerá a primeira reunião entre os representantes da prefeita Marcia Rosa e do próximo prefeito Ademário. Dela participarão Paulo Toledo, André Takagochi Rinaldi (secretário de Assuntos Jurídicos) e Paula Ravanelli Losada (secretária de Auditoria e Controladoria Interna). E pelo lado da comissão de transição do prefeito eleito, Ricardo Ezequiel Torres, André Martins Ferreira, Jefferson Cansou e Judson Assunção.

Nesse encontro serão formalizadas as indicações dos nomes de Ademário, para que a prefeita designe por portaria todos os membros da Equipe de Transição, cuja composição deverá ser paritária (9 para cada lado). Ainda de acordo com o decreto que regulamenta essa etapa sucessória na Prefeitura de Cubatão, “os membros da equipe de transição não serão remunerados por essa atividade e deverão manter sigilo sobre os documentos e informações a que tiverem acesso, sob pena de responsabilidade, nos termos da legislação vigente”.

Ainda não foi definida a data do encontro entre o prefeito eleito e a prefeita Marcia Rosa.

Cubatão elege Ademário prefeito!

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Com 41,53% dos votos válidos, que foi a soma da opção de 28.455 eleitores, o vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB) foi eleito prefeito de Cubatão, nas eleições de 2 de outubro. Sua vitória confirmou a sua liderança nos resultados das pesquisas recentes dos jornais “Diário do Litoral” e “A Tribuna de Santos”, com um plus a mais de 20 pontos percentuais à frente do segundo colocado, Wagner Moura (PMDB), que teve 13.426 (19,59%). Na sequência ficaram Severino Tarcício, Doda (PSB), com 11.449 (16,71%), Dinho Heliodoro (SD), com 11.343 (16,55%), e Fábio Inácio (PT), 3.850 (5,62%).

As primeiras palavras de Ademário foram de agradecimento ao povo de Cubatão, que já havia lhe dado o título de vereador mais votado da história da cidade em 2012, com 2.721 votos, e sobre os seus principais desafios, a começar pela saúde, fazendo o hospital que tem capacidade para 250 leitos funcionar na sua plenitude. O prefeito eleito é tucano, como o governador Geraldo Alckmin, e acredita no diálogo com o Estado e o governo federal, que conta com o apoio do PSDB a nível nacional, para buscar ajuda e recuperar o município.

Primeiras ações: Ademário Oliveira declarou que vai “montar uma equipe de transição, chamar a atual prefeita para conversar”. Quer assumir no dia 1.º de janeiro com “inteireza de dados e dinamismo para fazer a máquina andar com um ritmo mais competente, eficiente e eficaz”.

Nova Câmara: A partir de 1.º de janeiro, a Câmara Municipal de Cubatão contará com 15 vereadores, e o mais votado nas eleições deste ano foi o companheiro de chapa de Ademário Oliveira, Toninho Vieira (PSDB), que obteve 2.902 votos e passa a ser agora o detentor do título de vereador mais votado na história local. Também se elegeram: Cesar Nascimento (PSDB), com 2.227 votos; Ricardo Queixão (PDT), com 1967 votos; Fábio Roxinho (PMDB), 1.683; Rafael Tucla (PT), 1.673; Rodrigo Alemão (PSDB), 1.657; Dr. Anderson Veterinário (PRB), 1.545; Ivan Hildebrando (PSB), 1.433; Jair do Bar (PT), 1.422; Sérgio Calçados (PPS), 1.271; Aguinaldo Araújo (PDT), 1.218; Cléber do Cavaco (PRB), 1.046; Marcinho (PSB), 952; Wilson Pio (PSDB), 911 e Lalá (SD), 797 votos.

Quem é Ademário Oliveira – Baiano nascido em Rachão da Jacuipe, Ademário da Silva Oliveira candidato tucano à prefeitura de Cubatão com o vice Pedro Sá é, antes de tudo, um vencedor, exemplo de superação e de político vocacionado a lutar em defesa da justiça e do bem estar coletivo. “Ser político, é gostar de gente”, resume.

Com 10 anos de idade chegou à Cubatão com sua família “atrás da vida” como gosta de justificar as razões que levaram o pai a trocar o sertão baiano por São Paulo. Foi no CAMP – Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Cubatão, onde ficou até os 18 anos, que as portas se abriram para Ademário. “tudo que conquistei na vida, devo ao CAMP”, reconhece o ex-patrulheiro, hoje advogado e vereador mais votado da história de Cubatão,

A política entrou em seu sangue em 1997 quando, social democrata por convicção, se filiou ao PSDB. Três anos depois já era o primeiro suplente na Câmara de Cubatão com um capital eleitoral de 418. Encarou a primeira derrota como vitória e em 2004 manteve a primeira suplência duplicando o capital: 851 votos.

Ampliou o trabalho comunitário e suas ações em defesa, inicialmente, de seu bairro – Vila Natal, ao mesmo tempo em que se dedicava aos estudos e a conquistar novos amigos. Manteve a luta política em defesa dos mais necessitados e as eleições de 2008 lhe deram a certeza de que estava no caminho certo, que seus ideais estavam sendo compreendidos pelos cubatenses. Manteve, como sempre, a primeira suplência na Câmara. Desta vez com 1.651 votos, o oitavo candidato mais votado.

Suas derrotas foram lições de vida, consolidaram o espírito combativo que, tinha certeza, serviam de tempero à vitória. E ela finalmente chegou em 2012 como o vereador mais votado da história de Cubatão: 2.721 votos que lhe deram o direito de presidir a sessão solene de posse dos vereadores e da prefeita reeleita Márcia Rosa.

Ação Legislativa – Deu posse à prefeita, mas não teve vida fácil no Legislativo. Vereador de oposição, desde os primeiros momentos ao governo petista que fazia uma péssima administração, segundo sua avaliação. “A Márcia representava um governo perseguidor, não atendia a oposição e eu não conseguia dar respostas às demandas populares”.

Perseguido, Ademário enfrentou processo de tentativa de cassação de seu mandato e as indiferenças da prefeita às suas tentativas de conquistas sociais para o povo. Os ataques e as injustiças políticas que sofria serviam apenas para, como se diz no sertão, deixar seu couro mais duro.

Partiu para o ataque com ações independentes através de comissões Parlamentar de Inquérito. Desafiava o poder e denunciava não apenas irregularidades da administração municipal, mas também do governo federal da hoje deposta presidente Dilma Vana Rousseff.

Ganhou projeção nacional no combate à corrupção na Petrobras, bem antes de começar a Operação Lava Jato, presidindo a Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou e denunciou irregularidades na Refinaria Presidente Bernardes. Na época, a revista Isto É afirmou que os prejuízos à Petrobrás foram de R$ 43.5 milhões.

Pesquisa do IPAT confirma Ademário em 1.º lugar com 25,3%

Pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016

Pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016

A corrida eleitoral chega na reta final e o candidato do PSDB à Prefeitura de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira, lidera a preferência do eleitorado com 25,3% das intenções de voto. Esse é o resultado da pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas A Tribuna – IPAT, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016, realizada nos dias 23 e 24 de setembro, com intervalo de confiança de 95% e divulgada na edição desta quarta-feira (28), e confirma resultados da semana passada do Instituto Opinião contratado pelo jornal “Diário do Litoral”.

A liderança de Ademário é isolada, mediante a apresentação dos nomes dos cinco candidatos, para uma amostragem de 800 eleitores cubatenses. Devido à margem de erro da pesquisa, de 3,5% para mais ou para menos, os outros quatro concorrentes estão tecnicamente empatados: Severino Tarcício, o Doda (PSB), aparece em segundo lugar com 15,4%, Wagner Moura (PMDB) com 12,5%, Dinho Heliodoro (SD), tem 10,1%, e Fábio Inácio (PT), conta com 8,9% da vontade de votar do povo cubatense.

Dos entrevistados, 15% disseram que votarão em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos, e 12,8% ainda não sabiam em quem votar. Excluídas essas respostas e considerados somente os votos válidos, Ademário soma 35,1% das preferências. Depois vêm Doda (21,3%), Wagner Moura (17,3%), Dinho (14%) e Fábio (12,3%).

Quando os pesquisadores do IPAT perguntaram aos eleitores que, entre os cinco candidatos, em quem não votaria de jeito nenhum, 32,3% citaram o nome de Fábio Inácio; Doda e Wagner Moura são rejeitados por 21,8% cada; Ademário por 20% e Dinho recebeu 18% das citações contrárias.

Pesquisa espontânea – Na sondagem espontânea, em que os pesquisadores do IPAT não mostraram aos entrevistados os nomes dos candidatos, a classificação seguiu a mesma ordem da consulta estimulada, com números diferentes: Ademário obteve 19,2% das citações; Doda, 11,1%; Wagner, 9,2%; Dinho, 6,9% e Fábio, 5,4%.

89,4% rejeitam Marcia Rosa – A pesquisa que sinaliza para o futuro da Prefeitura de Cubatão, com Ademário Oliveira prefeito se as eleições fossem no início da semana, também mostra a rejeição do eleitorado à prefeita Marcia Rosa, que é de praticamente nove em cada dez entrevistados nesta pesquisa eleitoral. O índice é de 89,4%, quase igual ao apurado em relação à prefeita de Guarujá, Maria Antonieta Brito (PMDB), rejeitada por 89,5%, e inferior à do prefeito de São Vicente, Luís Carlos Bili, sem partido, que alcançou 94,7%.

Segundo o cientista político Alcindo Gonçalves, coordenador do IPAT, a imagem de Marcia foi abalada pelas “várias ameaças de cassação (do mandato de prefeita, com dois pedidos votados recentemente pela Câmara de Vereadores) e a crise, que bateu forte na receita (da Prefeitura)”.

Câmara Municipal – Na mesma pesquisa, o IPAT quis saber também em quem os eleitores de Cubatão votariam para compor as 15 vagas do Poder Legislativo a partir do dia 1.º de janeiro de 2017, Cesar aparece com 2,9%; Augusto Rei do X Salada, 2,5%; Roxinho, 2,5%; Ricardo Queixão, 2,3%; Toninho Vieira, 1,9%; Jair do Bar, 1,8%; Pastor Valdeci Santos, 1,8%; Tinho, 1,8%; Fábio Moura, 1,6%; Rafael Tucla, 1,5%; Allan Matias, Cotia, Irmão Ximenes e Missionário Marcos Cardoso, cada um com 1,4%; Pádua, Professor Welington, Sérgio Peralta e Zelma, com 1,1% cada um; Gilvan Barreto, Professor Cagé, e Sérgio Calçados, todos com 1,0% cada. Os demais candidatos tiveram um número menor de citações.

Ademário lidera intenções de voto em Cubatão com 25,37%

Resultado na capa do Diário do Litoral (20/9)

Resultado na capa do Diário do Litoral (20/9)

Pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Opinião Pesquisa, Análise e Consultoria Ltda., a pedido do jornal Diário do Litoral, sobre a eleição para a Prefeitura de Cubatão mostra que o candidato Ademário da Silva Oliveira (PSDB) lidera a corrida para assumir a direção do Paço Piaçaguera com 25,37% das intenções de voto. Na sequência aparece o ex-vereador, Wagner Moura (PMDB), com 18,41%. Adeildo Heliodoro dos Santos, o Dinho (SD) alcançou 16,67%, Severino Tarcício, o Doda (PSB) tem 15,17% e Fábio Inácio (PT) chega a 7,96%.

A pesquisa foi contratada pelo jornal Diário do Litoral e foi registrada com o número SP-04540/2016 no Tribunal Superior Eleitoral, ouviu 402 pessoas, entre os dias 14 e 15 de setembro, e também sondou as intenções de voto para os candidatos a vereador, que disputam as 15 vagas da Câmara Municipal na próxima legislatura. A margem de erro é de 4,9 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando-se o coeficiente de confiança de 95%. Não sabem ou não responderam 6,47%. E os eleitores que declararam que não votariam em nenhum dos candidatos chegam a 9,95%.

Na pesquisa espontânea (quando os nomes dos candidatos não são apresentados ao eleitor) Ademário também lidera, com 16,92%. Na sequência aparecem Wagner Moura (10,45%), Dinho Heliodoro (9,95%), Doda (8,21%) e Fábio Inácio (3,48%). O vereador César (PSDB), o candidato a vereador Joziel Lima-Chinha (PSB), a atual prefeita Marcia Rosa (PT) e o ex-prefeito Nei Serra (PSDB) obtiveram 0,25%.

O Instituto Opinião também levantou qual a rejeição de cada candidato. O instituto perguntou aos 402 entrevistados em quem não votariam. O candidato petista possui a maior rejeição entre os eleitores ouvidos pela pesquisa. Fábio Inácio atingiu 31,59%; Wagner Moura chegou a 15,42%; Doda, 14,93%. Na sequência, Ademário aparece com 11,44% e Dinho Heliodoro, com 7,96%. Os que rejeitaram todos os candidatos somam 5,97%. Os eleitores que não rejeitaram nenhum dos nomes chegam a 4,48%. Não souberam responder 8,21% dos entrevistados.

Rejeição da prefeita Marcia Rosa – O Instituto também quis saber se o eleitor “pretende votar pela continuidade da atual administração ou por sua mudança?” A maioria dos entrevistados (87%) quer uma nova administração, enquanto apenas 3% optaram pela continuidade. Os que são indiferentes somam 3% e os que não souberam opinar, 7%.

E sobre a interferência de Marcia Rosa na disputa deste ano, 65% dos eleitores dizem que com certeza não votariam em um candidato apoiado por ela. 29% estão indiferentes em relação ao seu apoio, 5% votariam com certeza nesse candidato e 1% não sabe dizer.

Vereadores – A Câmara Municipal, que atualmente conta com 11 vereadores e na próxima legislatura terá 15 membros, passará por uma grande renovação, já que quatro vereadores disputam o cargo de prefeito e, de acordo com as intenções de voto espontâneas dos eleitores, Cubatão pode voltar a ter mulheres na vereança, de acordo com a Pesquisa do jornal Diário do Litoral.

Queixão (PDT) obteve 4,98% das intenções de voto, seguido de César (PSDB), com 2,74%; Lalá (SD), com 2,49%; Katia (PPS), 1,99%; Allan Matias (PRB) e Roxinho (PMDB), 1,74% cada; Ivan Hildebrando (PSB), Jair do Bar (PT), Carioca (PSDB), Dr. Anderson (PRB), Rafael Tucla (PT) e Toninho Vieira (PSDB), 1,49% cada; Gallo (PSDB), Joziel Lima (PSB), Pastor Valdeci (PRB), Sérgio Calçados (PPS), Wellington Santos (PSB) e Wilson Pio (PSDB), 1,24% cada; Alessandro Oliveira (PRB), Bianca Lira (PSDB), Pastor Carlos Lage (PRB), Fabio Moura (PMDB), Pádua (PT) e Rodrigo Alemão (PSDB), 1% cada; Aguinaldo Araújo (PDT), 0,5%; outros somam 12,4%

Os indecisos ou que ainda não sabem em quem vão votar são 22,88%. Entre os que anulariam o voto ou não votariam em ninguém para vereador chegam a 6,22%.