Governo do Estado realizará melhorias no Rubens Lara

Os apartamentos e sobrados construídos desde 2008, na região do Jardim Casqueiro, em Cubatão, são referência urbanística no país e no mundo. Foto: Internet.

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado – CDHU destinará R$ 5 milhões para serviços de manutenção e reforma nas unidades habitacionais do conjunto Rubens Lara. A medida atende a reivindicação antiga das famílias que residem no núcleo e foi assunto da reunião que o prefeito Ademário Oliveira manteve na terça-feira (16) com o secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia (DEM). Participaram também do encontro, realizado na Capital, o deputado estadual Caio França (PSB), a secretária municipal da Habitação Andrea Maria de Castro, o vereador Ivan Hildebrando (PSB) e técnicos da CDHU.

Os pedidos de reparos nos prédios do Conjunto Rubens Lara, que é administrado pela CDHU, vão desde recuperação em revestimentos de paredes e infiltrações nos tetos até manutenção de sistemas elétrico, hidráulico e de saneamento. As queixas dos moradores têm sido encaminhadas com frequência à Prefeitura, o que levou o prefeito Ademário Oliveira a interferir diretamente junto ao Governo do Estado em busca de soluções para os problemas.

O conjunto Rubens Lara foi inaugurado em 2010, com objetivo de abrigar a 1.840 famílias transferidas das encostas da Serra do Mar pelo Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, do governo paulista. Na semana passada a CDHU iniciou as obras de mais 216 apartamentos, em quatro torres de 14 andares cada uma, na área do CSU / Parque do Trabalhador, no Jardim Costa e Silva.

Casa Paulista – Na mesma reunião, a Prefeitura obteve a garantia do Governo do Estado de que a cidade participará do Programa Casa Paulista. Este programa consiste na liberação de recursos estaduais para que sejam complementados investimentos em projetos habitacionais.

Segundo a secretária Andrea Maria de Castro, a Prefeitura destinará as verbas para os projetos desenvolvidos na Vila Esperança por meio do programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. “Isso possibilitará uma redução significativa dos custos finais das unidades habitacionais, principalmente em uma área de solo inconsistente como é a Vila Esperança”, explicou.

CDHU inicia obras de novo conjunto de moradias para 216 famílias

Novas moradias para atender ao Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, no Parque do Trabalhador. Foto: Assessoria de Imprensa da PMC

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Governo do Estado – CDHU já iniciou as obras do conjunto habitacional que será construído em área do Centro Social Urbano – CSU, também conhecido como Parque do Trabalhador, na Rua Salgado Filho, Parque Fernando Jorge, para abrigar moradores atendidos pelo programa Serra do Mar, do Governo do Estado. A ordem de serviço para a Semed, empreiteira encarregada das obras, foi emitida no dia 19 de dezembro de 2017 e a empresa tem 15 meses para concluí-las. O núcleo terá 216 moradias, distribuídas por quatro torres, de 14 andares cada.

Na manhã da última quarta-feira (10), o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) e o superintendente de obras do Programa Serra do Mar, engenheiro Humberto Schmidt, fizeram uma visita técnica à área. Também estiveram no local o gerente regional da CDHU na Baixada Santista, Rafael Redó Garcia, e os secretários municipais Andrea Maria de Castro (Habitação) e Benaldo Melo de Souza (Obras).

Emprego, alcance social e apoio ao comércio – Na ocasião, o prefeito Ademário destacou a importância do novo conjunto no sentido de propiciar moradias dignas para moradores de Cubatão e também para aquecer a economia daquela parte da cidade, que anteriormente recebeu conjuntos habitacionais da COHAB Santista nos anos 70 e 80. “As famílias que morarão aqui sem dúvida darão maior movimentação ao comércio local”, comentou.

Ademário destacou também que já nesta fase haverá benefícios sociais: “As obras gerarão 250 novos empregos, o que é relevante neste momento de crise na oferta de vagas de trabalho”, disse.

Andrea Maria de Castro, secretária de Habitação, afirmou que a construção do novo conjunto habitacional é um exemplo da sintonia que existe, hoje, entre a Prefeitura e a CDHU. “Isso se reflete, principalmente, nos entendimentos voltados para a regularização fundiária em vários núcleos da cidade”, completou.

Programa Serra do Mar – Iniciado em 2007 pelo governo do Estado de São Paulo com a proposta de realocar moradores dos bairros-Cota que viviam há décadas em áreas de risco geotécnico e no interior do Parque Estadual da Serra do Mar – PESM. Em 2010, com a parceria do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, o projeto ampliou sua área de atuação para os 332 mil hectares do parque e os mosaicos da Juréia-Itatins e de ilhas e as APAS Marinhas, tornando-se o Programa Recuperação Socioambiental da Serra do Mar e Mosaicos da Mata Atlântica, com orçamento de mais de um bilhão de reais.

O que parecia um desejo inatingível, no dizer de uma antiga moradora da área conhecida como Grotão, é hoje uma realidade com a transferência de mais de cinco mil famílias para novos bairros dotados de infraestrutura urbana. Considerado um programa inovador e o maior do banco em termos de recursos voltados ao meio ambiente, o modelo tem chamado a atenção de urbanistas de vários países e já conquistou prêmios pela sua proposta de sustentabilidade e volume de realocações, tornando-se referência em habitação sustentável e de interesse social na ONU, comemora o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

POVOEDIÇÃO467

Boca do Povo

Agendão

Com uma agenda de fôlego por todo o Estado, o subsecretário de Desenvolvimento Metropolitano do Governo Geraldo Alckmin, Edmur Mesquita – na ilustração, cumpre papel importantíssimo na organização das regiões metropolitanas. Inicialmente havia só a da Baixada Santista, território que ele conhece bem por sua atuação desde os tempos em que atuava no movimento da Pastoral Católica, depois na área estudantil, até se eleger vereador de Santos e deputado estadual pelo PSDB.

O subsecretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edmur Mesquita, deve tentar uma vaga à Assembleia Legislativa.

Organizador

A ideia de tirar do papel a nova organização das regiões administrativas, prevista na Constituição Brasileira de 1988, partiu do saudoso governador Mário Covas, quando criou a região da Baixada Santista. Essa iniciativa avançou muito, porque somente dá certo quando os municípios dão as mãos e buscam soluções conjuntas para os seus problemas comuns.

Empenho

Com essa orientação, os governos estaduais que se sucederam – Geraldo Alckmin, agora em seu quarto mandato; José Serra e Alberto Goldman, que inclusive deixaram marcas históricas e grandes realizações em Cubatão – o Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar e o Programa Onda Limpa de saneamento da Baixada e do Litoral, as regiões metropolitanas foram institucionalizadas ainda na Grande São Paulo e Campinas.

Não para

Edmur Mesquita se afastou da disputa eleitoral nesses anos para cuidar desse trabalho delicado, de promover o entendimento entre os prefeitos e os agentes públicos e privados em busca de soluções integradas, que ora se estendem ao Vale do Paraíba, Ribeirão Preto e Sorocaba, servindo de ponte entre os governadores e os municípios.

2018

Nos últimos meses, após fazer um balanço positivo desse trabalho, com resultados importantes para que a organização do Estado siga em frente, com exemplos de gestão e conhecimento das mais variadas formas de governar, Edmur Mesquita não esconde a intenção de voltar a se candidatar a deputado estadual. Já avisou ao PSDB que está à disposição do partido, com toda bagagem necessária para fazer a diferença com experiência e vocação para melhorar a vida das pessoas.

Nome de peso

Esta coluna reúne condições de registrar que o nome de Edmur Mesquita é forte para uma disputa política em que o eleitorado não se cansa de negar apoio a uma grande parte dos políticos atuais. Além disso tudo, Edmur tem uma folha de serviços prestados que vai lhe render muitos apoios.

Não gostou

O vereador Toninho Vieira (PSDB) não gostou nada de ver o seu nome envolvido na nota política da “Boca do Povo”, sobre quase ter saído no braço com o Secretário de Segurança e Cidadania, Jefferson Cansou, que é também advogado e seu colega de partido. Mas até agora não negou o fato.

Fraudes

Caiu como uma bomba a notícia de que a Controladoria-Geral da União orientou para o cancelamento do pagamento de 1.664 famílias na Baixada Santista, que recebem o benefício da Bolsa Família. Segundo a CGU, essas familiares declararam renda mensal menor do que a realidade e isso causou um prejuízo de quase R$ 7 milhões ao governo federal.

Cubatão

Das 3.162 famílias cadastradas em Cubatão, 111 são investigadas por fraude e 393 tiveram os benefícios bloqueados.

Quem pode

O programa Bolsa Família atende as famílias que vivem em situação de pobreza e de extrema pobreza. Estão aptas ao benefício as famílias que possuem renda per capita menor que R$ 85,00 ou aquelas que possuem renda per capita de R$ 85,01 a R$ 170,00 mensais, desde que tenham crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos.

IPTU

Os carnês de cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), de 2018, começaram a ser distribuidos na terça-feira (2) e o vencimento da primeira parcela do tributo será no dia 25 de janeiro. O imposto terá um reajuste de 1,83%, referente à variação do Indice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC).

Mês de contas

Serão 26.600 carnês e a distribuição ficará a cargo do Banco Bradesco, que também foi responsável pelos custos de impressão. A distribuição de outros 1.600 carnês de contribuintes – cuja inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Físicas (CPF) não foi fornecida – será de responsabildiade da Prefeitura. Estes contribuintes deverão recolher os tributos nas agências do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Itaú.

Casa da Esperança

É preocupante o impasse para o reinício das atividades da Casa da Esperança em Cubatão, que enfrenta muitas dificuldades para fazer caixa e pagar os funcionários. O presidente do Rotary Clube, Hermes Balula, interventor nomeado pela Justiça, ainda espera que o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) cumpra o que prometeu…

Promessa

Foi noticiado na época da transferência de interventores, antes da Secretaria Municipal de Saúde para o Rotary, que a Prefeitura assumiria o passivo trabalhista da casa, estimado em cerca de R$ 400 mil, e retomaria os contratos com a Administração. Quem não está gostando são as mães e pais das crianças desatendidas.

Cubatão elege Ademário prefeito!

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Com 41,53% dos votos válidos, que foi a soma da opção de 28.455 eleitores, o vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB) foi eleito prefeito de Cubatão, nas eleições de 2 de outubro. Sua vitória confirmou a sua liderança nos resultados das pesquisas recentes dos jornais “Diário do Litoral” e “A Tribuna de Santos”, com um plus a mais de 20 pontos percentuais à frente do segundo colocado, Wagner Moura (PMDB), que teve 13.426 (19,59%). Na sequência ficaram Severino Tarcício, Doda (PSB), com 11.449 (16,71%), Dinho Heliodoro (SD), com 11.343 (16,55%), e Fábio Inácio (PT), 3.850 (5,62%).

As primeiras palavras de Ademário foram de agradecimento ao povo de Cubatão, que já havia lhe dado o título de vereador mais votado da história da cidade em 2012, com 2.721 votos, e sobre os seus principais desafios, a começar pela saúde, fazendo o hospital que tem capacidade para 250 leitos funcionar na sua plenitude. O prefeito eleito é tucano, como o governador Geraldo Alckmin, e acredita no diálogo com o Estado e o governo federal, que conta com o apoio do PSDB a nível nacional, para buscar ajuda e recuperar o município.

Primeiras ações: Ademário Oliveira declarou que vai “montar uma equipe de transição, chamar a atual prefeita para conversar”. Quer assumir no dia 1.º de janeiro com “inteireza de dados e dinamismo para fazer a máquina andar com um ritmo mais competente, eficiente e eficaz”.

Nova Câmara: A partir de 1.º de janeiro, a Câmara Municipal de Cubatão contará com 15 vereadores, e o mais votado nas eleições deste ano foi o companheiro de chapa de Ademário Oliveira, Toninho Vieira (PSDB), que obteve 2.902 votos e passa a ser agora o detentor do título de vereador mais votado na história local. Também se elegeram: Cesar Nascimento (PSDB), com 2.227 votos; Ricardo Queixão (PDT), com 1967 votos; Fábio Roxinho (PMDB), 1.683; Rafael Tucla (PT), 1.673; Rodrigo Alemão (PSDB), 1.657; Dr. Anderson Veterinário (PRB), 1.545; Ivan Hildebrando (PSB), 1.433; Jair do Bar (PT), 1.422; Sérgio Calçados (PPS), 1.271; Aguinaldo Araújo (PDT), 1.218; Cléber do Cavaco (PRB), 1.046; Marcinho (PSB), 952; Wilson Pio (PSDB), 911 e Lalá (SD), 797 votos.

Quem é Ademário Oliveira – Baiano nascido em Rachão da Jacuipe, Ademário da Silva Oliveira candidato tucano à prefeitura de Cubatão com o vice Pedro Sá é, antes de tudo, um vencedor, exemplo de superação e de político vocacionado a lutar em defesa da justiça e do bem estar coletivo. “Ser político, é gostar de gente”, resume.

Com 10 anos de idade chegou à Cubatão com sua família “atrás da vida” como gosta de justificar as razões que levaram o pai a trocar o sertão baiano por São Paulo. Foi no CAMP – Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Cubatão, onde ficou até os 18 anos, que as portas se abriram para Ademário. “tudo que conquistei na vida, devo ao CAMP”, reconhece o ex-patrulheiro, hoje advogado e vereador mais votado da história de Cubatão,

A política entrou em seu sangue em 1997 quando, social democrata por convicção, se filiou ao PSDB. Três anos depois já era o primeiro suplente na Câmara de Cubatão com um capital eleitoral de 418. Encarou a primeira derrota como vitória e em 2004 manteve a primeira suplência duplicando o capital: 851 votos.

Ampliou o trabalho comunitário e suas ações em defesa, inicialmente, de seu bairro – Vila Natal, ao mesmo tempo em que se dedicava aos estudos e a conquistar novos amigos. Manteve a luta política em defesa dos mais necessitados e as eleições de 2008 lhe deram a certeza de que estava no caminho certo, que seus ideais estavam sendo compreendidos pelos cubatenses. Manteve, como sempre, a primeira suplência na Câmara. Desta vez com 1.651 votos, o oitavo candidato mais votado.

Suas derrotas foram lições de vida, consolidaram o espírito combativo que, tinha certeza, serviam de tempero à vitória. E ela finalmente chegou em 2012 como o vereador mais votado da história de Cubatão: 2.721 votos que lhe deram o direito de presidir a sessão solene de posse dos vereadores e da prefeita reeleita Márcia Rosa.

Ação Legislativa – Deu posse à prefeita, mas não teve vida fácil no Legislativo. Vereador de oposição, desde os primeiros momentos ao governo petista que fazia uma péssima administração, segundo sua avaliação. “A Márcia representava um governo perseguidor, não atendia a oposição e eu não conseguia dar respostas às demandas populares”.

Perseguido, Ademário enfrentou processo de tentativa de cassação de seu mandato e as indiferenças da prefeita às suas tentativas de conquistas sociais para o povo. Os ataques e as injustiças políticas que sofria serviam apenas para, como se diz no sertão, deixar seu couro mais duro.

Partiu para o ataque com ações independentes através de comissões Parlamentar de Inquérito. Desafiava o poder e denunciava não apenas irregularidades da administração municipal, mas também do governo federal da hoje deposta presidente Dilma Vana Rousseff.

Ganhou projeção nacional no combate à corrupção na Petrobras, bem antes de começar a Operação Lava Jato, presidindo a Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou e denunciou irregularidades na Refinaria Presidente Bernardes. Na época, a revista Isto É afirmou que os prejuízos à Petrobrás foram de R$ 43.5 milhões.

Ademário relata preocupações com saúde ao Governador Geraldo Alckmin

Hospital vive a maior crise de sua história. Foto: Raimundo Rosa.

Hospital vive a maior crise de sua história. Foto: Raimundo Rosa.

O governador Geraldo Alckmin esteve na última quarta-feira (15), em Praia Grande, onde recebeu do vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB) um relato sobre a situação difícil enfrentada pelo Hospital Modelo de Cubatão. O assunto saúde pública regional dominou boa parte da visita do governador a vários dos municípios da Baixada Santista, mas destacou que está em fase de efetivação um novo convênio de auxílio financeiro do Programa Santas Casas Sustentáveis para o Hospital Municipal de Cubatão.

Em seguida, o vereador Ademário obteve da diretora regional de Saúde, Paula Covas Borges Calipo, o detalhamento de como será realizado o apoio do Governo do Estado a Cubatão. Paula Covas explicou que “o auxílio será em 7 parcelas mensais no valor de R$ 247.468,08, totalizando R$ 1.732.276,56 para custeio – material de consumo e prestação de serviços médicos e, investimento, cujo objetivo é aprimorar a gestão hospitalar visando a melhoria na qualidade do atendimento”.

A dirigente regional confirmou também que Estado e Prefeitura devem se reunir no próximo dia 20 (segunda-feira), para tratar especificamente do Hospital Modelo, contando inclusive com a presença e participação do Secretário de Estado da Saúde, David Uip, atendendo a pedido da promotora de Justiça Larissa Motta Nunes.

“Vamos conversar sobre a situação. Temos um momento emergencial do hospital, mas precisamos definir um plano para que essas dificuldades não se repitam. A responsabilidade pelo hospital municipal é da Prefeitura e o Estado já fornece recursos específicos para ajudar na manutenção, por entender que o equipamento é importante no contexto da Saúde regional”, destacou Paula.

O Programa Santas Casas Sustentáveis representa um complemento à tabela do SUS, e é de 40% acima do teto pago pelo Sistema Único de Saúde.

AHBB – A Associação Hospitalar Beneficente do Brasil que gerencia o hospital com recursos repassados pelo município, entre sexta e segunda-feira desta semana, recebeu R$ 2 milhões, que foram utilizados para pagar fornecedores e alguns médicos da maternidade: “Não sobrou dinheiro suficiente para uma folha de pagamento completo e não houve pagamento nenhum aos empregados”, disse Paulo Pimentel, presidente do Sintrasaúde, que lidera greve de quase 90% do quadro estimado em cerca de 450 trabalhadores.

Urbanização da Vila Esperança não sai do papel

Moradores da Vila Esperança querem o Estado fazendo.

Moradores da Vila Esperança querem o Estado fazendo.

A prefeita Marcia Rosa (PT) se comprometeu em iniciar a segunda fase das obras do Projeto de Urbanização da Vila Esperança, ainda durante a sua campanha à reeleição em 2012, mas a população perdeu a esperança, porque até agora essa promessa ficou só nos contratos e nas notícias da imprensa.

Pelo menos 2.442 famílias seriam atendidas com melhorias cobradas pelo vereador Ademário Silva Oliveira (PSDB), que listou entre as promessas da prefeita petista, a construção de 1.232 novas unidades habitacionais (860 apartamentos, 144 embriões, 120 sobrepostas e 108 sobrepostas adaptadas) e de outras 1.210 moradias consolidadas (com reforma da infraestrutura e melhorias nos imóveis).

Durante visita da reportagem do jornal ‘Povo de Cubatão’ ao bairro, a triste constatação: nada aconteceu e a Vila Esperança acumula problemas nas condições atuais das moradias e nos acessos ao bairro. E o projeto envolvia ainda a construção de novos equipamentos públicos (uma escola de Ensino Infantil, uma de Ensino Fundamental, praças e playgrounds no interior dos conjuntos). Eram para ter sido construídos, também, um pequeno parque público, com uma via de borda e uma ciclovia que contornaria toda a área urbanizada.

Ademário, que além de vereador é o presidente do PSDB de Cubatão, destaca que “o governo do PT teve sete anos pra melhorar a vida de uma população de 30 mil habitantes, que reside na Vila Esperança e não conseguiu ver atendidos os seus reclamos, por absoluta falta de gestão e comprometimento das áreas de responsabilidade da Prefeitura”.

Perda de convênios

A Prefeitura, que já havia perdido um convênio de R$ 16 milhões, por incapacidade de gestão, contabiliza ainda a perda de outros R$ 200 milhões do Programa PAC do Governo Federal. E essa situação grave está gerando uma voz corrente entre os moradores do bairro, após conhecerem as moradias do Programa Serra do Mar nos conjuntos habitacionais espalhados pela cidade: “Torcemos para que o Governador Geraldo Alckmin possa fazer por nós, o mesmo que fez pelos moradores das Cotas, que viviam sobressaltados com a insegurança”, comenta um morador que pediu para não ter o seu nome escrito pelo jornal.

Abaixo-Assinado

Sensível com essas manifestações crescentes na Vila Esperança, o vereador tucano Ademário começou a mobilizar a população e montou uma barraca, e já colheu aproximadamente 5 mil assinaturas para serem encaminhadas ao Palácio do Governo do Estado, em busca de sensibilizar o governador Alckmin para que ele assuma definitivamente as obras do bairro da Vila Esperança.