Cubatão elege Ademário prefeito!

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Com 41,53% dos votos válidos, que foi a soma da opção de 28.455 eleitores, o vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB) foi eleito prefeito de Cubatão, nas eleições de 2 de outubro. Sua vitória confirmou a sua liderança nos resultados das pesquisas recentes dos jornais “Diário do Litoral” e “A Tribuna de Santos”, com um plus a mais de 20 pontos percentuais à frente do segundo colocado, Wagner Moura (PMDB), que teve 13.426 (19,59%). Na sequência ficaram Severino Tarcício, Doda (PSB), com 11.449 (16,71%), Dinho Heliodoro (SD), com 11.343 (16,55%), e Fábio Inácio (PT), 3.850 (5,62%).

As primeiras palavras de Ademário foram de agradecimento ao povo de Cubatão, que já havia lhe dado o título de vereador mais votado da história da cidade em 2012, com 2.721 votos, e sobre os seus principais desafios, a começar pela saúde, fazendo o hospital que tem capacidade para 250 leitos funcionar na sua plenitude. O prefeito eleito é tucano, como o governador Geraldo Alckmin, e acredita no diálogo com o Estado e o governo federal, que conta com o apoio do PSDB a nível nacional, para buscar ajuda e recuperar o município.

Primeiras ações: Ademário Oliveira declarou que vai “montar uma equipe de transição, chamar a atual prefeita para conversar”. Quer assumir no dia 1.º de janeiro com “inteireza de dados e dinamismo para fazer a máquina andar com um ritmo mais competente, eficiente e eficaz”.

Nova Câmara: A partir de 1.º de janeiro, a Câmara Municipal de Cubatão contará com 15 vereadores, e o mais votado nas eleições deste ano foi o companheiro de chapa de Ademário Oliveira, Toninho Vieira (PSDB), que obteve 2.902 votos e passa a ser agora o detentor do título de vereador mais votado na história local. Também se elegeram: Cesar Nascimento (PSDB), com 2.227 votos; Ricardo Queixão (PDT), com 1967 votos; Fábio Roxinho (PMDB), 1.683; Rafael Tucla (PT), 1.673; Rodrigo Alemão (PSDB), 1.657; Dr. Anderson Veterinário (PRB), 1.545; Ivan Hildebrando (PSB), 1.433; Jair do Bar (PT), 1.422; Sérgio Calçados (PPS), 1.271; Aguinaldo Araújo (PDT), 1.218; Cléber do Cavaco (PRB), 1.046; Marcinho (PSB), 952; Wilson Pio (PSDB), 911 e Lalá (SD), 797 votos.

Quem é Ademário Oliveira – Baiano nascido em Rachão da Jacuipe, Ademário da Silva Oliveira candidato tucano à prefeitura de Cubatão com o vice Pedro Sá é, antes de tudo, um vencedor, exemplo de superação e de político vocacionado a lutar em defesa da justiça e do bem estar coletivo. “Ser político, é gostar de gente”, resume.

Com 10 anos de idade chegou à Cubatão com sua família “atrás da vida” como gosta de justificar as razões que levaram o pai a trocar o sertão baiano por São Paulo. Foi no CAMP – Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Cubatão, onde ficou até os 18 anos, que as portas se abriram para Ademário. “tudo que conquistei na vida, devo ao CAMP”, reconhece o ex-patrulheiro, hoje advogado e vereador mais votado da história de Cubatão,

A política entrou em seu sangue em 1997 quando, social democrata por convicção, se filiou ao PSDB. Três anos depois já era o primeiro suplente na Câmara de Cubatão com um capital eleitoral de 418. Encarou a primeira derrota como vitória e em 2004 manteve a primeira suplência duplicando o capital: 851 votos.

Ampliou o trabalho comunitário e suas ações em defesa, inicialmente, de seu bairro – Vila Natal, ao mesmo tempo em que se dedicava aos estudos e a conquistar novos amigos. Manteve a luta política em defesa dos mais necessitados e as eleições de 2008 lhe deram a certeza de que estava no caminho certo, que seus ideais estavam sendo compreendidos pelos cubatenses. Manteve, como sempre, a primeira suplência na Câmara. Desta vez com 1.651 votos, o oitavo candidato mais votado.

Suas derrotas foram lições de vida, consolidaram o espírito combativo que, tinha certeza, serviam de tempero à vitória. E ela finalmente chegou em 2012 como o vereador mais votado da história de Cubatão: 2.721 votos que lhe deram o direito de presidir a sessão solene de posse dos vereadores e da prefeita reeleita Márcia Rosa.

Ação Legislativa – Deu posse à prefeita, mas não teve vida fácil no Legislativo. Vereador de oposição, desde os primeiros momentos ao governo petista que fazia uma péssima administração, segundo sua avaliação. “A Márcia representava um governo perseguidor, não atendia a oposição e eu não conseguia dar respostas às demandas populares”.

Perseguido, Ademário enfrentou processo de tentativa de cassação de seu mandato e as indiferenças da prefeita às suas tentativas de conquistas sociais para o povo. Os ataques e as injustiças políticas que sofria serviam apenas para, como se diz no sertão, deixar seu couro mais duro.

Partiu para o ataque com ações independentes através de comissões Parlamentar de Inquérito. Desafiava o poder e denunciava não apenas irregularidades da administração municipal, mas também do governo federal da hoje deposta presidente Dilma Vana Rousseff.

Ganhou projeção nacional no combate à corrupção na Petrobras, bem antes de começar a Operação Lava Jato, presidindo a Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou e denunciou irregularidades na Refinaria Presidente Bernardes. Na época, a revista Isto É afirmou que os prejuízos à Petrobrás foram de R$ 43.5 milhões.

Ademário relata preocupações com saúde ao Governador Geraldo Alckmin

Hospital vive a maior crise de sua história. Foto: Raimundo Rosa.

Hospital vive a maior crise de sua história. Foto: Raimundo Rosa.

O governador Geraldo Alckmin esteve na última quarta-feira (15), em Praia Grande, onde recebeu do vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB) um relato sobre a situação difícil enfrentada pelo Hospital Modelo de Cubatão. O assunto saúde pública regional dominou boa parte da visita do governador a vários dos municípios da Baixada Santista, mas destacou que está em fase de efetivação um novo convênio de auxílio financeiro do Programa Santas Casas Sustentáveis para o Hospital Municipal de Cubatão.

Em seguida, o vereador Ademário obteve da diretora regional de Saúde, Paula Covas Borges Calipo, o detalhamento de como será realizado o apoio do Governo do Estado a Cubatão. Paula Covas explicou que “o auxílio será em 7 parcelas mensais no valor de R$ 247.468,08, totalizando R$ 1.732.276,56 para custeio – material de consumo e prestação de serviços médicos e, investimento, cujo objetivo é aprimorar a gestão hospitalar visando a melhoria na qualidade do atendimento”.

A dirigente regional confirmou também que Estado e Prefeitura devem se reunir no próximo dia 20 (segunda-feira), para tratar especificamente do Hospital Modelo, contando inclusive com a presença e participação do Secretário de Estado da Saúde, David Uip, atendendo a pedido da promotora de Justiça Larissa Motta Nunes.

“Vamos conversar sobre a situação. Temos um momento emergencial do hospital, mas precisamos definir um plano para que essas dificuldades não se repitam. A responsabilidade pelo hospital municipal é da Prefeitura e o Estado já fornece recursos específicos para ajudar na manutenção, por entender que o equipamento é importante no contexto da Saúde regional”, destacou Paula.

O Programa Santas Casas Sustentáveis representa um complemento à tabela do SUS, e é de 40% acima do teto pago pelo Sistema Único de Saúde.

AHBB – A Associação Hospitalar Beneficente do Brasil que gerencia o hospital com recursos repassados pelo município, entre sexta e segunda-feira desta semana, recebeu R$ 2 milhões, que foram utilizados para pagar fornecedores e alguns médicos da maternidade: “Não sobrou dinheiro suficiente para uma folha de pagamento completo e não houve pagamento nenhum aos empregados”, disse Paulo Pimentel, presidente do Sintrasaúde, que lidera greve de quase 90% do quadro estimado em cerca de 450 trabalhadores.

Urbanização da Vila Esperança não sai do papel

Moradores da Vila Esperança querem o Estado fazendo.

Moradores da Vila Esperança querem o Estado fazendo.

A prefeita Marcia Rosa (PT) se comprometeu em iniciar a segunda fase das obras do Projeto de Urbanização da Vila Esperança, ainda durante a sua campanha à reeleição em 2012, mas a população perdeu a esperança, porque até agora essa promessa ficou só nos contratos e nas notícias da imprensa.

Pelo menos 2.442 famílias seriam atendidas com melhorias cobradas pelo vereador Ademário Silva Oliveira (PSDB), que listou entre as promessas da prefeita petista, a construção de 1.232 novas unidades habitacionais (860 apartamentos, 144 embriões, 120 sobrepostas e 108 sobrepostas adaptadas) e de outras 1.210 moradias consolidadas (com reforma da infraestrutura e melhorias nos imóveis).

Durante visita da reportagem do jornal ‘Povo de Cubatão’ ao bairro, a triste constatação: nada aconteceu e a Vila Esperança acumula problemas nas condições atuais das moradias e nos acessos ao bairro. E o projeto envolvia ainda a construção de novos equipamentos públicos (uma escola de Ensino Infantil, uma de Ensino Fundamental, praças e playgrounds no interior dos conjuntos). Eram para ter sido construídos, também, um pequeno parque público, com uma via de borda e uma ciclovia que contornaria toda a área urbanizada.

Ademário, que além de vereador é o presidente do PSDB de Cubatão, destaca que “o governo do PT teve sete anos pra melhorar a vida de uma população de 30 mil habitantes, que reside na Vila Esperança e não conseguiu ver atendidos os seus reclamos, por absoluta falta de gestão e comprometimento das áreas de responsabilidade da Prefeitura”.

Perda de convênios

A Prefeitura, que já havia perdido um convênio de R$ 16 milhões, por incapacidade de gestão, contabiliza ainda a perda de outros R$ 200 milhões do Programa PAC do Governo Federal. E essa situação grave está gerando uma voz corrente entre os moradores do bairro, após conhecerem as moradias do Programa Serra do Mar nos conjuntos habitacionais espalhados pela cidade: “Torcemos para que o Governador Geraldo Alckmin possa fazer por nós, o mesmo que fez pelos moradores das Cotas, que viviam sobressaltados com a insegurança”, comenta um morador que pediu para não ter o seu nome escrito pelo jornal.

Abaixo-Assinado

Sensível com essas manifestações crescentes na Vila Esperança, o vereador tucano Ademário começou a mobilizar a população e montou uma barraca, e já colheu aproximadamente 5 mil assinaturas para serem encaminhadas ao Palácio do Governo do Estado, em busca de sensibilizar o governador Alckmin para que ele assuma definitivamente as obras do bairro da Vila Esperança.

Artistas de Cubatão querem Teatro Municipal e ETEC das Artes

Teatro abandonado

Teatro abandonado

O Teatro Municipal de Cubatão é uma novela para os artistas e a população da cidade, desde que começou a ser construído em 1987. Esse edifício majestoso, construído na Avenida 9 de Abril, esquina com a Avenida Henry Borden, em um ponto estratégico no centro cubatense, volta a ser reclamado pela comunidade, que quer o Teatro definitivamente pronto e com uma unidade da Escola Técnica Estadual – ETEC, voltada para a formação de profissionais ligado às artes e à produção cultural no município e na região metropolitana da Baixada Santista.

Na última semana foi criado um grupo no WhatsApps, denominado ‘Etec Artes Cubatão’, e o seu administrador Edson Carlos Bril, o Bombril, juntamente com o diretor teatral e coordenador do Teatro do Kaos, Lourimar Vieira, procurou o diretor das Oficinas Culturais do Estado, Raul Christiano, em busca de apoio junto ao governador Geraldo Alckmin e o secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araujo, para que estes contribuam para o sucesso dessa ideia.

A Prefeitura de Cubatão – seguindo a conduta dos prefeitos que se sucederam desde 1987, ano em que a obra foi iniciada – não tem movido uma palha para entregar esse projeto pronto e com as configurações de teatro – objetivo inicial da obra – para a população. A prefeita Marcia Rosa (PT) chegou a cogitar a transformação do prédio em uma Policlínica, formando um ‘Quadrilátero da Saúde’, com recursos de R$ 5 milhões obtidos especificamente para isso. Mas essa ideia também não saiu do papel.

Lourimar Vieira, um dos principais artistas da cidade, se adiantou e implantou o seu próprio teatro – Teatro do Kaos – no Largo do Sapo, no ano de 2001, em um imóvel que se encontrava em ruínas e foi restaurado graças ao empenho dos integrantes do grupo criado em 1997, por ele, mais Ricardo Oliveira e Marcelo Ariel, em Cubatão. Nesse espaço, além da montagem de espetáculos teatrais, premiados no Brasil e no Exterior, são realizadas mostras, festivais e oficinas de formação. Mesmo assim, Lourimar e Bom Bril jamais desistiram do objetivo de que Cubatão tenha o seu teatro municipal.

Foram muitas as matérias e manifestações da comunidade nas mídias regionais – TV, rádio, jornais e redes sociais – contra a transformação do prédio para teatro numa policlínica. Em uma de suas entrevistas, Lourimar Vieira destacou que a administração do PT na cidade argumentou que há um espaço para teatro no Novo Parque Anilinas. No entanto, segundo a sua experiência em espaços do gênero, no Anilinas há um grande auditório, com pé direito baixo e sem condições da montagem de cenários.

Enquanto isso, as portas do prédio identificado como o Teatro Municipal de Cubatão continua vulnerável às invasões por moradores de rua e usuários de drogas, que em março de 2014 foram responsáveis pela provocação de um incêndio interno, que destruiu parte das cadeiras que já não resistem mais ao tempo do seu próprio abandono.