Governo do Estado realizará melhorias no Rubens Lara

Os apartamentos e sobrados construídos desde 2008, na região do Jardim Casqueiro, em Cubatão, são referência urbanística no país e no mundo. Foto: Internet.

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado – CDHU destinará R$ 5 milhões para serviços de manutenção e reforma nas unidades habitacionais do conjunto Rubens Lara. A medida atende a reivindicação antiga das famílias que residem no núcleo e foi assunto da reunião que o prefeito Ademário Oliveira manteve na terça-feira (16) com o secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia (DEM). Participaram também do encontro, realizado na Capital, o deputado estadual Caio França (PSB), a secretária municipal da Habitação Andrea Maria de Castro, o vereador Ivan Hildebrando (PSB) e técnicos da CDHU.

Os pedidos de reparos nos prédios do Conjunto Rubens Lara, que é administrado pela CDHU, vão desde recuperação em revestimentos de paredes e infiltrações nos tetos até manutenção de sistemas elétrico, hidráulico e de saneamento. As queixas dos moradores têm sido encaminhadas com frequência à Prefeitura, o que levou o prefeito Ademário Oliveira a interferir diretamente junto ao Governo do Estado em busca de soluções para os problemas.

O conjunto Rubens Lara foi inaugurado em 2010, com objetivo de abrigar a 1.840 famílias transferidas das encostas da Serra do Mar pelo Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, do governo paulista. Na semana passada a CDHU iniciou as obras de mais 216 apartamentos, em quatro torres de 14 andares cada uma, na área do CSU / Parque do Trabalhador, no Jardim Costa e Silva.

Casa Paulista – Na mesma reunião, a Prefeitura obteve a garantia do Governo do Estado de que a cidade participará do Programa Casa Paulista. Este programa consiste na liberação de recursos estaduais para que sejam complementados investimentos em projetos habitacionais.

Segundo a secretária Andrea Maria de Castro, a Prefeitura destinará as verbas para os projetos desenvolvidos na Vila Esperança por meio do programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. “Isso possibilitará uma redução significativa dos custos finais das unidades habitacionais, principalmente em uma área de solo inconsistente como é a Vila Esperança”, explicou.