POVOEDIÇÃO473

 

Governo do Estado realizará melhorias no Rubens Lara

Os apartamentos e sobrados construídos desde 2008, na região do Jardim Casqueiro, em Cubatão, são referência urbanística no país e no mundo. Foto: Internet.

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado – CDHU destinará R$ 5 milhões para serviços de manutenção e reforma nas unidades habitacionais do conjunto Rubens Lara. A medida atende a reivindicação antiga das famílias que residem no núcleo e foi assunto da reunião que o prefeito Ademário Oliveira manteve na terça-feira (16) com o secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia (DEM). Participaram também do encontro, realizado na Capital, o deputado estadual Caio França (PSB), a secretária municipal da Habitação Andrea Maria de Castro, o vereador Ivan Hildebrando (PSB) e técnicos da CDHU.

Os pedidos de reparos nos prédios do Conjunto Rubens Lara, que é administrado pela CDHU, vão desde recuperação em revestimentos de paredes e infiltrações nos tetos até manutenção de sistemas elétrico, hidráulico e de saneamento. As queixas dos moradores têm sido encaminhadas com frequência à Prefeitura, o que levou o prefeito Ademário Oliveira a interferir diretamente junto ao Governo do Estado em busca de soluções para os problemas.

O conjunto Rubens Lara foi inaugurado em 2010, com objetivo de abrigar a 1.840 famílias transferidas das encostas da Serra do Mar pelo Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, do governo paulista. Na semana passada a CDHU iniciou as obras de mais 216 apartamentos, em quatro torres de 14 andares cada uma, na área do CSU / Parque do Trabalhador, no Jardim Costa e Silva.

Casa Paulista – Na mesma reunião, a Prefeitura obteve a garantia do Governo do Estado de que a cidade participará do Programa Casa Paulista. Este programa consiste na liberação de recursos estaduais para que sejam complementados investimentos em projetos habitacionais.

Segundo a secretária Andrea Maria de Castro, a Prefeitura destinará as verbas para os projetos desenvolvidos na Vila Esperança por meio do programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. “Isso possibilitará uma redução significativa dos custos finais das unidades habitacionais, principalmente em uma área de solo inconsistente como é a Vila Esperança”, explicou.

DER colocará novo viaduto em uso, mas pode rever acessos

Vereador Ademário (PSDB) discutiu sobre as dificuldades de acesso à Via Anchieta

Vereador Ademário (PSDB) discutiu sobre as dificuldades de acesso a Via Anchieta

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) está concluindo a fase de paisagismo da duplicação do viaduto Rubens Paiva sobre o km 59 + 800 da Via Anchieta e a liberação para o trânsito de veículos deve acontecer nos próximos dias. No entanto, a polêmica sobre os acessos ao Jardim Casqueiro e Parque São Luís foi encaminhada para uma solução, durante audiência do vereador e presidente do PSDB de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira, com o secretário de Estado de Logística e Transportes, Alberto José Macedo Filho, quarta-feira (27).

Ademário expôs ao secretário sobre o traçado das obras executadas, que impedirá a mobilidade dos moradores do Jardim Casqueiro e do Parque São Luís com a Via Anchieta, culpando a Prefeitura de Cubatão, que se preocupou mais em ver atendidas as reivindicações para a retirada da rampa de acesso ao bairro (o chamado “rabo do dragão”), e não se ateve para a necessidade do cancelamento do atual acesso direto da Rua Júlio Cunha à SP-150 (Via Anchieta).

O secretário reafirmou a posição técnica do DER, de que só justifica as alterações na alça de descida do viaduto em direção à pista Norte (São Paulo) da Via Anchieta: “Foi necessária uma adaptação no projeto de obras, com único objetivo de melhorar a seguranças dos usuários, em função das limitações presentes às margens da rodovia”, divulgou o DER.

A alça central do novo viaduto, que agora desce no sentido à Rodovia dos Imigrantes, foi segregada (com barreiras de concreto) não permitindo o acesso à Via Anchieta para não gerar acidentes, com fluxo no cruzamento em “X”.

Segundo o DER, “este tipo de tráfego não é praticável em uma via com limite de velocidade de 110 Km/h, onde não há condições seguras de mudança de faixa de forma repentina”.

Compromisso de rever os acessos

O secretário de Estado de Logística e Transportes se comprometeu com o vereador Ademário da Silva, que estava acompanhado do presidente da Sociedade de Melhoramentos do Parque São Luís, Toninho Vieira, na audiência em São Paulo, em “colocar a duplicação em operação e, com o uso, sentir os pontos não conformes”, ressaltou o parlamentar cubatense do PSDB.

Ademário complementa a perspectiva futura com a posição reforçada pelo secretário Alberto José Macedo Filho, de que “o tráfego no local será monitorado e poderá ser alterado futuramente, com a redução do limite de velocidade, reforço na sinalização e retirada das barreiras de concreto, em ação conjunta com a Ecovias”.