Copa Evangélica de Futsal em Cubatão

Equipes de 8 igrejas cubatenses disputam Copa Evangélica

O Centro Esportivo Armando Cunha no bairro Jardim Casqueiro, em Cubatão, será o palco da 3.ª rodada da Copa Evangélica de Futebol de Salão 2019, neste sábado (26 de janeiro), a partir das 13h30. Essa competição, organizada pelo professor Willian Caxambú, conta com a participação de 8 igrejas localizadas no município, e a população está convidada a assistir às partidas gratuitamente.

Segundo Caxambú, as equipes evangélicas estão divididas em dois grupos, tendo como participantes as igrejas Batista Central, O Brasil para Cristo, Igreja Cântico Novo e Vida Nova Centro Familiar, “A”, e Igreja Mundial, Vida Nova Bolsão 8, Vida Nova Vila dos Pescadores e Videira, “B”.

As duas melhores equipes de cada um dos grupos disputarão as semifinais.
RODADA DESTE FIM DE SEMANA:
Vida Nova Bolsão 8 x Igreja Mundial
Videira x Vida Nova Vila dos Pescadores
Vida Nova Centro Familiar  x Igreja Batista Central
O Brasil para Cristo x Igreja Cântico Novo
4.ª Rodada 02/02/19 – semi-finais
5.ª Rodada 09/02/19 – final e disputa dos 3.º e 4.º lugares.
Resultados das rodadas anteriores:
1.ª rodada 12/01/19 
Igreja Batista Central 3 x 2 Igreja Cântico Novo
O Brasil para Cristo 3 x 3 Vida Nova Centro Familiar
Igreja Mundial 8 x 2 Vida Nova Vila dos Pescadores
Videira 7 x 5 Vida Nova Bolsão 8
2.ª rodada 19/01/19
Igreja Cântico Novo 1 x 5 Vida Nova Centro Familiar
Igreja Batista Central 2 x 5 O Brasil para Cristo
Vida Nova Vila dos Pescadores 0 x 6 Vida Nova Bolsão 8
Igreja Mundial 6 x 11 Videira

Governo do Estado realizará melhorias no Rubens Lara

Os apartamentos e sobrados construídos desde 2008, na região do Jardim Casqueiro, em Cubatão, são referência urbanística no país e no mundo. Foto: Internet.

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado – CDHU destinará R$ 5 milhões para serviços de manutenção e reforma nas unidades habitacionais do conjunto Rubens Lara. A medida atende a reivindicação antiga das famílias que residem no núcleo e foi assunto da reunião que o prefeito Ademário Oliveira manteve na terça-feira (16) com o secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia (DEM). Participaram também do encontro, realizado na Capital, o deputado estadual Caio França (PSB), a secretária municipal da Habitação Andrea Maria de Castro, o vereador Ivan Hildebrando (PSB) e técnicos da CDHU.

Os pedidos de reparos nos prédios do Conjunto Rubens Lara, que é administrado pela CDHU, vão desde recuperação em revestimentos de paredes e infiltrações nos tetos até manutenção de sistemas elétrico, hidráulico e de saneamento. As queixas dos moradores têm sido encaminhadas com frequência à Prefeitura, o que levou o prefeito Ademário Oliveira a interferir diretamente junto ao Governo do Estado em busca de soluções para os problemas.

O conjunto Rubens Lara foi inaugurado em 2010, com objetivo de abrigar a 1.840 famílias transferidas das encostas da Serra do Mar pelo Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, do governo paulista. Na semana passada a CDHU iniciou as obras de mais 216 apartamentos, em quatro torres de 14 andares cada uma, na área do CSU / Parque do Trabalhador, no Jardim Costa e Silva.

Casa Paulista – Na mesma reunião, a Prefeitura obteve a garantia do Governo do Estado de que a cidade participará do Programa Casa Paulista. Este programa consiste na liberação de recursos estaduais para que sejam complementados investimentos em projetos habitacionais.

Segundo a secretária Andrea Maria de Castro, a Prefeitura destinará as verbas para os projetos desenvolvidos na Vila Esperança por meio do programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. “Isso possibilitará uma redução significativa dos custos finais das unidades habitacionais, principalmente em uma área de solo inconsistente como é a Vila Esperança”, explicou.

Viaduto no Jd Casqueiro era para melhorar, mas piorou demais.

O viaduto que era uma solução está virando um problemão no Jardim Casqueiro.

O viaduto que era uma solução está virando um problemão no Jardim Casqueiro.

A comunidade do Jardim Casqueiro e dos bairros próximos, que sempre defenderam a construção de um novo viaduto para melhorar o acesso ao centro de Cubatão, bem como às rodovias Anchieta e Imigrantes, está sendo convidada para uma reunião, na próxima segunda-feira (18), a partir das 19h00, na sede da SOMECA – Sociedade de Melhoramentos do Casqueiro (Rua Maria Graziela, 565).

Lideranças políticas de vários partidos com atuação na cidade – da situação ou de oposição locais – querem que o Governo do Estado, por meio do DER – Departamento de Estradas de Rodagem tome uma posição para resolver os problemas ocasionados após a liberação do novo viaduto Rubens Paiva.

Nas redes sociais a mensagem é praticamente no mesmo sentido: do jeito que está não pode ficar: “Não podemos nos calar diante de tal assunto tão importante”, enfatiza o líder comunitário Toninho Vieira, por exemplo.

A prefeita Marcia Rosa (PT) vem usando a sua página pessoal no Facebook, postando fotos e mensagens que demonstram a insegurança e inclusive acidentes entre os veículos que buscam uma saída do bairro. E não esconde a sua frustração diante das autoridades responsáveis, tanto do governo estadual quanto da concessionária Ecovias, que não compareceram à audiência pública realizada na última segunda-feira (11), no Bloco Cultural.

Foram convidados DER, Ecovias, Artesp, Sociedade de Melhoramentos e a Sabesp, com a intenção de que a população ouvisse as explicações de seus representantes, mas isso não foi possível, eles não compareceram. Independentemente disso, alguns pontos foram discutidos, mas ficou definido que outras reuniões ainda devem ser realizadas, como a da próxima segunda-feira, na SOMECA.

Problemas anunciados Após uma vistoria feita na semana passada no local onde foi feita a duplicação, técnicos da prefeitura apontaram que o principal problema da obra está na confluência entre a Avenida Brasil e a marginal de acesso da Via Anchieta. Os especialistas disseram que a região se ficou um “caos” com carros tentando cruzar de quatro direções diferentes.

Também foi constatado pela equipe técnica que a dificuldade de entrar e sair do núcleo residencial que há no trecho provoca congestionamentos que chegam a 3 km em horários de pico. Os riscos de acidente e assaltos também foram pontuados pela Prefeitura.

Dentre os pontos levantados, a prefeita relacionou: “falta sinalização adequada e veículos na contramão são comuns; moradores do Casqueiro, Parque São Luís, ilha Caraguatá, Conjunto Habitacional Mario Covas e São Judas têm dificuldade de saída do bairro em direção ao Centro de Cubatão; vários acidentes aconteceram e esses registros de acidentados estão na UPA de Cubatão; falta iluminação e a ciclovia prometida; o Viaduto não foi entregue oficialmente à Ecovias; a Avenida Brasil e a Joaquim Jorge Peralta ficam congestionadas em pouco tempo, ou seja, os problemas da rodovia adentram o bairro”.

Marcia Rosa destaca que aguarda posicionamento oficial da ARTESP, órgão fiscalizador das concessionárias públicas de São Paulo, e que a questão já foi levada à representação local do Ministério Público.

DER colocará novo viaduto em uso, mas pode rever acessos

Vereador Ademário (PSDB) discutiu sobre as dificuldades de acesso à Via Anchieta

Vereador Ademário (PSDB) discutiu sobre as dificuldades de acesso a Via Anchieta

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) está concluindo a fase de paisagismo da duplicação do viaduto Rubens Paiva sobre o km 59 + 800 da Via Anchieta e a liberação para o trânsito de veículos deve acontecer nos próximos dias. No entanto, a polêmica sobre os acessos ao Jardim Casqueiro e Parque São Luís foi encaminhada para uma solução, durante audiência do vereador e presidente do PSDB de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira, com o secretário de Estado de Logística e Transportes, Alberto José Macedo Filho, quarta-feira (27).

Ademário expôs ao secretário sobre o traçado das obras executadas, que impedirá a mobilidade dos moradores do Jardim Casqueiro e do Parque São Luís com a Via Anchieta, culpando a Prefeitura de Cubatão, que se preocupou mais em ver atendidas as reivindicações para a retirada da rampa de acesso ao bairro (o chamado “rabo do dragão”), e não se ateve para a necessidade do cancelamento do atual acesso direto da Rua Júlio Cunha à SP-150 (Via Anchieta).

O secretário reafirmou a posição técnica do DER, de que só justifica as alterações na alça de descida do viaduto em direção à pista Norte (São Paulo) da Via Anchieta: “Foi necessária uma adaptação no projeto de obras, com único objetivo de melhorar a seguranças dos usuários, em função das limitações presentes às margens da rodovia”, divulgou o DER.

A alça central do novo viaduto, que agora desce no sentido à Rodovia dos Imigrantes, foi segregada (com barreiras de concreto) não permitindo o acesso à Via Anchieta para não gerar acidentes, com fluxo no cruzamento em “X”.

Segundo o DER, “este tipo de tráfego não é praticável em uma via com limite de velocidade de 110 Km/h, onde não há condições seguras de mudança de faixa de forma repentina”.

Compromisso de rever os acessos

O secretário de Estado de Logística e Transportes se comprometeu com o vereador Ademário da Silva, que estava acompanhado do presidente da Sociedade de Melhoramentos do Parque São Luís, Toninho Vieira, na audiência em São Paulo, em “colocar a duplicação em operação e, com o uso, sentir os pontos não conformes”, ressaltou o parlamentar cubatense do PSDB.

Ademário complementa a perspectiva futura com a posição reforçada pelo secretário Alberto José Macedo Filho, de que “o tráfego no local será monitorado e poderá ser alterado futuramente, com a redução do limite de velocidade, reforço na sinalização e retirada das barreiras de concreto, em ação conjunta com a Ecovias”.

Novo viaduto na Anchieta, em Cubatão, deve ser entregue ainda neste mês

Obras de acesso ao Jardim Casqueiro estão quase prontas

Obras de acesso ao Jardim Casqueiro estão quase prontas

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) entrega, até o fim do mês, as obras do novo Viaduto Rubens Paiva sobre a Via Anchieta, no Jardim Casqueiro, em Cubatão. A data oficial de inauguração será acertada na próxima semana.

Mas, ainda em fase de conclusão, o funcionamento do sistema já preocupa. Motoristas temem acidentes, principalmente em razão da instalação da alça central que descarregará o tráfego pesado de caminhões na pista Norte da Via Anchieta.

A rampa de desaceleração que parte do centro do viaduto vai cair 100 metros adiante da Anchieta Norte, ocupando o trecho que deveria servir de acostamento e causando conflito de tráfego em forma de X.

Ela cruzará, obrigatoriamente, com veículos procedentes da Via Anchieta, tanto em direção à rampa de acesso da interligação Anchieta-Imigrantes em Cubatão quanto com o acesso à direta da pista no sentido da Avenida Tancredo Neves e de retorno ao viaduto atual.

O resultado dessa engenharia de tráfego, na visão de motoristas que circulam diariamente pelo local, é um convite a acidentes.

Chuvas 

A construção do novo viaduto sobre a Anchieta, que começou em 2013 e teve três paralisações, passa atualmente pelos últimos retoques de acabamento: a pavimentação dos ramos de acesso da alça central do viaduto, em direção à pista Norte da Rodovia Anchieta, e a pintura das faixas nos acesso da marginal direita da rodovia e da descida na Avenida Bandeirantes em direção à Avenida Tancredo Neves, sentido Centro de Cubatão.

Nesta semana, serão retiradas as armações de sustentação do cimbramento (suporte provisório) do viaduto e concluída a colocação dos guarda corpos. O Estado investiu R$ 48,6 milhões na obra.

Fim da mão dupla

Prometida para janeiro deste ano, a construção do viaduto – que é paralelo a outro, construído pela Prefeitura na década de 1970 – sofreu atrasos. Decorreram, segundo o DER, das fortes chuvas que atingiram a região no primeiro trimestre do ano, dificultando a execução de parte dos serviços.

Com a abertura da nova passagem, o atual viaduto deixará de ter mão dupla e será usado somente no sentido Centro de Cubatão–Jardim Casqueiro. O novo viaduto operará em sentido inverso, conduzindo o tráfego procedente de Santos, São Vicente, São Paulo e Jardim Casqueiro em direção à Avenida Tancredo Neves–Centro de Cubatão.

A ligação atenderá, também, ao tráfego pesado de caminhões procedentes tanto da região do São Manoel, em Santos, quanto de São Paulo e São Vicente, para retorno em direção à pista sentido Norte da Via Anchieta, utilizando a alça central.