São Bento ainda não instalou controle eletrônico de estudantes

Estudantes cubatenses foram pegos de surpresa com a informação dos cortes.

Sob pressão dos estudantes usuários, foi suspenso o plano da Secretaria Municipal de Educação de Cubatão – SEDUC de cortar os nomes de 362 inscritos, que são passageiros dos ônibus da empresa Viação São Bento, contratada para levá-los gratuitamente às faculdades de Santos, São Vicente, Guarujá e Praia Grande. No final da semana passada essa medida foi anunciada para começar a valer nesta terça-feira (10), porque segundo os coordenadores do Serviço de Bolsas e Passes foram constatadas faltas contínuas dos estudantes. O controle é falho e só chegaram a essa decisão com base em denúncias e inspeções surpresa de fiscais da SEDUC. Isso porque a Viação São Bento não instalou até hoje o sistema de controle eletrônico de passageiros, com cartão magnético apropriado, previsto no contrato renovado em agosto do ano passado.

Mas essa decisão de suspender o transporte dos “faltosos” foi adiada para 30 de abril, cabendo aos estudantes que se sentiram prejudicados entrar com recursos contra a decisão da SEDUC, justificando e comprovando que não deixaram de utilizar o sistema em três ou mais dias da semana durante o mês de março, até a próxima sexta-feira (13), diretamente, das 9 às 16 horas, no Serviço de Bolsas e Passes da SEDUC (Praça dos Emancipadores, s/n.º, Centro) ou pelo endereço de correio eletrônico: educacaco@cubatao.sp.gov.br. O formulário do requerimento está disponível em http://bit.ly/RecursoTranspUniv .

Pressão – Os representantes dos estudantes usuários e da diretoria da Associação dos Estudantes de Cubatão – AEC que foram recebidos na parte da manhã desta terça-feira (10), pelo prefeito Ademário Oliveira, em companhia do secretário de Educação, Pedro de Sá Filho, e dos vereadores Érika Verçosa e Márcinho Silva Nascimento, membros da Comissão de Educação da Câmara, e conseguiram barrar a decisão, são favoráveis a um controle mais eficiente da frequência e da transparência em relação à lista de espera. E propuseram a indicação de monitores voluntários.

Pedro de Sá disse que a fiscalização de frequência ao transporte será permanente e sem prévio aviso. Concordou com a proposta dos estudantes, no sentido de que sejam indicados, entre os usuários, monitores voluntários e que a fiscalização seja feita tanto na ida, como no retorno.

Por sua vez, o prefeito Ademário de Oliveira afirmou que a administração municipal está desenvolvendo gestões no sentido de que a São Bento implante o controle eletrônico dos usuários, o que reduzirá bastante as falhas na fiscalização de frequência. O prefeito lembrou aos universitários que sempre manterá aberto o diálogo. “Queremos resolver os problemas para evitar injustiças. Vamos buscar sempre o aprimoramento do sistema”, enfatizou.

Cubatão é, hoje, a única cidade da Baixada onde o transporte universitário é totalmente custeado com recursos da Prefeitura. São 21 ônibus, que transportam 900 universitários às unidades de ensino superior da região.

Atualmente, 360 estudantes estão na lista de espera de credenciamento. Segundo a SEDUC, a constatação de que muitos veículos estavam circulando com baixa frequência levou à criação de uma força-tarefa para fiscalização, constatando em março, faltas frequentes dos 362 estudantes que perderiam o direito ao transporte, e poderiam abri vagas para um universitário da fila de espera.

No dia 18 de abril, às 15 horas, serão divulgados os resultados das análises dos recursos , bem como as demais pendências e propostas relacionadas ao assunto.

POVOEDIÇÃO473

 

Associação dos Estudantes de Cubatão – AEC está representada no CES

Os cubatenses Renan Maciel e Matheus Siqueira, da AEC, foram eleitos para a nova direção do CES.

Durante o Congresso do Centro dos Estudantes de Santos (ConCES 2018), que elegeu a nova diretoria da entidade e será liderada pelo presidente Caio Yuji de Souza, de 20 anos, aluno de economia da ESAMC Santos, foram eleitos dois representantes de Cubatão, Renan Maciel, estudante de Engenharia Química na UNISANTA e Matheus Siqueira, estudante de Direito na ESAMC, onde é também o presidente a Atlética da faculdade santista.

O diretores eleitos de Cubatão são integrantes da Associação dos Estudantes de Cubatão – AEC. Renan Maciel comemora que é a “primeira vez que temos estudantes de Cubatão ocupando uma diretoria no Centro dos Estudantes de Santos – CES. Trabalharemos integrados com os diversos municípios da Baixada Santista, buscando sanar as necessidades que os universitários enfrentam no dia a dia.”

Reconstrução – Matheus Siqueira, o outro representante cubatense, fez questão de ressaltar que o CES – entidade regional e histórica, uma das mais antigas do país, fundada em 1932 – “estava abandonado há muito tempo. Quem conhece o prédio sabe o problema que é aquela infraestrutura precarizada devido a não manutenção do local. Temos a obrigação de recuperar o CES e fazer com que todos os estudantes saibam que ali é local deles”.

Caio Yuji de Souza encabeçou a chapa única “Ainda há tempo”, que recebeu 36 votos favoráveis e uma abstenção dos delegados presentes, representantes com direito a voz e voto, de um total de 71 delegados inscritos. O ConCES foi realizado no ultimo dia 25 de fevereiro.

“A gente quer que este espaço cresça e que os debates sejam cada vez mais plurais, ouvindo todas e todos os estudantes. Nosso objetivo é enfrentar muita luta para obter muitas conquistas nos próximos anos”, afirmou Caio Yuji, após ser empossado.

Destacando o mote “Reconstruir o CES para os estudantes”, o Congresso reuniu estudantes de nove instituições de ensino superior da Baixada Santista, mais de oito entidades de base, e um total de 60 estudantes e observadores para debater o futuro do movimento estudantil da região.

Participaram da mesa de abertura a presidenta da União Estadual dos Estudantes (UEE-SP), Nayara Souza, a representante da Comissão Eleitoral e de Organização, Aline Cabral, a assessora da vereadora Audrey Kleys (Câmara de Santos), Marinilza Monteiro e, representando a Apeoesp, Valdemar da Silva, além do diretor do Sindserv de São Vicente, Marcelo Arias, do advogado Rogério Mehanna (OAB) e do vice-presidente do Conselho Municipal da Juventude de Santos, Henrique Pabst.

Durante o Congresso os estudantes foram divididos em dois grupos de debates, sobre alguns dos principais problemas da Região, compartilhados nos temas “Educação e Movimento Estudantil” e “Segurança pública e Mobilidade urbana”.

Os participantes, delegados e observadores contribuíram com análises, opiniões, sugestões e críticas, consideradas pelos organizadores “bastante qualificadas e baseadas na legítima vontade de construir um movimento estudantil combativo, preocupado com o atual momento de perda de direitos, e reconstruir o CES para todos e todas as estudantes”.

O novo presidente defende que é momento de construir uma nova fase do CES, por meio de uma gestão ampla, plural e democrática, que renove as esperanças dos estudantes “por uma Educação melhor e uma Região de maiores oportunidades”. A ideia é de que o CES volte a ter força para influenciar os rumos do movimento estudantil e alcançar conquistas para os cerca de 55 mil universitários da região, se autodesafia Caio Yuji.