Pesquisa do IPAT confirma Ademário em 1.º lugar com 25,3%

Pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016

Pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016

A corrida eleitoral chega na reta final e o candidato do PSDB à Prefeitura de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira, lidera a preferência do eleitorado com 25,3% das intenções de voto. Esse é o resultado da pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas A Tribuna – IPAT, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016, realizada nos dias 23 e 24 de setembro, com intervalo de confiança de 95% e divulgada na edição desta quarta-feira (28), e confirma resultados da semana passada do Instituto Opinião contratado pelo jornal “Diário do Litoral”.

A liderança de Ademário é isolada, mediante a apresentação dos nomes dos cinco candidatos, para uma amostragem de 800 eleitores cubatenses. Devido à margem de erro da pesquisa, de 3,5% para mais ou para menos, os outros quatro concorrentes estão tecnicamente empatados: Severino Tarcício, o Doda (PSB), aparece em segundo lugar com 15,4%, Wagner Moura (PMDB) com 12,5%, Dinho Heliodoro (SD), tem 10,1%, e Fábio Inácio (PT), conta com 8,9% da vontade de votar do povo cubatense.

Dos entrevistados, 15% disseram que votarão em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos, e 12,8% ainda não sabiam em quem votar. Excluídas essas respostas e considerados somente os votos válidos, Ademário soma 35,1% das preferências. Depois vêm Doda (21,3%), Wagner Moura (17,3%), Dinho (14%) e Fábio (12,3%).

Quando os pesquisadores do IPAT perguntaram aos eleitores que, entre os cinco candidatos, em quem não votaria de jeito nenhum, 32,3% citaram o nome de Fábio Inácio; Doda e Wagner Moura são rejeitados por 21,8% cada; Ademário por 20% e Dinho recebeu 18% das citações contrárias.

Pesquisa espontânea – Na sondagem espontânea, em que os pesquisadores do IPAT não mostraram aos entrevistados os nomes dos candidatos, a classificação seguiu a mesma ordem da consulta estimulada, com números diferentes: Ademário obteve 19,2% das citações; Doda, 11,1%; Wagner, 9,2%; Dinho, 6,9% e Fábio, 5,4%.

89,4% rejeitam Marcia Rosa – A pesquisa que sinaliza para o futuro da Prefeitura de Cubatão, com Ademário Oliveira prefeito se as eleições fossem no início da semana, também mostra a rejeição do eleitorado à prefeita Marcia Rosa, que é de praticamente nove em cada dez entrevistados nesta pesquisa eleitoral. O índice é de 89,4%, quase igual ao apurado em relação à prefeita de Guarujá, Maria Antonieta Brito (PMDB), rejeitada por 89,5%, e inferior à do prefeito de São Vicente, Luís Carlos Bili, sem partido, que alcançou 94,7%.

Segundo o cientista político Alcindo Gonçalves, coordenador do IPAT, a imagem de Marcia foi abalada pelas “várias ameaças de cassação (do mandato de prefeita, com dois pedidos votados recentemente pela Câmara de Vereadores) e a crise, que bateu forte na receita (da Prefeitura)”.

Câmara Municipal – Na mesma pesquisa, o IPAT quis saber também em quem os eleitores de Cubatão votariam para compor as 15 vagas do Poder Legislativo a partir do dia 1.º de janeiro de 2017, Cesar aparece com 2,9%; Augusto Rei do X Salada, 2,5%; Roxinho, 2,5%; Ricardo Queixão, 2,3%; Toninho Vieira, 1,9%; Jair do Bar, 1,8%; Pastor Valdeci Santos, 1,8%; Tinho, 1,8%; Fábio Moura, 1,6%; Rafael Tucla, 1,5%; Allan Matias, Cotia, Irmão Ximenes e Missionário Marcos Cardoso, cada um com 1,4%; Pádua, Professor Welington, Sérgio Peralta e Zelma, com 1,1% cada um; Gilvan Barreto, Professor Cagé, e Sérgio Calçados, todos com 1,0% cada. Os demais candidatos tiveram um número menor de citações.

Ademário recebe ameaças por WhatsApp

Vereador cubatense vem se destacando na oposição e agora enfrenta baixo nível nas redes sociais

Vereador cubatense vem se destacando na oposição e agora enfrenta baixo nível nas redes sociais

Disputa eleitoral em Cubatão baixa o nível antes de começarem oficialmente as campanhas. Os ataques pelas redes sociais têm sido comuns, mas agora a honra do prefeiturável do PSDB é atacada para tentar impedi-lo de disputar as eleições municipais deste ano.

A reportagem do jornal ‘Povo de Cubatão’ teve acesso a mensagem recebida pelo vereador Ademário da Silva Oliveira, presidente do diretório municipal do PSDB, em que menciona outro pré-candidato a prefeito da cidade, ofende e ameaça o tucano.

Essa ocorrência partiu do número de telefone celular – (013) _ _ _ _ _ – 9739 – , por meio do aplicativo WhatsApp, e aparentemente pode ser interpretada como uma tentativa de intimidação do pré-candidato a prefeito pelo PSDB, ameaçando-o de promover ataques contra a sua pessoa, se ele submeter o seu nome à convenção do partido e disputar a Prefeitura de Cubatão nas eleições de 02 de outubro.

Com o seu aparelho de telefone em mãos, Ademário Oliveira, que é também advogado em Cubatão e atualmente exerce o seu primeiro mandato como vereador, sendo o mais votado na história da cidade, se dirigiu à Delegacia Regional de Polícia Civil em Santos, onde foi recebido e atendido pelo delegado assistente da Seccional de Polícia, Luís Eduardo Maia, na última segunda-feira (18).

O delegado Maia recomendou imediatamente que se elaborasse um boletim de ocorrência policial e, tendo em vista a menção de outro nome de prefeiturável cubatense na mensagem, a reportagem apurou que foi iniciada uma investigação sigilosa, principalmente em decorrência de Cubatão já registrar em sua história, antecedentes de violência contra políticos.

Casos não resolvidos – O atentado contra a vida do ex-prefeito Clermont Silveira Castor, em 2001, e as mortes dos vereadores João Santana de Moura Villar, o Tucla, em 2010, e Aniz Rahal Maluf, também em 2010, até hoje sem esclarecimentos públicos, impõem o zelo policial nesse início da campanha de 2016.

Registrar o Boletim de Ocorrência – BO por parte de Ademário Oliveira foi uma medida para salvaguardar a sua honra e garantir que as campanhas não sejam manchadas e a democracia posta em risco, comentou o vereador e um advogado especializado em direito eleitoral consultado por ele.

Cangaço eletrônico – Para o vereador Ademário, o trabalho da polícia será essencial nesse processo para garantir que a “Democracia não seja abalada e também para impedir o crescimento do cangaço eletrônico numa Cidade que tem um povo trabalhador, pacífico e deseja mudanças para melhor em todos os setores da Prefeitura de Cubatão e do território municipal”.