Prefeito eleito de Cubatão anuncia equipe de governo

Nova equipe é técnica e tem experiência comprovada. Foto: Aderbau Gama

Nova equipe é técnica e tem experiência comprovada. Foto: Aderbau Gama

O prefeito eleito de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (28) a sua equipe de governo, justificando que a escolha foi baseada na identificação de técnicos com experiência comprovada em cada uma das áreas de atuação. “Busquei pessoas que também preenchessem os requisitos FHC – Fidelidade, Honestidade e Competência, para enfrentar a situação de crise financeira da Prefeitura, sem precedentes, com uma dívida estimada em R$ 500 milhões. E essas pessoas, não importa a localização domiciliar delas neste momento, são as mais capazes e dispostas a nos ajudar nesse enfrentamento, combate e, esperamos muito, vitória”, enfatizou Ademário no auditório da Câmara Municipal de Cubatão, para a imprensa, vereadores reeleitos e eleitos, representantes de entidades da sociedade civil e correligionários políticos.

O próximo prefeito de Cubatão assumirá o cargo neste domingo (1 de janeiro), em solenidade de posse na Câmara às 18h00 e de transmissão da função exercida interinamente pelo vereador Aguinaldo Araújo (PDT), no Bloco Cultural do Paço Piaçaguera, às 19h00. E, durante a entrevista coletiva para o anúncio dos nomes dos seus secretários, Ademário Oliveira confirmou a sua promessa de austeridade, reduzindo o número de nomeados do 1.º escalão da Prefeitura, dos 23 atuais para 16, sendo que haverá secretário acumulando até três pastas.

Economia – A princípio pode parecer pequeno o impacto econômico e financeiro de ter sete secretários a menos: cerca de R$ 70 mil/mês correspondentes aos salários que a Prefeitura não precisará pagar, como faz na atual configuração administrativa. Mas há um dado bastante relevante, quando se toma como referência a decisão do prefeito eleito de congelar a nomeação dos demais cargos de confiança (COs) por 100 dias, que produzirá uma economia de R$ 2 milhões no período.

“Nomearemos apenas os chefes de departamentos e assessores de natureza estratégica e os mais essenciais nesses 100 dias, por medida de economia. Dos atuais 168, decidimos preencher no máximo 30% deles”, explicou Ademário Oliveira.

Equipe anunciadaGoverno (Chefia de Gabinete), Cesar da Silva Nascimento; Assuntos Jurídicos (acumulando Auditoria e Controladoria), André Castro Oliveira; Procuradoria-Geral, Rogério Molina Oliveira; Subprocuradoria-Geral, Fábia Margarido; Planejamento, Pedro de Sá Filho; Assistência Social, Sebastião Ribeiro do Nascimento, o “Zumbi”; Segurança Pública e Cidadania (acumulando a CMT – Companhia Municipal de Trânsito), Jefferson Dias Gomes Neves Cansou; Comunicação Social, Renata Rocha; Manutenção e Serviços Públicos (acumulando Emprego e Desenvolvimento Sustentável), Juliana Soares João; Meio Ambiente (acumulando Turismo e Esportes), Mauro Haddad Nieri; Gestão, Ivani Maria Bassotti; Finanças, Maurício Stunitz Cruz; Habitação (acumulando Obras), Benaldo Melo de Souza; Educação (acumulando Cultura), Raul Christiano; Saúde, Sandra Furquim; Caixa de Previdência dos Servidores, Lucidalva Oliveira Almeida Santos; e CURSAN – Companhia Cubatense de Urbanização e Saneamento, Edson Salvo Melo.

POVOEDIÇÃO456

capa-456

Cubatão elege Ademário prefeito!

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Com 41,53% dos votos válidos, que foi a soma da opção de 28.455 eleitores, o vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB) foi eleito prefeito de Cubatão, nas eleições de 2 de outubro. Sua vitória confirmou a sua liderança nos resultados das pesquisas recentes dos jornais “Diário do Litoral” e “A Tribuna de Santos”, com um plus a mais de 20 pontos percentuais à frente do segundo colocado, Wagner Moura (PMDB), que teve 13.426 (19,59%). Na sequência ficaram Severino Tarcício, Doda (PSB), com 11.449 (16,71%), Dinho Heliodoro (SD), com 11.343 (16,55%), e Fábio Inácio (PT), 3.850 (5,62%).

As primeiras palavras de Ademário foram de agradecimento ao povo de Cubatão, que já havia lhe dado o título de vereador mais votado da história da cidade em 2012, com 2.721 votos, e sobre os seus principais desafios, a começar pela saúde, fazendo o hospital que tem capacidade para 250 leitos funcionar na sua plenitude. O prefeito eleito é tucano, como o governador Geraldo Alckmin, e acredita no diálogo com o Estado e o governo federal, que conta com o apoio do PSDB a nível nacional, para buscar ajuda e recuperar o município.

Primeiras ações: Ademário Oliveira declarou que vai “montar uma equipe de transição, chamar a atual prefeita para conversar”. Quer assumir no dia 1.º de janeiro com “inteireza de dados e dinamismo para fazer a máquina andar com um ritmo mais competente, eficiente e eficaz”.

Nova Câmara: A partir de 1.º de janeiro, a Câmara Municipal de Cubatão contará com 15 vereadores, e o mais votado nas eleições deste ano foi o companheiro de chapa de Ademário Oliveira, Toninho Vieira (PSDB), que obteve 2.902 votos e passa a ser agora o detentor do título de vereador mais votado na história local. Também se elegeram: Cesar Nascimento (PSDB), com 2.227 votos; Ricardo Queixão (PDT), com 1967 votos; Fábio Roxinho (PMDB), 1.683; Rafael Tucla (PT), 1.673; Rodrigo Alemão (PSDB), 1.657; Dr. Anderson Veterinário (PRB), 1.545; Ivan Hildebrando (PSB), 1.433; Jair do Bar (PT), 1.422; Sérgio Calçados (PPS), 1.271; Aguinaldo Araújo (PDT), 1.218; Cléber do Cavaco (PRB), 1.046; Marcinho (PSB), 952; Wilson Pio (PSDB), 911 e Lalá (SD), 797 votos.

Quem é Ademário Oliveira – Baiano nascido em Rachão da Jacuipe, Ademário da Silva Oliveira candidato tucano à prefeitura de Cubatão com o vice Pedro Sá é, antes de tudo, um vencedor, exemplo de superação e de político vocacionado a lutar em defesa da justiça e do bem estar coletivo. “Ser político, é gostar de gente”, resume.

Com 10 anos de idade chegou à Cubatão com sua família “atrás da vida” como gosta de justificar as razões que levaram o pai a trocar o sertão baiano por São Paulo. Foi no CAMP – Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Cubatão, onde ficou até os 18 anos, que as portas se abriram para Ademário. “tudo que conquistei na vida, devo ao CAMP”, reconhece o ex-patrulheiro, hoje advogado e vereador mais votado da história de Cubatão,

A política entrou em seu sangue em 1997 quando, social democrata por convicção, se filiou ao PSDB. Três anos depois já era o primeiro suplente na Câmara de Cubatão com um capital eleitoral de 418. Encarou a primeira derrota como vitória e em 2004 manteve a primeira suplência duplicando o capital: 851 votos.

Ampliou o trabalho comunitário e suas ações em defesa, inicialmente, de seu bairro – Vila Natal, ao mesmo tempo em que se dedicava aos estudos e a conquistar novos amigos. Manteve a luta política em defesa dos mais necessitados e as eleições de 2008 lhe deram a certeza de que estava no caminho certo, que seus ideais estavam sendo compreendidos pelos cubatenses. Manteve, como sempre, a primeira suplência na Câmara. Desta vez com 1.651 votos, o oitavo candidato mais votado.

Suas derrotas foram lições de vida, consolidaram o espírito combativo que, tinha certeza, serviam de tempero à vitória. E ela finalmente chegou em 2012 como o vereador mais votado da história de Cubatão: 2.721 votos que lhe deram o direito de presidir a sessão solene de posse dos vereadores e da prefeita reeleita Márcia Rosa.

Ação Legislativa – Deu posse à prefeita, mas não teve vida fácil no Legislativo. Vereador de oposição, desde os primeiros momentos ao governo petista que fazia uma péssima administração, segundo sua avaliação. “A Márcia representava um governo perseguidor, não atendia a oposição e eu não conseguia dar respostas às demandas populares”.

Perseguido, Ademário enfrentou processo de tentativa de cassação de seu mandato e as indiferenças da prefeita às suas tentativas de conquistas sociais para o povo. Os ataques e as injustiças políticas que sofria serviam apenas para, como se diz no sertão, deixar seu couro mais duro.

Partiu para o ataque com ações independentes através de comissões Parlamentar de Inquérito. Desafiava o poder e denunciava não apenas irregularidades da administração municipal, mas também do governo federal da hoje deposta presidente Dilma Vana Rousseff.

Ganhou projeção nacional no combate à corrupção na Petrobras, bem antes de começar a Operação Lava Jato, presidindo a Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou e denunciou irregularidades na Refinaria Presidente Bernardes. Na época, a revista Isto É afirmou que os prejuízos à Petrobrás foram de R$ 43.5 milhões.

Ademário recebe ameaças por WhatsApp

Vereador cubatense vem se destacando na oposição e agora enfrenta baixo nível nas redes sociais

Vereador cubatense vem se destacando na oposição e agora enfrenta baixo nível nas redes sociais

Disputa eleitoral em Cubatão baixa o nível antes de começarem oficialmente as campanhas. Os ataques pelas redes sociais têm sido comuns, mas agora a honra do prefeiturável do PSDB é atacada para tentar impedi-lo de disputar as eleições municipais deste ano.

A reportagem do jornal ‘Povo de Cubatão’ teve acesso a mensagem recebida pelo vereador Ademário da Silva Oliveira, presidente do diretório municipal do PSDB, em que menciona outro pré-candidato a prefeito da cidade, ofende e ameaça o tucano.

Essa ocorrência partiu do número de telefone celular – (013) _ _ _ _ _ – 9739 – , por meio do aplicativo WhatsApp, e aparentemente pode ser interpretada como uma tentativa de intimidação do pré-candidato a prefeito pelo PSDB, ameaçando-o de promover ataques contra a sua pessoa, se ele submeter o seu nome à convenção do partido e disputar a Prefeitura de Cubatão nas eleições de 02 de outubro.

Com o seu aparelho de telefone em mãos, Ademário Oliveira, que é também advogado em Cubatão e atualmente exerce o seu primeiro mandato como vereador, sendo o mais votado na história da cidade, se dirigiu à Delegacia Regional de Polícia Civil em Santos, onde foi recebido e atendido pelo delegado assistente da Seccional de Polícia, Luís Eduardo Maia, na última segunda-feira (18).

O delegado Maia recomendou imediatamente que se elaborasse um boletim de ocorrência policial e, tendo em vista a menção de outro nome de prefeiturável cubatense na mensagem, a reportagem apurou que foi iniciada uma investigação sigilosa, principalmente em decorrência de Cubatão já registrar em sua história, antecedentes de violência contra políticos.

Casos não resolvidos – O atentado contra a vida do ex-prefeito Clermont Silveira Castor, em 2001, e as mortes dos vereadores João Santana de Moura Villar, o Tucla, em 2010, e Aniz Rahal Maluf, também em 2010, até hoje sem esclarecimentos públicos, impõem o zelo policial nesse início da campanha de 2016.

Registrar o Boletim de Ocorrência – BO por parte de Ademário Oliveira foi uma medida para salvaguardar a sua honra e garantir que as campanhas não sejam manchadas e a democracia posta em risco, comentou o vereador e um advogado especializado em direito eleitoral consultado por ele.

Cangaço eletrônico – Para o vereador Ademário, o trabalho da polícia será essencial nesse processo para garantir que a “Democracia não seja abalada e também para impedir o crescimento do cangaço eletrônico numa Cidade que tem um povo trabalhador, pacífico e deseja mudanças para melhor em todos os setores da Prefeitura de Cubatão e do território municipal”.

Ademário relata preocupações com saúde ao Governador Geraldo Alckmin

Hospital vive a maior crise de sua história. Foto: Raimundo Rosa.

Hospital vive a maior crise de sua história. Foto: Raimundo Rosa.

O governador Geraldo Alckmin esteve na última quarta-feira (15), em Praia Grande, onde recebeu do vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB) um relato sobre a situação difícil enfrentada pelo Hospital Modelo de Cubatão. O assunto saúde pública regional dominou boa parte da visita do governador a vários dos municípios da Baixada Santista, mas destacou que está em fase de efetivação um novo convênio de auxílio financeiro do Programa Santas Casas Sustentáveis para o Hospital Municipal de Cubatão.

Em seguida, o vereador Ademário obteve da diretora regional de Saúde, Paula Covas Borges Calipo, o detalhamento de como será realizado o apoio do Governo do Estado a Cubatão. Paula Covas explicou que “o auxílio será em 7 parcelas mensais no valor de R$ 247.468,08, totalizando R$ 1.732.276,56 para custeio – material de consumo e prestação de serviços médicos e, investimento, cujo objetivo é aprimorar a gestão hospitalar visando a melhoria na qualidade do atendimento”.

A dirigente regional confirmou também que Estado e Prefeitura devem se reunir no próximo dia 20 (segunda-feira), para tratar especificamente do Hospital Modelo, contando inclusive com a presença e participação do Secretário de Estado da Saúde, David Uip, atendendo a pedido da promotora de Justiça Larissa Motta Nunes.

“Vamos conversar sobre a situação. Temos um momento emergencial do hospital, mas precisamos definir um plano para que essas dificuldades não se repitam. A responsabilidade pelo hospital municipal é da Prefeitura e o Estado já fornece recursos específicos para ajudar na manutenção, por entender que o equipamento é importante no contexto da Saúde regional”, destacou Paula.

O Programa Santas Casas Sustentáveis representa um complemento à tabela do SUS, e é de 40% acima do teto pago pelo Sistema Único de Saúde.

AHBB – A Associação Hospitalar Beneficente do Brasil que gerencia o hospital com recursos repassados pelo município, entre sexta e segunda-feira desta semana, recebeu R$ 2 milhões, que foram utilizados para pagar fornecedores e alguns médicos da maternidade: “Não sobrou dinheiro suficiente para uma folha de pagamento completo e não houve pagamento nenhum aos empregados”, disse Paulo Pimentel, presidente do Sintrasaúde, que lidera greve de quase 90% do quadro estimado em cerca de 450 trabalhadores.

Câmara aceita denúncia contra Marcia Rosa (PT)

Vereadores formam Comissão Processante por sorteio

Vereadores formam Comissão Processante por sorteio

Por 8 votos favoráveis e 3 contrários, a Câmara Municipal de Cubatão aceitou a denúncia do munícipe Ualton de Simone, contra a prefeita Marcia Rosa (PT) e o vice-prefeito Donizete Tavares (PSD), durante a sessão realizada na tarde desta terça-feira (31 de maio). Com essa decisão, para encaminhar providências para a cassação da prefeita e do vice-prefeito, foi formada uma Comissão Processante, por sorteio, com a participação de três vereadores: Severino Tarcício, Doda (PSB) na presidência, Ademário da Silva Oliveira (PSDB) como relator e Fábio Moura (PMDB), membro, que terá 90 dias para cuidar de todos os trâmites regimentais até a decisão final do conjunto dos vereadores cubatenses.

Entre as alegações para o pedido de impeachment da prefeita, estão denúncias de improbidade administrativa, crime de responsabilidade e a falta de repasse à confederação nacional de municípios. Além disso, o autor do pedido de impedimento aponta que a chefe do Executivo não vem pagando integralmente os valores referentes ao fundo de previdência dos servidores municipais.

O munícipe ainda denuncia que o vice-prefeito nos dias em que substituiu a chefe do Executivo também deixou de repassar os valores à Caixa de Previdência.

O documento-denúncia foi lido na semana passada pelo vereador Ademário, no entanto a sessão foi encerrada pelo presidente da Câmara, vereador Aguinaldo Araújo (PDT), devido à falta de quórum para a deliberação ocorrida hoje, por causa da obstrução das bancadas do PMDB, PSDB, PSB e SD.

Os vereadores Aguinaldo Araújo e Ricardo Queixão (PDT) e Jair do Bar (PT) votaram contra a admissibilidade da denúncia, que só foi aprovada porque contou com o voto de 2/3 dos vereadores. A denúncia de Ualton havia recebido parecer favorável da Comissão Permanente de Justiça e Redação.

O prazo para o procedimento da Comissão Processante será de, no máximo, 90 (noventa) dias, contados da formação da Comissão Processante, até o final do julgamento, em sessão prevista no Regimento Interno do Poder Legislativo. Prefeita e vice-prefeito devem ser notificados em cinco dias para apresentação de defesa prévia, cujo direito amplo lhes é assegurado, em dez dias e arrolar testemunhas, e demais procedimentos até a decisão final dos vereadores, por maioria absoluta de votos, qual seja o voto mínimo de metade mais um do total de vereadores da Câmara.

Confira os votos dos vereadores:
Dinho Heliodoro – aceitou a denúncia
Ademário da Silva – aceitou a denúncia
Aguinaldo Araújo – contrário a denúncia
César da Silva – aceitou a denúncia
Fábio Roxinho – aceitou a denúncia
Wagner Moura – aceitou a denúncia
Ivan da Silva – aceitou a denúncia
Jair do Bar – contrário à denúncia
Ricardo Queixão – contrário à denúncia
Dóda – aceitou a denúncia
Fábio Moura – aceitou a denúncia