Boca do Povo

Agendão

Com uma agenda de fôlego por todo o Estado, o subsecretário de Desenvolvimento Metropolitano do Governo Geraldo Alckmin, Edmur Mesquita – na ilustração, cumpre papel importantíssimo na organização das regiões metropolitanas. Inicialmente havia só a da Baixada Santista, território que ele conhece bem por sua atuação desde os tempos em que atuava no movimento da Pastoral Católica, depois na área estudantil, até se eleger vereador de Santos e deputado estadual pelo PSDB.

O subsecretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edmur Mesquita, deve tentar uma vaga à Assembleia Legislativa.

Organizador

A ideia de tirar do papel a nova organização das regiões administrativas, prevista na Constituição Brasileira de 1988, partiu do saudoso governador Mário Covas, quando criou a região da Baixada Santista. Essa iniciativa avançou muito, porque somente dá certo quando os municípios dão as mãos e buscam soluções conjuntas para os seus problemas comuns.

Empenho

Com essa orientação, os governos estaduais que se sucederam – Geraldo Alckmin, agora em seu quarto mandato; José Serra e Alberto Goldman, que inclusive deixaram marcas históricas e grandes realizações em Cubatão – o Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar e o Programa Onda Limpa de saneamento da Baixada e do Litoral, as regiões metropolitanas foram institucionalizadas ainda na Grande São Paulo e Campinas.

Não para

Edmur Mesquita se afastou da disputa eleitoral nesses anos para cuidar desse trabalho delicado, de promover o entendimento entre os prefeitos e os agentes públicos e privados em busca de soluções integradas, que ora se estendem ao Vale do Paraíba, Ribeirão Preto e Sorocaba, servindo de ponte entre os governadores e os municípios.

2018

Nos últimos meses, após fazer um balanço positivo desse trabalho, com resultados importantes para que a organização do Estado siga em frente, com exemplos de gestão e conhecimento das mais variadas formas de governar, Edmur Mesquita não esconde a intenção de voltar a se candidatar a deputado estadual. Já avisou ao PSDB que está à disposição do partido, com toda bagagem necessária para fazer a diferença com experiência e vocação para melhorar a vida das pessoas.

Nome de peso

Esta coluna reúne condições de registrar que o nome de Edmur Mesquita é forte para uma disputa política em que o eleitorado não se cansa de negar apoio a uma grande parte dos políticos atuais. Além disso tudo, Edmur tem uma folha de serviços prestados que vai lhe render muitos apoios.

Não gostou

O vereador Toninho Vieira (PSDB) não gostou nada de ver o seu nome envolvido na nota política da “Boca do Povo”, sobre quase ter saído no braço com o Secretário de Segurança e Cidadania, Jefferson Cansou, que é também advogado e seu colega de partido. Mas até agora não negou o fato.

Fraudes

Caiu como uma bomba a notícia de que a Controladoria-Geral da União orientou para o cancelamento do pagamento de 1.664 famílias na Baixada Santista, que recebem o benefício da Bolsa Família. Segundo a CGU, essas familiares declararam renda mensal menor do que a realidade e isso causou um prejuízo de quase R$ 7 milhões ao governo federal.

Cubatão

Das 3.162 famílias cadastradas em Cubatão, 111 são investigadas por fraude e 393 tiveram os benefícios bloqueados.

Quem pode

O programa Bolsa Família atende as famílias que vivem em situação de pobreza e de extrema pobreza. Estão aptas ao benefício as famílias que possuem renda per capita menor que R$ 85,00 ou aquelas que possuem renda per capita de R$ 85,01 a R$ 170,00 mensais, desde que tenham crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos.

IPTU

Os carnês de cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), de 2018, começaram a ser distribuidos na terça-feira (2) e o vencimento da primeira parcela do tributo será no dia 25 de janeiro. O imposto terá um reajuste de 1,83%, referente à variação do Indice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC).

Mês de contas

Serão 26.600 carnês e a distribuição ficará a cargo do Banco Bradesco, que também foi responsável pelos custos de impressão. A distribuição de outros 1.600 carnês de contribuintes – cuja inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Físicas (CPF) não foi fornecida – será de responsabildiade da Prefeitura. Estes contribuintes deverão recolher os tributos nas agências do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Itaú.

Casa da Esperança

É preocupante o impasse para o reinício das atividades da Casa da Esperança em Cubatão, que enfrenta muitas dificuldades para fazer caixa e pagar os funcionários. O presidente do Rotary Clube, Hermes Balula, interventor nomeado pela Justiça, ainda espera que o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) cumpra o que prometeu…

Promessa

Foi noticiado na época da transferência de interventores, antes da Secretaria Municipal de Saúde para o Rotary, que a Prefeitura assumiria o passivo trabalhista da casa, estimado em cerca de R$ 400 mil, e retomaria os contratos com a Administração. Quem não está gostando são as mães e pais das crianças desatendidas.

Unipar Carbocloro reforma UME Rui Barbosa em Cubatão

A Unidade Municipal de Ensino “Rui Barbosa” é uma das 58 escolas de Cubatão. Foto: Aderbau Gama.

Os mais de 630 alunos da Unidade Municipal de Ensino – UME “Rui Barbosa”, em Cubatão, iniciarão o próximo ano letivo com uma escola de cara nova. Foi iniciada, neste mês de dezembro, uma reforma da estrutura física com o patrocínio da Unipar Carbocloro, produtora de cloro, soda e derivados com sede industrial em Cubatão. Com um investimento de R$ 300 mil, o projeto contempla a renovação da quadra esportiva, pintura geral da unidade, adequação do telhado e controle de pragas.

“A Unipar Carbocloro reforça o seu compromisso com a comunidade de Cubatão por meio de suas ações permanentes de responsabilidade socioambiental. A UME “Rui Barbosa” já participa há vários anos de atividades culturais e esportivas promovidas pela empresa. A reforma chega em uma boa hora, contribuindo para a segurança, a saúde e o bem-estar dos alunos e funcionários”, afirma Airton Andrade, diretor Industrial da patrocinadora.

A UME “Rui Barbosa” tem 27 anos de existência e atende crianças e adolescentes do ensino fundamental. Está localizada na Rua Vereador Luiz Pieruzzi Neto, 50, na Ilha Caraguatá, e foi uma das unidades que mais sofreram no início do ano letivo que se encerra, por ocasião das chuvas.

Adote uma Escola – Os entendimentos com empresas locais do município em busca do patrocínio para reformas de escolas foram mantidos diretamente pelo prefeito Ademário Oliveira (PSDB). Nessa direção, a Unipar Carbocloro se dispôs a cuidar da UME “Rui Barbosa”, assim como a Cesari Soluções Logísticas Diferenciadas vem reformando completamente a UME “Jayme João Olcese”, no Jardim Costa e Silva, desde o mês de maio.

Essas articulações da Prefeitura de Cubatão com as empresas locais originaram um projeto de lei, instituindo o Programa Adote uma Escola, elaborado pelo ex-secretário de Educação, Raul Christiano. Ele buscou exemplos bem sucedidos no país e definiu as condições necessárias e as contrapartidas dessa Parceria Público Privada – PPP, pioneira na área da Educação local, porque encontrou a rede composta por cerca de 58 escolas com problemas estruturais de toda ordem e as finanças do município praticamente falidas.

Ademário se diz “prefeito da periferia”

Desatando nós da Prefeitura, tendo a Saúde como foco principal. Ademário foi assim em 2017.

O pagamento da dívida social da rica cidade de Cubatão, que durante muitos anos atraiu pessoas da região da Baixada Santista e de todos os lugares do país para os melhores empregos no seu Polo Industrial, é a prioridade do prefeito Ademário da Silva Oliveira (PSDB), que completa neste domingo (31) os seus primeiros 12 meses de gestão.

2017 foi um ano difícil para a nova administração municipal, que em 21 de julho fechou o balanço da situação encontrada, apresentando material e documentos que comprovaram uma dívida de cerca de R$ 970 milhões. Quase um orçamento municipal, estimado em R$ 1,3 bilhão.

A reportagem do jornal Povo de Cubatão pesquisou e selecionou as principais manifestações do prefeito, em todas as mídias ao longo do ano. O destaque ficou para o compromisso de devolver o atendimento à saúde para a população, mas que entre as dificuldades financeiras e burocráticas só conseguiu realizar essa promessa – reabrindo o Hospital Modelo – no dia 1.º de dezembro:

Porque fechou o hospital no início do seu governo?

Ademário Oliveira: “O Hospital estava fechado desde junho de 2016. De maneira irresponsável o governo anterior (Marcia Rosa, PT) mantinha a folha de pagamento sem a devida prestação de serviços. Por isso o caminho foi rescindir o contrato com a antiga administradora (AHBB) para garantir os direitos dos trabalhadores.”

O Senhor era acusado de “mentir sobre dados da folha de pagamento da Prefeitura”. Como encontrou a folha?

Ademário: “A folha de pagamentos de 2016 ultrapassou o limite permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Somando os R$ 32 milhões que pagamentos do 13.º de 2016 e de férias não pagas, o percentual passa de 58%. Crime passível, inclusive, de prisão.”

Quais as medidas a serem tomadas quanto aos desmandos e irregularidades encontradas?

Ademário: “Com auxílio da assessoria jurídica e procuradoria, tudo será levado à Justiça. O objetivo é punir aqueles que cometeram irregularidades, havendo também a possibilidade de retornarem recursos aos cofres do município.”

E a urbanização de áreas invadidas, legalização fundiária e novas moradias?

Ademário: “Há projetos bem encaminhados, tais como a transferência da Vila Noel, da construção da Avenida Perimetral na Vila Esperança e a transferência da área da Vila dos Pescadores para construção de casas através do Programa Minha Casa Minha Vida.”

Como fica a sua popularidade?

Ademário: “Sabíamos das mazelas que foram cometidas e que a situação do município era falimentar. Tivemos que tomar medidas duras, não por liberalidade, mas por obrigação de fazer a coisa certa. Fizemos tudo para colocar a casa em ordem, mesmo quando nossas ações desagradaram muitos. Porém, sempre disse a todos que jamais vamos trilhar caminhos impróprios em troca de popularidade. Nossa popularidade pode oscilar. Contudo, nossa credibilidade é algo inalienável.”

Dinheiro do Estado e da União pode chegar?

Ademário: “Quando assumi encontrei a Prefeitura inscrita no Cadin Estadual (Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais) e no Cadin Federal, devido a dívidas não honradas pela administração anterior. Essa situação complicou ainda mais as já combalidas finanças do município, que ficou impedido de receber qualquer recurso ou celebrar convênios com os dois governos. Conseguimos liminar, em agosto, retirando a Prefeitura do Cadin Estadual. Falta sair do federal.”

Por onde recuperar a economia do Município?

Ademário: “A Usiminas revelou interesse em disponibilizar áreas, hoje inativas, onde funcionava o setor de laminados (que parou de produzir) para empresas interessadas em novos empreendimentos na região. Áreas dotadas de toda infraestrutura necessária a indústrias. Cubatão é a cidade que, em razão de seu Polo Industrial, mais produziu empregos para toda a Baixada Santista – hoje é a que mais sofre com os problemas de desemprego (das 40 mil vagas de emprego perdidas na região, nos últimos 10 anos, 12 mil eram da cidade). Por isso é importante que todas as cidades se unam com vistas à retomada do crescimento e da empregabilidade da Baixada. Não só Cubatão, mas todos os demais municípios serão beneficiados.”

E o foco na saúde, fez esquecer dos outros setores que também precisam de atenção?

Ademário: “Nossa prioridade é salvar vidas. Por isso reagimos à suspensão “sine die” da concorrência pública para a abertura do hospital, determinada pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE. A decisão de acelerar a reabertura do hospital foi tomada diante da necessidade urgente de oferecer assistência médica e hospitalar ao povo cubatense. Nós sabemos que nem o Ministério Público Estadual, nem o Tribunal de Contas, têm conhecimento da realidade fática da cidade. Nós temos.”

O Orçamento de 2018 foi elaborado pelo governo atual. Como fica agora?

Ademário: “É um orçamento dentro da expectativa de receita, adequado à realidade financeira da cidade. E incluímos todos os 18 pleitos escolhidos como prioritários pela população nas audiências do Orçamento Participativo.”

Como o Senhor lida com a oposição das eleições passadas?

Ademário: “Por exemplo, fiquei muito satisfeito com o reforço para o atendimento de urgência (renovação da frota do SAMU). Credito a conquista à articulação política do vereador Fábio Alves Moreira, o Roxinho (PMDB) com o deputado estadual de seu partido, Jorge Caruso, responsável pela inclusão do município no programa. Mais uma demonstração de que as disputas políticas ficaram para trás e que Legislativo e Executivo, independente de ideologias e cores partidárias, estão unidos com o objetivo de conquistar melhores condições de vida para o nosso povo e vencer as dificuldades impostas pela crise econômica – que atinge não só Cubatão, mas o País, e que já é considerada a pior dos últimos 30 anos.”

Faculdade de Medicina.

Ademário: “Estamos na reta final da conquista deste sonho. A implantação da faculdade não é uma tarefa fácil, tendo envolvido intenso trabalho nos últimos 8 meses. A criação de uma faculdade não se limita à construção de um prédio. As gestões envolvem questões burocráticas, legais e técnicas e têm se encaminhado com muita seriedade, responsabilidade e transparência.”

Obras inacabadas.

Ademário: “Ao assumir o governo, em janeiro deste ano, a Cidade tinha 10 obras inacabadas. As retomadas estamos entregando totalmente prontas e equipadas à população. Aos poucos, Cubatão está saindo do processo de sucateamento em que foi deixada e caminhando para um futuro promissor.”

Reabertura do Hospital Modelo.

Ademário: “Foi muito importante a composição da parceria entre a Prefeitura e a Usiminas. Mesmo nos sujeitando à impopularidade, abrimos mão de outras iniciativas, mesmo as voltadas para a conservação urbana e nos concentramos em um projeto destinado a salvar vidas. Agradeço pela paciência da população neste período, pela colaboração dos servidores municipais e pelo apoio da Câmara Municipal que agiu com a rapidez que a situação exigia. Destaco também o ex-prefeito Nei Eduardo Serra, meu colega de partido, o PSDB, em cuja gestão o hospital foi idealizado e construído. Se este hospital existe é porque alguém o idealizou 20 anos atrás.”

Manutenção da cidade.

Ademário: “Quando assumimos a Prefeitura, em janeiro, os cofres públicos estavam vazios, o Hospital fechado e toda a população reclamando, com razão, da total falta de condições de andar pelas ruas da cidade. Estamos trabalhando para devolver aos cubatenses o direito constitucional de ir e vir.”

Relação com os vereadores.

Ademário: “A harmonia existente, hoje, entre a Câmara e a Prefeitura, é demonstração de seriedade e trabalho dos dois Poderes em busca de uma cidade melhor e mais justa.”

O quê esperar de 2018?

Ademário: “Sou o prefeito da periferia. 2017 foi um ano difícil, mas realizamos coisas importantes, como a reabertura do Hospital Municipal. Vamos dar um passo de cada vez, porém passos firmes. Nossa promessa para 2018 diz respeito ao nosso futuro. Nenhuma criança fora da escola. Teremos educação com qualidade para todos”.

Boca do Povo

Retrospectiva

O presidente da Câmara Municipal, Rodrigo Alemão (PSDB) – na ilustração, destaca em seu balanço das atividades do legislativo em 2017, que a nova realidade orçamentária da cidade de Cubatão foi decisiva para um novo modelo de atuação dele e de seus outros 14 colegas vereadores.

Vereador Rodrigo Alemão é filiado ao PSDB.

Cintos

O município foi afetado diretamente, pela crise e pela herança deixada pelos governos anteriores de Marcia Rosa (PT), o que exigiu uma série de adequações orçamentárias. “Tivemos que equilibrar as contas e fazer os ajustes financeiros necessários”, pondera Alemão.

Apertados

Ao longo de 2017, a Câmara colocou em prática algumas medidas de contenção de despesas. E o Legislativo, atento aos princípios da administração pública, fez uma gestão eficiente, que primou pela economicidade de recursos. Dessa economia, R$ 5.674.329,52 foram devolvidos aos cofres da Prefeitura, para utilização no pagamento do 13.º salário dos servidores públicos e parte da rescisão dos funcionários da Companhia Cubatense de Urbanização e Saneamento (Cursan).

Facebook

“A partir da atual legislatura, a última sessão de cada mês começou a ser realizada às 18 horas, com o objetivo de aumentar a participação dos munícipes que trabalham em horário comercial. Além disso, melhorou o site e criou a página da Câmara no Facebook, que além de divulgar o trabalho desenvolvido pelos parlamentares, chama a atenção para assuntos relacionados à promoção da cidadania”, enumerou Rodrigo Alemão.

Bicadas

Não passou despercebido dos servidores do Paço Municipal Piaçaguera, o bate-boca entre o vereador Toninho Vieira (PSDB) e o secretário de Segurança (e superintendente da CMT), Jefferson Cansou, no estacionamento de carros oficiais e particulares dos secretários. Pior é que a discussão descambou para as vias de fato e quase sobraram hematomas nas partes envolvidas.

SOS Pedro Sá

Como se não bastasse responder pela vice-prefeitura e por três secretarias municipais (Planejamento, Educação e Cultura), Pedro de Sá (PTB) foi chamado para apaziguar os ânimos.

Vieira

Sabe-se que o vereador Toninho Vieira está desenhando um caminho de saída do PSDB, votando contra projetos do prefeito Ademário Oliveira, tucano como ele, mas precisa ter uma justificativa forte para sair e não perder o mandato de vereador, se mudar de partido.

Efeito Moura

Vieira tem dito a interlocutores que busca o acolhimento de outras legendas partidárias, mas há sempre uma voz da consciência lembrando o episódio envolvendo o ex-vereador Wagner Moura, que saiu do PT para se filiar ao PMDB, e ficou sem mandato.

De olho

Semana passada, o presidente do Diretório Municipal do PSDB de Cubatão, Paulo Libório, publicou mensagem na seção de cartas deste jornal recheada de alertas sobre o comportamento de pessoas que não praticam ações de unidade e preferem vôos solos. Para um bom entendedor, meia palavra basta…

De olho 2

Em parceria com a CMT e Ecovias, a secretaria municipal de Segurança Pública instalou novo equipamento de longo alcance e giro de 360 graus na entrada da Vila Natal. São câmeras de última geração, para aumentar a segurança do local, “garantindo o direito de ir e vir do munícipe”, divulga o secretário Jefferson Cansou.

Ônibus escolar

A Secretaria Municipal de Educação – Seduc informa os prazos de inscrição e recadastramento no transporte escolar para 2018. Os expedientes serão a partir da próxima terça-feira (2) até o dia 19 de janeiro, das 9 às 16 horas, na UME Princesa Isabel (Praça Getúlio Vargas, 50, Centro).

Documentação

Para o recadastramento, devem ser apresentados os seguintes documentos: duas fotos 3×4, cópia da certidão de nascimento ou RG do aluno, cópia do comprovante de residência do responsável pela criança ou adolescente, além de declaração escolar emitida pela UME na qual o aluno está matriculado para o ano letivo de 2018.

Inscrições novas

No caso de novas inscrições para serviços de ônibus e passe escolar, além dos documentos citados acima, tornam-se obrigatórias as cópias de RG e do CPF dos alunos usuários do transporte na modalidade de passe escolar. Para mais informações: (13) 3372-6270.

Roda SP

De 5 de janeiro a 4 de março, Cubatão receberá milhares de visitantes com programa Roda SP. Além de almoço na comunidade da Serra, apreciando a vista da Baixada a partir do Mirante do Príncipe, os turistas poderão fazer caminhadas monitoradas no Parque da Serra do Mar e conhecer os detalhes do funcionamento da Carbocloro.

Governo Marcia Rosa gerou mais favelas

Flagrante da construção de barracos à luz do dia 21 de outubro (Foto: Carlos Nogueira)

Flagrante da construção de barracos à luz do dia 21 de outubro (Foto: Carlos Nogueira)

Matéria publicada pelo jornal “A Tribuna” de Santos, deste sábado (22), expõe o surgimento de uma nova favela em área de mangue em Cubatão, já com 100 famílias morando, na divisa com São Vicente. A Prefeitura de Cubatão, na gestão da prefeita Marcia Rosa (PT) não atendeu aos alertas do Ministério Público, que desde 2009 cobra vigilância e ações de pronta demolição de novos barracos, transformando o déficit habitacional no município em um problema quase insolúvel.

Foi abandonado pela gestão petista, todo o trabalho que vinha sendo desenvolvido pelo prefeito Clermont Castor, através da secretaria do Meio Ambiente e a cooperação da comunidade liderada por Sebastião Ribeiro, o Zumbi (Associação Cubatão de Bem com o Mangue) e José Severino da Silva, o Miúdo (Rádio Comunitária Nova Esperança), com o apoio do Governo do Estado.

De acordo com a matéria de “A Tribuna”, levantamento preliminar confirmado pela própria Prefeitura indica que já haveria cerca de 100 famílias morando em barracos construídos na sequência da região da Vila Esperança, que ganhou a denominação de Vale Novo: “Sete anos de invasões sem controle em mangues de Cubatão fizeram crescer o número de barracos nas favelas ao sul da Cidade, expandindo a Vila Esperança na direção dos limites com São Vicente. Parte da área mais próxima à via férrea é uma propriedade privada. O restante é mangue de preservação permanente, protegida pela legislação ambiental”, ressalta a reportagem.

Indústria de favela – O jornal flagrou o andamento de novas construções na última sexta-feira (21), que segundo apurou são destinadas à venda para moradores de fora, atraídos pela ideia de facilidades de emprego na cidade onde fica o polo industrial.

O prefeito eleito, Ademário da Silva Oliveira (PSDB), havia alertado durante o período eleitoral, que estavam sendo construídos pelo menos 50 novos barracos por dia na cidade, prejudicando toda a população. E já colocou como prioritário em seu governo o plano “Invasão Zero, para evitar o crescimento das favelas e permitir a implantação de um projeto de urbanização de áreas degradadas, com apoio a ser solicitado ao Ministério Público, bem como dos governos do Estado e Federal”.

Prefeitura sempre soube – Consultada pela reportagem de “A Tribuna”, a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Cubatão confirmou o crescimento do número de invasões de áreas de proteção ambiental. E confirma, também, os alertas do Ministério Público Estadual contra a destruição de mangues do Rio Casqueiro (na região da Vila dos Pescadores) e nos mangues do Rio Paranhos (prolongamento das favelas Caic, Vila Esperança, Sítio Novo, Morro do Índio e, agora, do Vale Novo). O crescimento pode ser observado pelos motoristas que descem de São Paulo pela Rodovia dos Imigrantes em direção a Cubatão e Praia Grande.

Há cerca de três meses. atendendo disposições de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2009 com o Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema) do Ministério Público Estadual, a Comissão de Combate às Invasões em Cubatão intensificou os programas de controle.

Formada por membros de diversas pastas da Prefeitura, a Comissão decidiu pedir judicialmente a reintegração de posse de áreas invadidas no entorno da Vila Esperança.

Esforço por terra – Ainda conforme a Prefeitura, o objetivo do TAC de 2009 “foi de estancar o processo de favelização e devastação ambiental em áreas próximas ao Parque Estadual da Serra do Mar e de proteção, como os manguezais”.

A ação do MPE se deve a denúncias de que uma cerca instalada por moradores do Sítio Novo, com apoio da Petrobras e do Ministério Público de Meio Ambiente da Comarca – para proteger o mangue – foi derrubado para facilitar a construção de novos barracos.

Pesquisa do IPAT confirma Ademário em 1.º lugar com 25,3%

Pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016

Pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016

A corrida eleitoral chega na reta final e o candidato do PSDB à Prefeitura de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira, lidera a preferência do eleitorado com 25,3% das intenções de voto. Esse é o resultado da pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas A Tribuna – IPAT, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016, realizada nos dias 23 e 24 de setembro, com intervalo de confiança de 95% e divulgada na edição desta quarta-feira (28), e confirma resultados da semana passada do Instituto Opinião contratado pelo jornal “Diário do Litoral”.

A liderança de Ademário é isolada, mediante a apresentação dos nomes dos cinco candidatos, para uma amostragem de 800 eleitores cubatenses. Devido à margem de erro da pesquisa, de 3,5% para mais ou para menos, os outros quatro concorrentes estão tecnicamente empatados: Severino Tarcício, o Doda (PSB), aparece em segundo lugar com 15,4%, Wagner Moura (PMDB) com 12,5%, Dinho Heliodoro (SD), tem 10,1%, e Fábio Inácio (PT), conta com 8,9% da vontade de votar do povo cubatense.

Dos entrevistados, 15% disseram que votarão em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos, e 12,8% ainda não sabiam em quem votar. Excluídas essas respostas e considerados somente os votos válidos, Ademário soma 35,1% das preferências. Depois vêm Doda (21,3%), Wagner Moura (17,3%), Dinho (14%) e Fábio (12,3%).

Quando os pesquisadores do IPAT perguntaram aos eleitores que, entre os cinco candidatos, em quem não votaria de jeito nenhum, 32,3% citaram o nome de Fábio Inácio; Doda e Wagner Moura são rejeitados por 21,8% cada; Ademário por 20% e Dinho recebeu 18% das citações contrárias.

Pesquisa espontânea – Na sondagem espontânea, em que os pesquisadores do IPAT não mostraram aos entrevistados os nomes dos candidatos, a classificação seguiu a mesma ordem da consulta estimulada, com números diferentes: Ademário obteve 19,2% das citações; Doda, 11,1%; Wagner, 9,2%; Dinho, 6,9% e Fábio, 5,4%.

89,4% rejeitam Marcia Rosa – A pesquisa que sinaliza para o futuro da Prefeitura de Cubatão, com Ademário Oliveira prefeito se as eleições fossem no início da semana, também mostra a rejeição do eleitorado à prefeita Marcia Rosa, que é de praticamente nove em cada dez entrevistados nesta pesquisa eleitoral. O índice é de 89,4%, quase igual ao apurado em relação à prefeita de Guarujá, Maria Antonieta Brito (PMDB), rejeitada por 89,5%, e inferior à do prefeito de São Vicente, Luís Carlos Bili, sem partido, que alcançou 94,7%.

Segundo o cientista político Alcindo Gonçalves, coordenador do IPAT, a imagem de Marcia foi abalada pelas “várias ameaças de cassação (do mandato de prefeita, com dois pedidos votados recentemente pela Câmara de Vereadores) e a crise, que bateu forte na receita (da Prefeitura)”.

Câmara Municipal – Na mesma pesquisa, o IPAT quis saber também em quem os eleitores de Cubatão votariam para compor as 15 vagas do Poder Legislativo a partir do dia 1.º de janeiro de 2017, Cesar aparece com 2,9%; Augusto Rei do X Salada, 2,5%; Roxinho, 2,5%; Ricardo Queixão, 2,3%; Toninho Vieira, 1,9%; Jair do Bar, 1,8%; Pastor Valdeci Santos, 1,8%; Tinho, 1,8%; Fábio Moura, 1,6%; Rafael Tucla, 1,5%; Allan Matias, Cotia, Irmão Ximenes e Missionário Marcos Cardoso, cada um com 1,4%; Pádua, Professor Welington, Sérgio Peralta e Zelma, com 1,1% cada um; Gilvan Barreto, Professor Cagé, e Sérgio Calçados, todos com 1,0% cada. Os demais candidatos tiveram um número menor de citações.

Ademário recebe ameaças por WhatsApp

Vereador cubatense vem se destacando na oposição e agora enfrenta baixo nível nas redes sociais

Vereador cubatense vem se destacando na oposição e agora enfrenta baixo nível nas redes sociais

Disputa eleitoral em Cubatão baixa o nível antes de começarem oficialmente as campanhas. Os ataques pelas redes sociais têm sido comuns, mas agora a honra do prefeiturável do PSDB é atacada para tentar impedi-lo de disputar as eleições municipais deste ano.

A reportagem do jornal ‘Povo de Cubatão’ teve acesso a mensagem recebida pelo vereador Ademário da Silva Oliveira, presidente do diretório municipal do PSDB, em que menciona outro pré-candidato a prefeito da cidade, ofende e ameaça o tucano.

Essa ocorrência partiu do número de telefone celular – (013) _ _ _ _ _ – 9739 – , por meio do aplicativo WhatsApp, e aparentemente pode ser interpretada como uma tentativa de intimidação do pré-candidato a prefeito pelo PSDB, ameaçando-o de promover ataques contra a sua pessoa, se ele submeter o seu nome à convenção do partido e disputar a Prefeitura de Cubatão nas eleições de 02 de outubro.

Com o seu aparelho de telefone em mãos, Ademário Oliveira, que é também advogado em Cubatão e atualmente exerce o seu primeiro mandato como vereador, sendo o mais votado na história da cidade, se dirigiu à Delegacia Regional de Polícia Civil em Santos, onde foi recebido e atendido pelo delegado assistente da Seccional de Polícia, Luís Eduardo Maia, na última segunda-feira (18).

O delegado Maia recomendou imediatamente que se elaborasse um boletim de ocorrência policial e, tendo em vista a menção de outro nome de prefeiturável cubatense na mensagem, a reportagem apurou que foi iniciada uma investigação sigilosa, principalmente em decorrência de Cubatão já registrar em sua história, antecedentes de violência contra políticos.

Casos não resolvidos – O atentado contra a vida do ex-prefeito Clermont Silveira Castor, em 2001, e as mortes dos vereadores João Santana de Moura Villar, o Tucla, em 2010, e Aniz Rahal Maluf, também em 2010, até hoje sem esclarecimentos públicos, impõem o zelo policial nesse início da campanha de 2016.

Registrar o Boletim de Ocorrência – BO por parte de Ademário Oliveira foi uma medida para salvaguardar a sua honra e garantir que as campanhas não sejam manchadas e a democracia posta em risco, comentou o vereador e um advogado especializado em direito eleitoral consultado por ele.

Cangaço eletrônico – Para o vereador Ademário, o trabalho da polícia será essencial nesse processo para garantir que a “Democracia não seja abalada e também para impedir o crescimento do cangaço eletrônico numa Cidade que tem um povo trabalhador, pacífico e deseja mudanças para melhor em todos os setores da Prefeitura de Cubatão e do território municipal”.

Vereador quer auditoria nas contas da Saúde

Funcionários do hospital pedem a vereadores, encontro com prefeita.

Funcionários do hospital pedem a vereadores, encontro com prefeita.

No mesmo dia da sessão ordinária, em que os vereadores aprovaram a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do município de Cubatão para o exercício de 2017, com duas emendas, na terça-feira (5), a crise da saúde local com a greve dos funcionários do Hospital Modelo sacudiu a classe política. Os funcionários acompanhados de representantes do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Santos e Região (Sintrasaúde) aproveitaram essa oportunidade e se reuniram com os vereadores para discutir a greve que já dura mais de vinte dias.

A sessão, exclusiva para a votação do projeto da LDO, que o aprovou em primeira e segunda discussões, tinha tudo para ser tranquila, mas precisou compartilhar entre todos os presentes a insatisfação com o governo da prefeita Marcia Rosa (PT) na gestão do hospital. E o tom da conversa se elevou quando os funcionários apelavam por uma ajuda externa a Cubatão, principalmente por parte do Governo do Estado.

Foi nesse momento que o vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB), um dos políticos mais próximos do governador Geraldo Alckmin, se manifestou sobre a visão geral a respeito da administração petista de Cubatão: “Quando se apela pelo socorro do governador do Estado, ninguém consegue achar uma resposta que possa justificar o fato de Cubatão ter o orçamento que temos e ainda entrar em colapso na saúde. Essa pergunta é feita sempre para nós, que valorizamos o planejamento e aqui não temos”, ressaltou Ademário.

O vereador também relembrou que no primeiro semestre Cubatão recebeu R$ 12 milhões dos governos federal e estadual, baseando isso na informação de que o atendimento à saúde local é pleno, “que pode fazer tudo e que na real pode nada”, contrapondo ao novo vereador Fábio Inácio (PT), que tentou justificar o papel do hospital que não atende somente a Cubatão hoje em dia e que precisava repensar seus custos.

Auditoria – O vereador Ademário defende, a exemplo do Ministério Público do Estado (MPE), que instaurou inquérito civil contra a Prefeitura de Cubatão para investigar se o Governo Municipal vem aplicando corretamente os recursos financeiros do Município, do Estado e da União no Hospital Municipal.

O vereador insiste que é preciso realizar com urgência uma auditoria nas contas da Prefeitura, pela Secretaria de Estado da Saúde e pelo Departamento Nacional de Auditoria do SUS (DenaSUS): “Parece um saco sem fundo, os dinheiros vêm da União e do Estado, mas não chegam no destino que deveriam chegar”, enfatiza o parlamentar tucano.

Prefeitura – o secretário municipal da Saúde, Benjamin Lopez, que na semana passada – quarta-feira (29) – participou de audiência pública na Câmara Municipal e voltou a dizer que o hospital custa mensalmente R$ 4,4 milhões e atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS) não somente os moradores da cidade, mas de toda Região Metropolitana da Baixada Santista, foi bastante criticado pelo vereador Severino Tarcício, o Doda (PSB): “Ora, de nada adianta marcar audiências com ele, porque ninguém acredita nele. Cabe a prefeita se explicar, dizer logo se há ou não uma solução, se pode ou não resolver”, sentenciou.

CONDESB – Durante audiência pública do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana (CONDESB) realizada na sede da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem), em Santos, com o objetivo de discutir a proposta orçamentária estadual para 2017, esta virou um fórum para que moradores de Cubatão pedissem mais investimentos estaduais na Cidade.

A paralisação do funcionamento do Hospital Municipal de Cubatão foi o primeiro assunto colocado na pauta. “O governador deu R$ 11 milhões para um hospital que não está nem aberto, o Hospital dos Estivadores, e está deixando o Hospital de Cubatão morrer”, criticou Rosa Maria Cassimiro, dona de casa cubatense.

Governo Alckmin – Na próxima quarta-feira (13 de julho), às 16 horas, está prevista uma reunião na Casa Civil do Governo de São Paulo para tratar dos problemas na área da saúde de Cubatão. O encontro deve reunir a prefeita Marcia Rosa, vereadores, deputados e o representante do Estado.

Deputado Federal Bruno Covas vem a Cubatão nesta sexta-feira

Ademário me ajudou bastante nas principais ações que desenvolvi como secretário, destaca Covas.

Ademário me ajudou bastante nas principais ações que desenvolvi como secretário, destaca Covas.

O deputado federal Bruno Covas (PSDB) estará em Cubatão nesta sexta-feira (1 de julho), a partir das 19 horas, para participar do lançamento de um gibi e site que contam a história do vereador cubatense Ademário da Silva Oliveira. Nesses dois meios de comunicação, a história do pré-candidato a prefeito da cidade para as próximas eleições é contada desde a sua infância em Riachão do Jacuípe, até a consagração como o parlamentar mais votado da história local.

Ademário trabalhou com o deputado Bruno Covas, quando este era deputado estadual e também secretário de Estado do Meio Ambiente. A relação política entre ambos é muito forte e representou importantes conquistas para o município junto do governador Geraldo Alckmin, nas áreas habitacional, ambiental e de saneamento básico.

Bruno Covas teve 5.180 votos em Cubatão, nas eleições de 2014, quando foi o deputado federal mais votado do PSDB no Estado de São Paulo, com um total de 352.708 votos. Hoje ele é vice-líder do partido, titular da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, e suplente na Comissão de Defesa do Consumidor e Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Santista de nascimento, neto do governador Mário Covas, atualmente é o secretário geral do PSDB de São Paulo e já foi presidente da Juventude Nacional do PSDB.

O deputado visita Cubatão com muita frequência e é um dos principais incentivadores da pré-candidatura de Ademário para a Prefeitura de Cubatão. Crítico do PT e dos governos de Marcia Rosa e Dilma Roussef, Bruno foi membro atuante na comissão que encaminhou a votação do impeachment da presidente da República, argumentando que (Dilma) “usou o governo não pra um projeto para o país, mas para um projeto político partidário. Eu sou daqueles que acredita que governo sério procura a Justiça. Governo malandro é procurado pela Justiça. De 2011 a 2015 foram mais de R$ 70 bilhões em pedaladas fiscais. Só em 2015, mais de R$ 17 bilhões. O que diz a defesa: outros governos não cumpriram a meta. Pouco importa o que os outros fazem, isso não tira a responsabilidade da presidente”, enfatiza.

Porque Ademário – Bruno Covas ressalta que o vereador cubatense teve um papel importante e decisivo no período em que atuou em sua equipe na Secretaria Estadual do Meio Ambiente: “Ademário me ajudou bastante nas principais ações que desenvolvi como secretário, como a revisão da legislação ambiental, a criação de unidades de conservação, o aumento do número de áreas verdes, a implantação dos novos padrões de qualidade do ar e a redução do tempo médio de análise para licenciamento ambiental, além das ações destinadas ao bem estar animal e campanhas de conscientização contra o abandono de animais domésticos”.

A realidade de Cubatão, “alertada sempre pelo agora vereador Ademário foi extremamente importante para alcançarmos resultados positivos no Governo do Estado e medidas para melhorar Cubatão com o apoio do governador Geraldo Alckmin”, assinalou Bruno Covas.

DER colocará novo viaduto em uso, mas pode rever acessos

Vereador Ademário (PSDB) discutiu sobre as dificuldades de acesso à Via Anchieta

Vereador Ademário (PSDB) discutiu sobre as dificuldades de acesso a Via Anchieta

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) está concluindo a fase de paisagismo da duplicação do viaduto Rubens Paiva sobre o km 59 + 800 da Via Anchieta e a liberação para o trânsito de veículos deve acontecer nos próximos dias. No entanto, a polêmica sobre os acessos ao Jardim Casqueiro e Parque São Luís foi encaminhada para uma solução, durante audiência do vereador e presidente do PSDB de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira, com o secretário de Estado de Logística e Transportes, Alberto José Macedo Filho, quarta-feira (27).

Ademário expôs ao secretário sobre o traçado das obras executadas, que impedirá a mobilidade dos moradores do Jardim Casqueiro e do Parque São Luís com a Via Anchieta, culpando a Prefeitura de Cubatão, que se preocupou mais em ver atendidas as reivindicações para a retirada da rampa de acesso ao bairro (o chamado “rabo do dragão”), e não se ateve para a necessidade do cancelamento do atual acesso direto da Rua Júlio Cunha à SP-150 (Via Anchieta).

O secretário reafirmou a posição técnica do DER, de que só justifica as alterações na alça de descida do viaduto em direção à pista Norte (São Paulo) da Via Anchieta: “Foi necessária uma adaptação no projeto de obras, com único objetivo de melhorar a seguranças dos usuários, em função das limitações presentes às margens da rodovia”, divulgou o DER.

A alça central do novo viaduto, que agora desce no sentido à Rodovia dos Imigrantes, foi segregada (com barreiras de concreto) não permitindo o acesso à Via Anchieta para não gerar acidentes, com fluxo no cruzamento em “X”.

Segundo o DER, “este tipo de tráfego não é praticável em uma via com limite de velocidade de 110 Km/h, onde não há condições seguras de mudança de faixa de forma repentina”.

Compromisso de rever os acessos

O secretário de Estado de Logística e Transportes se comprometeu com o vereador Ademário da Silva, que estava acompanhado do presidente da Sociedade de Melhoramentos do Parque São Luís, Toninho Vieira, na audiência em São Paulo, em “colocar a duplicação em operação e, com o uso, sentir os pontos não conformes”, ressaltou o parlamentar cubatense do PSDB.

Ademário complementa a perspectiva futura com a posição reforçada pelo secretário Alberto José Macedo Filho, de que “o tráfego no local será monitorado e poderá ser alterado futuramente, com a redução do limite de velocidade, reforço na sinalização e retirada das barreiras de concreto, em ação conjunta com a Ecovias”.