Cubatão elege Ademário prefeito!

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Ademário governará Cubatão nos próximos quatro anos, a partir de 1.º de janeiro. (foto: Aderbau Gama)

Com 41,53% dos votos válidos, que foi a soma da opção de 28.455 eleitores, o vereador Ademário da Silva Oliveira (PSDB) foi eleito prefeito de Cubatão, nas eleições de 2 de outubro. Sua vitória confirmou a sua liderança nos resultados das pesquisas recentes dos jornais “Diário do Litoral” e “A Tribuna de Santos”, com um plus a mais de 20 pontos percentuais à frente do segundo colocado, Wagner Moura (PMDB), que teve 13.426 (19,59%). Na sequência ficaram Severino Tarcício, Doda (PSB), com 11.449 (16,71%), Dinho Heliodoro (SD), com 11.343 (16,55%), e Fábio Inácio (PT), 3.850 (5,62%).

As primeiras palavras de Ademário foram de agradecimento ao povo de Cubatão, que já havia lhe dado o título de vereador mais votado da história da cidade em 2012, com 2.721 votos, e sobre os seus principais desafios, a começar pela saúde, fazendo o hospital que tem capacidade para 250 leitos funcionar na sua plenitude. O prefeito eleito é tucano, como o governador Geraldo Alckmin, e acredita no diálogo com o Estado e o governo federal, que conta com o apoio do PSDB a nível nacional, para buscar ajuda e recuperar o município.

Primeiras ações: Ademário Oliveira declarou que vai “montar uma equipe de transição, chamar a atual prefeita para conversar”. Quer assumir no dia 1.º de janeiro com “inteireza de dados e dinamismo para fazer a máquina andar com um ritmo mais competente, eficiente e eficaz”.

Nova Câmara: A partir de 1.º de janeiro, a Câmara Municipal de Cubatão contará com 15 vereadores, e o mais votado nas eleições deste ano foi o companheiro de chapa de Ademário Oliveira, Toninho Vieira (PSDB), que obteve 2.902 votos e passa a ser agora o detentor do título de vereador mais votado na história local. Também se elegeram: Cesar Nascimento (PSDB), com 2.227 votos; Ricardo Queixão (PDT), com 1967 votos; Fábio Roxinho (PMDB), 1.683; Rafael Tucla (PT), 1.673; Rodrigo Alemão (PSDB), 1.657; Dr. Anderson Veterinário (PRB), 1.545; Ivan Hildebrando (PSB), 1.433; Jair do Bar (PT), 1.422; Sérgio Calçados (PPS), 1.271; Aguinaldo Araújo (PDT), 1.218; Cléber do Cavaco (PRB), 1.046; Marcinho (PSB), 952; Wilson Pio (PSDB), 911 e Lalá (SD), 797 votos.

Quem é Ademário Oliveira – Baiano nascido em Rachão da Jacuipe, Ademário da Silva Oliveira candidato tucano à prefeitura de Cubatão com o vice Pedro Sá é, antes de tudo, um vencedor, exemplo de superação e de político vocacionado a lutar em defesa da justiça e do bem estar coletivo. “Ser político, é gostar de gente”, resume.

Com 10 anos de idade chegou à Cubatão com sua família “atrás da vida” como gosta de justificar as razões que levaram o pai a trocar o sertão baiano por São Paulo. Foi no CAMP – Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Cubatão, onde ficou até os 18 anos, que as portas se abriram para Ademário. “tudo que conquistei na vida, devo ao CAMP”, reconhece o ex-patrulheiro, hoje advogado e vereador mais votado da história de Cubatão,

A política entrou em seu sangue em 1997 quando, social democrata por convicção, se filiou ao PSDB. Três anos depois já era o primeiro suplente na Câmara de Cubatão com um capital eleitoral de 418. Encarou a primeira derrota como vitória e em 2004 manteve a primeira suplência duplicando o capital: 851 votos.

Ampliou o trabalho comunitário e suas ações em defesa, inicialmente, de seu bairro – Vila Natal, ao mesmo tempo em que se dedicava aos estudos e a conquistar novos amigos. Manteve a luta política em defesa dos mais necessitados e as eleições de 2008 lhe deram a certeza de que estava no caminho certo, que seus ideais estavam sendo compreendidos pelos cubatenses. Manteve, como sempre, a primeira suplência na Câmara. Desta vez com 1.651 votos, o oitavo candidato mais votado.

Suas derrotas foram lições de vida, consolidaram o espírito combativo que, tinha certeza, serviam de tempero à vitória. E ela finalmente chegou em 2012 como o vereador mais votado da história de Cubatão: 2.721 votos que lhe deram o direito de presidir a sessão solene de posse dos vereadores e da prefeita reeleita Márcia Rosa.

Ação Legislativa – Deu posse à prefeita, mas não teve vida fácil no Legislativo. Vereador de oposição, desde os primeiros momentos ao governo petista que fazia uma péssima administração, segundo sua avaliação. “A Márcia representava um governo perseguidor, não atendia a oposição e eu não conseguia dar respostas às demandas populares”.

Perseguido, Ademário enfrentou processo de tentativa de cassação de seu mandato e as indiferenças da prefeita às suas tentativas de conquistas sociais para o povo. Os ataques e as injustiças políticas que sofria serviam apenas para, como se diz no sertão, deixar seu couro mais duro.

Partiu para o ataque com ações independentes através de comissões Parlamentar de Inquérito. Desafiava o poder e denunciava não apenas irregularidades da administração municipal, mas também do governo federal da hoje deposta presidente Dilma Vana Rousseff.

Ganhou projeção nacional no combate à corrupção na Petrobras, bem antes de começar a Operação Lava Jato, presidindo a Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou e denunciou irregularidades na Refinaria Presidente Bernardes. Na época, a revista Isto É afirmou que os prejuízos à Petrobrás foram de R$ 43.5 milhões.

Pesquisa do IPAT confirma Ademário em 1.º lugar com 25,3%

Pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016

Pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016

A corrida eleitoral chega na reta final e o candidato do PSDB à Prefeitura de Cubatão, Ademário da Silva Oliveira, lidera a preferência do eleitorado com 25,3% das intenções de voto. Esse é o resultado da pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas A Tribuna – IPAT, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-07511/2016, realizada nos dias 23 e 24 de setembro, com intervalo de confiança de 95% e divulgada na edição desta quarta-feira (28), e confirma resultados da semana passada do Instituto Opinião contratado pelo jornal “Diário do Litoral”.

A liderança de Ademário é isolada, mediante a apresentação dos nomes dos cinco candidatos, para uma amostragem de 800 eleitores cubatenses. Devido à margem de erro da pesquisa, de 3,5% para mais ou para menos, os outros quatro concorrentes estão tecnicamente empatados: Severino Tarcício, o Doda (PSB), aparece em segundo lugar com 15,4%, Wagner Moura (PMDB) com 12,5%, Dinho Heliodoro (SD), tem 10,1%, e Fábio Inácio (PT), conta com 8,9% da vontade de votar do povo cubatense.

Dos entrevistados, 15% disseram que votarão em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos, e 12,8% ainda não sabiam em quem votar. Excluídas essas respostas e considerados somente os votos válidos, Ademário soma 35,1% das preferências. Depois vêm Doda (21,3%), Wagner Moura (17,3%), Dinho (14%) e Fábio (12,3%).

Quando os pesquisadores do IPAT perguntaram aos eleitores que, entre os cinco candidatos, em quem não votaria de jeito nenhum, 32,3% citaram o nome de Fábio Inácio; Doda e Wagner Moura são rejeitados por 21,8% cada; Ademário por 20% e Dinho recebeu 18% das citações contrárias.

Pesquisa espontânea – Na sondagem espontânea, em que os pesquisadores do IPAT não mostraram aos entrevistados os nomes dos candidatos, a classificação seguiu a mesma ordem da consulta estimulada, com números diferentes: Ademário obteve 19,2% das citações; Doda, 11,1%; Wagner, 9,2%; Dinho, 6,9% e Fábio, 5,4%.

89,4% rejeitam Marcia Rosa – A pesquisa que sinaliza para o futuro da Prefeitura de Cubatão, com Ademário Oliveira prefeito se as eleições fossem no início da semana, também mostra a rejeição do eleitorado à prefeita Marcia Rosa, que é de praticamente nove em cada dez entrevistados nesta pesquisa eleitoral. O índice é de 89,4%, quase igual ao apurado em relação à prefeita de Guarujá, Maria Antonieta Brito (PMDB), rejeitada por 89,5%, e inferior à do prefeito de São Vicente, Luís Carlos Bili, sem partido, que alcançou 94,7%.

Segundo o cientista político Alcindo Gonçalves, coordenador do IPAT, a imagem de Marcia foi abalada pelas “várias ameaças de cassação (do mandato de prefeita, com dois pedidos votados recentemente pela Câmara de Vereadores) e a crise, que bateu forte na receita (da Prefeitura)”.

Câmara Municipal – Na mesma pesquisa, o IPAT quis saber também em quem os eleitores de Cubatão votariam para compor as 15 vagas do Poder Legislativo a partir do dia 1.º de janeiro de 2017, Cesar aparece com 2,9%; Augusto Rei do X Salada, 2,5%; Roxinho, 2,5%; Ricardo Queixão, 2,3%; Toninho Vieira, 1,9%; Jair do Bar, 1,8%; Pastor Valdeci Santos, 1,8%; Tinho, 1,8%; Fábio Moura, 1,6%; Rafael Tucla, 1,5%; Allan Matias, Cotia, Irmão Ximenes e Missionário Marcos Cardoso, cada um com 1,4%; Pádua, Professor Welington, Sérgio Peralta e Zelma, com 1,1% cada um; Gilvan Barreto, Professor Cagé, e Sérgio Calçados, todos com 1,0% cada. Os demais candidatos tiveram um número menor de citações.

Ademário lidera intenções de voto em Cubatão com 25,37%

Resultado na capa do Diário do Litoral (20/9)

Resultado na capa do Diário do Litoral (20/9)

Pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Opinião Pesquisa, Análise e Consultoria Ltda., a pedido do jornal Diário do Litoral, sobre a eleição para a Prefeitura de Cubatão mostra que o candidato Ademário da Silva Oliveira (PSDB) lidera a corrida para assumir a direção do Paço Piaçaguera com 25,37% das intenções de voto. Na sequência aparece o ex-vereador, Wagner Moura (PMDB), com 18,41%. Adeildo Heliodoro dos Santos, o Dinho (SD) alcançou 16,67%, Severino Tarcício, o Doda (PSB) tem 15,17% e Fábio Inácio (PT) chega a 7,96%.

A pesquisa foi contratada pelo jornal Diário do Litoral e foi registrada com o número SP-04540/2016 no Tribunal Superior Eleitoral, ouviu 402 pessoas, entre os dias 14 e 15 de setembro, e também sondou as intenções de voto para os candidatos a vereador, que disputam as 15 vagas da Câmara Municipal na próxima legislatura. A margem de erro é de 4,9 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando-se o coeficiente de confiança de 95%. Não sabem ou não responderam 6,47%. E os eleitores que declararam que não votariam em nenhum dos candidatos chegam a 9,95%.

Na pesquisa espontânea (quando os nomes dos candidatos não são apresentados ao eleitor) Ademário também lidera, com 16,92%. Na sequência aparecem Wagner Moura (10,45%), Dinho Heliodoro (9,95%), Doda (8,21%) e Fábio Inácio (3,48%). O vereador César (PSDB), o candidato a vereador Joziel Lima-Chinha (PSB), a atual prefeita Marcia Rosa (PT) e o ex-prefeito Nei Serra (PSDB) obtiveram 0,25%.

O Instituto Opinião também levantou qual a rejeição de cada candidato. O instituto perguntou aos 402 entrevistados em quem não votariam. O candidato petista possui a maior rejeição entre os eleitores ouvidos pela pesquisa. Fábio Inácio atingiu 31,59%; Wagner Moura chegou a 15,42%; Doda, 14,93%. Na sequência, Ademário aparece com 11,44% e Dinho Heliodoro, com 7,96%. Os que rejeitaram todos os candidatos somam 5,97%. Os eleitores que não rejeitaram nenhum dos nomes chegam a 4,48%. Não souberam responder 8,21% dos entrevistados.

Rejeição da prefeita Marcia Rosa – O Instituto também quis saber se o eleitor “pretende votar pela continuidade da atual administração ou por sua mudança?” A maioria dos entrevistados (87%) quer uma nova administração, enquanto apenas 3% optaram pela continuidade. Os que são indiferentes somam 3% e os que não souberam opinar, 7%.

E sobre a interferência de Marcia Rosa na disputa deste ano, 65% dos eleitores dizem que com certeza não votariam em um candidato apoiado por ela. 29% estão indiferentes em relação ao seu apoio, 5% votariam com certeza nesse candidato e 1% não sabe dizer.

Vereadores – A Câmara Municipal, que atualmente conta com 11 vereadores e na próxima legislatura terá 15 membros, passará por uma grande renovação, já que quatro vereadores disputam o cargo de prefeito e, de acordo com as intenções de voto espontâneas dos eleitores, Cubatão pode voltar a ter mulheres na vereança, de acordo com a Pesquisa do jornal Diário do Litoral.

Queixão (PDT) obteve 4,98% das intenções de voto, seguido de César (PSDB), com 2,74%; Lalá (SD), com 2,49%; Katia (PPS), 1,99%; Allan Matias (PRB) e Roxinho (PMDB), 1,74% cada; Ivan Hildebrando (PSB), Jair do Bar (PT), Carioca (PSDB), Dr. Anderson (PRB), Rafael Tucla (PT) e Toninho Vieira (PSDB), 1,49% cada; Gallo (PSDB), Joziel Lima (PSB), Pastor Valdeci (PRB), Sérgio Calçados (PPS), Wellington Santos (PSB) e Wilson Pio (PSDB), 1,24% cada; Alessandro Oliveira (PRB), Bianca Lira (PSDB), Pastor Carlos Lage (PRB), Fabio Moura (PMDB), Pádua (PT) e Rodrigo Alemão (PSDB), 1% cada; Aguinaldo Araújo (PDT), 0,5%; outros somam 12,4%

Os indecisos ou que ainda não sabem em quem vão votar são 22,88%. Entre os que anulariam o voto ou não votariam em ninguém para vereador chegam a 6,22%.

Trabalhadores desempregados defendem mão de obra de Cubatão

Macaé diz que não há motivo para trazer trabalhadores de fora.

Macaé diz que não há motivo para trazer trabalhadores de fora.

A semana marcada por duas mobilizações nacionais, uma nesta sexta-feira (13) a pretexto de defender a Petrobras e outra no domingo (15) contra o governo Dilma Rousseff, também teve o seu momento reivindicatório particular em Cubatão. Com carteiras de trabalho na mão, cerca de 50 pessoas fizeram uma manifestação no início da tarde de quarta-feira (11) em frente a Prefeitura, na Praça dos Emancipadores, Centro. O movimento, apoiado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos), cobrou investimentos no setor e a contratação de mão de obra local por parte das indústrias.

Os sindicalistas pediram o apoio da Prefeitura para melhorar a situação do emprego na cidade, pressionando as indústrias. “Conseguimos conversar com o pessoal da área de empregos da cidade, no Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), e ficou acertado que nossa reivindicação será apresentada durante uma reunião entre representantes da prefeitura e das empresas do polo”, diz o vice-presidente do órgão que defende a categoria, Luiz Carlos de Andrade.

O presidente do Sintracomos, Macaé Marcos Braz de Oliveira, entende que as empresas do Polo Industrial de Cubatão deveriam orientar as empreiteiras a privilegiar os trabalhadores locais. “Nossa mão de obra é escolarizada profissionalmente, treinada e com experiência no ramo de montagem e manutenção. Não há motivo para trazer operários de fora”, acrescentou o líder sindical.

Tanto Andrade, quanto Macaé, relembraram que a proposta de melhorias no atendimento teve início nas eleições municipais, em 2012, quando o assunto foi apresentado aos candidatos à prefeitura, inclusive a então candidata à reeleição pelo PT, Marcia Rosa, mas até o momento, não houve mudanças. “Nós já fizemos uma proposta no período das eleições, para que essa questão dos empregos seja planejada. Acontece que as empresas contratam mão de obra, mas buscam somente serviço, não querem saber de onde essas pessoas estão vindo, e o pessoal daqui fica desempregado”, conclui Andrade.

Prefeita pega carona

A prefeita Marcia Rosa (PT) não perdeu a oportunidade de aparecer na foto e registrar a sua participação nesse movimento do Sintracomos, que após os manifestantes serem recebidos pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Aguinaldo Araújo (PDT) e uma comissão de vereadores, na manhã de quinta-feira (12), fez questão de acompanhá-los na caminhada em direção à sede do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), em meio às palavras de ordem e gritos de “Queremos empregos”.

Nessa reunião, os vereadores presentes se comprometeram em aprovar projetos que destinem postos de trabalho preferencialmente aos moradores da Cidade e, logo após no CIESP, a prefeita Marcia Rosa se comprometeu elaborar um projeto nesse sentido.

Na sede do CIESP de Cubatão, a prefeita  Marcia Rosa, o secretário de Emprego Benincasa; e os vereadores Ademário da Silva (PSDB), Dinho Heliodoro (SDD), Fábio Roxinho (PMDB), Ivan Hildebrando (PDT), Jair Ferreira (PT), o Jair do Bar, Ricardo Queixão (PMDB), e Severino Tarcício (PSB), o Doda, se reuniram com uma comissão de manifestantes, os sindicalistas e os representes das empreiteiras.

Aguinaldo Araújo disse que a migração de mão de obra de outros Estados para Cubatão é histórica. O presidente da Câmara afirma que esses trabalhadores acabam se fixando na cidade, o que acaba gerando sobrecarga nos serviços públicos, como escolas e prontos-socorros.

Ademário criticou a situação do Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) da cidade, que, segundo o vereador, não apresenta as mínimas condições para atender aos desempregados. “A Prefeitura deve fazer a lição de casa e modernizar a gestão do PAT, utilizando sistemas mais inteligentes”.

Segundo Macaé Marcos Braz de Oliveira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Santos (Sintracomos), as empreiteiras contratadas pelas fábricas de Cubatão preferem os trabalhadores de fora para evitar eventuais processos na Justiça do Trabalho por desrespeito a direitos coletivos e individuais.

A prefeita municipal disse que a administração irá realizar uma força tarefa para fiscalizar a situação dos alojamentos na cidade. Ela criticou o fato de os empregadores alugarem imóveis como residências, sendo que na verdade a finalidade é abrigar trabalhadores de fora.

Marcia Rosa também cobrou o cumprimento do Pacto pelo Emprego, um acordo de contratação selado pelos empresários para a contratação de trabalhadores de Cubatão. Já Valdir Caobianco, diretor regional do CIESP disse que é preciso ter mais transparência por parte das empresas no processo de seleção.

Ao final da reunião, representantes de algumas indústrias e empreiteiras da cidade disponibilizaram 105 vagas para a contratação imediata de profissionais locais. Outra demanda levantada é a geração de postos de trabalho para as mulheres e a necessidade de infraestrutura para recebê-las nas empresas.

Na próxima quarta-feira (18), será realizada uma reunião para avaliar as negociações que sindicalistas e autoridades municipais farão com as empresas nos próximos dias. E, na quinta-feira (19), às 10h00, o CIESP também promoverá um encontro na sede da entidade, para o acompanhamento de todo o processo de seleção e oferta de novas vagas.

Vereadores cubatenses encontram Secretário da Habitação

Secretário da Habitação do Estado recebe comitiva cubatense

Secretário da Habitação do Estado recebe comitiva cubatense

O presidente da Câmara, Aguinaldo Araújo (PDT), juntamente com os vereadores Ademário da Silva Oliveira (PSDB), César Nascimento (PDT), Dinho Heliodoro (SDD), Ivan Hildebrando (PDT) e Jair Ferreira (PT), o Jair do Bar, se reuniram terça-feira (03) com o secretário de Estado da Habitação, Nelson Baeta Neves Filho, na Capital. Também participaram do encontro uma comissão de moradores dos bairros Vila Teimosa, Pilões e Vila Noel, além de representantes da administração municipal. Na pauta, a situação desses núcleos habitacionais que em breve serão extintos.

Indagado pelos vereadores sobre a possibilidade de alguma ajuda financeira para os moradores do Pilões, que sofrem constantemente com as enchentes e precisam deixar o local, Baeta foi enfático ao afirmar que novos auxílios-moradia não serão concedidos. “O esforço é para investir todos os recursos na produção de moradias”. Dinho disse entender a realidade fiscal do estado, mas afirmou que é uma questão de humanidade. “Trata-se de uma situação limite, precisamos evitar uma nova tragédia”.

Ademário lembrou que em 2013 o governador Geraldo Alckmin prometeu que em dois anos essa situação do Pilões estaria resolvida. Naquele ano, o núcleo habitacional sofreu uma das piores enchentes da história. O vereador ainda criticou a postura da prefeitura que, em vez de doar terrenos ao estado para execução de casas, prefere vendê-los.

Baeta admitiu que o governo do estado encontra dificuldades para encontrar terrenos na Baixada Santista para construir moradias. O secretario disse que é preciso estabelecer parcerias com as prefeituras locais a fim de que se criem condições favoráveis para execução das obras. O programa “Minha Casa Minha Vida” também é apontado por Baeta como alternativa para o problema do déficit habitacional no estado.

Sobre a Vila Teimosa, área reintegrada à posse do Estado recentemente, quinze famílias hoje estão cadastradas pelo Programa Serra do Mar. No entanto, existem mais trinta que deveriam ter sido incluídas. Uma sugestão feita pelos vereadores é que essas pessoas possam ser inseridas no Litoral Sustentável ou mesmo no projeto que contempla a Vila Noel.

O secretário afirmou que precisa analisar o caso da Vila Teimosia. Ele se comprometeu em dar uma resposta nas próximas semanas. Para Ivan, “é legítimo inserir essas famílias no Programa Serra do Mar”. Baeta também prometeu estudar a possibilidade acelerar o cronograma de obras para construção de novas moradias.

Em sua intervenção, a diretora da Secretaria Municipal de Habitação, Carolina Correia Rosa, demonstrou preocupação com a ideia de inserção de novas famílias no projeto da Vila Noel, o que, segundo ela, poderia inviabilizar todo projeto.