POVOEDIÇÃO456

capa-456

Prefeitura não repassa verbas e Lar Fraterno devolve Casa de Passagem

Rubens Marino alegou que situação se tornou insustentável.

Rubens Marino alegou que situação se tornou insustentável.

A Casa de Passagem da Prefeitura de Cubatão não será mais administrada pelo Lar Fraterno. A entidade que cuida de idosos de alta complexidade no município há mais de 35 anos e que ganhou a licitação para também gerir o albergue de passagem temporária para moradores de rua, irá devolver a gestão dos serviços para a administração Marcia Rosa (PT).

A reportagem do jornal ‘Povo de Cubatão’ conseguiu com exclusividade as informações sobre a desistência do Lar Fraterno referente à Casa de Passagem. Foram necessários apenas quatro meses à frente das atividades, para a diretoria da entidade desistir definitivamente de tocar os trabalhos, com os moradores de rua.

Isso ocorre devido a Prefeitura não repassar a verba total destinada para o Lar Fraterno nos últimos quatro meses. Desde o mês de abril, quando assumiu os trabalhos da Casa de Passagem, o Lar Fraterno deveria ter recebido da Administração Municipal, um total de R$ 95.333,28 centavos, sendo que apenas metade desse valor foi repassado.

Segundo o presidente da entidade, o ex-vereador José Rubens Marino, o Rubão, o que o Lar Fraterno recebeu de verba do poder público, foi apenas algo em torno da metade do que realmente era para ser disponibilizado. “Dessa quantia total de mais de 95 mil reais, a Prefeitura era para nos fornecer de forma direta R$ 62.666,64 centavos. No entanto, recebemos apenas R$ 47.000,99”, diz Rubão.

Para explicar o restante do valor que não veio, o presidente do Lar Fraterno diz que os repasses dos governos Estadual e Federal, ainda não foram feitos, cabendo à Prefeitura fazê-los. “Nossa verba estadual é de R$ 19.666,64 centavos e a federal de exatos R$ 13 mil reais. Sem esses valores, o Lar Fraterno foi obrigado a usar da verba dos idosos para custear a Casa de Passagem, já que os repasses por parte da Prefeitura ainda não aconteceram. E isso é algo que eu não posso deixar acontecer”, lamenta Rubens Marino.

Rubão finaliza dizendo que vários investimentos de infraestrutura foram realizados no local, além da contratação de profissionais para cuidar dos moradores. “Realmente era um trabalho que o Lar Fraterno se sentiria honrado em realizar, porém, infelizmente, por forças maiores que as nossas, foi impossível”.

Carta – O presidente do Lar Fraterno já escreveu uma carta, para ser entregue a secretária municipal de Assistência Social, Raquel Peralta. No documento, datado no dia 14 de julho deste ano, Rubens Marino, diz ter ciência das dificuldades financeiras que o município vem enfrentando, porém o valor recebido até o momento é insuficiente para dar seqüência ao projeto da Casa de Passagem.

O presidente do Lar finaliza, lamentando que não podia prejudicar as atividades da Entidade, e por essa razão não teve outra escolha senão abrir mão do Projeto da Casa de Passagem.

Prefeitura – Até o fechamento desta edição, a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Cubatão não havia se manifestado sobre a decisão do Lar Fraterno, portanto mais um serviço anunciado pelo governo atual para a população, que deixa de existir.

Nivaldo Veiga faleceu dia 7 de fevereiro

Figura atuante nas entidades de servir e esportivas da região.

Figura atuante nas entidades de servir e esportivas da região.

Comerciante em Cubatão durante muitos anos, Nivaldo Veiga faleceu no último dia 7 de fevereiro. Ele continuava em atividade profissional no mercado imobiliário, como um dos corretores da Almeida Imóveis. Durante o governo do prefeito Clermont Silveira Castor (2001-2008) ele ocupou diversas funções de destaque, dentre as quais a presidência da Cursan, a superintendência da CMT e a administração regional da Vila Nova. Presidiu em Santos o Vasquinho, tradicional clube de praia, e era vice-presidente da diretoria do Lar Fraterno de Cubatão. Na política sempre foi uma figura atuante, mais recentemente nos partidos PTN e PSDC. Seu corpo foi sepultado no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos. A missa de sétimo dia está programada para o dia 12 de fevereiro, na Igreja Sagrado Coração de Jesus, a partir das 19 horas.