José Rubens Marino anuncia sua saída do Lar Fraterno

Rubens Marino disse: “Sempre quis fazer algo pela social em Cubatão. Graças a Deus, cumpri.”

Após sete anos (mais de dois mandatos) à frente da entidade, o presidente do Lar Fraterno de Cubatão, José Rubens Marino anuncia a sua saída da direção. Segundo o próprio Marino, essa decisão é de caráter pessoal e ele permanece no comando da entidade até o próximo mês de março, logo após prestar as contas relativas ao exercício de 2017 e publicar o balanço social do mesmo ano. Em seu lugar entra o atual vice-presidente da instituição, Edson de Freitas, o Édinho (ex-superintendente da Companhia Municipal de Trânsito – CMT).

O presidente diz que sempre foi contra todo e qualquer tipo de continuidade exagerada e que ciclos, um dia, chegam ao fim. “Decidi cuidar da família, que precisa muito de mim nesta altura da vida, além de também acreditar que já contribuí com o meu melhor para essa entidade, à qual tive o total apoio de todos os meus diretores, colaboradores, parceiros, comércio local empresas do Polo Industrial (em especial a Copebrás, onde importantes convênios foram firmados com o Lar Fraterno) e principalmente do nosso corpo técnico, que sempre se colocou com muito profissionalismo, amor e carinho junto ao próximo, no trabalho que é desenvolvido aqui”, diz o presidente.

O Lar Fraterno – Rubens assumiu em agosto de 2010, com o falecimento da saudosa e então presidente Cleusa Nunes Tibúrcio. Desde então, Rubão obteve importantes conquistas para a instituição como a reforma total e adaptação da Casa, a implantação de serviços técnicos inovadores na grade de atendimento aos idosos, principalmente nas áreas da saúde e terapia ocupacional. “Hoje graças ao empenho de todos que sempre olharam com bons olhos para o Lar Fraterno, podemos dizer que a entidade não fica a desejar em nada para qualquer casa de amparo ou acolhimento de idosos da Baixada Santista, devido aos serviços oferecidos aqui, independentemente de serem particulares ou de utilidade pública, como é o nosso caso”, explica.

Histórico e carreira em Cubatão – Experiente na vida pública, especialmente em Cubatão (quase 30 anos de atuação ininterrupta no município), por onde atuou em diversos cargos (vereador por um mandato – 1996/2000, secretário de finanças e chefe de gabinete no governo Nei Serra, e secretário de Esportes e Lazer na administração Clermont Castor), José Rubens Marino agradece o carinho de desses longos recebidos pelo povo de Cubatão e diz que seu mandato a frente do Lar Fraterno foi uma forma de agradecimento ao povo cubatense: “Deixo registrado o meu imenso carinho pela cidade e por todos os companheiros que de alguma forma contribuíram comigo e com o Lar Fraterno, como também desejo todo o sucesso ao Edinho, que sem dúvida fará um bom trabalho para essa instituição”, finaliza Marino. | Texto e foto do jornalista Luiz Fernando Valentim (colaborador)

 

POVOEDIÇÃO456

capa-456

Prefeitura não repassa verbas e Lar Fraterno devolve Casa de Passagem

Rubens Marino alegou que situação se tornou insustentável.

Rubens Marino alegou que situação se tornou insustentável.

A Casa de Passagem da Prefeitura de Cubatão não será mais administrada pelo Lar Fraterno. A entidade que cuida de idosos de alta complexidade no município há mais de 35 anos e que ganhou a licitação para também gerir o albergue de passagem temporária para moradores de rua, irá devolver a gestão dos serviços para a administração Marcia Rosa (PT).

A reportagem do jornal ‘Povo de Cubatão’ conseguiu com exclusividade as informações sobre a desistência do Lar Fraterno referente à Casa de Passagem. Foram necessários apenas quatro meses à frente das atividades, para a diretoria da entidade desistir definitivamente de tocar os trabalhos, com os moradores de rua.

Isso ocorre devido a Prefeitura não repassar a verba total destinada para o Lar Fraterno nos últimos quatro meses. Desde o mês de abril, quando assumiu os trabalhos da Casa de Passagem, o Lar Fraterno deveria ter recebido da Administração Municipal, um total de R$ 95.333,28 centavos, sendo que apenas metade desse valor foi repassado.

Segundo o presidente da entidade, o ex-vereador José Rubens Marino, o Rubão, o que o Lar Fraterno recebeu de verba do poder público, foi apenas algo em torno da metade do que realmente era para ser disponibilizado. “Dessa quantia total de mais de 95 mil reais, a Prefeitura era para nos fornecer de forma direta R$ 62.666,64 centavos. No entanto, recebemos apenas R$ 47.000,99”, diz Rubão.

Para explicar o restante do valor que não veio, o presidente do Lar Fraterno diz que os repasses dos governos Estadual e Federal, ainda não foram feitos, cabendo à Prefeitura fazê-los. “Nossa verba estadual é de R$ 19.666,64 centavos e a federal de exatos R$ 13 mil reais. Sem esses valores, o Lar Fraterno foi obrigado a usar da verba dos idosos para custear a Casa de Passagem, já que os repasses por parte da Prefeitura ainda não aconteceram. E isso é algo que eu não posso deixar acontecer”, lamenta Rubens Marino.

Rubão finaliza dizendo que vários investimentos de infraestrutura foram realizados no local, além da contratação de profissionais para cuidar dos moradores. “Realmente era um trabalho que o Lar Fraterno se sentiria honrado em realizar, porém, infelizmente, por forças maiores que as nossas, foi impossível”.

Carta – O presidente do Lar Fraterno já escreveu uma carta, para ser entregue a secretária municipal de Assistência Social, Raquel Peralta. No documento, datado no dia 14 de julho deste ano, Rubens Marino, diz ter ciência das dificuldades financeiras que o município vem enfrentando, porém o valor recebido até o momento é insuficiente para dar seqüência ao projeto da Casa de Passagem.

O presidente do Lar finaliza, lamentando que não podia prejudicar as atividades da Entidade, e por essa razão não teve outra escolha senão abrir mão do Projeto da Casa de Passagem.

Prefeitura – Até o fechamento desta edição, a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Cubatão não havia se manifestado sobre a decisão do Lar Fraterno, portanto mais um serviço anunciado pelo governo atual para a população, que deixa de existir.

Nivaldo Veiga faleceu dia 7 de fevereiro

Figura atuante nas entidades de servir e esportivas da região.

Figura atuante nas entidades de servir e esportivas da região.

Comerciante em Cubatão durante muitos anos, Nivaldo Veiga faleceu no último dia 7 de fevereiro. Ele continuava em atividade profissional no mercado imobiliário, como um dos corretores da Almeida Imóveis. Durante o governo do prefeito Clermont Silveira Castor (2001-2008) ele ocupou diversas funções de destaque, dentre as quais a presidência da Cursan, a superintendência da CMT e a administração regional da Vila Nova. Presidiu em Santos o Vasquinho, tradicional clube de praia, e era vice-presidente da diretoria do Lar Fraterno de Cubatão. Na política sempre foi uma figura atuante, mais recentemente nos partidos PTN e PSDC. Seu corpo foi sepultado no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos. A missa de sétimo dia está programada para o dia 12 de fevereiro, na Igreja Sagrado Coração de Jesus, a partir das 19 horas.